domingo, 22 de março de 2009

Farense conquista o castelo de Silves e está cada vez mais perto de poder vencer a "guerra"

Fase inicial da partida com diculdades do Farense em impor o seu jogo
Numa deslocação que era aguardada com enorme expectativa pelos tiffosi da actual capital algarvia, fruto dos últimos resultados e exibições da equipa, os Leões de Faro garantiram os três pontos já no ultimo terço da partida, e assim alcançaram ao quinto lugar na tabela, mas mais importante que isso, aproveitaram a derrota caseira do Cova da Piedade para encurtar distâncias para os lugares de subida, e assim, matematicamente dependem de si próprios para poder subir à Segunda Divisão B no final da época.

Embora o adversário fosse o último posicionada da pauta classificativa, o Farense não encontrou veleidades em Silves e na primeira parte denotou dificuldades em impor o seu jogo, mostrando-se com dificuldades na circulaGolo anulado ao Farense. Pelo trilho de imagens que díspomos, há muitas dúvidas sobre a decisão do trio de arbitragemção de bola e retraído no seu meio terreno, estranhado-se a ausência de Pintassilgo na equipa, porventura ressentido de algum problema físico. Por isso, os primeiros dez minutos de jogo foram da equipa barlaventina, que procurava jogar um futebol organizado, com maior posse de bola embora sem incomodar verdadeiramente Gonçalo. Foi quando o Farense se soltou mais, a partir do quarto de hora, que o Silves começou a chegar com maior perigo à baliza Farense, fruto de algumas jogadas com Nuno Vieira em destaque, numa delas com um corte providencial dum defesa farense a remate do mesmo. Embora já tivesse equilibrado um pouco a partida, o Farense continuava a não mostrar organização no seu futebol, privilegiando o futebol directo em busca dos homens da frente, mas sem alvejar a baliza de César que só por uma vez sentiu as suas redes em perigo após uma jogada de Justo pela direita, à qual Norberto não deu de cabeça, a sequência desejada. Chegaríamos ao intervalo com um nulo, que embora justo, penalizava um pouco o Silves pelo que havia feito na primeira parte, deixando assim tudo em aberto para um segundo tempo onde se esperava mais dos comandados de António Barão.

António Barão tinha que fazer qualquer coisa para abanar o jogo, e logo promoveu a entrada de Della Pasqua, para tentar dar mais presença e soluções ao seu ataque. Seriam ainda do Silves as primeiras oportunidades da segunda parte, tendo a equipa de Calú mostrado ganas e vontade de inverter um destino que já parece traçado à semanas - o da descida aos Distritais - mas com o passar do tempo o Farense foi se apoderando do jogo, assumindo definitivNorberto festeja efusicamente com os South Side o golo que abriu o caminho da vitóriaamente o desejo de sair da antiga capital do Algarve com a vitória. Aos 58 minutos, Norberto, com um remate cruzado à trave dava o mote para a conquista nesta cidade histórica. O Farense havia subido as suas linhas e alargado a disposição dos jogadores no terreno, proporcionando mais espaço para jogar e enfrentando um Silves que nos pareceu cair fisicamente após a hora de jogo. Seria com naturalidade que a bola violaria a baliza defendida por César aos 67 minutos mas o arbitro assistente do lado da bancada invalidaria o golo dos farenses, num lance que nos deixou algumas dúvidas mas que felizmente não foi mais que o aviso duma festa anunciada e precipitada por Norberto a dezanove minutos do tempo regulamentar. O pressing do Farense e entrada de unidades atacantes na equipa havia dado resultados e António Barão bem como muitos apaniguados farenses presentes esfregavam as mãos e suspiravam de alívio, sabendo ainda que o Cova da Piedade estava a ser derrotado em casa pelo Atlético de Reguengos. Com a vitória na mão, o Farense não baixou os braços e aumentaria a vantagem num contra ataque concluído por Pintassilgo, tendo ainda o Silves tentado reagir, mas pecando na finalização, situação que o condicionou e acredito têm condicionado nesta sua campanha na Terceira Divisão. Arbitragem positiva mas pendente dum lance de golo anulado que poderia ter influenciado o resultado.

Camp. Nac. 3ª Divisão, Série F, 26ª Jornada
Estádio Dr. Francisco Vieira (Silves)
Assistência: 650 espectadores
15 horas, 22/03/2009
Árbitro: Tiago Cerqueira (AF Lisboa)
SILVES 0-2 FARENSE

(71 mn, por Norberto, numa jogada de alguma ingenuidade defensiva da equipa local, Norberto aparece solto após tabelar com Della Pasqua e junto da marca de grande penalidade faz o golo inaugural da partida)
(83 mn, por Pintassilgo, na sequência dum contra ataque pela direita, Pintassilgo isola-se a faz um golo de belo efeito à saída do guardião César)

Farense: Gonçalo; Cannigia (Zé Nacimento, 82mn), Hernâni, Arlindo, Wilson; Luís Afonso, Barão, Norberto, André Calado (Della Pásqua, 46mn), Justo, (Pintassilgo, 66mn), Bruno. Treinador: António Barão

Sem comentários: