segunda-feira, 31 de março de 2008

Começa já amanhã!

Não é todos os dias que Faro e o Algarve, recebem provas desta natureza, nomeadamente Campeonatos do Mundo... Pena é que este evento esteja a ser mais publicitado nos media do que pelas entidades locais e desportivas da região...

O Fim de Semana Desportivo em Análise

Em mais um fim-de-semana de desporto, destaque mais uma vez para as equipas do Sporting Clube Farense, que estiveram em acção: Assim a equipa de Infantis B, foi derrotada em casa pelo líder Portimonense por 2-4 no Municipal da Penha, conservando o segundo lugar que já não lhe irá fugir enquanto a equipa de Escolas B teve uma deslocação até Almancil, para defrontar o Internacional obtendo uma volumosa vitória por 0-6, mantendo assim o 3.º lugar. O Iniciados deslocaram-se até à antiga capital do Algarve, Silves e não foram além dum nulo, o que penaliza a equipa de Faro, pois os 3 da frente empataram as sua partidas, situação que não foi aproveitada pelo Farense, que assim se mantêm na 4.ª posição com 27 pontos.
Quanto aos Juniores, que iniciaram hoje a sua participação na Poule, empataram 1-1 nos Açores frente ao Sport Barreiro, resultado que se pode considerar satisfatório, numa poule onde se pauram os dois primeiros dum grupo de 4, para participar na próxima época no Nacional de Juniores.
Por fim a equipa Sénior, teve uma difícil deslocação até à fronteira com Espanha, para defrontar o Castromarinense e saiu de lá com uma vantagem mais curta para os seus adversários Lusitano e Castromarinense, que beneficiaram da escorregadela do líder Farense por 1-0. O campeonato promete aquecer mas não esqueçamos que falta disputar um escaldante Lusitano-Castromarinense, pelo que neste momento acredito que o Farense têm que ter tranquilidade e vencer os seus jogos, sem pensamento em mais nada até porque nos parece que o calendário até é favorável, pois têm 4 jogos em casa e três fora, sendo que dois deles são no perímetro do concelho de Faro...

Na Segunda Divisão B, tivemos as jornadas inaugurais das fases de subida e manutenção. Por incrível que pareça as 3 representantes algarvias foram colocadas nos 3 diferentes grupos, pelo que não haverá mais nenhum derby algarvio nesta Divisão. Assim, o Lagoa, que segundo Joaquim Mendes, ambiciona aos 4 primeiros lugares da tabela, iniciou o campeonato da pior forma sendo derrotado por 1-0 em Mafra afastando para já desse objectivo. Já na fase de manutenção o Louletano foi aos Açores defrontar o Lusitânia e saiu vencedor por 0-2, cimentando desde já a posição de líder desse mini-campeonato. Enquanto isso, o Messinense foi a Pinhal Novo visitar a equipa de Paco Fortes, sendo derrotada por 1-0 e deixando fugir este adversário directo que agora já dista 5 pontos dos homens do Barlavento.

Na Liga Vitalis jornada pouco positiva, se olharmos aos discursos dos responsáveis das duas equipas do Algarve, no lançamento dos jogos. Contudo os empates acabam por cimentar as posições na tabela, tendo em conta o grau de dificuldade dos jogos. Mais negativo pode-se considerar o empate caseiro do Portimonense, perante 5 mil adeptos que viram o Portimonense empatar a zero e perder a oportunidade de dar uma sapatada na tabela, fugindo definitivamente da luta da descida contra um adversário directo. Já o Olhanense voltou a fazer tremer o líder da tabela, desta feita o Rio Ave, mas quando este estava em vias de ficar KO, permitiu a igualdade e saiu de Vila do Conde com um empate que sabe bem, mas que podia saber melhor. Mas quem tem perdido pontos assim, não pode ambicionar a outros voos...

