domingo, 28 de fevereiro de 2010

As Notas do Farense 2-3 Cova da Piedade

Notas Positivas:

  • Num jogo que se traduziu numa enorme decepção para as hostes algarvias, realço a garra, crença e galhardia com que os jogadores do Farense se bateram, procurando até à exaustão a vitória na partida, sendo traídos já depois dos noventa minutos por um lance de contra ataque da equipa adversária que fazia anti jogo nessa fase da partida.
  • A primeira meia hora da segunda parte do Farense foi avassaladora. Mesmo que num terreno pesadíssimo e irregular o Farense empurrou o adversário para o último terço do campo, arriscando tudo na procura dos golos, e deixando muitas vezes apenas Idalécio e Hernâni na defesa. Embora sem criar muitas oportunidades de golo, conseguiu chegar à igualdade e numa altura em que se aguardava a cambalhota no marcador, o Cova da Piedade foi quebrando o ritmo de jogo e gradualmente apagou a chama da equipa algarvia...
  • Apesar de não ser o objectivo assumido da equipa do Farense nesta fase da época, é com alívio, que numa fase negra da época o Farense acaba por desde já garantir a manutenção, quando ainda faltam dois jogos para o termo da primeira fase, beneficiando da derrota do Fabril do Barreiro em Évora por 3-1, que assim deixou os homens da margem sul sem condições para ultrapassar o Farense na tabela.

Notas Negativas:

  • Destaco a entrada do Farense, que a imagem do jogo passado para o campeonato se iniciou com um golo adversário, também fruto das facilidades da defesa algarvia, o que condicionou toda a postura da equipa durante o jogo, tendo que enfrentar a desvantagem do marcador, com índices de ansiedade elevados, sofrendo o 0-2 ainda na primeira parte no segundo remate à baliza dos forasteiros.
  • Pelo segundo jogo consecutivo o Farense terminou a partida com dez jogadores, e desta feita até podiam ter sido nove, não fosse a benevolência da menina árbitra Ana Aguiar, numa jogada entre Pintassilgo e o guardião contrário ainda na primeira parte. Não obstante, o Farense teve razões de queixa da arbitragem, muitas vezes passiva e com muitos erros na análise dos foras de jogo pelo árbitro assistente do lado da bancada.
  • Os resultados do Farense têm sido péssimos, ao ponto de nos últimos quatro jogos disputados, três dos quais no São Luís perante equipas que à entrada para este ciclo estavam baixo do quarto lugar, redundarem nuns míseros dois pontos. Estes resultados afastaram o Farense da luta pelo primeiro lugar, mas apesar de tudo há uma secreta réstia de esperança para a segunda fase, sendo imperioso reduzir os actuais seis pontos que separam os farenses da equipa do Pescadores.

Sem comentários: