domingo, 28 de fevereiro de 2010

As Notas do Farense 2-3 Cova da Piedade

Notas Positivas:

  • Num jogo que se traduziu numa enorme decepção para as hostes algarvias, realço a garra, crença e galhardia com que os jogadores do Farense se bateram, procurando até à exaustão a vitória na partida, sendo traídos já depois dos noventa minutos por um lance de contra ataque da equipa adversária que fazia anti jogo nessa fase da partida.
  • A primeira meia hora da segunda parte do Farense foi avassaladora. Mesmo que num terreno pesadíssimo e irregular o Farense empurrou o adversário para o último terço do campo, arriscando tudo na procura dos golos, e deixando muitas vezes apenas Idalécio e Hernâni na defesa. Embora sem criar muitas oportunidades de golo, conseguiu chegar à igualdade e numa altura em que se aguardava a cambalhota no marcador, o Cova da Piedade foi quebrando o ritmo de jogo e gradualmente apagou a chama da equipa algarvia...
  • Apesar de não ser o objectivo assumido da equipa do Farense nesta fase da época, é com alívio, que numa fase negra da época o Farense acaba por desde já garantir a manutenção, quando ainda faltam dois jogos para o termo da primeira fase, beneficiando da derrota do Fabril do Barreiro em Évora por 3-1, que assim deixou os homens da margem sul sem condições para ultrapassar o Farense na tabela.

Notas Negativas:

  • Destaco a entrada do Farense, que a imagem do jogo passado para o campeonato se iniciou com um golo adversário, também fruto das facilidades da defesa algarvia, o que condicionou toda a postura da equipa durante o jogo, tendo que enfrentar a desvantagem do marcador, com índices de ansiedade elevados, sofrendo o 0-2 ainda na primeira parte no segundo remate à baliza dos forasteiros.
  • Pelo segundo jogo consecutivo o Farense terminou a partida com dez jogadores, e desta feita até podiam ter sido nove, não fosse a benevolência da menina árbitra Ana Aguiar, numa jogada entre Pintassilgo e o guardião contrário ainda na primeira parte. Não obstante, o Farense teve razões de queixa da arbitragem, muitas vezes passiva e com muitos erros na análise dos foras de jogo pelo árbitro assistente do lado da bancada.
  • Os resultados do Farense têm sido péssimos, ao ponto de nos últimos quatro jogos disputados, três dos quais no São Luís perante equipas que à entrada para este ciclo estavam baixo do quarto lugar, redundarem nuns míseros dois pontos. Estes resultados afastaram o Farense da luta pelo primeiro lugar, mas apesar de tudo há uma secreta réstia de esperança para a segunda fase, sendo imperioso reduzir os actuais seis pontos que separam os farenses da equipa do Pescadores.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Faro degradado...






Um dia destes num habitual trajecto pedestre de fim de semana entre o Largo de São Francisco e a baixa da cidade de Faro, olhei de outra forma para alguns dos edifícios que estão situados na Rua Manuel Belmarço e na verdade, a ideia com que fico é que muito podia ser feito para melhorar o aspecto de umas das principais artérias pedestres, muitas vezes percorrida pelos turistas na nossa cidade...
Fica à atenção da CMF estes imagens, sabendo de antemão que estamos perante casos de edificio privados devolutos, poderia accionar os mecanismos necessários para dar uma nova cara à nossa Cidade...

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Enfermeiros distribuem panfletos nas ambulâncias

Os enfermeiros do INEM estão a distribuir panfletos da greve junto da população, inclusive nos atendimentos em que utilizam as ambulâncias do Suporte Imediato de Vida – SIV.

Os enfermeiros hoje em greve protestam contra a vontade manifestada pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e pelo Ministério da Saúde de substituir estes profissionais de saúde por outros técnicos nos Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU’s).

Nuno Manjua, do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, explica ao Observatório do Algarve que neste momento “quando os enfermeiros se preparavam para trabalhar aquilo que é a qualidade para continuar o trabalho no CODU e nas SIV’s, o Ministério da Saúde e o INEM estão a fazer um caminho para enviar para fora do INEM estes profissionais”.

O sindicalista defende que o INEM “não pode funcionar sem enfermeiros” e esclarece que o que estes profissionais de saúde reivindicam é a abertura de concursos para a integração de mais enfermeiros na estrutura do Instituto Nacional de Emergência Médica e o esclarecimento das competências e funções dos enfermeiros no INEM.

Segundo o Sindicato dos Enfermeiros faltam 54 profissionais para garantir os meios actuais e 84 para a entrada em funcionamentos das 14 ambulâncias de Suporte Imediato de Vida que faltam, a nível nacional.

Serviços mínimos assegurados

No Algarve a adesão à greve é de 100 por cento (cinco enfermeiros do turno da noite e nove do turno do dia), e a nível nacional apenas um enfermeiro não fez greve nos dois turnos. Mesmo assim, Nuno Manjua garante que os serviços mínimos estão assegurados.

“Nós não deixamos ninguém sem socorro. Aquilo que deixou de funcionar é a parte administrativa, mas tudo o que é essencial para prestar socorro às pessoas, seja nas ambulâncias, está garantido”, diz e afirma que o socorro “não está em causa”.

Os enfermeiros optaram por distribuir panfletos explicativos à população, que incluem informações sobre os motivos da greve, sobre as funções das ambulâncias SIV e o papel desempenhado pelos enfermeiros neste instrumento de socorro.

Na região algarvia estão afectos cerca de 20 enfermeiros ao INEM, sete dos quais têm contrato com o Instituto, 12 em contrato temporário e os restantes em regime de mobilidade. A greve decorre entre as 00h00 e as 24h00 de hoje.
In Observatório do Algarve


Não podia deixar passar em claro este artigo sobre a situação precária que afecta os profissionais do INEM. Eu próprio não posso esconder o agradecimento e admiração por estes profissionais que dão tudo o que têm para poder recuperar os doentes emergentes que atendem... Poderia citar-vos alguns episódios bem presentes na minha memória recente, mas limito-me em nome da minha família a agradecer tudo o que fizeram pelo meu pai...

Estou solidário convosco...

Continuem a vossa missão e lutem pelos vosso direitos.

Obrigado.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

As Notas do Farense 1-0 Quarteira

Notas Positivas:

  • O Farense garantiu na noite de hoje a passagem às meias finais da Taça do Algarve, até ao momento, a vez em que o Farense chega mais longe nesta competição, sendo mesmo um dos maiores candidatos à vitória final, neste que é o ano de Centenário. Certamente uma prenda que está em mente da direcção, equipa técnica jogadores e staff para todos os sócios adeptos, por forma a elevar ainda mais o rico palmarés da equipa da capital algarvia.
  • Numa partida que foi jogada em ritmo de treino por parte do Farense, destaque para algumas aceitáveis exibições de jogadores menos rodados, como foi o caso de Pablo, que mostrando disponibilidade física durante a partida foi o autor do excelente centro que originou o único golo do jogo, apontado por Pintassilgo pouco depois da meia hora de jogo.
  • É raro ter se em conta a terceira equipa em campo, mas o facto é que o trio de arbitragem liderado por João Ribeiro fez uma boa prestação, sem causar ondas de descontentamento em ambos os conjuntos e ajuizando com descrição a partida.