domingo, 30 de março de 2008

sábado, 29 de março de 2008

Anti-Jogo protege pseudo-candidato e derrota Farense desinspirado

Nem mesmo no dia de aniversário de Rui Loja, que hoje completa 36 anos, o Farense conseguiu levar a melhor sobre o Castromarinense, que bateu nesta tarde a equipa da capital algarvia por 1-0. Num jogo que não se adivinhava fácil, muito por culpa da qualidade da equipa de Castro Marim, bem como a morfologia do seu campo de jogos, o Farense viu-se incapaz de materializar em golo as pouquíssimas ocasiões flagrantes de golo que criou, situação que a penalizou severamente e premiou a matreira equipa de Castro Marim, que foi mais objectiva e acabou por guardar o resultado duma forma pouco digna, fruto de muitas paragens de jogo forçadas, muito ao jeito do jogo da primeira volta, e que não abona nada a seu favor na imagem de candidato que quer passar para o exterior.

Assistimos a uma primeira parte equilibrada, onde o Farense, apesar de não criar lances perigo eminentes, entrou bem na partida, sem complexo algum perante um adversário que tinha a obrigação de vencer a partida.
Contudo o Castromarinense equilibrou o jogo e teve mesmo o primeiro remate perigoso da partida na sequência de um livre da direita, onde Rui Piloto, uma das torres da defesa castromarinense, enviou a bola por cima do travessão da baliza de Costa. Na verdade, a equipa de Castro Marim dispunha de dois centrais muito fortes no jogo aéreo e que aniquilaram Bruno, que nunca conseguiu fugir das marcações cerradas a que foi sujeito, prova disso uma boa jogada do Farense pela direita onde Barão aparece solto e cruzou para a pequena área na direcção de Bruno, que se viu logo antecipado por Micael.
Jogava-se a boa velocidade no pelado de Castro Marim, mas isso não era sinónimo de bom futebol, que saltava muito e ganhava velocidade quando batia no chão, prejudicando imenso os jogadores mais tecnicistas e também os cobradores de bolas paradas que algumas vezes escorregavam e batiam mal esses lances.
Ainda na primeira parte destaque para um pontapé rasteiro pela direita de Amílcar, que obrigou Nélio a uma apertada defesa junto ao seu poste esquerdo, mantendo assim o empate até ao intervalo, o que era justo.

Na segunda parte o jogo continuou na mesma toada de equilíbrio, adivinhando-se que marcasse primeiro, teria decerto uma grande probabilidade de sair vencedor pois o terreno facilitava as tarefas defensivas das equipas. Aos 56 minutos Jorge Portela, vendo muito bem que Bruno estava a sentir dificuldades em impor o seu jogo e pensando também nos jogos que se seguem, trocava este por Edinho, para tentar refrescar a frente de ataque e chegar ao almejado golo. Contudo as contas de Jorge Portela saíram goradas, fazendo-nos lembrar logo o jogo de Armação de Pêra, onde Carlos Costa tirava também Brasa antes de sofrer o golo decisivo da partida… Na verdade, o Farense seria mais uma vez infeliz a jogar num pelado e acabaria por sofrer o golo solitário da partida após uma jogada infantil de dois defesas farenses.
A ganhar por 1-0, o Castromarinense, mudou completamente a sua atitude no jogo, e nos 36 minutos que se jogarem a partir desse golo, mostrou mais uma vez a fraca qualidade moral e anti-desportiva dos seus elementos, enervando o público e a equipa do Farense, que viu constantemente o jogo ser interrompido com lesões simuladas e reposições de bolas em jogo muito lentas, prejudicando acima de tudo o espectáculo que cada um pagou para ver... Jorge Portela tentou mudar o cariz de jogo e colocou a “carne no assador” lançando em campo Rui Loja e Calquinhas, na esperança de chegar ao desejado golo do empate, situação que até aconteceu num remate de Rui Loja, jogada em que a bola entra na baliza, mas pelo lado de fora das redes… Até ao fim da partida, o Farense chegou mesmo a encostar às cordas a equipa de Castro Marim, que numa primeira fase tentou jogar no fora de jogo, com a defesa adiantada, mas acabou mesmo com 10/11 homens a defender na sua área na sequencia dos lances de bola parada conquistados pela equipa de Faro, mas que se revelaram na maior parte das vezes, inofensivos para a baliza de Nélio.

