sábado, 29 de dezembro de 2007

Tarde para observar os "Outros"

Na tarde deste sábado, deslocámo-nos a Loulé, para assistir à partida que opunha o líder Campinense ao Amora. Aproveitando o fim de semana de descanso para o Farense, a intenção foi de presenciar a um jogo em que estavam em acção muitos jogadores que já pisaram o relvado do S. Luis, como jogadores da casa, e poder aferir do seu momento de forma, sabendo que no futuro até poderão estar referenciados como possiveis hipóteses de contratações para os Leões de Faro.

Na verdade foi bom rever em acção as caras de Luis Lopes, Pintassilgo, e até Manuta, que à bem pouco tempo foi jogador do Farense. Luis Lopes assume na equipa de Ivo Soares (outra ex-glória Farense), o papel do primeiro condutor de jogo da equipa de Loulé, tendo a responsabilidade de comandar a equipa à frente da defesa e de endossar a bola com acutilância para sectores mais avançados da equipa. Pintassilgo, assume também papel importante, mas pareceu-nos um pouco abaixo do seu potencial, talvez prejudicado pelo sistema de jogo da equipa que estava um pouco "perra" de movimentos e não criava linhas de passe. Manuta sempre esforçado na frente, encostado preferencialmente a um dos flancos fez um dos golos da equipa mas não fez uma exibição de encher o olho.



Campinense 2-3 Amora
Quanto ao jogo, podemos dizer que o resultado espelha o que se passou em campo, pois a equipa de Loulé apresentou-se retraída e nos primeiros 20 minutos o Amora esteve sempre por cima, só não chegando à vantagem(7,9 13 mn) nessa altura do encontro por mera infelicidade e também mérito do guardião Kula. O Campinense haveria de equilibrar as operações mas o seu futebol não era organizado e o 3x5x2, apresentado parecia-nos um pouco desajustado em campo pois os jogadores não desenvolviam os automatismos necessários para que esse sistema táctico desse frutos.
A prova disso foi de que durante todo o jogo, o Campinense, apesar do volume ofensivo (em especial na segunda parte), mostrou-se uma equipa inofensiva no remate, pois chegava á linha para cruzar mas pouco acertou na baliza contrária, resultado da insistência num futebol muito ao "choveirinho", que favorecia invarialvelmente a defesa do Amora.
Seria aos 41mn que o Amora marcaria o seu primeiro golo, repetindo a proeza logo no inicio da segunda parte e chegando mesmo ao 0-3 aos 54 mn.
Parecia que a vitória estaria garantida para os da Amora, mas logo de seguida Manuta, marcaria um golo, após bom trabalho de Mindo, e logo de seguida, Luis Lopes de cabeça, desfeitiaria o guarda redes contrário.
O Campinense ainda teve mais duas ou três ocasiões para empatar a partida, mas no computo geral o resultado ajustou-se pois o Amora, teve uma primeira parte muito personalizada e na segunda soube fechar da melhor maneira os caminhos da baliza, contra-atacando sempre com perigo. Arbitragem muito positiva.


Uma nota especial para Edinho. Durante o jogo foram vários os adeptos da equipa local que mostraram desagrado pela apatia da equipa a nível ofensivo, mostrando "saudades" do "melhor jogador da Equipa", como tivemos a oportunidade de ouvir. Esperemos que Edinho seja mesmo o reforço que o Farense precisa e rentabilize ao máximo a sua presença no plantel, coroando a mesma com indispensáveis golos rumo á subida aos Nacionais.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Uma História deliciosa....

