terça-feira, 31 de março de 2009

José Apolinário propõe construção da loja IKEA a Sul do Estádio Algarve

O presidente da Câmara de Faro (PS) defendeu hoje a futura loja da cadeia IKEA, prevista para abrir até 2015, deve ficar localizada a sul do Parque das Cidades, terreno da Associação de Municípios Loulé/Faro.

"Vemos com melhores olhos o IKEA a sul do Estádio Algarve, um terreno propriedade de Faro e Loulé, e que permitirá fazer algum encaixe financeiro para ajudar nos encargos à empresa que gere o Estádio Algarve", disse à Lusa José Apolinário.

A Sociedade de Concepção, Execução e Gestão Parque das Cidades, empresa municipal de Faro/Loulé e que gere o Estádio Algarve, registou um prejuízo de 939 mil euros em 2007 e fechou o ano de 2008 com um saldo negativo.

Em 2007, a empresa municipal gastou cerca de 125,9 mil euros em "conservação e manutenção de bens" e 708,8 mil euros em vigilância e segurança.

Num relatório de actividades a que a Lusa teve acesso, as dívidas de curto prazo da empresa atingiram o montante de 429 mil euros em 2007, e as dívidas de médio e longo prazo são de 20,4 milhões de euros.

A instalação da loja sueca IKEA já está envolta em polémica, pois o município de Loulé prefere que a localização da grande superfície seja a Norte do Estádio Algarve.

O autarca de Loulé Seruca Emídio adiantou recentemente ao jornal diário Correio da Manhã que a localização do IKEA não é o "factor mais importante" mas "queremos é que fique no concelho" de Loulé.

A intenção do IKEA é que a loja do Algarve fique localizada junto de boas acessibilidades, nomeadamente perto da Via Infante de Sagres (A22) e Aeroporto Internacional de Faro.

Em declarações à Lusa, fonte ligada ao IKEA referiu que as intenções de abrir uma loja no Algarve são uma realidade, mas a localização ainda "está a ser estudada".

O investimento na loja do Algarve será semelhante aos investimentos das outras lojas já construídas, cerca de "60 milhões de euros", e até 2015 deverá abrir uma loja no Algarve.

A cadeia sueca IKEA tem uma loja em Alfragide (Lisboa) e abriu a 31 de Julho de 2007 a segunda loja em Portugal, na localidade de Matosinhos, onde investiu mais de 60 milhões de euros, estimando abrir no primeiro semestre de 2010 a loja de Loures (Lisboa).

Até 2015, o grupo IKEA estima investir em Portugal cerca de 700 milhões de euros com a abertura de sete espaços, incluindo Alfragide e Matosinhos.

In Barlavento Online

Interessante esta troca de opiniões quanto à localização do IKEA no Parque das Cidades... Cada um dos presidentes de Câmara "puxa a brasa à sua sardinha", nem que seja para aproximar mais uns metros das suas cidades a localização deste estabelecimento comercial. A titulo de curiosidade, o Estádio Algarve não custou mais de 40 milhões de euros e só a loja IKEA deverá custar 60 milhões... Incrível e mais um facto que comprova a grandiosidade da obra que deverá ser implantada naquele espaço. Eu estou absloutamente a favor, embora muitos já se tenham manifestado contra...

Caminhada para a Segunda B inicia-se na Costa da Caparica

segunda-feira, 30 de março de 2009

O Fim de Semana Desportivo em Análise - Época 2008/2009

Num fim de semana atípico, com grande parte os campeonatos nacionais parados, resumimos a nossa habitual análise às equipas de futebol do SC Farense e à trajectória das duas representantes algarvias na Segunda Divisão B. Se os Séniores, aproveitaram a paragem para uma curta deslocação a Olhão onde empataram 1-1, já os Juniores tinham uma difícil tarefa, pois defrontavam o terceiro classificado, o Belenenses, no Restelo, de onde saíram derrotados por 1-0, caindo para a décima posição, embora ainda com uma margem de seis pontos sobre a linha de água. Pior estiveram os Juvenis A, equipa que começou muito bem o campeonato mas que começou a perder gás nesta segunda volta, tendo agora hipotecado praticamente as suas aspirações de regressar ao Nacional após a derrota 1-0 com o Internacional de Almancil, o que deixa os Leões de Faro a sete pontos da liderança, com cinco jogos pela frente. Também os Juvenis deram continuidade a esta jornada aziaga, tendo saído derrotados do confronto caseiro com o Silves por 0-1, mantendo um lugar tranquilo na tabela, numa formação que apenas serve para rodar os jogadores deste escalão. Nota positiva para os Iniciados que após uma série muito negativa de resultados, regressaram às vitórias, batendo o Tavira por 1-2 e galgando dois lugares para o meio da tabela, o que ainda assim não é positivo para uma equipa com os pergaminhos do Farense. Notas finais para os Infantis, que no duplo confronto com o Odeáxere bateram os barlaventinos por 10-2 e 2-1, enquanto as Escolas A bateram o Guia por 7-2 e as Escolas B também não fizeram por menos, tendo derrotado o Imortal por 10-1.

Resta-nos a Segunda Divisão B, onde quer Lagoa, quer Beira Mar tiveram jornada negativa. Se aos lagoenses o objectivo está mais que alcançado e a derrota por 2-1 na Tapadinha com o Atlético foi um mal menor, estando os barlaventinos com 22 pontos no quarto lugar da poule, já o Beira Mar vai de mal a pior e não estamos crentes que evite a descida. Em quatro jogos desta fase, apenas averbou um ponto, pelo que só uma autêntica transfiguração permitiria anular os oito pontos de desvantagem para a linha de água, nestes seis jogos que lhe faltam. Esta semana, na deslocação ao campo do Mafra foram derrotados por 1-0, agudizando ainda mais a situação.

Mais valia estarem quietos...

Não comentámos em tempo útil neste espaço a invasão de cartazes que o Concelho de Faro sofreu à semanas atrás, todos eles cirurgicamente colocados, como que numa manobra de propaganda eleitoral nunca antes vista no Concelho, ainda a largos meses das eleições, os quais anunciavam "obra feita", muitas vezes iniciada por outros Executivos, outras vezes ainda por acabar, ou mesmo ainda em fase de adjudicação... Isto, como que enfiando um barrete nos munícipes, que têm a perfeita percepção que os dois primeiros anos de mandato de José Apolinário foram um autêntico marasmo, deixando a cidade cada vez mais longe do ritmo que uma capital de distrito merece. Agora, é notícia o facto do PS Faro, supostamente a entidade responsável pela colocação dos cartazes, os ter posto em locais que haviam sido desaconselhados a outros partidos pela CMF, o que vêm agravar mais a situação... Por muito que nos queiram enfiar o "barrete", e que, como se lê na notícia, a responsabilidade seja toda e só do PS, será que a CMF andou a "dormir" este tempo todo e não teve memória do que disse às outras forças politicas que estavam interessadas nos espaços?? Foi preciso um BE ou outro força política que fosse, se insurgir e apresentar uma moção na Assembleia Municipal para que a situação fosse denunciada e se tomassem as devidas providências... Enfim, é este o Executivo que nos governa...? Palavras para quê?
Foto In Faro Oeste

sábado, 28 de março de 2009

Nem com 12 jogadores ganharam o amigável com os eternos rivais

O Farense deslocou-se na tarde de hoje à cidade de Olhão, para defrontar o seus eternos rivais, desta feita reeditando velhos tempos em que o bairrismo era mais evidente entre as populações de ambas as localidades. Tratando-se dum jogo-treino, e estando o Olhanense privado de algumas das suas pedras mais influentes, esperava-se um jogo morno em que estaria em mente por parte dos técnicos dar ritmo competitivo ao seu grupo nesta paragem dos campeonatos.

A partida, que ao todo não durou mais que 84 minutos, foi antecedida duma pequena homenagem a Edinho, antiga glória do Olhanense, mas também do Farense, onde agora exerce funções de treinador adjunto, por parte da direcção rubro negra, facto aplaudido pelos adeptos presentes. Quanto ao jogo, assistimos a uma primeira parte enfadonha, lenta, onde nem se notava a diferença de "andamento" das duas equipas, tendo mesmo sido o Farense a criar o primeiro lance de maior perigo num remate de longe que embateu no poste direito da baliza defendida por Bruno Veríssimo, após um corte deficiente da defesa olhanense. Estava dado o mote para Della Pasqua aproveitar um livre ainda longe da baliza para adiantar os farenses no marcador, numa fase em que o Olhanense continuava a jogar de forma apática e sem criatividade. Com o tempo foi conquistando alguns livres e tentando jogar mais em cima do Farense, mas os Leões de Faro foram sempre dando boa réplica, justificando a vantagem no marcador, não obstante uma grande penalidade muito duvidosa que Gonçalo defenderia já no fim da primeira parte.

No segundo tempo, as equipas rodariam grande parte dos jogadores disponíveis no relvado do José Arcanjo, e cabia ao Olhanense puxar dos galões e tentar inverter o resultado adverso. Embora dominadores os homens de Olhão continuavam a denotar dificuldades na finalização e nem mesmo Djalmir, embora se notando a sua capacidade de goleador conseguia marcar o golo do empate, que por algumas vezes foi negado, quer por Gonçalo, quer novamente pelo poste direito da baliza sul, ou mesmo pelos defesas farenses que tiraram algumas bolas muito perto da linha de golo, em jogadas perigosas dos rubro negros. Quando o Farense já apresentava um onze praticamente só com reservistas, o quel ainda assim mantinha alguma consistência na sua perfomance, seria novamente Hélder Rocha a entrar em jogo para favorecer a "sua equipa", assinalando um penalty que seria depois convertido por Djalmir. Estava consumado o desejado empate dos locais, que viram ainda o Farense falhar em contra ataque na última jogada da partida um golo que parecia certo, mas que foi evitado por duas vezes.

Jogo Particular
Estádio José Arcanjo (Olhão)
Assistência: 600 espectadores
15h30, 28/03/2009
Árbitro: Hélder Rocha
OLHANENSE 1-1 FARENSE

(20 mn, por Della Pasqua, na cobrança dum livre directo a uns bons vinte e cinco metros da baliza que só parou no fundo das malhas defendidas por Bruno Veríssimo)
(77 mn, por Djalmir, que rematou para o lado esquerdo de Gonçalo e enganou o farense na conversão duma grande penalidade muito duvidosa)

Farense: Gonçalo; Cannigia, Carlos Neves, Rui Graça, Wilson; Luís Afonso, Barão, Zé Nascimento, Pintassilgo, Klébson, Della Pásqua.
Entraram na segunda parte: Caras, Miranda, Dinis, André Calado, Arlindo, Justo, Hernâni, Toni, Cannigia e Barão. Treinador: António Barão

quinta-feira, 26 de março de 2009

Pista concluída em tempo recorde


Estádio Algarve volta a receber Rally de Portugal

Após cinco dias de trabalho, a pista construída no Estádio Algarve para as duas super especiais do Rally de Portugal ficou concluída esta quinta-feira, com a execução da fase de asfaltamento.

Cerca de seis dezenas de funcionários da empresa Tecnovia começaram a trabalhar poucas horas depois do final da Taça da Liga, entre Benfica e Sporting, dividindo o seu trabalho em três turnos.

“Foi feito um trabalho excelente, diria extraordinário, pela empresa, que concluiu a pista mais rápido do que se esperava”, disse ao Região Sul o responsável do Automóvel Clube de Portugal pela execução da pista, Martins da Silva.

A entrega da pista, que este ano é maior em cerca de meio metro, estava prevista para a próxima segunda-feira mas a empresa conseguiu assim concluir o troço em tempo recorde, com três dias de antecedência.

As escavadoras trabalharam em ritmo acelerado na formação e terraplanagem da pista, antes de se dar início, quarta-feira, ao asfaltamento, finalizado quinta-feira, um trabalho que contou com a ajuda «especial» do clima.

A pista deverá ser testada na próxima segunda-feira de manhã por Vítor Teodósio, irmão de Ricardo Teodósio, o único piloto algarvio que participará no Rally de Portugal, que decorre entre 2 e 5 de Abril.

Todo o processo de remoção e colocação de um novo relvado deverá custar ao ACP, segundo Martins da Silva, pelo menos 500 mil euros, mais do que em 2007, até porque agora “há ligeiras mudanças”, como os prazos mais apertados, a largura da pista e a rampa de saltos.

O presidente do conselho de administração do Parque das Cidades, Rogério Gomes, adiantou ao Região Sul que o ACP terá de entregar o novo relvado no dia 24 de Abril, permitindo que Farense e Louletano ainda possam jogar no recinto esta temporada.

Será conveniente, para o relvado assentar, criar raízes, só se jogar uma semana depois. Mas teremos cá as últimas jornadas da fase de subida da III Divisão Nacional”, disse.

Vale a pena…

O responsável frisa que “vale a pena” cortar o «produto» futebol durante algum tempo para ter, no Estádio Algarve, as super especiais.

Para ter aqui o rali, formato campeonato do mundo, vale. É um evento de enorme importância”, disse, lembrando, de acordo com um estudo da Universidade do Algarve, que o Rally de Portugal de 2007 foi “o evento mais rentável de sempre para a economia algarvia”. Por outro lado, a venda de bilhetes está a decorrer a bom ritmo e, segundo fonte do ACP, tudo aponta para lotação esgotada no Estádio Algarve. Os ingressos podem ser obtidos em postos da BP aderentes ou nas instalações do ACP.

In Região-Sul

Como adepto incondicional do desporto automóvel, em especial dos Rallys, é com enorme ansiedade e entusiasmo que aguardo a realização deste fantástico evento no Algarve... Já por algumas vezes dei a minha opinião sobre o Estádio Algarve ser a casa-mãe por excelência desta prova, em detrimento doutros espaços, noutros concelhos do Algarve, onde se gastam milhões em eventos e obras, mas que ainda assim não albergam o evento mais rentável de sempre da economia algarvia. Porque a festa dos rallys a nível mundial se ancorará no Algarve a partir de domingo/segunda feira, com a chegada das equipas e fornecedores aos parque do recinto, podemos dizer que o Rally de Portugal não se iniciará no dia 2, mas muito antes, até porque decorrerão alguns testes e reconhecimentos na serra algarvia a partir de segunda feira também... Estima-se que uma prova desta grandeza, arraste entre 650 a 900 mil pessoas, de inúmeras nacionalidades, as quais visitarão a nossa Região, do litoral ao interior e ocupando as diversas unidades hoteleiras do Algarve durante o rally. Nessa serra, onde não abunda os estabelecimentos de restauração, só não fará dinheiro com "isto", quem não quiser até porque a procura excederá em muito oferta em refrigerantes, bebidas alcoólicas e mesmo comidas rápidas... Ao público faço um apelo para que se comporte com responsabilidade junto às estradas não colocando em perigo a sua vida nem a prestação dos pilotos, pois a prova será controlada pelos emissários internacionais da FIA a esse nível, dependendo desse aspecto a realização de novas edições na nossa região. Já só falta uma semana para que tudo comece, e como nota final, competitivamente, espero que Loeb, o pentacampeão e único que ultrapassou as 50 vitórias no WRC tenha a tarefa dificultada ao máximo pelos Ford Focus de Latvala e Hirvonen ou mesmo pelo companheiro de equipa Dani Sordo, sem esquecer Petter Solberg ou mesmo o regressado Marcos Gronholm. Na luta dos portugueses, Bruno Magalhães, também indiciado na "guerra" do Mundial de Produção, onde já lá mora Armindo Araújo, será na minha opinião o maior favorito a um brilharete, deixando nas mãos do algarvio Ricardo Teodósio o favorito o piloto espectáculo do Rally!! Não tenham dúvidas!! Força Ricardo!

quarta-feira, 25 de março de 2009

Exclusivo Observatório do Algarve - Farense avança com mega-projecto

Área comercial no São Luís quadriplica para 20 mil metros quadrados e a proposta parece agora irresistível: quem tiver 15 milhões, leva o Estádio.
Uma área comercial equivalente a dois campos de futebol. É esta a proposta do Sporting Clube Farense para os potenciais compradores, que da última vez acabaram por deixar deserto o concurso para a compra do Estádio, ainda que por razões diferentes

Desta vez, no entanto, o clube está apostado em ‘contornar’ o obstáculo da crise financeira apontando a mira a eventuais grupos económicos promotores de grandes superfícies comerciais.
O clube 'oferece' agora nada menos do que 20 mil metros quadrados de área comercial, o equivalente a dois campos de futebol, dispersos por rés-do-chão e cave, contra os 5 mil m2 possíveis no projecto anterior
.
Tudo, praticamente pelo mesmo preço: 15 milhões de euros, soube o Observatório do Algarve junto de fonte ligada ao processo.
A mesma fonte estima que, para construir o complexo comercial e habitacional será necessário um investimento de 70 milhões de Euros, mas essas contas "só surgem numa segunda fase, depois de se adquirir o terreno".

Autarquia facilita aumento de área comercial
A alteração só foi possível a 26 de Fevereiro deste ano, após aprovação em reunião ordinária da Câmara Municipal de Faro às alterações ao pedido de informação prévia (PIP), interposto pelo clube farense.
Ao aumentar a área comercial, a autarquia acaba por facilitar a possibilidade de instalação de uma ou mais grandes superfícies, disponibilizando agora, a juntar aos 15 mil metros ‘encontrados’ dentro dos terrenos do clube, outros 5 mil na ala sul do Estádio, junto à Igreja de São Luís.
Com a aprovação das mudanças no PIP, a Câmara - que tinha aprovado o projecto inicial a 13 de Setembro de 2007 - cede actualmente outros 3 mil metros para habitação, que poderão ser distribuídos em construção em altura (estão previstos 5 pisos) ou na mesma área, ou na ala norte, onde se encontra o consultório desactivado do médico Veloso Gomes.
De resto, o projecto aproveitou também os anteriores avales da FAGAR e do Instituto Português do Património Arquitectónico, ambos de 2006.

O parecer do IPPAR foi favorável - parte do projecto encontra-se em área de protecção do Cemitério Judeu de Faro - mas condicionado no que toca à altura e volumetria e impondo métrica, materiais e cores tradicionais, ainda que “aceitando a sua reinterpretação numa proposta de carácter mais moderno”.

O novo projecto permitido ao clube prevê agora a construção de 208 fogos – antes eram 264 - numa área residencial total de 20 809 m2 e integra 700 lugares de estacionamento, repartidos por dois pisos subterrâneos (subcaves 1 e 2).
Estão ainda previstos perto de 5 mil metros quadrados de zona classificada como "de lazer, comércio e serviços" e 1300 m2 de praça pedonal (ver imagens).

Nova praça em Abril
O novo concurso, com base de licitação de 15 milhões de euros, deverá ser lançado no início de Abril.