Resultado que acaba por premiar o Castromarinense, deixando os a 5 pontos do Farense, que agora já sente o Lusitano a apenas 4 pontos, após a vitória caseira por 6-0 frente ao Padernense, abrindo novas perspectivas para um final de campeonato emocionante.
Arbitragem de Sérgio Piscarreta sem influência no resultado mas com o protagonismo desnecessário a que nos têm habituado, sujeitando-se aos apupos do público.

Ficha de Jogo:
Campo de Jogos Municipal de Castro Marim (Castro Marim)
15 horas, 29/03/2008
Assistência: 500 espectadores
CASTROMARINENSE 1-0 FARENSE


(60mn, por Cláudio, bola lançada para junto da área farense, onde dois defesas são batidos infantilmente por um atacante do Castromarinese, que descaído pela direita envia a bola em direcção da baliza, onde aparece Cláudio, dentro da pequena área a confirmar o único golo da partida)

Farense: Costa; Amílcar (Rui Loja 76mn), Né, Wilson, Caras; Arlindo, Márcio, Barão, Andrezinho (Calquinhas 63mn), Brasa; Bruno (Edinho 56mn). Treinador: Jorge Portela (Pedro Benje)

sexta-feira, 28 de março de 2008

Antevisão Jornada 23 >> Castromarinense - Farense

Têm lugar amanhã em Castro Marim, um importante jogo para a equipa de Farense, que visita o 3.º classificado da prova, equipa que por algum tempo chegou mesmo a encabeçar a tabela classificativa. Trata-se pois, de uma prova de fogo para os comandados de Jorge Portela, que enfrentarão as adversidades de um pelado ainda que razoável, mas sempre inibidor do controlo de bola, prejudicando assim os desiquilibradores, como é o caso de Brasa. A equipa de Castro Marim, treinada por Eduardo Rodrigues, dispõem de um plantel muito interessante, recheado de bons valores, experientes mesmo dos Nacionais, e acreditamos nós tentaram fazer deste jogo, o jogo da época, pois apostam tudo para reavivar a chama da luta pela subida, pelo que nada mais interessa que a vitória, tendo em Barriga e Cláudio, os jogadores mais incomodativos para a defesa dos Leões de Faro. Analisando o comportamento desta equipa de castro Marim, registamos apenas 3 derrotas nesta época e um total de 44 golos marcados no campeonato, tendo mesmo um goal-average mais positivo em 5 golos do que o próprio Lusitano, o que a deixa a 8 pontos do Farense na tabela. Sem duvida que este jogo decidirá muito do campeonato e cabe ao Farense fazer neste jogo o seu papel, não forçando muito de início e espreitando mais uma vez a possíveis brechas da equipa de Castro Marim, que decerto fará tudo para chegar primeiro ao golo que o seu antagonista.

Cortesia da foto: South Side Boys

Farense comemora 98 anos de vida a 1 de Abril...

Terá lugar no Club Farense, situado na Rua de Santo António, a cerimónia de comemoração dos 98 anos do Sporting Clube Farense, maior colectividade desportiva do Concelho de Faro, e quiçá do Algarve.
Assim, a partir das 21h30, iniciar-se-ão as festividades com a apresentação de um livro da autoria de José Romão Ferreira, cujas receitas reverterão para os Leões de Faro.
Ainda na cerimónia terão lugar várias actuações de artistas algarvios que se associam ao evento, intercalando então várias leituras da obra que vai ser apresentada.
Por fim será também lançado um CD do Hino do Sporting Clube Farense, que estará aos dispor dos sócios e adeptos farenses para aquisição.