Notas Negativas:
  • A exibição do SC Farense não foi a melhor, talvez justificada por muitas ausências na equipa titular e jogando grande parte da partida em gestão, por forma a não se desgastar para mais uma dura batalha, no próximo domingo. Jogando com mais um jogador, após a expulsão do guardião contrário a meio da segunda parte, o Farense nunca conseguiu dominar completamente o adversário que se mostrou confortável perante a fraca exibição farense.
  • O relvado de S. Luís é um dos grandes empecilhos para a fluidez de jogo da equipa farense. Se no domingo passado, o relvado estava em condições medíocres, hoje estava muito pior e a perspectiva é que mais uma quantidade de treinos e o jogo de juniores no sábado deixem o recinto de jogo ainda mais irregular. Além do mais a relva encontra-se crescida o que prejudica a circulação de bola com mais velocidade...
  • As lesões têm sido uma constante na equipa do Farense, e face ao reduzido plantel à disposição de Rui Esteves, não auguramos uma tarefa fácil para as próximas partidas. Hoje foi a vez de Norberto sair tocado. Contudo a ausência de jogadores como Idalécio, Ró-Ró e Alvarinho por lesão e de David Justo e Galanducho por questões disciplinares e burocráticas parecem ser os casos mais preocupantes a nível de resolução para a próxima partida, que se reveste de particular importância.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Assembleia Municipal de Faro aprova moção para que Câmara integre trabalhadores com vínculo precário

A Assembleia Municipal (AM) de Faro aprovou segunda feira uma moção apresentada pelo Bloco de Esquerda (BE) para que a autarquia incorpore nos seus quadros os trabalhadores com contrato a termo determinado, informou hoje aquele partido.

"A AM de Faro debateu e aprovou, com os votos favoráveis do BE, CDU e PS, a moção apresentada pelo BE que recomenda ao executivo municipal a integração dos trabalhadores com contrato por tempo determinado, 199 segundo o quadro de pessoal de 2009", anunciou o BE em comunicado.

O BE acrescentou que, "no decorrer do debate, foi informado que apenas foram renovados contratos a sete dos 32 trabalhadores que já atingiram o seu termo", tendo o executivo liderado por Macário Correia apresentado como justificação "que tal não era legalmente possível para 23 dos 25 trabalhadores que ficaram no desemprego".

O Bloco disse ainda que "nada foi informado sobre os motivos da não renovação dos outros dois" e que "ficará atento à aplicação desta recomendação da AM de Faro".

Na proposta que o deputado José Moreira levou à reunião da AM, o Bloco considerava que "Portugal e, em particular, o Algarve, vivem uma grave crise social, com um desemprego crescente que no concelho de Faro atingiu em dezembro passado o valor de 2.878 desempregados", situação que "ameaça a coesão social devido ao aumento da pobreza".

O Bloco defende, por isso, que "à câmara compete não só prestar os serviços aos cidadãos", mas também "velar pela coesão social do concelho", pelo que "se exige ao poder local, neste tempo de crise social, um esforço no combate ao desemprego e à precariedade laboral".

O partido acrescenta que a Câmara Municipal de Faro deve "proporcionar ao seu quadro de pessoal vínculos estáveis e não contribuir para o aumento da taxa de desemprego no concelho".

In Barlavento Online (Fonte: Agência Lusa)

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Special nos protestos e nos castigos...

Desde que está em Itália já perdi a conta aos castigos aplicados a José Mourinho... Mas este fim de semana, o homem esteve no seu melhor... Ora vejam!

Ainda a Ria Formosa e a... Madeira...

Desolado e preocupado com as imagens que nos vão chegando da Madeira, e emocionado com os trágicos relatos que as televisões vão difundindo, interrogo-me a mim próprio se uma catástrofe noutros moldes mas com o mesmo resultado não pode vir a ocorrer nas nossas ilhas-barreira em especial nas ilhas mais estreitas como a Ilha de Faro, com a agravante desta albergar muita população residente durante todo o ano, aumentando o risco para essas populações...

Quando algo de ruim, e esperamos bem que não, acontecer nada trará de volta hipotéticas vidas perdidas, muitas vezes albergadas em casas débeis e próxima da costa, cada vez mais desgastada pelos ventos e pela força do mar...

Situações como as que ocorreram na Madeira, são fruto do descontrolo climático que teve origem na destruição do meio ambiente por parte do Homem, e que aos poucos vão sendo cada vez mais vulgares, como pudémos assistir em pequeníssima escala na nossa região algarvia neste Inverno...
Numa altura em que o aviso está bem presente, este só têm a razão se se tomarem em tempo útil as medidas necessárias para minimizar perdas, não só nas ilhas barreiras, como também ao longo de toda a costa algarvia, onde observamos a muitos casos de construção (sobre arribas) junto à costa.

Agora é o tempo...

domingo, 21 de fevereiro de 2010

As Notas do Farense 0-1 Esperança de Lagos

Notas Positivas:
  • Numa tarde negra para o Farense, de positivo apenas podemos registar os maus resultados de dois dos concorrentes directos do clube da capital algarvia, os Pescadores derrotados 2-0 pelo Fabril e o Beira Mar que empatou 1-1 com o Moura.

Notas Negativas:

  • A exibição global do Farense foi má, com a equipa farense a não mostrar em nenhuma fase da partida, fio de jogo e desperdiçando desastrosamente as poucas oportunidades reais de golo criadas durante a partida.

  • O golo sofrido logo aos 2 minutos da partida, fruto duma descoordenação entre Gonçalo e um defesa farense acabou por condicionar a exibição da equipa, que se mostrou intranquila e complicativa num relvado em medíocres condições (apesar de já o termos visto pior), enfrentando um adversário organizado com duas linhas de 4 jogadores quando defendia e sabendo cortar o ritmo de jogo durante a segunda parte, permitindo o descanso dos seus jogadores num terreno pesado e mais desgastante.

  • Rui Esteves, apesar de interventivo no jogo, poucos efeitos retirou desse facto, parecendo-nos infeliz na tardia entrada de Bruno e Luís Afonso, pois o Farense não tinha nada a perder naquela fase de jogo. Dando indicações para jogar pelos flancos, o Farense necessitava de jogadores com poderio físico na frente, perante uma adversário que tinha jogadores bem constituídos na zona defensiva. Luís Afonso pouco mais teve que 15 minutos para jogar, numa fase em que o sector intermédio já denotava cansaço nalgumas unidades.

  • Mais do que nos queixarmos do resultado de hoje e da hostilidade da equipa de arbitragem do jogo é perceber que a equipa do Farense se encontra numa curva descendente de resultados, vencendo apenas um dos últimos 6 jogos. Para uma equipa que assumiu a candidatura à subida parece um pecúlio preocupante até porque já vimos este Farense mais pujante, e com uma maior qualidade exibicional. Aliás, com esta primeira derrota caseira da época, Rui Esteves está agora com uma média de pontos por jogo para o campeonato de 1,62 que é inferior à do anterior treinador do Farense, Edinho (1,72), que saiu após uma sequência de 4 vitórias e 1 empate e a derrota em Monte Gordo...