O Farense espera desta vez conseguir concretizar o negócio que lhe permita pagar as dívidas ao Fisco e Segurança Social, bem como alguma massa salarial em atraso aos funcionários do clube.
Por Conceição Branco e Mário Lino In Observatório do Algarve

terça-feira, 24 de março de 2009

Novo reforço no Benfica

Com um reforço destes, quem é que não ganha "taças"?

segunda-feira, 23 de março de 2009

O Fim de Semana Desportivo em Análise - Época 2008/2009

Destacamos mais um fim de semana desportivo, nesta semana indelevelmente marcado pela ultima jornada da primeira fase da Terceira Divisão Nacional. O Farense, que à jornada 18 estava a dezoito pontos do segundo posto, conseguiu uma importante recuperação e terminou a doze pontos desse lugar o que agora se traduz numa distância de seis pontos na segunda fase, deixando tudo nas mão dos comandados de António Barão. Se olharmos apenas para a pauta na segunda volta, o Farense seria o terceiro classificado, a quatro pontos do Louletano e a dois do Atlético de Reguengos, mas tendo por exemplo o melhor ataque da prova, o que atesta bem, da subida de rendimento da equipa na segunda metade do campeonato. Se os Séniores venceram 0-2 em Silves, já os Juniores perderam por 0-2 no velho S. Luís, com o Benfica, resultado que não envergonha e que acaba por não ter implicações na tabela pois o Oeiras, primeira equipa abaixo da linha de água também perdeu e têm uma margem de nove a pontos para do Farense, o que em quatro jogos nos parece muito difícil de eliminar... Nos Juvenis, o trio da frente do Distrital mantém as mesmas distâncias, na sequência das vitórias desta jornada, onde o Farense bateu copiosamente o Esp. de Lagos por 6-0, enquanto na Segunda Divisão, a equipa B perdeu em Albufeira com o Imortal por 5-3. pior estão os Iniciados que continuam numa série negra e muito preocupante, pois neste fim de semana foram derrotados em casa por uma equipa que tinha apenas seis pontos na prova. O Internacional de Almancil foi a faro e bateu os farense por 1-3, deixando os farenses ainda mais em baixo animicamente. Notas finais como habitualmente para Infantis e Escolas, com os Infantis a terem uma deslocação negra a Albufeira, trazendo duas goleadas, uma de 7-0 e outra de 6-2, enquanto as Escolas A perderam 5-2 na deslocação ao campo das Gaivotas em Armação de Pêra, tendo ainda as Escolas B perdido 8-2 com o Olhanense.

Voltemos à Terceira Divisão Nacional, onde o última jornada apenas veio limar algumas arestas nos grupos de manutenção, isto no que toca às restantes equipas algarvias. Se o Louletano, em plena descompressão e mesmo rodando parte do seu plantel, humilhou o Messinense por 6-1, mostrando a diferença de valores e estado de espírito das duas equipas. O Messinense, que ocupará o grupo 1 de manutenção com 10 pontos terá pela frente o motivado Campinense, que após a sensacional vitória diante do Lusitano de Évora por 0-3, ficará com 14 pontos, ou seja com tudo em aberto para se salvar, pois apenas dista dois pontos do primeiro colocado desse grupo. Também o Quarteirense, que vinha duma série negra de cinco jogos a perder, quebrou o enguiço e bateu em casa o Barreirense por 2-0, ficando com doze pontos, a três da primeira equipa acima da linha de água na sua poule. O Silves que incorporará essa poule, iniciará a competição com 8 pontos.

Nota Final para Segunda B, desta feita com particular destaque para o Lagoa que se estreou a vencer nesta fase da prova, batendo o Pinhalnovense de Joaquim Mendes por 2-1 e assim subindo ao terceiro posto. Na fase descida o Beira Mar deixa mais um passo rumo à Terceira Divisão após empatar 2-2 com o Aljustrelense, somando agora 14 pontos, a 6 pontos da primeira equipa a salvo, mas ocupando o ultimo lugar da poule. Parece-nos que muito dificilmente os comandados de Eduardo Rodrigues conseguirão evitar a descida, num Clube com imensos problemas o que nada ajuda à estabilidade do plantel.

Algarve é a região mais atingida por desemprego

O Algarve foi a região que mais sofreu com o aumento do desemprego em Fevereiro, ao registar um crescimento de 40,5 por cento face ao mesmo mês de 2008. A região algarvia regista um crescimento de 40,5 por cento face ao mesmo mês de 2008, o que se traduz em 20.772 desempregados.

De acordo com os dados do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) hoje divulgados, o desemprego aumentou em todas as regiões do país em Fevereiro, tanto face ao mesmo mês de 2008, como em relação a Janeiro deste ano, com a região do Algarve a registar a maior subida.

Face a Janeiro, o número de inscritos nos centros de emprego daquela região aumentou 5,4 por cento.

As regiões Centro, Alentejo e Madeira registaram igualmente acréscimos superiores à média do país (17,7 por cento).

A Madeira subiu 22,8 por cento para 10.789 inscritos, seguida do Centro - que aumentou 18,6 por cento para 71.108 inscritos - e do Alentejo - que cresceu 18 por cento para 21.955 indivíduos.

Os Açores foram a região do país onde o número de inscritos menos subiu, mas ainda assim o número de inscritos nos centros de emprego elevou-se 15,5 por cento face ao mês homólogo, para 4.928 pessoas.

No Norte, a região do país que concentra o maior número de desempregados (43,1 por cento do total) ocorreu um crescimento homólogo de 15,8 por cento para 202.053 inscritos, o que representa uma subida mensal de 5,4 por cento, para 202.053 indivíduos.

Os centros de emprego de Lisboa e Vale do Tejo (com um peso de 29,3 por cento do total) tinham no final de Fevereiro 137.694 inscritos, mais 17 por cento do que no mesmo mês de 2008.

In Observatório do Algarve

Uma situação que inquieta todos nós, uns porque têm o seu lugar em risco e outros porque, mergulhados no desemprego, não conseguem ver uma luz ao fundo do túnel... Contudo não esqueçam uma coisa: No meio disto tudo, o importante é termos saúde... Quando essa falta, aí sim tudo se complica.

Corropio no Estádio Algarve já começou...

Imagem das obras iniciadas ontem no Estádio Algarve, com vista a recondicionar o palco para as Super Especiais do Vodafone Rally de Portugal'09

domingo, 22 de março de 2009

Calendário da Fase de Subida

1º jornada (05.04.2009): Pescadores Costa Caparica - Farense
2ª jornada (11.04.2009): Farense - Cova da Piedade
3ª jornada (19.04.2009): Juventude Évora - Farense
4ª jornada (26.04.2009): Louletano - Farense
5ª jornada (03.05.2009): Farense - Atlético de Reguengos

Farense conquista o castelo de Silves e está cada vez mais perto de poder vencer a "guerra"

Fase inicial da partida com diculdades do Farense em impor o seu jogo
Numa deslocação que era aguardada com enorme expectativa pelos tiffosi da actual capital algarvia, fruto dos últimos resultados e exibições da equipa, os Leões de Faro garantiram os três pontos já no ultimo terço da partida, e assim alcançaram ao quinto lugar na tabela, mas mais importante que isso, aproveitaram a derrota caseira do Cova da Piedade para encurtar distâncias para os lugares de subida, e assim, matematicamente dependem de si próprios para poder subir à Segunda Divisão B no final da época.

Embora o adversário fosse o último posicionada da pauta classificativa, o Farense não encontrou veleidades em Silves e na primeira parte denotou dificuldades em impor o seu jogo, mostrando-se com dificuldades na circulaGolo anulado ao Farense. Pelo trilho de imagens que díspomos, há muitas dúvidas sobre a decisão do trio de arbitragemção de bola e retraído no seu meio terreno, estranhado-se a ausência de Pintassilgo na equipa, porventura ressentido de algum problema físico. Por isso, os primeiros dez minutos de jogo foram da equipa barlaventina, que procurava jogar um futebol organizado, com maior posse de bola embora sem incomodar verdadeiramente Gonçalo. Foi quando o Farense se soltou mais, a partir do quarto de hora, que o Silves começou a chegar com maior perigo à baliza Farense, fruto de algumas jogadas com Nuno Vieira em destaque, numa delas com um corte providencial dum defesa farense a remate do mesmo. Embora já tivesse equilibrado um pouco a partida, o Farense continuava a não mostrar organização no seu futebol, privilegiando o futebol directo em busca dos homens da frente, mas sem alvejar a baliza de César que só por uma vez sentiu as suas redes em perigo após uma jogada de Justo pela direita, à qual Norberto não deu de cabeça, a sequência desejada. Chegaríamos ao intervalo com um nulo, que embora justo, penalizava um pouco o Silves pelo que havia feito na primeira parte, deixando assim tudo em aberto para um segundo tempo onde se esperava mais dos comandados de António Barão.

António Barão tinha que fazer qualquer coisa para abanar o jogo, e logo promoveu a entrada de Della Pasqua, para tentar dar mais presença e soluções ao seu ataque. Seriam ainda do Silves as primeiras oportunidades da segunda parte, tendo a equipa de Calú mostrado ganas e vontade de inverter um destino que já parece traçado à semanas - o da descida aos Distritais - mas com o passar do tempo o Farense foi se apoderando do jogo, assumindo definitivNorberto festeja efusicamente com os South Side o golo que abriu o caminho da vitóriaamente o desejo de sair da antiga capital do Algarve com a vitória. Aos 58 minutos, Norberto, com um remate cruzado à trave dava o mote para a conquista nesta cidade histórica. O Farense havia subido as suas linhas e alargado a disposição dos jogadores no terreno, proporcionando mais espaço para jogar e enfrentando um Silves que nos pareceu cair fisicamente após a hora de jogo. Seria com naturalidade que a bola violaria a baliza defendida por César aos 67 minutos mas o arbitro assistente do lado da bancada invalidaria o golo dos farenses, num lance que nos deixou algumas dúvidas mas que felizmente não foi mais que o aviso duma festa anunciada e precipitada por Norberto a dezanove minutos do tempo regulamentar. O pressing do Farense e entrada de unidades atacantes na equipa havia dado resultados e António Barão bem como muitos apaniguados farenses presentes esfregavam as mãos e suspiravam de alívio, sabendo ainda que o Cova da Piedade estava a ser derrotado em casa pelo Atlético de Reguengos. Com a vitória na mão, o Farense não baixou os braços e aumentaria a vantagem num contra ataque concluído por Pintassilgo, tendo ainda o Silves tentado reagir, mas pecando na finalização, situação que o condicionou e acredito têm condicionado nesta sua campanha na Terceira Divisão. Arbitragem positiva mas pendente dum lance de golo anulado que poderia ter influenciado o resultado.