Mais uma vez ressalvamos a nota do jornal "A Bola" do dia hoje, fazendo menção a tão digno acontecimento das gentes da capital Algarvia e da Região.

quinta-feira, 27 de março de 2008

Farense visita Alvor já na próxima Quarta Feira para a Taça do Algarve

No sorteio da Taça do Algarve realizado esta noite, coube ao Farense uma deslocação ao Barlavento, para reencontrar a equipa do Alvorense no campo da Restinga, reeditando assim o jogo da primeira volta, no qual os Leões de Faro saíram vencedores por 2-3, ainda sob o comando de Carlos Costa. Jogo que se prevê muito equilibrado e desgastante até porque se encontra no meio dum período de muitos jogos seguidos para a equipa de Faro, que só terminará a 12 de Abril quando se deslocar a Olhão para jogar com o Culatrense. Assim o Farense enfrenta no espaço de 17 dias, "apenas" 6 jogos, decidindo neste período de tempo muito do seu futuro desportivo na presente época.

Ainda no sorteio de hoje, ficou já alinhavado o emparelhamento para as meias finais, onde o Farense poderá mesmo receber no S. Luís (ou Estádio Algarve), a equipa do Portimonense, num jogo decerto muito ansiado por os farenses...

A esperança que nunca tivémos no Tênis...

Cada vez mais se assume como a menina prodígio do tênis mundial e tenho acompanhado com atenção a evolução desta miuda que poderá mesmo representar o nosso país em Pequim'2008, prestigiando Portugal numa modalidade em que não temos efectivamente grandes resultados desportivos...

quarta-feira, 26 de março de 2008

Passo firme para os 1/4 de Final > Farense 2-1 Ferreiras

Na noite desta quarta feira, jogou-se mais uma eliminatória da Taça do Algarve, e no regresso ao velhinho S. Luís, o Farense acabou por presentear os seus associados e adeptos com uma vitória por 2-1, frente a um adversário valoroso e melhor preparado fisicamente. Numa jornada de futebol a meio da semana, situação claramente atípica para as equipas da Terceira Divisão e Distritais, tiveram lugar 3 jogos da Taça do Algarve, juntando-se ao Farense, o Messinense, vencedor por 0-2 em Vila Real de Santo António diante do Lusitano, bem como o Louletano que foi a Quarteira bater os rivais do seu concelho por 0-1.

A partida iniciava-se então no S. Luís, palco de grandes jogos de outrora, com um Ferreiras que entrava no campo, com uma postura bem organizada dando pouco espaço ao Farense para jogar, fruto também da pressão alta exibida pelos homens do Barlavento. Notava-se aí a diferença competitiva dos dois escalões, pois o Ferreiras como seria natural, e mesmo rodando alguns jogadores, têm um ritmo mais forte de jogo, ao qual caberia ao Farense contrariar, aproveitando o factor casa, e esperando também por alguns deslize e desgaste natural do Ferreiras. Percebeu-se que nos primeiros minutos o Farense sentia dificuldades e receava o adversário que jogava com alguns homens adiantados no terreno, inibindo a equipa de Jorge Portela de subir no terreno e sair em ataque organizado, sempre com os jogadores a estarem mais afastados uns dos outros quando partiam para o ataque. Aos poucos o Farense foi crescendo no jogo, e percebendo melhor a estratégia do adversário, que diga-se de passagem, haveria também de quebrar um pouco a pressão efectuado, dando mais espaços para o Farense construir jogo. Ultrapassada a barreira dos 20 minutos de jogo, o Farense iniciava então um período de algum ascendente na partida, onde jogava a toda a largura do terreno, flanqueando o jogo, especialmente pela esquerda onde Caras esteve muito bem, e onde o seu meio campo, agia com razoável rapidez graças à dinâmica do triangulo Márcio, Andrezinho e Calquinhas. As jogadas de perigo anunciavam já o golo inaugural do Farense, que aconteceria bem perto da meia hora de jogo por Paulinho, dando alguma justiça ao intervalo, e premiando a coragem e desinibição que os homens de Faro tiveram ao longo duma primeira parte bem aceitável para os que se deslocaram ao estádio.