"Depois de o projecto do Imortal ter ruído, Fernando Barata caiu no esquecimento e o empresário e antigo dirigente algarvio nem quer conversas sobre futebol. Mas há quem não o esqueça. “O senhor Fernando Barata está no meu coração”, eterniza Manuel Cajuda, quando recua no tempo e vai ao baú das recordações e puxa por uma com mais de duas décadas. Com apenas 32 anos, o técnico do Vitória tinha pela frente o primeiro grande desafio no comando de uma equipa. O búlgaro Hristo Mladenov deixava o Farense e o então presidente, Fernando Barata, entregou-lhe a equipa a poucos dias da visita às Antas, onde o esperava um poderoso FC Porto. Foi em Março de 84 e Cajuda tem uma história de encantar...“Fizemos a viagem a dois tempos: saímos para Lisboa numa sexta-feira e ficámos no Hotel Embaixador; no dia seguinte seguimos para Espinho. Na sexta-feira, o Fernando Barata ligou para me incentivar, e a dada altura perguntou-me se já tinha escolhido a equipa. Disse-lhe que não, para fugir à questão. No sábado à noite voltou a ligar e colocou-me a mesma pergunta. Na minha rebeldia, respondi-lhe assim: ‘Para saber a equipa ou vem ao jogo ou compra o jornal no dia seguinte’. E assim ficou”, recordou entre gargalhadas. Só que o resultado do encontro foi desastroso. O Farense saiu goleado (1-7) e Cajuda pensou ter perdido a primeira grande oportunidade para iniciar a carreira de treinador, embora já tivesse dito, em Record, que “foi sem querer e sem o querer” que começou a carreira de técnico, pois preferia ser bancário. Barata não gostou de perder, mas apreciou o técnico. “Depois dos 7-1 voltámos ao Algarve e às sete e meia da manhã recebi ordens para me apresentar no escritório do presidente. Cheguei lá a pensar que já tinha guia de marcha. Estranhamente, fui recebido com abraços e a primeira coisa que ouvi deixou-me estupefacto. ‘Estou orgulhoso de si, você vai ser um grande treinador. Teve a coragem de não se vergar à minha curiosidade e mandar-me ir ver o jogo”, ouviu Cajuda da boca de Barata. Elogios que só convenceram o técnico algarvio até ao final da época, já que no arranque da campanha seguinte voltou a ser adjunto, desta feita de Fernando Mendes. “A ambição não me matou. Voltei a ser adjunto, porque achei que ainda não era capaz”, justificou. Seja como for, Cajuda salvou o Farense da descida em 83/84, conseguindo o primeiro feito da sua carreira." In Record, 14/12/2007

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Farense contrata Edinho

A notícia já era sabida, mas hoje os leitores do jornal "A Bola", puderam ler uma entrevista de Edinho, em virtude de o jogador ter sido contratado pelo Farense, para reforçar o seu ataque. Mais do que nós, sócios e adeptos, dizermos que o Clube tem um grande prestigio ou Historial, é o reconhecimento vir duma instituição com os pergaminhos de "A Bola". Pergunto eu, quantos clubes dos Campeonatos Regionais se podem orgulhar da atenção que é dada, como neste caso ao Farense?? E mais, já não é a primeira vez, neste época que "A Bola", faz referência à equipa Sénior com artigos. Como sabemos este jornal tem cobertura no Continente, Ilhas e Estrangeiro, levando o nome do Farense cada vez mais longe.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

O Fim de Semana Desportivo em Análise

Novo fim de semana passado e futebolisticamente falando, o Farense, em todos os seus escalões, voltou a ter um aproveitamento muito positivo. Todas as equipas venceram, destacando-se as golaedas das equipas de Juniores e Séniores, que vêm dando continuidade à recuperação efectuada desde à algumas semanas atràs. Os Juniores haviam vencido no derby com o Ginásio de Tavira na passada quarta-feira por expressivos 5-1, e a equipa sénior a jogar em casa, no passado sábado arrasou completamente o Culatrense por 6-1, tendo estado em destaque o avançado Bruno ao averbar 3 golos. Quanto a este mesmo campeonato, o Farense têm agora um interregno na sua prestação, pois só volta aos relvados/pelados deste nosso Algarve no primeiro sábado de 2008, jogando novamente no Estádio Algarve para defrontar uma das equipas sensação do campeonato, os Machados. Pelas noticias que nos vêem chegando, será neste periodo que irão haver alguns reajustamentos no plantel. Ainda neste sábado, o centrocampista Barão, estreou-se a titular com uma exibição aceitável frente ao Culatrense, e segundo sabemos Edinho, um velho conhecido do Farense, mas principalmente de Olhanense e Portimonense ou mesmo Vitória de Guimarães é já um reforço do Farense para a segunda volta do campeonato, proveniente do Campinense.



Na Terceira Divisão Nacional, Série F, o grande destaque vai para a formação de Quarteira, que foi esmagar literalmente o Fabril, no Lavradio, Barreiro, por expressivos 2-6. Num dos jogos grandes da jornada, o derby concelhio de Loulé entre Campinense e Amancilense, a vitória sorriu aos forasteiros por 0-1. O Almancilense de Luis Dores, técnico que tem vindo a marcar posição no Futebol Algarvio têm uma equipa humilde e trabalhadora, e insiste em mantê-la nos lugares cimeiros da tabela. Registamos também em Évora, a vitória do Ferreiras, que após um bom começo e de ter atravessado uma fase menos boa, ter agora vencido por 0-2 frente ao Lusitano local. Noutro derby algarvio, o Beira Mar, treinado pelo ex-jogador do Benfica, Luis Carlos, venceu o Silves por 2-0. Ainda na Terceira Divisão, a nota negativa da semana foi para o Imortal, que em casa predeu por 2-3 frente ao Cova da Piedade, perdendo um boa oportunidade de se consolidar na tabela classificativa.



Na Segunda Divisão B, jornada muito penalizadora para as três equipas algarvias em competição. O Louletano perdeu por 1-2 frente ao Mafra, no Municipal de Loulé. Se havia quem dissese que o Louletano tinha imensas dificuldades em jogar no Estádio Algarve, então ficou a prova que afinal a sindrome também se espalhou para o antigo campo de jogos, o que é preocupante, pois mostra que o Louletano têm sérias dificuldades quando têm que assumir o comando dos encontros. Nos outros encontros o Messinense foi à casa do líder Olivais e Moscavide e perdeu por 3-1, enquanto o Lagoa empatou na casa do "outro" clube de Évora, desta feita o Juventude, a uma bola.



Finalmente na Liga Vitalis, mais do mesmo.... O Portimonense voltou a não vencer, e desta feita com duas agravantes: empatou em casa, depois tinha vantagem de 2-0 e deixou-a escapar já numa altura em que não seria muito admissivel. Para um clube que precisa de pontos, como de pão para a boca, são sem dúvida más noticias para os Barlaventinos. Positivo foi o nulo do Olhanense fora de portas, desta feita na casa do candidato Gil Vicente. A equipa de Olhão têm vindo a rubricar uma grande campanha fora de portas, ocupando nesse ranking o segundo posto, com apenas 4 golos sofridos, o que é impressionante. Não fosse a malapata caseira e teríamos o Olhanense a lutar arduamente pela presença na Bwin Liga, com um orçamento muito abaixo dos candidatos assumidos.



Votos Sinceros de Feliz Natal a todos os Farenses e Leitores do Blog AlgarveFarense.

sábado, 22 de dezembro de 2007

Fechar o ano em beleza - Farense 6-1 União Culatrense

Numa fria tarde de Inverno, o Farense presenteou os espectadores do Estádio Algarve, com uma goleada frente à equipa da ilha da Culatra. Pode-se dizer que a equipa Farense, após o desaire caseiro frente ao Castromarinense, está com o pé bem quente pois nos últimos 3 jogos averbou a módica quantia de 13 golos, num goal-average amplamente favorável. Quanto ao jogo, diria que ficou logo sentenciado nos primeiros quinze minutos, altura em que o Farense chegou facilmente ao 2-0 perante uma adversário macio a defender, e que ao mínimo sinal de pressão do Farense, não hesitava em colocar a bola fora ou a jogar sem intenção ofensiva. O Culatrense ainda reagiu e chegou até a ter maior posse de bola, mas a táctica engendrada por Carlos Costa, priviligiava um futebol seguro, feito de transições rápidas que surpreendiam o Culatrense. Seria Brasa ainda na primeira parte, numa jogada de insistência a chegar ao 3-0.

Na segunda parte, o Farense entraria novamente com o pé direito e chegaria ao 4-0 por Túlio, numa boa jogada atacante. O Culatrense esboçou sinais de melhoria e envio duas bolas ao ferro, e coroaria essa atitude com um tento, que seria apenas o ponto de honra, pois o Farense reassumeria o comando do jogo até ao fim, e fixaria o resultado final em 6-1.
Arbitragem aceitável, mas com alguns erros na avaliação dos foras-de-jogo.

Ficha de Jogo:
Estádio Algarve, 15 horas, 22/12/2007
Assistência: 500 espectadores
Farense 6-1 União Culatrense (Bruno 6, 84, 90mn, Caras 13mn, Brasa 40mn, Túlio 50mn; Bia, 74mn)
Farense: Costa;Amilcar, Né (Wilson 64mn), Sousa(Márcio 76mn), Caras; Barão(Arlindo 66mn), Ricardo, Calquinhas; Túlio, Brasa, Bruno. Treinador: Carlos Costa
União Culatrense – Cavaco; Ivan, Ramos, Nelson Bruno e Oliveira; Rui (Aleluia, 46’), Joviano (Pajó, 81’), Bia e Paim; Nuno e Tolinhas (Setenta, 68’). Treinador: Geraldo Carmo


sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Jornada 10 - Antevisão Farense - Culatrense

Joga-se na tarde deste sábado, primeiro dia de Inverno, o jogo Farense-Culatrense referente à Jornada 10 da 1.ª Divisão Distrital. O Estádio Algarve recebe então este derby concelhio, num jogo que promete muita emoção. Defrontam-se duas equipas àvidas de vitórias. Um Farense que vêm duma vitória muito importante em Lagos, tentará concerteza finalizar o ano com uma vitória, que em caso dum empate do lider Lusitano( que defronta o Aljezurense em casa), deixará os Leões de Faro no primeiro lugar do campeonato. Do outro lado está o União Culatrense, equipa da ilha da Culatra, que de certeza dará tudo em campo para sair do estádio Algarve com um resultado positivo. A equipa da Culatra tem este ano em 10 jogos 6 empates e sofreu nesta época uma revolução no seu plantel, pois viu os seus jogadores mais categorizados da época passada, sairem para equipas mais competitivas ou mais fortes financeiramente. Contudo registamos a inclusão no seu plantel do defesa Nelosn Bruno, que na passada época foi até fase adiantada do campeonato, pedra basilar da defesa farense, sendo inclusive um dos melhores marcadores da equipa de Faro.


O árbitro destacado para o encontro será Sérgio Lopes.




Farense - União Culatrense


Local: Estádio Algarve (Parque das Cidades)

Horário: 15horas

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Um aparte no Futebol para olhar por Faro....

Poderia abordar mais uma vez "os porquês" das cheias que hoje assistimos pelas artérias farenses, situação que acontece frequentemente após (apenas) um dia de chuva, mas a razão desta crónica é outra. Na realidade há coisas que continuamos a não entender por estas bandas, mas até já estamos habituados. Certamente muitos leitores do blog, são utilizadores assíduos da estrada que liga o Rio Seco ao Patacão. Se bem se lembram, antes de se iniciarem as obras para a construção duma rotunda no cruzamento entre esta mesma estrada e a estrada que liga a Conceição de Faro e o Bairro da Penha, foi colocado um cartaz informativo da obra. Passado algum tempo, muitos esfregámos as mão pois parecia que a obra iria avançar, resultado do alargamento das bermas naquela zona, onde serpentevam máquinas e onde os trabalhadores, afincadamente pareciam desenvolver um trabalho que brevemente iria dar lugar a uma rotunda, muito útil para escoamento do trânsito naquele local. Foram até colocadas umas baias circundando o local....
Contudo, tudo isto se desvaneceu, e a rapidez com que os trabalhadores iniciaram a obra, foi a mesma com que a abandonaram, à talvez mais de um mês deixando mais uma vez um trabalho que seria muito importante a meio.

Valeria a pena tê-lo começado, nestas circunstancias?

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Imagem da Semana


Foi desta forma, que Cristiano Ronaldo digeriu o prémio de terceiro melhor jogador do Mundo em 2007, numa emissão em directo para todo o mundo....

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

O Fim de Semana Desportivo em Análise

Neste fim de semana, e tendo em conta os resultados obtidos pelo SC Farense, em todos os seus escalões, pode-se dizer que melhor era quase impossível. Todos os escalões obtiveram vitórias moralizadoras e mesmo o empate obtido pela equipa Junior, na Cova da Piedade, pode-se considerar muito positivo, pois o adversário em causa encontra-se bem classificado, e mesmo assim o Farense saiu de lá com um importante ponto, que poderá vir a ser precioso nas contas finais, até porque na primeira volta o resultado no S.Luis tinha sorrido aos locais por 1-0.

No "Distritalão", dos seis jogos antecipados, da jornada de dia 29/12, o destaque, para além do jogo de Lagos, foi para o encontro dos dois primeiros classificados. Castromarinense e Lusitano defrontaram no pelado de Castro Marim, e segundo rezam as crónicas, o empate aceita-se, e consequentemente vêm nivelar mais as contas dos da frente. O Farense, venceu em dois campos, e nesta jornada, somou uns módicos 7 pontos frente a adversários, juntando mais o três que somou. Terminado o primeiro terço do campeonato, o Farense posiciona-se neste momento no segundo lugar, a um ponto do líder Lusitano, contudo o crescendo de forma da equipa da capital algarvia, promete animar ainda mais esta luta de gigantes. Realce ainda para mais 3 empates nestes 6 jogos e para a vitória do Serrano, por 3-1 ao Aljezurense, o que permite aos serranos respirar um pouco melhor.