  • Por último, nota negativa também para o público farense, fruto dos desacatos que decerto poderão a FPF obrigar o Clube a pagar alguma multa, numa altura em que os jogadores têm os subsídios em atraso. Por certo não é desta forma que os adeptos ajudarão o Clube a ultrapassar os problemas cada vez mais agudos da tesouraria do Farense.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Uma relíquia Farense...

Estava aqui a pesquisar algo de novo sobre o nosso Farense, e reparo neste anúncio para venda de uma relíquia do nosso Clube... Trata-se duma camisola dos anos setenta trocada por Vitorino Bastos com um dos jogadores do SC Farense da altura e que agora serve para venda...

Estranhando o interesse da venda deste artigo pelo ex-jogador leonino, fica o link para consulta deste anúncio, deixando bem vincado que não tenho qualquer interesse comissionista nesta transacção... Era o que faltava!

Contudo, não há dúvidas que se trata de uma relíquia, para além do mais, símbolo duma época de ouro desta Instituição Centenária que se chama Sporting Clube Farense, e por certo muitos não desdenharão adquirir esta preciosa lembrança... Assim a carteira o permita :-)

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

I'm back again...

Se nomes bem distintos do djying, foram ultimamente guiando as suas carreiras por "malhas" bem mais comercias, citando exemplos como os de Bob Sinclar, David Guetta, e mesmo entre nós, os casos, primeiramente de Rui da Silva à uns bons anos atrás, e agora Pedro Cazanova e Diego Miranda, surge agora a aposta bem vincada do algarvio António Pedro, "nome de guerra", Pete Tha Zouk, em busca dum sucesso internacional de massas com um tema muito dançável e enliante no ouvido...

Goste-se ou não do estilo musical, penso que todos nós torcemos para que este tema tenha um grande sucesso e escale os charts nacionais e internacionais, por um algarvio tão talentoso e merecedor de todo o reconhecimento já obtido.

Centenário do Sporting Clube Farense

Espólio de fotografias e recordações


No âmbito das comemorações do Centenário do Sporting Clube, está previsto uma exposição de fotografias e recordações do clube.

Nesse sentido, pedimos a todos aqueles que tenham em sua posse esse tipo de material e queiram ceder temporariamente para essa exposição o favor de contactarem o telefone 968 528 819 ou o mail: scf.gab.imprensa@gmail.com.


SCF – Gab. de Imprensa

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Demolições já em marcha na Ria Formosa...

In Correio da Manhã, 17/02/2010

Nunca a opinião pública algarvia esteve tão consonante com as ideias desde sempre defendidas por Macário Correia desde à anos a esta parte...

Como escrevi também aqui, mas agora observando os últimos acontecimentos o Programa Polis tem que sair do papel para a "rua" com relativa urgência, por forma a evitar, quem sabe alguns dissabores para os habitantes das ilhas barreira.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Volta ao Algarve, corrida de alto nível à custa da "carolice"

A habitual "carolice" vai colocar a Volta ao Algarve de bicicleta na estrada entre quarta feira e domingo, com um elenco desportivo de luxo numa 36.ª edição com um orçamento de 400 mil euros.

A equipa de cerca de 70 pessoas vai trabalhar no evento cuja cabeça de cartaz é o espanhol Alberto Contador (Astana), e campeão do "Tour", montando e desmontando o "circo" das partidas e das chegadas nos cinco dias de prova e assistindo as 23 equipas de nove países a compor um pelotão de 184 atletas.

"Com as eleições, enfrentámos mais dificuldades em termos de resposta por parte das autarquias, mas o trabalho e a carolice do costume deram para que corresse tudo bem", disse à Agência Lusa o presidente da Associação de Ciclismo do Algarve, Rogério Teixeira.

Para o responsável, a "Algarvia" já se conseguiu transformar num "momento importante da época para as equipas de topo". As "excelentes condições hoteleiras, de clima e até das estradas da região" são outros "trunfos" para seduzir os melhores conjuntos do ciclismo internacional.

Em termos de segurança, 15 elementos da Guarda Nacional Republicana e sete "motards" especializados vão guiar a caravana pelo percurso de mais de 700 quilómetros, com perto de 60 veículos em circulação, em troços efetuados por vezes a alta velocidade.

Nas retas da meta, a estrutura de animação inclui uma feira com "stands" dos parceiros institucionais, animada por insufláveis, vários passatempos e exibições artísticas para o público, protegido por 130 baias de segurança.

Além da verba mínima imposta pela União Ciclista Internacional pela presença das equipas na corrida (cerca de 2000 euros por conjunto), os organizadores, nomeadamente as 10 autarquias envolvidas e outros patrocinadores, ficam encarregues de proporcionar refeições e alojamento para todos os elementos de cada "staff": mais de 200 pessoas.

Há um ano, com menos uma equipa concorrente, foram providenciadas 1710 dormidas, 4240 refeições e consumidos 8900 litros de combustível, por exemplo.

Percurso e equipas participantes

O Percurso da Volta ao Algarve de bicicleta, cuja 36.ª edição se disputa entre quarta feira e domingo desenrola-se em cinco etapas, num total de 724,9 km.

1.ª etapa (17 fev): Estádio Algarve (Faro/Loulé) - Albufeira, 157,5 km.

2.ª etapa (18 fev): Sagres - Lagos, 207,5 km.

3.ª etapa (19 fev): Castro Marim - Alto do Malhão (Loulé), 173,7 km.

4.ª etapa (20 fev): Cacela - Tavira, 169 km.

5.ª etapa (21 fev): Lagoa - Portimão, 17,2 km.


Equipas participantes:

- ProTour: Astana (Caz), Caisse d'Epargne (Esp), Euskaltel-Euskadi (Esp), Française des Jeux (Fra), Footon (Esp), Garmin (EUA), HTC-Columbia (EUA), Katusha (Rus), Omega-Lotto (Bel), QuickStep (Bel), Rabobank (Hol) e RadioShack (EUA).

- Continental Profissional: Cervelo (Sui), Cofidis (Fra), Topsport (Bel), Vacansoleil (Hol) e Xacobeo-Galicia (Esp).

- Continental: Barbot-Siper (Por), CC Loulé (Por), LA-Paredes (Por), Madeinox-Boavista (Por), Palmeiras-Tavira (Por) e Sean Kelly (Bel).


Já a partir de amanhã, acompanhe a mais mediática prova ciclista internacional que se realiza regularmente no nosso país aqui

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Farense recebe Quarteira S.C. na 4ª eliminatória da Taça do Algarve

Coube em sorte ao S.C. Farense defrontar na 4ª eliminatória da Taça do Algarve, a equipa do Quarteira S.C. actualmente a militar na 1ª Divisão Distrital, ocupando neste momento o nono lugar, numa participação que se pode classificar de regular face aos objectivos a que está proposto.