Na segunda parte, esperava-se uma reacção do Ferreiras, e este embora sentido, não foi sinal de lances perigosos para a defesa de Faro, que foi tapando da melhor maneira os caminhos para a sua baliza, nunca esquecendo a baliza adversária e aproveitando para rodar alguns jogadores, por forma a não sobrecarregar a equipa para o jogo de Castro Marim. Na verdade sentia-se que o Farense, mesmo a jogar com uma equipa dum escalão superior, transmitia confiança aos seus adeptos e nem mesmos os problemas físicos bem patentes em muitos dos elementos, faziam temer os adeptos, pois o Ferreiras pouco futebol mostrava. Com Bruno bastante desgastado na frente, mas sempre útil em acções defensivas, Jorge Portela optava então a meio da segunda parte, por colocar em campo a estrela da companhia, Brasa, em substituição do apagado Rui Loja, na esperança do mesmo decidir a partida num dos seus habituais raídes pelas defesas contrárias. Com esta substituição, bem pensada por Portela, o Farense só tinha a ganhar, pois haveria de ser o Brasa a fazer o segundo e a deixar os Leões de Faro com pé e meio nos Quartos. Com este segundo golo, acreditavam os adeptos que o resultado estaria feito, mas seria o Ferreiras, ainda esperançado em algo mais, e aproveitando as cada vez mais evidentes carências físicas do Farense, de colocar em campo mais soluções ofensivas, mas também a dinâmica que apenas tinha mostrado nos primeiros minutos da partida, terminado o jogo com uma frente de ataque alargada, que causaria calafrios a Virgolino, obrigado a mostrar as suas credenciais e a guardar a vitória em Faro. O Ferreiras chegaria mesmo ao golo, já perto do fim, e viria ainda depois de reduzir a desvantagem, um elemento seu ser expulso após um desacato junto ao banco do Farense, onde Jorge Portela receberia também “guia de marcha”. Logo de seguida terminava a partida, ao som do apito de Nuno Ferreira, que em conjunto com a sua equipa rubricou uma arbitragem aceitável.

Ficha de Jogo: Estádio de S. Luís (Faro),
20 horas, 26/03/2008

Assistência: 500 espectadores
Farense 2-1 Ferreiras

Filme do Jogo:

20 mn > Andrezinho aparece solto pela esquerda e de ângulo difícil, remata rasteiro para a defesa de João Pereira
25 mn > Jogada muito rápida de contra ataque, Andrezinho inicia a jogada e depois na direita ao receber a bola, de primeira coloca-a n o lado oposto desmarcando Rui Loja que remata por cima
29 mn > Paulinho recebe a bola junto à quina da área pela direita e remata a bola em arco sobre o guardião, entrando a mesma no canto superior direito da baliza sul do S. Luís
42 mn > numero 13 do Ferreiras aparece solto e em plena área só com Virgolino pela frente, envia a bola sobre o travessão, num lance claríssimo de golo
45 mn > Calquinhas aparece pela direita, e já perto da linha de fundo, tira um excelente centro, ao qual Bruno falha por um triz na pequena área, sendo socada depois pelo guardião adversário
74 mn > Perdida de Sousa que ganha posição junto á pequena área pela esquerda e sem ângulo podia ter colocado a bola na baliza, perante a impossibilidade de João Pereira defender
82 mn > Bola jogada para a corrida de Brasa, que ganha em velocidade ao defesa contrário e na saída do guarda redes, flecte para esquerda e o deixa fora do lance empurrando tranquilamente para o segundo
86 mn > Grande remate de longe dum jogador das Ferreiras, ao qual Virgolino responde com uma defesa soberba junto ao travessão
89 mn > Livre a uns bons 35 metros da baliza, com uma defesa de recurso de Virgolino, ressalto junto à baliza, ao qual Virgolino responde bem , sobrando contudo a bola para um jogador das Ferreiras, que a três metros da baliza, atira incrivelmente por cima
90 mn > Troca de bola rápida do Ferreiras no ultimo terço do terreno e após abertura para a esquerda, Bonifácio remata cruzado, a bola sofre um pequeno desvio e anicha-se no poste mais distante da baliza de Virgolino