Na Terceira Divisão Nacional, o campeonato esteve parado, jogando-se contudo 3 jogos, que por acordo prèvio se disputaram neste Domingo. (Fabril 1-1 Silves; Lus. Évora 0-2 Ferreiras, Cova Piedade 0-0 Campinense)

Na Segunda B, a nota principal foi para o Louletano, que, aos poucos vai subindo na classificando na classificação, rumo aos 6 primeiros lugares, que darão acesso à fase final para promoção à Liga Vitalis. Confirmou-se mais uma vez a apetência da equipa de Loulé para fazer bons resultados fora, desta feita na casa do segundo classificado, Madalena dos Açores. Infelizes foram as duas equipas do Barlavento, que a jogar em casa, foram impotentes para suster os seus adversários (Lagoa 0-1 Olivais e Moscavide; Messinense 1-2 Real).

Por fim na Liga Vitalis, os dois participantes algarvios, voltaram a ter tardes negras. O Portimonense deslocou-se a Aveiro e frente a um assumido candidato à subida, voltou a mostrar a sua fragilidade e perdeu por 2-0. O Olhanense também não fez melhor, pois o empate em casa a uma bola com o Fátima, vem agudizar ainda mais a crise caseira, que afecta os de Olhão. Noutros tempos, o José Arcanjo era temido pelos adversários, e esta época assiste-se a um cenário preocupante, pois em 21 pontos possíveis, apenas conquistou 6....

sábado, 15 de dezembro de 2007

Vitória pragmática em Lagos > Esp. Lagos 0-2 Farense

Na deslocação a Lagos, o Farense conquistou mais uma vitória, e aproveitando o nulo em Castro Marim, entre os locais e o Luistano VRSA, subiu um lugar na classificação, estando agora a apenas um ponto do líder, Lusitano VRSA.

A partida iniciou-se, sob uma aragem fresca, e com ela o Esperança de Lagos iniciou uns primeiros minutos de alguma pressão, colocando em sentido o Farense, que aos poucos foi se libertando e criando jogadas interessantes, resultando as mesmas num golo apontado aos 19mn por Brasa, na sequencia de um livre.

O Esperança tentou então reagir, e fez uso de algumas jogadas pelo seu lado direito, onde o seu defesa dextro Pedro Alexandre fez a cabeça em água por várias vezes a Guiné, que acabaria por ver um cartão amarelo numa jogada rápida pelo seu flanco. No final da primeira parte ajustava-se a vitória tangencial pois o Farense, mostrava-se uma equipa segura, bem extruturada, apresentando em futebol alegre. Aliás na primeira parte assistimos a momentos de muito bom futebol por ambos os conjuntos.

Na segunda parte a equipa local entrou com vontade de virar o resultado a seu favor, mas encontrou um Farense muito determinado em levar para a casa a vitória. As entradas de Roque e Calquinhas, foram importantes, pois o permitiram ao Farense, refrescar o seu meio campo, situação que viria a ser fulcral no desfecho do encontro, pois num dos muitos contra ataques, o Farense chegaria ao golo por Calquinhas aos 74minutos. Nessa altura o Esperança havia posto "toda a carne no assador" e havia desguarnecido a linha defensiva, o que para jogadores como Brasa, Roque ou Bruno, foi como "mel na sopa". Alguns golos ficaram por marcar pelas duas equipas, pois houve ocasiões para tal, destacando e ainda já perto do final um belo remate de fora da área de Arlindo, que beijou o travessão da Baliza de Souco. Resultado justo e arbitragem suficiente mas em prejuizo da equipa de Faro.

Por fim destaco a presença de 150 pessoas vindas de Faro que mais uma vez acompanharam o Farense nesta longa deslocação.

O grande derby esteve em Brasa


Foi no dia 08 de Dezembro que se voltaram a encontrar em competições oficiais os dois maiores clubes da cidade de Faro. O jogo, que já não se realizava nestes termos à cerca de 40 anos, foi um bom exemplo de emoção, qualidade e convivio entre todos os que estiveram presentes. Cerca de 600 pessoas marcaram presença, no velhinho campo da Horta da Areia, tendo o South Side Boys, abrilhantado o inicio de jogo com fumos verdes e brancos e vistosos cartazes incitando ao fervor Farense, bem como a um agradecimento a Zé Clemente e Nelson Bruno, agora jogadores do Faro e Benfica, mas que na passada época contribuiram de uma forma vincada na subida de divisão do Farense ao Distritalão.