Camp. Nac. 3ª Divisão, Série F, 26ª Jornada
Estádio Dr. Francisco Vieira (Silves)
Assistência: 650 espectadores
15 horas, 22/03/2009
Árbitro: Tiago Cerqueira (AF Lisboa)
SILVES 0-2 FARENSE

(71 mn, por Norberto, numa jogada de alguma ingenuidade defensiva da equipa local, Norberto aparece solto após tabelar com Della Pasqua e junto da marca de grande penalidade faz o golo inaugural da partida)
(83 mn, por Pintassilgo, na sequência dum contra ataque pela direita, Pintassilgo isola-se a faz um golo de belo efeito à saída do guardião César)

Farense: Gonçalo; Cannigia (Zé Nacimento, 82mn), Hernâni, Arlindo, Wilson; Luís Afonso, Barão, Norberto, André Calado (Della Pásqua, 46mn), Justo, (Pintassilgo, 66mn), Bruno. Treinador: António Barão

sexta-feira, 20 de março de 2009

quinta-feira, 19 de março de 2009

Uma "EcoFantochada"...

Até o mais distraído peão ou condutor têm verificado nos últimos meses, que foram marcados a traço azul muitos dos troços do litoral algarvio, muitas vezes sobrepondo a marcação anterior a branco ou mesmo paralelo às mesmas nalguns casos, com desenhos de bicicletas em branco nas ruas circundantes... Se muitos repararam nisto, poucos saberão que tudo isto se deve a um projecto liderado pela AMAL (Associação Metropolitana do Algarve), a designada Ecovia do Litoral Algarvio, que se estende num franja 214km entre Sagres e Vila Real de Santo António, a qual está orçada em três milhões de euros, tendo a empreitada sido co-financiada por fundos nacionais e comunitários, através do Programa Operacional para o Algarve, do Programa Transfronteiriço Interreg e do Programa Investimentos Públicos de Interesse Turístico para o Algarve (PIPITAL). Pois bem, visitando a página oficial deste projecto, descobrimos que o objectivo desta iniciativa passa por:
  • Dotar a região de uma infra-estrutura de qualidade;
  • Colocar o Algarve no mapa das Vias Verdes Europeias;
  • Criar uma infra-estrutura com a capacidade de incrementar de forma ambientalmente sustentável a fruição do território;
  • Aumentar a qualidade e a intensidade de circulação não-motorizada entre núcleos urbanos.

A questão é que no Concelho de Faro, no qual temos uma maior percepção do que foi feito, a Ecovia "pura e dura" se resume a uns míseros kilómetros na zona das Gambelas/Pontal, e quiçá entre o Sitio dos Virgílios e Olhão, tendo o resto da dita Ecovia, se resumido aos famosos traços azuis nas vias, mas sem qualquer piso específico ou separador, tanto da nossa cidade como em zonas onde o tráfego automóvel abunda, como no troço de ligação entre o Montenegro e a Universidade do Algarve... Ou seja, a famosa Ecovia, que se quer englobada nas "Vias Verdes Europeias" permitindo ao ciclista melhores condições de tráfego, é uma autêntica ilusão, perguntando-se como se podem lançar notícias light como esta... Os "ditos" três milhões de euros, repartidos por os 16 concelhos do Algarve, em Faro serviram para??? Marcação de estradas e colocação de algumas tabuletas indentificativas, juntando assim tudo no mesmo "bolo" dos tais 214 km's, quando apenas uma pequena percentagem é na verdadeira acepção da palavra "Ecovia"?

quarta-feira, 18 de março de 2009

Sporting-Benfica: uma rivalidade à moda de Faro

O Algarve fervilha com a realização de um derby entre Sporting e Benfica na região. Leões e águias disputam a final da Taça da Liga numa zona recheada de adeptos fervorosos. Aliás, Faro, a capital algarvia, tem duas filiais históricas dos clubes lisboetas. O Sport Faro e Benfica é a número 1 do Benfica, o Farense é a número 2 do Sporting.
Em vésperas de Sporting-Benfica, o Maisfutebol traça um retrato actualizado de uma rivalidade à moda de Faro.
A divisão ficou vingada nos anos 10 e 20, quando surgiram os dois clubes. Ao longo dos anos, o Farense cresceu, afastou-se da relação umbilical ao Sporting, mas subsistem alguns resquícios de uma disputa retomada na época passada.
Em 2007/08, o renascido Farense disputou a I Divisão Distrital do Algarve, encontrando-se com o Sport Faro e Benfica. Os leões venceram os dois jogos, um deles no estádio que vai acolher o derby do próximo fim-de-semana, e garantiram a subida de divisão. Um bom prenúncio para o Sporting?

«Agora ou se é farense ou do Sporting» Imagem do último Farense-Faro e Benfica, disputado na época passada no Estádio Algarve
O Farense é a filial mais velha do Sporting, porque nasceu em 1910, mas perdeu algum tempo e foi ultrapassado pelo Tomar, sendo apenas a filiar número 2 dos leões. Diz-se ainda que uma fotografia a preto e branco, encomendada de Lisboa, induziu em erro os farense, que não copiaram o verde do Sporting original.
«Actualmente, a ligação do Farense ao Sporting está completamente afastada, mas continuámos a ser a filial número 2. Hoje em dia, ou se é farense ou do Sporting. Quanto ao Faro e Benfica, não querendo menosprezar, devo dizer que não há grande rivalidade. Estivemos na mesma divisão na época passada mas foi uma situação transitória, o Farense tem outra grandeza», explica o presidente dos leões de Faro, António Gomes Ferreira.
O dirigente revela que o Farense, actualmente a disputar a III Divisão, está em regeneração. «Desportivamente, temos um Farense forte. Em breve, será lançado o concurso para a venda do Estádio S. Luís, uma condição sine qua non para a subsistência financeira do clube. Se isso avançar, iremos utilizar o Estádio Algarve, tal como acontece actualmente, em parceria com o Louletano. Nos últimos dias, fomos informados para voltar ao S. Luís porque o Estádio Algarve vai receber a Taça da Liga e o Rally de Portugal», resume o presidente, ao Maisfutebol.

«Para nós haverá sempre rivalidade»
O Farense afasta o cenário, mas as gentes do Sport Faro e Benfica não esquecem a rivalidade. «Existe sim essa rivalidade, enorme, como se viu na época passada. O Farense sempre teve maior massa associativa e as forças da cidade começaram a apoiar mais o Farense, mas analisando o presente, digo com orgulho que o Faro e Benfica não tem passivo nem dívidas. O Farense já esteve na primeira divisão mas tem um milhão de contos de passivo», atira Luís Charneca, presidente das águias farenses.
«No Faro e Benfica, temos uma equipa de futebol na primeira distrital, mais xadrez, canoagem e boxe. Tenho alguns sportinguistas na direcção, mas eu torço pelo Benfica. Temos orgulho em ser a filial número 1 e queríamos ir ao jogo, mas está complicado arranjar bilhetes na região», remata Luís Charneca, em diálogo com o Maisfutebol.

terça-feira, 17 de março de 2009

Mentalmente no ponto...

É curioso o estudo publicado na revista "Neurobiology of Aging", citado aqui pelo AlgarvePress, alegando que o ser humano entra em declínio mental marcante a partir dos 27 anos de idade... Eu que já utilizava uma velha máxima para, na brincadeira me desculpar de algum esquecimento, afirmando que "a partir dos vinte é sempre a descer", tenho agora que esperar mais uns tempos para que tal facto seja realmente uma desculpa aceitável... Pelos menos para os que leram o estudo...

Invasão Farense em Silves

segunda-feira, 16 de março de 2009

O Fim de Semana Desportivo em Análise - Época 2008/2009

Cá estamos para dissertar acerca de mais um fim de semana futebolístico no Algarve, com destaque desde já para a boa jornada do SC Farense, que deu passos importantes em busca do seus objectivos. Depois da copiosa derrota no Lavradio por 1-4, era com curiosidade que se aguardava a reacção dos pupilos de António Barão, no saudado regresso ao S. Luís. Num jogo interessante e bem disputado o Farense acabou por vencer sem contestação por 3-1 o Lusitano de Évora, garantindo desde já a presença no grupo de subida, a uma jornada do fim da 1ª fase. Com a derrota do Cova da Piedade em Castro Verde, o Farense aproximou-se do duo da frente e assim continua ainda com algumas esperanças para a segunda fase, altura em que tudo se jogará. Também os Juniores estiveram ao mais alto nível, quiçá surpreendendo muita gente nesta jornada, ao trazer de Setúbal três pontos, numa fase em que os locais estavam numa luta intensa pelos lugares de acesso à segunda fase para apuramento do campeão nacional. Os rapazes de Miguel Serôdio não foram em cantigas e com a vitória por 1-2 deram um passo largo rumo à manutenção, pois distam nove pontos da linha de água, ascendendo agora a um honroso oitavo lugar da geral. Os Juvenis também deram sequência a esta boa onda, e na visita à casa do ultimo classificado, o Messinense, venceram por 0-2, mantendo-se a quatro pontos do líder Internacional, que parece em muito boa forma nesta fase da prova. Ao invés, a equipa B Juvenil foi batida por 0-2 em casa no jogo com o Marítimo Olhanense. Nos Iniciados, os ventos continuam turbulentos e o Farense continuam na cauda da tabela, após a derrota por 0-4 em casa diante do Esperança de Lagos, traduzindo-se assim na sexta derrota dos últimos jogos, o que afasta a equipa, cada vez mais dos lugares do meio da tabela. Notas finais, como habitualmente para os Infantis, vencedores com a equipa A, 6-0 diante do Almancilense, enquanto nas Escolas A, o Farense repetiu o resultado dos Infantis, batendo o Padernense por 6-0, tendo as Escolas B perderam 5-2 nas Ferreiras.