Farense: Virgolino; Amilcar (Wilson 45mn), Né, Sousa, Caras; Márcio, Andrezinho, Calquinhas (Arlindo 59mn); Paulinho, Rui Loja (Brasa 68 mn), Bruno. Treinador: Jorge Portela

terça-feira, 25 de março de 2008

Taça do Algarve, 1/8 Final - Antevisão Farense - Ferreiras

Joga-se amanhã no velhinho São Luís, mais uma eliminatória da Taça do Algarve, competição que entra agora na fase decisiva, pois algumas das equipas dos Nacionais entram em acção, trazendo maior projecção e emoção à prova. Por ironia do destino volta a ser a equipa das Ferreiras a estrear o São Luís, para jogos de Seniores, na presente época, situação que já tinha ocorrido na passada época, quando a sua equipa B visitou o Farense, sendo batida por 2-0.
Desta feita, o encontro não se prevê nada fácil, porque o Ferreiras, actualmente a militar na Terceira Divisão Nacional vêm a Faro na busca da próxima eliminatória, perante um Farense que têm legitimas aspirações na prova, mas que competitindo num escalão inferior denotará naturais dificuldades em impor o seu jogo. A equipa do Ferreiras têm mantido nos últimos anos uma estrutura homogénea, à imagem do seu treinador João Clara, que se mantêm no cargo à várias épocas. No seu plantel têm algumas caras bem conhecidas dos farenses, como é o caso de João Pereira, que jogou pelo Farense na Primeira Liga, no fatídico ano da descida de divisão, num jogo contra o FC Porto, bem como de Nélson Cruz, guarda redes formado nas escolas dos Leões de Faro, e que jogou pelos Seniores, nas ultimas épocas em que o Farense tinha impedimentos legais devido às dívidas, alinhando então com a equipa de Juniores, isto para não falar de Marco Benje... Terminada a primeira fase do campeonato, o Ferreiras não conseguiu para já garantir a permanência, mas lutou pela mesma até à última jornada, onde foi derrotado por 2-4 em casa pelo Lusitano de Évora, findando esta fase com 35 pontos, e um score positivo de goal average de 5 golos. Pensamos que o Ferreiras aproveitará este jogo para rodar alguns jogadores, mas do lado Farense, a situação também não será muito diferente, até porque 65 horas após finalizar este jogo, deslocar-se-á a Castro Marim para um jogo determinante e bem complicado na luta pela subida de Divisão, objectivo principal da época.

Farense - Ferreiras
Estádio de S.Luis (Faro)
20 horas 26/03/2008
Arbitro: Nuno Ferreira

segunda-feira, 24 de março de 2008

E se nós aproveitássemos esta moçoila para arbitrar no Distritalão?


Depois de tanto alarido e indignação, tratava-se mesmo duma Exploração..

Na última semana foi amplamente noticiada, uma situação que ocorreu na estrada para a Praia de Faro, pois estavam a ser cortados eucaliptos, numa área que segundo rezam as crónicas, seria já bastante considerável. Os comentários de repúdio sucederam-se a uma velocidade vertiginosa, a CMF veio a logo a terreiro declinar responsabilidades, e na verdade, ao lermos esta notícia, quer queiramos, quer não, o proprietário está no pleno direito de fazer esta operação. Assim termina mais uma novela farense, se bem que na minha opinião esta área deveria já estar englobada num Parque Ambiental, como é defendido pela CMF, por forma a evitar este tipo de situações, onde é sempre triste ver árvores abatidas, ainda para mais numa área tão querida de todos os farenses.

domingo, 23 de março de 2008

O Fim de Semana Desportivo em Análise

Devido à Páscoa os campeonatos que acompanhamos nesta rubrica, estiveram parados, à excepção da Terceira Divisão Nacional que teve no Sábado, a última jornada da 1.ª Fase, com um desfecho surpreendente...