A primeira meia hora foi pautada pelo equilibrio, com alguns lances perigosos de parte a parte, mas seria o Farense com um final de quarto de hora desconcertante a desiquilibrar a balança a seu favor, beneficiando do bom jogo aéreo de Né(1 golo), e Bruno(2 golos), bem como do erro do guardião Serginho, ao sair mal dos postes no lance do primeiro golo, que haveria de ser marcado por Né.


A segunda parte abriria logo com o golo de Brasa, numa bela jogada individual. O Farense foi ainda desperdiçando algumas ocasiões para dilatar o marcador, perante um Faro e Benfica, que, nunca desistindo, mostrava desânimo e resignação, em cada jogada atacante. Costa esteve em tarde Sim, efectuou algumas defesas de registo. Seria ainda o Farense, jogando nesta segunda parte em contra a ataque, que chegaria ao golo, em mais uma bela jogada de Brasa.


O Farense sem realizar uma exibição de alto nivel, mostrou sérias melhorias nos automatismos e explorou uma das armas, que no futuro pode vir a ser decisiva em alguns jogos, pois Túlio é um verdadeiro perigo na execução de lançamentos laterais.


Para o fim estava reservada a reacção do Faro e Benfica que ainda marcou dois golos, por Lino(remate de longe) e por Chico na conversão duma grande penalidade duvidosa. Logo após este golo, gerou-se um conflito entre Costa e Chico, mas tudo acabaria em bem. Arbitragem aceitável, à excepção do penalty final. Próxima paragem: Lagos. Objectivo: Ganhar!!!!




Decorridas 8 Jornadas...

Decorridas que estão 8 Jornadas do Campeonato Distrital da 1.ª Divisão do presente ano, pode- se dizer que o Farense, está a realizar uma campanha abaixo das expectativas criadas...
O trajecto iniciou-se com uma saborosa vitória caseira, frente a umas das actuais revelações da época, o Armacenenses. Com um Farense amputado de um dos seus melhores elementos da epoca passada (Caras), na sequência duma expulsão evitável, o golo de Brasa, haveria de sentenciar o resultado por 1-0. Na segunda, jornada, viagem curta ao Complexo Desportivo da Penha, e vitória tranquila do Farense perante o Salgados por 3 bolas sem resposta (Bruno, Rui Loja e Brasa). Na terceira jornada, deslocação ao limiar do Algarve para defrontar o Serrano, equipa com poucos argumentos técnicos, mas que num pelado, dificultou ao máximo a tarefa farense e só na sequência dum livre, Roque deu justiça ao resultado, ainda na primeira parte. Seguiu-se então o primeiro desaire caseiro, num jogo com a União Desportiva Sambrazense, jogo que acabaria empatado a zero, mais uma vez manchada por uma expulsão de Caras, desta vez sem razão para tal. Na quinta jornada, deslocação a Paderne e vitória suada mas justa dum Farense objectivo e determinado no jogo. Os golos de Bruno e Calquinhas ditaram mais uma vitória, desta feita por 2-0. Sexta jornada, primeiro grande teste. Perante o seu público, e na presença de cerca de 1400 pessoas, Farense e Lusitano de Vila Real de Santo António, proporcionaram um encontro de qualidade aceitável e num bom ambiente, acabou por sorrir a vitória à equipa pombalina por 2-1. Roque marcaria o golo farense, e na segunda parte, por sinal no período que o Farense tinha exibido o seu jogo, acabaria no entanto por sofer dois golos (os primeiros da época), resultado que no computo geral aceitou-se e espelha uma certa inexperiencia e falta de organização no futebol Farense. Na sétima jornada, deslocação longinqua a Aljezur e vitória por 2-0 com golo de Né e um autogolo. Por fim, jogo grande com a equipa de Castro Marim, uma equipa muito bem orientada e que foi ao Estádio Algarve, vencer o Farense por 1-0, perante uma equipa Farense muito fraca na produção ofensiva, que nunca justificou outro resultado, a não ser resultado. O Farense até poderia ter ganho, tais foram as ocasiões desperdiçadas escandalosamente, mas o futebol apresentado, envergonhou qualquer um dos adeptos presentes, tal era a ausencia de ideias, tranquilidade, segurança, alegria, dinâmica no jogo da equipa.