Voltemos à Terceira Divisão Nacional, com destaque para o desempenho dos adversários no grupo de subida do Farense, os quais nesta jornada obtiveram resultados negativos na globalidade, o que beneficia o Farense nesta recta final da prova. O Juv. de Évora foi inclusive alcançado no quinto lugar após a derrota 1-2 com o Louletano, tendo o Farense também beneficiado da derrota do Pescadores na casa do Barreirense por 3-1. Já o Atlético de Reguengos, equipa muito forte no seu terreno, não deu hipóteses ao Quarteirense e bateu os algarvios por 3-0, cimentando a terceira posição. Nos outros jogos da equipas algarvias, nota menos para o Campinense, que apesar de continuar a mostrar qualidade para se manter, têm sido infeliz e não conseguiu melhor que um nulo caseiro diante do Fabril do Barreiro, vendo agora o Castrense fugir de si. No jogo dos dois aflitos do concelho de Silves, a vitória acabou por ser da equipa do Silves por 0-1 em Messines, resultado que poucas implicações têm na tabela, mas que dará mais ânimo para o jogo do próximo domingo com o Farense.

Na Segunda B, as emoções estão cada vez mais arredadas das equipas algarvias. Com o objectivo cumprido, o Lagoa mostra sinais de algum desgaste e desta feita empatou a zero em casa, com o Odivelas, apesar de ter sido de longe a força maior na partida. Já o Beira Mar, está em queda livre, e se nesta segunda fase averbou a segunda derrota em dois jogos, após o desaire caseiro por 1-2 com o Olivais e Moscavide, que o deixa a sete pontos da linha de água, mas com a agravante duma péssima sequência de dez jogos em vencer, onde apenas averbou três empates.

Por fim, destacamos a Liga Vitalis, e não poderíamos esquecer o derby algarvio disputado na manha de ontem em Olhão. Perante cinco mil espectadores, o Olhanense acabou por golear o Portimonense por 4-0, resultado sem contestação, quiçá condicionado pela prematura expulsão dum defesa portimonense no inicio da partida, jogada que ditaria ainda a grande penalidade com que Djalmir faria o seu hat-trick. Quebrando três anos de jejum em vitórias caseiras com o Portimonense, o Olhanense cimentou a liderança na prova e pode assim respirar melhor, quando se prepara para enfrentar a fase decisiva da época, onde defenderá a liderança com as melhores equipas da competição. Por usa vez, o Portimonense continua na cauda da tabela, com quatro pontos sobre a linha de água e parece destinado a sofrer até ao fim para garantir a manutenção.

Macário Correia promete acabar com habitações precárias em Faro

O candidato do PSD à Câmara de Faro Macário Correia prometeu hoje acabar com as habitações precárias no concelho, considerando que este é um dos poucos municípios algarvios onde ainda subsiste o problema

Em comunicado, o presidente da Câmara de Tavira e candidato social-democrata em Faro promete acabar com os bairros degradados e defende como solução a distribuição das famílias carenciadas por vários núcleos dispersos pela cidade. Segundo Macário Correia, para que se verifique uma integração social destas famílias é necessário que residam na malha urbana, evitando que permaneçam isoladas ou concentradas num único local da cidade. O candidato critica a decisão camarária de avançar com uma nova urbanização a custos controlados para a zona dos Braciais (350 fogos) que corre o risco de se trasformar num agregado "logo à partida estigmatizado negativamente"."Connosco haverá coragem e ousadia de decidir com determinação", sustenta o social-democrata em comunicado, prometendo "casa condigna para todos" e o fim das barracas no concelho de Faro, uma situação que considera "terrível".

De acordo com Macário Correia, a existência de habitações precárias com famílias numerosas é uma realidade em zonas como a Horta da Areia, Alto Rodes, São Luís, na Ilha de Faro e até junto à Via do Infante. O candidato à Câmara de Faro lembra ainda que durante anos e sobretudo desde 1993, o Estado colocou à disposição dos municípios condições especiais de financiamento para a resolução deste problema. Contudo, Macário Correia recorda que praticamente todos os municípios da região acabaram com as habitações precárias, à excepção de Faro, pelo que é preciso "de modo enérgico e determinado" acabar com o problema."Deve-se fazer muita habitação social para dar uma casa condigna a todas as famílias, mas não se podem concentrar todas, ou quase todas, no mesmo bairro", sublinha Macário Correia.


Promessas, mais promessas...

domingo, 15 de março de 2009

Inferno do S. Luís faz primeira vítima: Farense 3-1 Lus. Évora

Para além dos três golos, o Farense atirou ainda duas bolas ao ferro. Este é um desses lances, no qual Pintassilgo atira ao poste esquerdo da baliza sul logo aos 10 minutos de jogo.

O velho S. Luís regressou hoje à rota dos jogos do futebol nacional, e logo da melhor maneira, servindo de palco a uma importante vitória do conjunto alvinegro da capital algarvia, que com esta vitória garantiu definitivamente a manutenção na Terceira Divisão, virando agora as agulhas para a luta pela promoção à Segunda B. Jogando diante dum adversário com bons valores, o Farense foi nesta tarde, essencialmente, mais eficaz e coeso obtendo uma vitória saborosa, juntando a isso uma exibição agradável, depois do mau jogo anterior que a equipa havia perdido no Barreiro.

Com o "topo sul" em efeverscência durante toda a partida, animado pelo ansiado regresso ao à velha casa dos Leões de Faro, assistimos a um inicio de jogo muito activo de parte a parte, muito interessante de seguir, até que o Farense foi se acercando com maior perigo da baliza adversário, com destaque para o primeiro lance de frísson, numa jogada aos 10 minutos em que Pintassilgo após um cruzamento para área, remataria ao poste da baliza sul do estádio. Se o Farense já estava a jogar a todo gás, a partir daí mais se empolgou e ia desenhando bonitas jogadas, algumas ao primeiro toque, destacando-se a acção de Justo e Luis Afonso, o primeiro a dar velocidade nas alas e o segundo a assumir-se como um autêntico gestor de jogo, muito acima do nível que nos oferecia no inicio da temporada. O Lusitano, apesar de dominado, não baixava os braços e apresentou-se no S. Luís num 4x5x1, que se transformava em Livre de Cannigia ao poste direito da baliza sul, com bola a ser encoberta neste momento pelo jogador nº 22 do Lusitano4x3x3 nos lances de contra ataque, nos quais dispunha de unidades perigosas, com destaque para Manuel do Carmo, jogador com muita qualidade e habituado aos grandes palcos do futebol português, proporcionando ao espectador um jogo emocionante. Com o Farense a pecar na finalização, seria também a equipa de arbitragem a inventar um livre, após uma falta cometida no interior da área, lance que poderia ter influencia no desenrolar na partida, mas que felizmente não aconteceu. Desse livre, aos 30 minutos de jogo, surgiria outra bola no poste, após a boa cobrança de Cannigia. Com o passar do tempo, o Lusitano foi equilibrando o jogo e dispuria duma ocasião para chegar à vantagem, numa jogada de Sebastien pela esquerda, que no interior da área driblou um defesa algarvio e chutou cruzado para a defesa de Gonçalo, que de resto esteve em bom plano durante toda a partida.

Na segunda parte, e ao contrário do que seria de esperar, foi o 0Lusitano que entrou melhor, mais desinibido, e criou duas oportunidades de golo, uma por Manuel do Carmo aos 55 minutos num remate de longe que razou os ferros da baliza de Gonçalo e depois por um jogador da intermediária da equipa alentejana que proporcionou uma boa defesa a Gonçalo após um remate na cabeça da área, na seqJogada de Pintassilgo pela esquerda do seu ataqueuência de um canto. Curiosamente, o Farense que até mantinha alguma chama nesta fase, mas que denotava dificuldades em criar chances de golo, inauguraria o marcador à passagem dos vinte minutos da segunda parte, por Norberto, que bisaria 11 minutos mais tarde, sentenciando praticamente aí o desfecho da partida. Apesar do Lusitano ter desperdiçado uma boa chance entre os golos, emergia assim a figura de Norberto, em contraponto com os perdulários homens de Évora. Nesta fase já os forasteiros mostravam algumas dificuldades físicas e o Farense iam também rodando as suas unidades, tendo António Barão promovido o regresso de Della Pasqua que ainda foi a tempo de marcar o 3-0 numa grande penalidade sem margem para dúvidas, após uma "mão na bola" a interceptar um cruzamento da direita. O Farense tinha assim a vitória no bolso, para alegria do seus adeptos que saudavam o regresso da equipas às tardes de glória no S. Luís, mas seria novamente o Sr. Armando Branco a fazer das suas, ao inventar uma grande penalidade para o Lusitano, ao qual Manuel do Carmo não se fez rogado e concretizou na ultima jogada do encontro, fechando o score em 3-1 para o Farense, num resultado que se aceita e espelha a diferença entre as equipas. Arbitragem fraca.