Passados três anos, o Farense volta então a defrontar esta formação, equipa que nos fez a vida negra na época do regresso do futebol sénior, quando o Farense militava na Segunda Divisão Distrital. Nos dois jogos disputados para o campeonato registou-se uma derrota por 1-2 no Estádio Algarve e um empate 1-1 no agora relvado n.º 2 de Quarteira, realizando-se também uma partida para Taça do Algarve nesse mesmo campo, onde o Farense empatou a zero bolas, sendo afastado no desempate por pontapés da marca de grande penalidade.

Os jogos desta 4º Eliminatória disputar-se-ão no dia 24 de Fevereiro, pelas 20H00 e têm o seguinte programa:
  • Odeáxere - Esperança de Lagos
  • Lagoa - Lusitano de Vila Real Santo António
  • Quarteirense - Aljezurense
  • Farense - Quarteira

A mais competitiva equipa algarvia da actualidade - Palmeiras Resort Prio Tavira e David Blanco querem nova vitória na Volta a Portugal

O ciclista espanhol David Blanco (Palmeiras Resort/Prio/Tavira) disse hoje que o seu grande objectivo para 2010 será vencer a Volta a Portugal, de forma a repetir o número de triunfos detido por Marco Chagas na principal prova velocipédica nacional.

“Vou tentar ganhar novamente a Volta, esse é o grande objectivo. A quarta vitória seria excelente e motiva-me saber que posso igualar o recordista de vitórias na prova, Marco Chagas”, referiu o corredor do conjunto algarvio, à margem da apresentação da equipa, realizada no Mercado da Ribeira, em Tavira.

David Blanco venceu em 2006 pela Comunitat Valenciana e em 2008 e 2009 pela equipa de Tavira. No último ano, recorde-se, foi 2.º classificado mas acabou por beneficiar da desclassificação de Nuno Ribeiro (Liberty Seguros), que registou um controlo «antidoping» positivo.

“Não foi bonito ganhar na secretaria. Ganhar assim não foi positivo – nem sequer fiz festa. Penso que foi uma acção que estragou o ciclismo”, comentou o ciclista espanhol.

Blanco é o chefe-de-fila de uma equipa que manteve os principais nomes e a espinha-dorsal – vencedora colectiva da Volta a Portugal em 2009 –, perdendo dois elementos (Martin Garrido e Krasimir Vasilev) que não substituiu, reduzindo o plantel para 12 corredores.

“Com a redução orçamental, foi necessário ajustar ao plantel à verba de que dispomos. Até gostaríamos de ter aqui esses dois atletas mas, face à sua saída, concluímos que tínhamos aqui jovens com características semelhantes e que não era necessário contratar substitutos”, explicou o director-desportivo Vidal Fitas.

Cândido Barbosa, André Cardoso, Samuel Caldeira, David Livramento, Ricardo Mestre, Luís Silva, Alejandro Marque, Nelson Vitorino, Daniel Mestre, Henrique Casimiro e Tomas Metcalfe são os outros elementos do plantel.

A crise obrigou a redução de cerca de 20% no orçamento, que este ano ascende a 620 mil euros. A câmara de Tavira aumentou, contudo, o seu apoio – os valores não foram revelados –, até porque o edil, Jorge Botelho, quer ver “cada vez mais vitórias”.

Projecto global procura-se...

O director-desportivo Vidal Fitas fez, à margem da apresentação, uma análise ao actual estado do ciclismo nacional, salientando que, se a sua componente profissional “não se diversificar, corre o risco de desaparecer, ou de ficar num nível muito baixo ou mesmo amador”.

Para o responsável, o futuro passará por uma equipa mais forte, capaz de se apresentar de igual para igual nas grandes provas mundiais. “Há que trabalhar nesse sentido, criando um projecto de ambições globais, rentabilizando a aposta dos patrocinadores.”

O presidente do Clube de Ciclismo de Tavira, a base desportiva do Palmeiras Resort/Prio/Tavira, concorda que “ir lá para fora é a solução”. “Podem dizer que é utópico, mas esta equipa tem valor e valia suficiente para ir ao Tour e fazer boa figura”, disse Jorge Corvo.

O problema passa por angariar os apoios financeiros suficientes para essa tarefa. “Somos uma equipa continental. Para termos o estatuto de continental profissional, era necessário dobrar o orçamento, chegar a 1,2 milhões de euros pelo menos”, estima.

“Isso depende do interesse da região em se promover lá fora e de uma outra série de factores”, frisou, salientando que um projecto deste tipo teria de nascer com um espaço de “cinco anos” até chegar ao Tour.

Escolhas para as primeiras duas provas

O director-desportivo Vidal Fitas já escolheu os corredores para as duas primeiras provas do calendário velocipédico nacional, o Troféu Pingo Doce e a Volta ao Algarve.

Já este domingo, na prova de abertura, entre Quarteira e Faro, correm Cândido Barbosa, David Blanco, David Livramento, Alejandro Marque, Luís Silva, André Cardoso, Nelson Vitorino, Ricardo Mestre, Daniel Mestre e Henrique Casimiro.

Na «Algarvia», em representação dos tavirenses vão estar: David Blanco, Alejandro Marque, Nelson Vitorino, Ricardo Mestre, Daniel Mestre, Henrique Casimiro, Samuel Caldeira e Tomas Metcalfe.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

FARO: Câmara passa 1,3 milhões para FAGAR para tratar espaços verdes

A Câmara Municipal de Faro vai pagar 1,3 milhões de euros à empresa municipal FAGAR para que esta assuma o tratamento dos espaços verdes.

O executivo da Câmara Municipal de Faro aprovou ontem, entre outros 22 pontos, um contrato de prestação de serviços em que transfere para a empresa municipal Fagar, responsável pelo abastecimento de água e saneamento, algo que até aqui era dependente do pelouro de Ambiente, Jardins e Espaços Verdes, a cargo da vereadora Teresa Correia.

Em declarações à agência Lusa, Macário Correia revelou que o executivo aprovou "a passagem da gestão das áreas verdes e das zonas balneares das ilhas para a empresas municipal FAGAR", assim como "a reorganização da própria Câmara nos seus serviços, departamentos e divisões" e "o apoio às coletividades desportivas e culturais".

Oposição contesta medida

Contactada pelo Observatório do Algarve, a vereadora da oposição, Cristina Ferreira (PS) adiantou "querer perceber como se processa o caso FAGAR", referindo ter pedido ao executivo para adiar a votação, por falta de tempo para analisar as propostas. "Para fazer isso, com a transferência dos 1,3 milhões de euros, a Câmara terá de alterar os estatutos da FAGAR para que possa gerir os espaços verdes. Queremos saber se por exemplo, os 30 jardineiros da Câmara passam ou não para a FAGAR?", questiona. "Para além disso, passar assim 1,3 milhões para a empresa será vantajoso para o município? Será que a FAGAR não vai aumentar as taxas em 2011? É que em 2010 aumentou 4,4 por cento e estamos em período de deflacção!", acrescenta.

Melhor gestão, diz Macário

Referindo-se aos pontos aprovados por maioria, apesar da recusa em votar dos eleitos do PS (ver aqui), o presidente da Câmara Municipal de Faro considerou que as cerca de duas dezenas de propostas de regulamentação vai permitir à autarquia "ter uma boa gestão municipal".