Camp. Nac. 3ª Divisão, Série F, 25ª Jornada
Estádio S. Luís (Faro)
Assistência: 700 espectadores
15 horas, 15/03/2009
Árbitro: Armando Branco (Lisboa)
FARENSE 3-1 LUS. ÉVORA

(65 mn, por Norberto, num lance em que a bola é bombeada para a área, Norberto aparece sozinho perante Rato e de cabeça, após a bola bater no chão, abre o marcador para os da casa)
(76 mn, por Norberto, num ataque rápido pela direita, a bola é endossada para Norberto, que, à entrada da área dribla um defesa e já no interior faz o seu segundo golo com o pé direito)
(86 mn, por Della Pasqua, de grande penalidade, numa falta a castigar uma mão na bola, após um cruzamento da direita do ataque algarvio)
(90+3 mn, por Manuel do Carmo, também de penalty, num lance muito forçado entre Hernâni e atacante contrário, no qual o árbitro decidiu assinalar o castigo máximo)

Farense: Gonçalo; Cannigia, Hernâni, Arlindo, Wilson; Luís Afonso, Barão, Norberto, Justo (Toni, 90mn), Pintassilgo (Zé Nascimento, 67mn), Bruno (Della Pasqua, 79m). Treinador: António Barão

sábado, 14 de março de 2009

Asneiras barlaventinas...

In A Bola, 14/03/2009


Focando-nos apenas no Algarve, Portimão será a capital do Sul, porque:
  • Historicamente (monumentos e história) supera Faro?
  • Porque Administrativamente supera Faro?
  • Porque têm um Autódromo Internacional?
  • Porque têm um Aeroporto Internacional?
  • Porque têm a zona ribeirinha renovada?
  • Porque têm muitas infra-estruturas turísticas?
  • Porque organiza muitos eventos?
  • Porque está tão endividada como Faro?
  • Porque a Universidade do Algarve, na sua grande maioria têm as faculdades em Faro?
  • Porque o Parque das Cidades (que não será só o Estádio Algarve) foi edificado em Faro?
  • Porque Portimão, embora com maior área têm menos população que Faro?
  • Porque o Portimonense com sorte, para o ano até estará na mesma divisão do Farense?
  • Porque um Teatro de dimensão Internacional está em Faro?
Façam as contas e depois tirem conclusões...

sexta-feira, 13 de março de 2009

Novo concurso para venda Estádio de São Luís deverá avançar dentro de dias

O novo concurso para a venda do Estádio de São Luís, em Faro, deverá ser lançado dentro de dias, depois de a área inicialmente prevista para a zona comercial ter sido alargada, disse à Lusa fonte ligada ao processo.

Após o falhanço da primeira tentativa de vender o terreno do estádio, pertencente ao Sporting Clube Farense, em Setembro de 2008, a Comissão de Venda deverá avançar para a semana com a publicação de um novo anúncio.

Em causa estão cerca de 35 mil metros quadrados de construção aprovada pela Câmara de Faro numa zona com forte pressão imobiliária: 28 mil para habitação (208 fogos) e cerca de 3 mil inicialmente previstos para comércio.

Contudo, a área prevista para comércio, serviços e lazer, prevista para a cave, foi agora ampliada para 15 mil metros quadrados, o que pode tornar o negócio mais apetecível, diz o presidente da Câmara de Faro.

"Esta possibilidade aumenta o leque de potenciais interessados", disse José Apolinário à agência Lusa, cujo executivo deu, em finais de Fevereiro, luz verde ao pedido de ampliação da área comercial.

Além da área comercial prevista para a cave e dos 208 fogos previstos para habitação, há ainda uma área de 27 mil metros quadrados destinada a estacionamento subterrâneo, com capacidade para 700 viaturas.

Aos eventuais receios dos pequenos comerciantes baseados na possibilidade de Faro poder vir a ter uma nova zona comercial, Apolinário diz que "todos" irão beneficiar da revitalização daquela zona.

Como exemplo, referiu a construção do centro comercial "El Corte Inglés", em Lisboa, que contribuiu para revitalizar toda a zona envolvente e pequenos comerciantes que já lá estavam sedeados.

O valor base inicialmente avançado para a venda dos terrenos era de 14 milhões de euros, definido tendo em conta a área de construção e os preços médios de venda por metro quadrado.

A venda do Estádio de São Luís é tida como a única opção para que o Farense possa apagar o passado, limpar o passivo que ronda os dez milhões de euros e ficar com uma verba que lhe permita começar de novo.

In Barlavento Online

No meu ponto de vista, que é apenas de mero observador, parecem-me reunidas as condições para o Farense realizar um negócio invejável e irrepetível em toda a sua história. Mesmo com crise que estamos a assistir, acredito que esta operação terá o sucesso desejado. Só espero que depois do dinheiro nos bolsos, o saibamos gerir duma forma diferente da que foi feita no passado...

quinta-feira, 12 de março de 2009

Moda contra a corrente...

O "Timão" não perdeu tempo e com o regresso do Fenómeno, que até está ser recheado de golos, lançou uma camiseta, como se diz pelas terras de Vera Cruz, acerca do regresso do verdadeiro Ronaldo... Se na actualidade, é o nosso Ronaldo que está a bombar, a verdade é que as frases escritas na camisola são factos inquestionáveis e ninguém garante que CR7 chegue aos feitos que o brasileiro alcançou, tendo este ainda tido os probelmas físicos que todos sabemos...

quarta-feira, 11 de março de 2009

Rali traz milhões ao Algarve

A passagem do WRC pela região em 2007 injectou quase 43 milhões de euros, com grande incidência na hotelaria e restauração. Espanhóis são para ser levados em conta.

Segundo um estudo a que o Observatório do Algarve teve acesso, o Vodafone Rali de Portugal de 2007 - último ano em que esteve inserido no WRC (World Rally Championship) - injectou no Algarve 42,9 milhões de euros de despesas directas de pessoas que vieram propositadamente à região ver a prova.

Deste valor, 39,9 milhões de euros foram gastos pelos visitantes não residentes na região; 1,2 milhões pelos residentes e 1,7 milhões pelo conjunto de organização e equipas.

“Este foi um evento extremamente positivo para a região, quer em termos de impactos económicos directos associados às despesas dos residentes, visitantes e equipas, quer pelo facto de cerca de 50 por cento desta despesa ter origem no exterior, particularmente no mercado espanhol”, diz Fernando Perna, coordenador do CIITT (Centro Internacional de Investigação em Território e Turismo), que encabeçou este estudo de impacto económico.

E, de facto, os 'nuestros hermanos' tiveram uma representação volumosa, com 39,8 por cento dos espectadores do Rali, contra 52,1 por cento portugueses. Os principais mercados espanhóis atingidos foram a Galiza (25 por cento); Andaluzia (23,2 por cento); Extremadura (14,4 por cento) e até a Catalunha esteve representada com 5 por cento.

De acordo com o estudo, a despesa proveniente do exterior foi gerada por uma estimativa de 104.529 mil turistas (que pernoitaram pelo menos uma noite na região) e de 36.536 mil de outros visitantes (cuja visita foi inferior a um dia - não pernoitaram).

O posicionamento do Rali na semana que antecede a Páscoa [como será em 2009] é decisivo para o mercado espanhol, já que a intenção de regresso à região nos próximos três anos situou-se entre os 65,8 por cento (Inverno) e 90,4 por cento (Verão), demonstrando inequivocamente a importância da prova enquanto produto turístico de suporte ao aumento da procura na época baixa de veraneio”, aponta o estudo.

Segundo os responsáveis do estudo, a imagem projectada pelo evento “foi notoriamente positiva, quer da organização e espectacularidade do evento em si, classificado como bom ou muito bom”, numa classificação geral atribuída por residentes, não residentes e imprensa com valores de 4,1 a 4,2 (numa escala de 1 mau a 5 muito bom).

In Observatório do Algarve

Desafio todos os que duvidam das potencialidades do Estádio Algarve a dizer algo, pois sem uma infra-estrutura desta natureza, tal prova não se realizaria cá e o Algarve não teria este retorno financeiro que acabamos de constatar pelo artigo...

terça-feira, 10 de março de 2009

A Força dos Blogues

Foi ontem manchete no "suplemento Algarve" do Correio da Manhã, a situação calamitosa, que se arrasta à largos meses junto à Escola Primária de Mar e Guerra, freguesia de S. Pedro, nos arredores de Faro, devido a um buraco de enormes dimensões, que acaba por cortar uma passadeira e colocar em causa a integridade física das crianças que passam naquele local. Tal situação foi dada a conhecer ao grande público pelo blogue farense "A Defesa de Faro", do qual sou leitor assíduo, suscitando logo inúmeros comentários depreciativos face à situação. Passados poucos dias, o Correio da Manhã, não se fez rogado e aproveitou a situação levantada pelo blogue para lançar o debate em pleno jornal nacional, chamando a intervir o próprio vereador municipal envolvido na obra, Dr. Augusto Miranda. A verdade, é que nos dias de hoje, os blogues são uma das maiores armas contra a fraco desempenho dos nossos políticos, que, ano após ano nos vão desiludindo com promessas adiadas, que depois se transformam em cartazes perdidos por esta cidade a reivindicar obra feita, quando o comum munícipe conta pelos dedos os projectos prometidos e concluídos neste mandato. E isto não se aplica só à actual gestão camarária, mas a todas as anteriores... Estranho como a Comunicação Social Nacional, precisa que os blogues "levantem a lebre", para que eles possam denunciar uma situação que estava à vista de todos...

Também eu, no passado sábado pude testemunhar, o que me havia já chegado aos ouvidos, relativamente a um post que coloquei aqui, acerca da zona do depósito da água e da estrada que liga a EN2 à zona do Centro de Saúde. Perante os factos que levantei, curiosamente ou talvez não, a CMF colocou estrategicamente à entrada do troço em terra, um cartaz a explicar que o caminho é em terreno privado... Não que isto me venha resolver a mim, e às largas centenas de utilizadores o transtorno, mas em ano de eleições, todas as justificações são preciosas...

Humor ao intervalo...

Estamos no intervalo da segunda mão do jogo dos oitavos de final da "Champions" deste ano, entre Sporting e Bayern de Munique... Depois de na primeira mão ter acertado o patrocínio duma conhecida empresa de limpezas, parece que hoje ainda vai fechar negócio com a revista TV7 Dias... Será só um palpite?

Actualização às 22.00 - Então não é que acertei? Infelizmente, é claro...

segunda-feira, 9 de março de 2009

O Fim de Semana Desportivo em Análise - Época 2008/2009

Fim de semana desportivo com poucas alegrias para as hostes farenses. Comecemos pelos Séniores, que ontem foram copiosamente derrotados por 4-1 no Lavradio, pelo Fabril do Barreiro, deitando por terra uma sequência de 5 jogos sem perder e aumentando a diferença pontual para os líderes, para 18 pontos... Aguardemos por melhores dias, esses que têm já data e local marcado. Será no próximo domingo, no Estádio S. Luís, ou seja no regresso do mítico campo citadino aos campeonatos nacionais de futebol sénior, volvidos sensivelmente 4 anos... Nos Juniores, embora o empate a zero no S. Luís não tenha trazido males maiores, constitui uma certo amargo de boca, pois o adversário, embora disciplinado, estava ao alcance dos farenses, e ao empatar, e assim, foi-se uma hipótese de chegar mais perto ao objectivo mor desta época, a manutenção, da qual os Leões de Faro têm uma margem de 7 pontos sobre a linha de água, isto a 6 jornadas do fim. Os Juvenis não vacilaram e regressaram às vitórias, desta feita no sintético da Penha, por 4-0 diante dos vizinhos e rivais do S. Luís, mantendo-se assim a 4 pontos do líder Internacional de Almancil. já os Juvenis B, regressaram à competição da pior forma sendo batidos por 3-2 em Alvor diante dos locais, estando contudo num tranquilo sexto lugar. Mal vai a equipa de Iniciados do SC Farense, que se vai arrastando pelo regional, tendo sido goleado em Messines por 4-1, aumentando a série para três derrotas consecutivas que o deixam na nona posição com 18 pontos. Notas finais, como habitualmente para os Inantis que saíram derrotados no duplo confronto com o Lus. Vila Real por 4-2 e 4-3, enquanto as Escolas A empataram 2-2 com a Escola do Sporting, tendo a equipa B ganho 2-4 no Montenegro.

Na Terceira Divisão Nacional, o cenário que havíamos traçado na crónica passada, mantêm actual pois as equipas algarvias continuam a passar as "passas do Algarve", ocupando os últimos quatro lugares do campeonato. Desses quatro continua a ser o Campinense de Ivo Soares a mostrar ainda a chama da esperança e neste fim de semana, foi à casa do líder Cova da Piedade empatar 1-1, num resultado que se pode considerar meritório. Contudo, se o Campinense parece motivado, ao Quarteirense que estreava José Veríssimo no banco, em substituição do demitido Resende, nem esse factor lhe valeu e saiu derrotado em casa por 0-1 diante dum adversário directo, o Castrense, ficando assim mais longe do grupo de equipas menos afogadas. Com a corda na garganta estão as duas equipas do concelho de Silves, com Nota para o Messinense que o ano passado estava na Segunda B e agora é um dos sérios candidatos à descida. Com cinco derrotas seguidas averbadas nas ultimas jornadas, o empate de ontem 1-1 com o Juv . Évora, só amenizou a queda e de pouco serviu os fazer chegar mais à frente. O Silves não ganha à nove jogos e nesses, perdeu sete, tendo nesta semana averbado uma derrota tangencial em Évora diante do Lusitano por 1-0. Nota final para o Louletano que recebia o Barreirense na tarde de ontem, e perante uma confrangedora moldura humana, bateu os homens da margem sul por 2-1, apesar das dificuldades iniciais que o obrigaram a inverter o resultado e assim se juntar ao Cova da Piedade na liderança desta série.

Na Segunda Divisão B, agora na fase decisiva da prova, o Lagoa, que têm a manutenção assegurada, joga com maior tranquilidade e nesta fase, foi infeliz, à semelhança de todas as equipas forasteiras, sendo derrotado por 1-0 na deslocação ao Carregado. Por sua vez, o Beira Mar, que têm que ficar nos primeiros três lugares dum campeonato a seis, para se manter nesta divisão, agudizou a sua posição, que já de si era preocupante, tendo sido derrotado por 1-0 no campo do Oriental, o que o deixa a cinco pontos da primeira posição acima da linha de água, que é ocupada pelo Aljustrelense com 16 pontos.

Por fim, destaque para a Liga Vitalis e muito em especial para o Olhanense. Cada vez mais o Algarve acredita que voltará a estar representado no escalão máximo do nosso futebol e para que isso seja uma realidade, muito têm contribuído Jorge Costa, que têm comandado a equipa com pulso e mentalidade vencedora, contrariando outros tempos em que não aguentava a pressão nesta fase da prova. Ao invés, esta equipa parece talhada para o sucesso e ultrapassada com estofo a fase menos boa, parece ser do Olhanense o maior favoritismo para subir à Liga Sagres, depois da vitória de ontem por 2-0 diante do Desportivo das Aves, que lhe permitiu reassumir a liderança e fugir do terceiro lugar do Feirense, que saiu derrotado nesta jornada a assim está a 6 pontos dos algarvios. Para a semana o Olhanense voltará a jogar no José Arcanjo, agora num jogo de capital simbolismo, com o seu rival barlaventino, o Portimonense que nesta jornada voltou às más exibições, tendo empatada 2-2 em Portimão com o ultimo classificado, o Gondomar.

Selecção Nacional de Futebol Feminino joga hoje às 17h45 no Estádio Algarve

O Algarve irá receber mais uma edição do Algarve Cup 2009 / Mundialito de Futebol Feminino entre o dia 4 e 11 de Março.

Estádio Algarve - 9 de Março - Suécia vs Alemanha - 13H15;
Portugal vs Áustria- 17H45;
Estádio Algarve - 11 de Março - 3º/4º - 10H30
Final- (1º/2ª)- 13H15.

Na edição deste ano estão presentes as Selecções da Alemanha, Suécia, China, Finlândia, EUA, Noruega, Dinamarca, Islândia, Portugal, Polónia, País de Gales e a Áustria.
No dia 8 de Março, Dia Internacional da Mulher, a Selecção Nacional Feminina estará no Forum Algarve.

Durante a iniciativa vão ser distribuídos posters autografados e camisolas oficiais “Força Portugal”.

As entradas para os jogos serão gratuitas.


domingo, 8 de março de 2009

Farense sai atropelado da viagem ao Barreiro

Numa deslocação ao Barreiro que era aguardada com muita expectativa pelas hostes farenses, os Leões de Faro acabaram por sair vergados a uma derrota por 4-1 diante dum adversário astuto e eficaz.

O Farense entrou em campo com alguma dificuldade em encontrar-se, tendo a equipa da casa tido uma oportunidade logo nos primeiros minutos. Contudo o Farense conseguiu ir se impondo e foi demonstrando uma maior segurança na troca de bola, controlando as operações, sem contundo dispor de ocasiões, as quais, ia sendo desperdiçadas pelos seus dianteiros, perante um adversário que jogava na expectativa, procurando o golo em jogadas rápidas.

Se o Farense entrava com as esperanças intactas em busca da vitória nesta segunda metade, seria o Fabril a inaugurar o marcador, logo aos quatro minutos por Fábio, obrigando os algarvios a esforços redobrados para vencer a partir. A atitude dos farenses ainda lhes valeu o golo da igualdade à passagem da hora de jogo, mas o Fabril foi feliz na forma como chegou de novo à vantagem, fruto dum lance de bola parada. A partir daí a estrutura algarvia começou a ruir e o tombo foi evidente a todos os níveis. Com os índices anímicos muito fracos, a equipa desmembrou-se e nunca conseguiu impor o seu jogo na busca doutro resultado que acabou por se avolumar com o decorrer do tempo, tendo ainda culminado com expulsão de Carlos Neves já em tempo de compensações.

Nota por o resultado final, 4-1 que acaba por ser o pior resultado da época, talvez numa antítese do momento de forma que havíamos testemunhado nas ultimas semanas e que assim refreia os ânimos face a uma eventual subida de divisão.

Camp. Nac. 3ª Divisão, Série F, 24ª Jornada
Estádio Alfredo da Silva (Lavradio - Barreiro)
Assistência: 200 espectadores
15 horas, 08/03/2009
Árbitro: Ricardo Baixinho (Lisboa)
FABRIL BARREIRO 4-1 FARENSE

(49 mn, por Fábio, na sequência dum cruzamento de Carlos Neves, o jogador do Fabril marca de cabeça na área e inaugura o marcador)
(60 mn, por Pintassilgo, numa joga iniciada por Bruno, à qual Norberto dá seguimento cruzando para o segundo poste para o remate certeiro no interior da área)
(68 mn, por Carromeu na sequência dum livre directo cobrado de forma irrepreensível e anichando a bola junto do ângulo superior esquerdo da baliza defendida por Gonçalo)
(74 mn, por Nuno Curto, aproveitando uma gralha da defensiva algarvia e aumentando a vantagem dos homens da margem sul)
(90+2 mn, por Rui Capitão Mor, de penalti a castigar uma falta de Carlos Neves no interior da área num lance disputado entre ele e Nascimento)

Farense: Gonçalo; Cannigia, Carlos Neves, Hernâni, Wilson; Luís Afonso (André Calado, 59mn), Zé Nascimento (Justo, 72mn), Barão, Norberto (Caras, 67mn), Bruno, Pintassilgo. Treinador: António Barão

sábado, 7 de março de 2009

Desinspiração e medo de perder só podia resultar num nulo...