"A partir de agora, a Câmara começa a ter regras transparentes, normas, regulamentos, que facilitam a vida às empresas e aos particulares, porque até aqui não tínhamos nada disso", afirmou Macário Correia, após a reunião do executivo em que foram aprovadas as propostas.

Taxas também vão mudar

O presidente da Câmara algarvia precisou que, entre as medidas aprovadas, estão "um conjunto de normas de gestão da câmara municipal que não existiam, começando por aspetos que se prendem com as actividades económicas, venda ambulante, urbanismo e edificação, passando pela tabela de taxas e a utilização de espaços e equipamentos da própria Câmara, como instalações desportivas e viaturas".

"A boa gestão de uma câmara municipal implica ter umas dezenas de regulamentos aprovados e em vigor e na Câmara de Faro a regulamentação não estava feita. Há coisas dos anos 50 e 60 do século passado que não fazem qualquer sentido e na tabela de taxas, que é uma obrigação legal estruturante, o trabalho parou em setembro de 2008 e nunca mais ninguém tinha feito nada", explicou.

Refira-se, no entanto, que após a aprovação no órgão executivo, as propostas terão de ser submetidas à votação na Assembleia Municipal, órgão em que o PSD (em maioria no executivo, com cinco vereadores contra quatro do PS) não tem a maioria.

In Observatório do Algarve, por Mário Lino, com a Agência Lusa

Macário e o Farense...



Este pequeno recorte faz parte duma entrevista hoje publicada no semanário "O Algarve", na qual Macário Correia, em entrevista, aborda vários temas da realidade do Município, entre os quais o Farense...

E, pelas palavras de Macário alguma coisa vai mudar em relação aos apoios camarários dados no passado... As afirmações sublinhadas a vermelho são um pequeno rascunho das ideias de Macário Correia sobre a CMF e os apoios ao Clube, nas quais deixa bem explicito que o Farense terá agora um apoio mais selectivo e, segundo ele com o mesmo grau de critério em relação a outras colectividades do Concelho...

O facto, é que como escrevíamos à semanas atrás, a "camaródependência" de muitos clubes desportivos está em vias de extinção, obrigando estes a procurar por si verbas junto de novos patrocinadores e parceiros de negócio...

Ricardo Teodósio - Rally Profile

Com a época de rallys ao mais alto nível prestes a ter ínicio já daqui a poucas horas com a primeira prova do WRC, o rally da Suécia, onde participam dois portugueses, o campeão do mundo em título do PWRC Armindo Araújo e promessa portuguesa, este ano integrado no Troféu S2000 do Mundial de Rallys, sugiro este magnífico vídeo, editado por Nuno Fontaínhas, destacando alguns dos momentos mais espectaculares da carreira recente do algarvio Ricardo Teodósio pelas estradas portuguesas.

Este ano, com Bruno Magalhães dedicado ao IRC, o algarvio é um dos candidatos naturais ao ceptro nacional da modalidade e nós cá estaremos para o apoiar na conquista!

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Praia de Faro: PS propõe estacionamento exterior já no Verão

Os vereadores socialistas no Município de Faro vão levar à próxima reunião de Câmara a proposta de utilização de um parque de estacionamento exterior à Praia de Faro a partir da época balnear de 2010.

A proposta da criação de um parque de estacionamento de acesso à Praia de Faro será apresentada pelos vereadores do PS na reunião agendada para 10 de Fevereiro.

A recomendação tem como base a utilização de um terreno exterior de acesso à ponte da praia de Faro, adquirido pelo anterior executivo camarário, para o qual está prevista a instalação de um parque de estacionamento com capacidade para 1200 viaturas, no âmbito do Plano de Polis Litoral da Ria Formosa.

Os socialistas defendem que “é possível executar uma movimentação de terras e terraplenagem do terreno permitindo a abertura de um parque de estacionamento provisório já neste Verão de 2010”, uma vez que o parque definitivo só poderá ser construído após estarem asseguradas “a compatibilização das exigências de segurança aeronáutica e de preservação ambiental”.

A par com a abertura de um parque de estacionamento, em terra batida, já no Verão de 2010, os vereadores do PS propõem também “o lançamento de um procedimento concursal prevendo um comboio turístico entre o parque de estacionamento e a praia de Faro, de Junho a Setembro, com uma extensão até Vale das Almas, aquando da Concentração Internacional do Motoclube de Faro”.


Todo este artigo teria lógica se por acaso este espaço não tivesse já despoletado este assunto à cerca de 9 meses atrás, quando José Apolinário e seus pares ainda governavam a capital de distrito... Sabe-se que no Verão, à ultima da hora o anterior executivo comprou os terrenos para o dito parque de estacionamento, mas o facto é que o mesmo está "prometido" à anos e pouco se têm feito nesse sentido, à excepção de alguns cartazes, como o que tirámos naquela data...

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Queiróz & Sócrates - uma dupla anti-Media...



Estas duas personalidades, que normalmente costumam ser classificadas pela boa imprensa, por gentleman's, parecem neste momento, mostrar algo em comum...


Se de José Sócrates os boatos são cada vez mais intensos de que quer transformar este país numa ditadura encapuçada, abafando todos os focos de notícias que lhe possam incomodar a si ou ao seu Governo, também Queiróz aderiu aos mesmos modos, mas desta feita duma forma mais desportiva, por meio dessa modalidade tão nobre que é o Boxe, tentando apagar do seu raio de críticas o não menos simpático Jorge Baptista, mas também Luís Sobral , que se pode queixar de intimidações por parte deste "pequeno monstro"...


Como diria o outro, e o Ruim sou eu???

Câmara de Faro vai «arrumar a casa»

A Câmara Municipal de Faro realiza na próxima quarta feira, dia 10 de Fevereiro, uma reunião na qual serão apresentadas um vasto conjunto de propostas que visam munir a instituição de ferramentas normativas indispensáveis para uma mais produtiva organização interna e para um relacionamento mais transparente com os munícipes. Sem regras não há clareza. Sem regras abre-se caminho para decisões discricionárias que podem ferir o interesse público e a gestão rigorosa do dinheiro dos contribuintes.

Estas propostas são estruturantes. Por um lado, regulam o funcionamento interno da Câmara com vista a uma estrutura mais ligeira, ágil e desburocratizada, em que cada colaborador conhece a função que lhe está cometida e os circuitos de decisão que o devem conduzir. Numa palavra, uma organização concebida e pensada para servir a comunidade com zelo, diligência e sentido de responsabilidade. Por outro, os regulamentos que conformam o relacionamento da Câmara com os particulares: venda ambulante, utilização e cedência de instalações desportivas, normas de apoio ao associativismo cultural e desportivo, urbanização e edificação, tabela de taxas e licenças, normas de cedência de viaturas a instituições, que em alguns casos não existiam e que noutros estavam desactualizados e sem aplicação.

É básico criar normas para que a actuação da Câmara esteja subordinada a critérios objectivos, claros e iguais para todos, o que é uma garantia de imparcialidade nas decisões a tomar. Os regulamentos são as leis das autarquias. Faro vai ter melhores leis.

Além deste esforço para produzir normas, a Câmara preparou um Plano de Prevenção da Corrupção e Infracções Conexas. Este plano, em face da legislação em vigor que fixava um prazo de 90 dias para a sua elaboração e aprovação, deveria ter sido apresentado ao Conselho de Prevenção da Corrupção a 10 de Outubro de 2009. Tal não foi observado e o plano que ora se submete teve que ser gerado de raiz, pois não foram dados quaisquer passos no sentido de o conceber em tempo útil e será actualizado com base nas alterações orgânicas que se estão a promover.

Em agenda:

• Regulamento de Organização Interna dos Serviços Municipais;
• Regulamento e Tabela de Taxas e Licenças;
• Regulamento de Venda Ambulante;
• Regulamento Geral de Gestão, Utilização e Cedência de Instalações Desportivas Municipais;
• Regulamento da Urbanização e Edificação do Município de Faro;
• Contratos de Gestão dos Espaços Verdes, das áreas balneares e dos núcleos urbanos das ilhas do concelho de Faro;
• Revisão de representações internacionais;
• Plano de Prevenção da Corrupção e Infracções Conexas;
• Normas de Apoio ao Associativismo Desportivo;
• Normas de Apoio ao Associativismo Cultural.

Por Gabinete de Relações Públicas da CMF



Preparem-se, parece que a Faro vai mudar...

sábado, 6 de fevereiro de 2010

160 postos de trabalho em risco na Câmara de Faro

O Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL) acusou hoje a Câmara de Faro de não renovar 160 contratos a termo, situação que a autarquia.

O coordenador da direcção da estrutura sindical no Algarve, Hélio Encarnação, disse à Agência Lusa que tomou conhecimento desta intenção “através de contactos realizados dentro da Câmara” durante a greve de hoje.

O dirigente sindical lamentou que “neste momento sejam as autarquias a contribuir” para aumentar o desemprego na região, que vive “um problema social muito grave” e “é a que tem mais desemprego no país”.

Contactado pela Lusa, o presidente da autarquia, Macário Correia, disse não querer prestar declarações públicas sobre a matéria, mas afirmou, no entanto, que a denúncia do sindicato “não é verdade nem tem qualquer fundamento”.

“O meu contrato de três anos vai terminar em breve e não vai ser renovado”, disse à Lusa um funcionário da Câmara que pediu anonimato, acrescentando que a autarquia enviou uma circular interna a informar da não renovação dos contratos.

“A saída destes funcionários está a acontecer em todos os departamentos, desde a secção de obras, passando pelas auxiliares de educação”, frisou o funcionário.

“Tivemos conhecimento desta intenção e de que o número de despedimentos na Câmara de Faro seriam na ordem dos 160 contratos a termo que vão terminando e à medida que terminarem não há intenção de os renovar“, afirmou o dirigente sindical.

O sindicalista precisou que “a informação partiu de trabalhadores de departamentos da câmara ligados a sectores que tratam destes assuntos”.

Hélio Encarnação disse que o sindicato “vê essa questão como um problema social muito grave”, porque “o Algarve é a região com mais desemprego no país neste momento” e “as próprias autarquias estão a contribuir para isso”.

O sindicalista adiantou que o STAL vai “falar novamente com o presidente da Câmara” para manifestar “preocupação relativamente ao agravamento da situação social se a autarquia não atender a estas situações”.

Por seu lado, António Goulart, da União de Sindicatos do Algarve, lamentou que “a câmara de Faro não seja parte da solução, mas sim do problema, ao contribuir para o aumento do desemprego na região”.

“Todo e qualquer posto de trabalho que se perca neste momento no Algarve é um contributo horrível para esta mancha enorme de desemprego que está a alastrar na região e nos está a preocupar imenso”, afirmou.

O dirigente sublinhou que “mais do que nunca a União está contra a perda de postos de trabalho, sobretudo se eles vierem do sector público”.

“Num momento em que o Algarve precisa é de criação de postos de trabalho, mais emprego e resolver este problema gravíssimo que tem, qualquer perda de postos trabalho que possa existir é um péssimo contributo para a solução. Não é fazer parte da solução, é fazer parte do problema“, concluiu.



Mesmo que Macário Correia já tenha vindo "desconfirmar" este rumor, pergunto eu, qual será o passo lógico dum gestor, quando se depara com pessoal excedentário, admitido na maior parte dos casos ao abrigo do clientelismo político, num cenário em que a entidade empregadora está tecnicamente falida??

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Lenda das Amendoeiras em Flor


Há muitos e muitos séculos, antes de Portugal existir e quando o Al-Gharb pertencia aos árabes, reinava em Chelb, a futura Silves, o famoso e jovem rei Ibn-Almundim que nunca tinha conhecido uma derrota.

Um dia, entre os prisioneiros de uma batalha, viu a linda Gilda, uma princesa loira de olhos azuis e porte altivo. Impressionado, o rei mouro deu-lhe a liberdade, conquistou-lhe progressivamente a confiança e um dia confessou-lhe o seu amor e pediu-lhe para ser sua mulher. Foram felizes durante algum tempo, mas um dia a bela princesa do Norte caiu doente sem razão aparente.

Um velho cativo das terras do Norte pediu para ser recebido pelo desesperado rei e revelou-lhe que a princesa sofria de nostalgia da neve do seu país distante. A solução estava ao alcance do rei mouro, pois bastaria mandar plantar por todo o seu reino muitas amendoeiras que quando florissem as suas brancas flores dariam à princesa a ilusão da neve e ela ficaria curada da sua saudade.

Na Primavera seguinte, o rei levou Gilda à janela do terraço do castelo e a princesa sentiu que as suas forças regressavam ao ver aquela visão indiscritível das flores brancas que se estendiam sob o seu olhar. O rei mouro e a princesa viveram longos anos de um intenso amor esperando ansiosos, ano após ano, a Primavera que trazia o maravilhoso espectáculo das amendoeiras em flor.



Confesso que desde a semana passada que ando com este "post" preso nos dedos... Cada vez que passo junto duma bela amendoeira em flor recordo-me da forma eloquente como a minha saudosa professora primária me contou esta lenda da nossa Região... Não faço ideia se actualmente as crianças da nossa Região têm conhecimento destas lendas e histórias sobre a nossa "Terra", o facto é que tudo isto nos enriquece e nos deixa mais orgulhosos da história do Algarve...

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Amigável com o CR Caála termina com vitória 2-0 do Farense

Porque não poderei, por razões de força maior poder estar presente no Farense x Moura, resolvi matar um pouco do "bicho" Farense que há em mim, e logo para assistir a um particular com uma equipa que por razões familiares acaba por me dizer muito...

A equipa que hoje esteve no relvado do S. Luís era da cidade onde o meu pai viveu durante 18 anos, da qual sempre me contou histórias e mais histórias sobre um país maravilhoso que é Angola... Localizado no planalto central de Angola, o distrito do Huambo (antiga Nova Lisboa) foi sempre uma das áreas mais desenvolvidas do país, e noutros tempos a Caála era como que uma das localidades mais próximas e habitadas da capital de distrito.