Campeonato Nacional de Juniores, Zona Sul, 24ª Jornada
FARENSE 0-0 TORREENSE

O Farense jogava na tarde de hoje uma cartada importante com vista a solidificar a manutenção na divisão maior do escalão Júnior a nível nacional. O advers
ário era o Torreense, primeira equipa acima da linha de água, e que assim vinha ao Algarve com a missão de pontuar, e se possível ganhar, por forma a se afastar de tão perigosa posição. Num relvado em condições melhoradas face ao que estávamos habituados, o Farense encontrou um adversário composto por jogadores fortes fisicamente, organizado e astuto, trazendo ao S. Luís a lição bem estudada. Apesar do Farense ter entrado melhor na partida, o Torreense soube adormecer o jogo e acabámos por assistir a uma primeira parte monótona, quase sem remates de parte a parte, pelo que o nulo com que se chegou ao intervalo era mais que justificado.

Na segunda parte era esperada uma nova chama na equipa algarvia, mas a verdade é que o meio campo e ataque do Farense demonstraram na tarde de hoje uma face muito pálida. Raramente o trio de ataque, Vicente, Álvaro e André se superiorizou à defesa contrária, e mesmo o meio campo algarvio era logo incomodado com o “pressing alto” dos forasteiros, quando tentava iniciar os ataques. Miguel Serôdio ainda mexeu na equipa, mas as substituições acabaram por não trazer resultados práticos, notando-se claramente nos últimos vinte minutos de jogo, que o mais importante para os Leões de Faro seria não perder, diante dum adversário que ainda podia incomodar na classificação, tendo o Farense arriscado pouco e jogando em transições rápidas que raramente foram executadas da melhor forma, no intuito de alvejar a baliza adversária. Arbitragem facilitada pela salutar atitude de fair play entre os jogadores em campo.

Segundo Centro Unesco da Europa vêm para Faro

In Jornal "O Algarve", 06/03/2009

Mais um trunfo para Faro e para o Algarve, mas em particular para José Apolinário...

quinta-feira, 5 de março de 2009

Parece que em Faro é mais barato...

Uma loja em Faro

Se formos rigorosos, confirma-se desta forma que o custo destes serviços em Faro é muito inferior ao da zona de Quarteira/Vilamoura, pois lá, por metade do que se oferece aqui no cartaz, acaba por ter um preço inflacionado de "20 euros"...

quarta-feira, 4 de março de 2009

Faro é o concelho do Algarve com mais eleitores

O concelho de Faro ultrapassou, no final de 2008, a barreira dos 50 mil eleitores, tornando-se assim o município com mais eleitores de todo o Algarve.

Entre 2005 e o final de 2008 o Município de Faro registou um aumento de 4281 eleitores, passando de 49542 para os actuais 53705 eleitores, o que demonstra, segundo a Câmara da capital algarvia, «uma clara capacidade de atracção de novos residentes».Em termos regionais e de acordo com os dados ontem publicados em Diário da República, o Concelho de Faro é o primeiro do Algarve com 53705 eleitores, seguido depois, na segunda posição, por Loulé com 53337, Portimão com 41949, Olhão com 35246, Silves com 29202, Albufeira com 27729, Tavira com 22384, Lagos com 21863, Lagoa com 17063, Vila Real de Santo António com 16209, São Brás de Alportel com 8586, Castro Marim com 6057, Monchique com 5735, Aljezur com 4296, Vila do Bispo com 4194. O 16º é o concelho de Alcoutim, com 3249 eleitores.

No concelho de Faro, a freguesia com mais eleitores é a da Sé, com 26491, seguida de São Pedro (12615),Montenegro (5186), Conceição (3486), Santa Bárbara de Nexe (3040) e Estoi (2887).Para o presidente da Câmara de Faro José Apolinário, «esta subida expressa a dinâmica económica, social e cultural da Capital Algarvia em termos regionais e demonstra que Faro é o concelho do Algarve onde mais apetece viver». Apolinário acrescenta que «o aumento do número de eleitores vem demonstrar que os investimentos na rede social como a construção de novas creches, Jardins-de-Infância e escolas é fundamental para promover a qualidade de vida das famílias e a promoção da igualdade de oportunidades».

Devido ao facto de ter ultrapassado a barreira dos 50 mil habitantes, a vereação da Câmara Municipal de Faro vai passar, depois das próximas eleições autárquicas, de sete para nove vereadores.

Duas notas:
  • Uma para o crescimento demográfico do concelho de Faro, que embora muito mais pequeno em área, que Loulé ou Portimão, é agora o município mais povoado da região, o que é resultado duma maior facilidade das pessoas em arranjar emprego em Faro, o qual, ao contrário de outros concelhos, não é tão dependente do Turismo, o que proporciona maior segurança no emprego.
  • Depois, a questão do aumento para nove vereadores a ser eleitos em Faro, o que será mais uma razão para as forças politicas de menor dimensão se aplicarem a fundo no sentido de granjear mais votos, através duma campanha incisiva, dinâmica e crítica.

terça-feira, 3 de março de 2009

Manipulação Intelectual, segundo José Mourinho...

Julgo que nunca uma conferencia de imprensa será tão falada como esta... Mourinho, ao mais alto nível, e as reacções não tardaram...

P. S. Veja até ao fim, vale a pena!

segunda-feira, 2 de março de 2009

Futebol Português em falência técnica

SAD dos "grandes" em falência técnica
CAPITAIS PRÓPRIOS DAS 3 SOCIEDADES MUITO ABAIXO DO EXIGIDO

Os três grandes clubes portugueses fecharam o 1.º semestre da época 2008/2009 no vermelho, com um total de 13 milhões de euros negativos, num cenário que não surpreende, atendendo à conjuntura de crise generalizada. O mais grave é que qualquer das Sociedades Anónimas Desportivas (SAD) de Benfica, FC Porto e Sporting estão em situação de falência técnica.
Os capitais próprios das três sociedades estão muito abaixo do que exige o artigo 35 das Sociedades Comerciais. A SAD do FC Porto, ainda assim, é a que apresenta capitais próprios mais elevados, num total de 16,4 milhões, enquanto a Benfica SAD se fica pelos 13,6 milhões e a Sporting SAD pelos 4,9 milhões.

Segundo os relatórios enviados à Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM), as contas de FC Porto (1,4 milhões de prejuízo), Sporting (2,3 de prejuízo) e Benfica (9,3 de prejuízo) mostram as primeiras consequências da crise económica e financeira no futebol nacional, com nenhuma das três SAD a conseguir gerar receitas que compensem os gastos.
Os portistas foram quem teve mais capacidade para realizar receitas, que atingiram os 31,1 milhões de euros (29,9 milhões no caso do Sporting e 26 milhões no caso do Benfica), mas também foram os mais gastadores, totalizando 35,8 milhões em custos operacionais (23,7 milhões no caso do Sporting e 27,6 milhões no caso do Benfica).
Quanto ao resultado operacional, a SAD do FC Porto foi a única a escapar ao vermelho, tendo concluído o primeiro semestre com 2,8 milhões positivos, enquanto o Sporting fechou com 0,4 milhões negativos e o Benfica com 6,9 milhões negativos.

Por outro lado, a SAD do Benfica tem o plantel mais valorizado, avaliado em 74,3 milhões de euros, enquanto o FC Porto se fica pelos 64,2 milhões e o Sporting pelos 30,8 milhões. No entanto, a CMVM não permite a actualização do valor dos passes dos jogadores, o que torna o valor dos plantéis muito abaixo do valor do mercado. Assim, o Sporting, com vários jogadores da formação, é o mais prejudicado, pois atletas como João Moutinho ou Miguel Veloso praticamente não têm valor na avaliação do plantel para a CMVM.

Face a este cenário, com as principais SAD em falência técnica, mais problemática será a situação das restantes sociedades desportivas do futebol nacional, que, embora não tenham o mesmo nível de despesas, têm naturalmente a vida ainda mais complicada quanto à obtenção de receitas. Os salários em atraso em vários clubes não são mais do que um reflexo disso mesmo.

O artigo recolhido do Record, na sua versão online, que curiosamente nem está assinado, demonstra como o futebol português continua a viver duma forma desregrada, sempre dependente da transacção das suas estrelas para o estrangeiro, por forma a colmatar os prejuízos acumulados de cada época desportiva. Como consequência disso, os mais "pequenos" também são apanhados na enxurrada, não beneficiando de negócios justos com os "grandes", pois estes é que fazem o preço dos jogadores que querem negociar, deixando os clubes mais pequenos com menor margem de manobra, o que acaba por ter consequências na sua sobrevivência, isto para não falar nas diminutas quantias que Olivedesportos paga a cada um pelas transmissões televisivas... Num cenário improvável mas possível, poderia o SC Farense, em fase de suposta convalescença, com a transacção do estádio S. Luís, encontrar na mesma divisão o Boavista, já na próxima época, tendo em conta a trajectória das duas equipas na presente temporada. O futebol dá muitas voltas, e enquanto a derrocada ameaça alguns dos Clubes mais importantes da nossa praça, só espero que seja o Farense a protagonizar o percurso inverso, como que numa lição para alguns, que não tomaram as ilações do que provocou a nossa queda no abismo...