Quanto ao jogo, acabei por ver só um pouco da primeira parte, onde o Farense alinhava com a equipa presumivelmente titular, (Edgar, Caniggia, Luis Lopes, Ró-Ró, Filhó, Quadros, Rodrigo, Pintassilgo, Norberto, Toni e Bruno), acabando o primeiro tempo empatado a zero com o nono classificado do Girabola da época passada.

Na segunda parte, Rui Esteves acabou por rodar a equipa e lançar 4 ou 5 juniores, bem como Paulinho e Galanducho, o que não evitou que o Farense chegasse à vantagem, logo aos 10 minutos da segunda parte numa bela cabeçada do pequeno China... Mais tarde, seria o n.º 30 do Farense(senegalês?) a aproveitar um atraso mal medido da defesa angolana para encostar para o 2-0 final. Ficou o resultado, num jogo em que a espaços, a equipa angolana treinada pelo português Rui Gregório, tentou chegar ao golo, em especial nos ultimos minutos de jogo. Nota para a presença do nosso bem conhecido Jorge Vidigal (lembram-se daqueles dois golos de livre ao Farense no José Arcanjo no ano da Segunda B??), ou mesmo do nosso ex-jogador Quinzinho no plantel dos angolanos, bem como de mais alguns jogadores oriundos dos campeonatos portugueses, que agora se juntam à equipa da terra "Celeiro de Angola"...

Estamos a começar a organizar o Farense - António Barão

In Jornal O Algarve - 04/02/2010


Para além do que já foi apresentado neste espaço, surge agora pela viva voz de António Barão, a confirmação de que foi contratada um empresa de limpeza para assegurar os serviços nas instalações do SC Farense, bem como se assegurou que os empregados dispensados tiveram assegurado o subsídio de desemprego, situação que à meses atrás seria impossível...

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

População no Algarve vai disparar até 2030

Imigração vai dar forte contributo para a expansão populacional da região algarvia, segundo o Eurostat. Mas são precisos melhores transportes e ordenamento urbano.

A criação de novas políticas de ordenamento urbano e a melhoria da rede de transportes no Algarve são condições fundamentais para que o aumento populacional na região pela imigração seja "bem-vindo", defendeu hoje uma especialista.

De acordo com uma projeção demográfica publicada em janeiro pelo organismo europeu de estatística (Eurostat), a população algarvia crescerá mais de 30 por cento até 2030 devido ao aumento do número de imigrantes.

Estima-se que nesse ano a região atinja os 564 mil habitantes, contra os atuais 443 mil, o que representa o terceiro maior crescimento regional da União Europeia, depois da Irlanda e de Múrcia, em Espanha.

Em declarações à Lusa, a presidente do Centro de Investigação sobre Espaços e Organizações (CIEO) da Universidade do Algarve (UAlg) afirmou que a estimativa "não surpreende", tendo em conta que entre 2000 e 2008 o número de imigrantes no Algarve praticamente quadruplicou.

Teresa Noronha considera que para que o esperado aumento populacional no Algarve seja "bem-vindo" será necessário implementar algumas medidas, como a criação de novas políticas de ordenamento urbano para evitar a criação de guetos.

Por outro lado, diz, será necessário melhorar a rede de transportes públicos e direcionar os investimentos que sejam canalizados para a região para actividades industriais e não apenas para serviços ligados ao turismo.

Considerando que o aumento pode ser "muito estimulante para a economia", Teresa Noronha lembra ser necessário tomar medidas urgentes para que o esperado aumento populacional não promova o aumento das taxas de desemprego.

"Se não houver uma dispersão do tipo de ofertas, um aumento da qualificação profissional e o favorecimento de novas oportunidades de negócio, o problema do desemprego pode agravar-se", avisa a economista.

Em 2030 o Algarve terá mais 152 mil imigrantes, 119 mil dos quais serão estrangeiros e 33 mil portugueses de outras regiões o que, no total, representa um aumento populacional de 13,4 por cento.

Para o presidente da Entidade Regional de Turismo do Algarve (ERTA), Nuno Aires, este estimado aumento populacional é "uma boa notícia" porque pode contribuir para trazer "massa crítica" à região.

Em declarações à Lusa, o responsável pelo Turismo do Algarve diz que a captação de novos profissionais pode ser uma das vantagens da imigração, sobretudo se for em áreas ligadas às novas tecnologias.

Nos próximos 20 anos, é também expetável que haja um envelhecimento da população algarvia baseado num saldo natural negativo, com uma previsão de 107 mil nascimentos e 118 mil óbitos.

Menos nascimentos conduzirão a um envelhecimento da população, pelo que a atual percentagem de 18,8 por cento dos habitantes com mais de 65 anos no Algarve irá subir para 23,2 por cento, prevê o Eurostat.

In Observatório do Algarve

Um cenário mais provável que imaginável, e que, a meu ver, senão nos decidirmos a médio prazo pela regionalização poderá redundar num caos social na Região, cada vez mais dependente do declinante petróleo do Algarve, o Turismo...

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Funcionários do Farense saem do clube

Os funcionários do clube da capital rescindiram os contratos alegando salários em atraso. Presidente diz que o funcionamento do clube não está em perigo. (actualizada)

A notícia foi confirmada esta manhã ao Observatório do Algarve pelo próprio presidente do Farense, António Barão.

O dirigente admitiu ao OdA que foram 12 os funcionários do clube a acertar a rescisão, "alegando salários em atraso de vários anos".

Barão admitiu ainda que, "estas saídas não põem em causa a gestão do clube. Será gerido com mais consciência", diz.

António Barão admite prestar mais esclarecimentos ao final da tarde.


Ainda este mês, Barão admitiu que o cancelamento de verbas por parte da Câmara de Faro poria a viabilidade do clube em risco.

Segundo o dirigente, o clube recebia perto de nove mil euros por mês, valores que resultam de dois protocolos com o Estádio de São Luís (4800 euros) e o ginásio (4100 euros) por serviços prestados à cidade no âmbito desportivo, nomeadamente nas modalidades jovens amadoras.

“A ajuda da Câmara é essencial para a gestão corrente [cerca 25 mil euros], mas entretanto essas verbas foram cortadas. Os protocolos que foram definidos eram cumpridos rigorosamente e, a juntar aos donativos que esta direcção se propôs a arranjar, conseguíamos gerir. Mas agora estamos a zero. O Farense não tem viabilidade sem o apoio da autarquia”, ressalvou na altura.

In Observatório do Algarve


É sempre com tristeza que sabemos de situações desta natureza, em que postos de trabalho são reduzidos, quer na sequência de actos de despedimentos colectivos por parte da entidade empregadora, ou mesmo na sequência de incumprimento salarial ou mesmo de outra índole que leve à justa causa por parte dos aplicados funcionários...
No caso do Farense, o facto é que o emblema da capital algarvia à muito não tinha condições de auto-sustentabilidade financeira, em virtude de penhoras sobre algumas das receitas do Clube, realizando a gestão corrente à base dos subsídios camarários que regularmente eram pagos, como refere o artigo, relativos às cedências de espaços desportivos para a prática comum dos munícipes.


Ora, um Clube como o Farense, para além de estar longe dos tempos em que justificava uma estrutura de "pessoal" tão pesada, não podia, nem pode continuar a viver exclusivamente de subsídios camarários. Acusar, como muitos adeptos e sócios fazem, a CMF de por em causa no instante a "vida" do Farense é de todo injusto, deixando no ar uma situação de subsidio-dependência que não se quer de forma regular, mas no máximo em situações de extrema gravidade.


A decisão dos funcionários do Farense em abandonar o Clube, segundo se sabe, encaminhados para o fundo de desemprego, acaba por ser a curto/médio prazo uma solução para estes dignos empregados, que muito deram ao Clube, mas que sabem, melhor que ninguém das dificuldades que o Farense atravessa, e que, não fugindo à regra geral das empresas actuais, procuram com os mínimos recursos possíveis, soluções para a viabilidade das gestões correntes. Diria mesmo, que se esta reestruturação tivesse sido tratada mais cedo, talvez o SCF agora respirasse um pouco melhor, mas tudo se foi arrastando terminando de forma abrupta ligações afectivas que se confundiam com as laborais a uma "Casa" que é mais emblema de futebol.


Mas o Farense não para, e como se lê no artigo anterior, estou crente que a CMF será um braço forte no decorrer de 2010, na resolução dos problemas de "fundo" do Farense, por forma a que se possa preparar o plano desportivo, económico e social do noSSo Clube nos anos que se seguem... Nunca como antes, o Farense precisou da união entre todos - sócios, adeptos, mas também das pessoas de Faro, "algarvios de gema", e outros que se habituaram a gostar desta cidade que tenho no coração: Faro!


Força Farense!

Câmara de Faro e Farense estão em sintonia

A autarquia vai ajudar o Farense nas comemorações do seu centenário, que se celebra no próximo dia 1 de Abril e abriu a porta à venda do Estádio de São Luís.

A Câmara de Faro está disposta a ajudar o Sporting Clube Farense a resolver os seus problemas estruturais, mas também os mais prementes.

O presidente do mais emblemático clube de Faro, António Barão, voltou a sair satisfeito de uma reunião com o executivo camarário, encontro que, desta vez, se centrou exclusivamente no Farense.

Na reunião, apesar de não se ter chegado a qualquer tipo de decisão sobre a venda dos terrenos ocupados pelo Estádio de São Luís, a porta para a concretização do negócio, que é visto como a salvação económica do clube, ficou aberta.

Mais concreto foi o compromisso da autarquia em apoiar as comemorações do centenário do Farense, que se celebra a 1 de Abril deste ano.

Em declarações ao «barlavento», à saída da reunião que manteve com António Barão, o presidente da Câmara de Faro Macário Correia revelou que o encontro serviu essencialmente para «trocar impressões em relação àquilo que serão as comemorações do centenário», apesar de se ter falado «de outros assuntos, mais gerais».

«O Farense ficou de nos enviar um documento mais concreto com o que pretende fazer», revelou ainda.

António Barão adiantou ao nosso jornal que as comemorações vão decorrer de 1 a 3 de Abril, de quinta-feira a sábado, mas não quis ainda levantar o véu sobre o programa, até porque ainda não está fechado.

Quanto à reunião em si, considerou-a «positiva». «A Câmara está a querer ajudar e colaborar. É sinal de que a cidade está com o clube e que o clube está com a cidade. Em conjunto, podemos resolver os problemas», considerou o presidente do Farense.

Outro assunto que esteve em cima da mesa foi o da venda do Estádio de São Luís, situado em pleno centro da cidade.

Macário Correia referiu que a direcção do Farense «diz que há interessados numa solução urbanística para o local, mas não há nenhuma proposta concreta».

«Ficamos a aguardar por isso», disse.

Mas, garantiu o autarca, se o projecto de eventuais investidores estiver de acordo com o plano urbanístico aprovado para o local, «não haverá qualquer problema» da parte da Câmara em viabilizar o negócio.

Para que o Farense possa vender os terrenos, terá de ter o aval da Câmara, que continua a ser a titular do registo de propriedade do espaço ocupado pelo estádio. Algo que tem impedido que os credores do clube avancem para a penhora dos terrenos.

Esta postura da parte da autarquia, diz António Barão, permite ao clube «ver a luz ao fundo do túnel». «Estamos agora a ver os projectos que cada um dos interessados apresenta, para ver se se enquadram no Plano Director Municipal», acrescentou António Barão.

Há cerca de duas semanas, António Barão já havia demonstrado a sua satisfação com o resultado de um encontro com a autarquia que juntou todos os clubes desportivos do concelho.

Na altura, à semelhança dos demais agentes desportivos farenses, recebeu a garantia de que iria receber as verbas protocoladas em 2009, ainda por pagar, e que seriam celebrados novos protocolos de apoio às colectividades, com regras bem definidas e que irão privilegiar as associações mais dinâmicas e com mais atletas de formação.

Por Hugo Rodrigues In Barlavento Online

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Sporting Clube Farense de Luto

Heitor Fragoso, Relator do Conselho Fiscal e Joaquim Vinhas, ex-atleta do clube, faleceram

Faleceu hoje, no Hospital de Faro, o Relator do Conselho Fiscal do Sporting Clube Farense, Heitor Carlos Garrido Madeira Fragoso.

Contava 69 anos e encontrava-se radicado em Faro há mais de 40 anos.

Exerceu durante muito tempo cargos de relevância na banca – Banco Fonsecas e Burnay – de onde saiu como sub-gerente.

Exercia actualmente a profissão de Solicitador.

Foi também dirigente associativo, tendo integrado os corpos gerentes da Associação de Futebol do Algarve, e, actualmente do Sporting Clube Farense onde, na sua área, vinha a fazer trabalho de grande destaque e importância para o clube.

Hoje, também faleceu o antigo basquetebolista do Sporting Clube Farense, Joaquim Vinhas.

Joaquim Vinhas Reis , homenageado pelo Município de Faro com a Medalha de Ouro de Mérito Desportivo tinha 81 anos, foi atleta do clube durante várias décadas e treinador da equipa de basquetebol do Sporting Clube Farense.

Protagonizou enquanto atleta e treinador momentos áureos para o basquetebol do Farense.

O Sporting Clube Farense perdeu hoje um grande atleta que ficará para sempre na memória dos farenses e, ao mesmo tempo, dois grandes amigos do clube.

Às famílias enlutadas a Direcção do Sporting Clube Farense apresenta as suas condolências.


SCF – Gab. de Imprensa


O Blog Algarve Farense, endereça as mais sentidas condolências às famílias dos falecidos.

Faro .... pelo Homem Tigre....

Então não é que o "Homem Tigre" dedicou uma música à nossa cidade, no concerto do passado sábado, realizado no Teatro das Figuras??

Até parece que se inspirou num slogan celebrizado à meses atrás pelas estradas e ruas da nossa cidade. Descubram aqui