A grande surpresa aconteceu em Almancil, onde se defrontavam duas equipas do concelho de Loulé, separadas por 7 kilómetros geograficamente, e por 3 pontos na tabela. O Almancilence que vinha duma importante vitória fora na Amora, defrontava o Campinense, equipa que liderou durante muitas jornadas o campeonato, mas devido às situações conhecidas, claudicou a partir de Janeiro, estando mesmo a fazer uma péssima segunda volta, que a afastava dos lugares de tranquilidade. Contudo os homens da Campina haviam guardado forças para estas ultimas 3 jornadas, onde tinham averbado 7 pontos, que os deixavam ainda na luta pela tranquilidade. E na verdade, o inesperado aconteceu, pois a equipa de Almancil que sempre se manteve nos lugares de subida, foi mesmo desalojado desse posto na jornada final, ao ser derrotado no seu campo por 0-1.

Muito positiva também a jornada para o Quarteirense, que no seu regresso aos escalões nacionais, e com um plantel porventura idêntico em valia ao do ano da subida, ainda assim ousou garantir já a permanência, confirmada nesta jornada, após bater em Quarteira o Fabril por 3-2.
Outro derby algarvio se jogou em Silves, com a equipa local a bater o Beira Mar de Monte Gordo por 2-0, amealhando assim a equipa do Barlavento mais 3 pontos para a segunda fase, onde, após a recuperação que está a efectuar têm legitimas aspirações à permanência. Quanto ao Beira Mar, notamos que nos últimos jogos tem vindo a facilitar um pouco, mas acreditamos, que agora na nova fase, voltará com outra disposição, e mais ambição, intrometendo-se na luta pela promoção à Segunda B.

Destaque negativo da jornada para as equipas de Albufeira, que se obtiveram duas derrotas, sendo que no caso do Ferreiras é mais grave. Se o Imortal se assume cada vez mais como “o elo mais fraco do campeonato”, e a derrota por 4-1 na Cova da Piedade, pode-se considerar de normal, já o resultado caseiro do Ferreiras é muito negativo. A equipa das Ferreiras foi batida em casa por 2-4 pelo Lusitano de Évora e perdeu logo aí a possibilidade de lutar pela permanência.

Agora seguir-se-á a segunda fase, onde os seis primeiros jogarão entre si a duas voltas, subindo à Segunda B os dois primeiros, enquanto as 4 restantes equipas algarvias, lutarão pela permanência, sendo incorporadas em 2 grupos de 4 equipas cada, sendo os dois últimos de cada grupo descerão automaticamente aos Distritais, e os três piores segundos classificados dessas 24 sub-séries a nível nacional, serão também remetidos para os Distritais.

sábado, 22 de março de 2008

A Festa da final da Taça da Liga'2008














O prometido será cobrado...

LIGA E FEDERAÇÃO PROMETEM MAIS JOGOS GRANDES NO ESTÁDIO ALGARVE
na tomada de posse dos novos corpos sociais da AFA, agora liderada por Alves Caetano

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol (LPF), Hermínio loureiro, e o vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Amândio Carvalho, estiveram presentes na tomada de posse dos novos corpos sociais da Associação de Futebol do Algarve (AFA), hoje às 16h00, na Sede da AFA, cuja direcção será liderada por Alves Caetano no próximo triénio, e prometeram “mais jogos grandes para o Estádio Algarve”, como o que se realiza amanhã, no final da Taça da Liga entre Vitória de Setúbal e Sporting.
O vice da FPF foi mais longe admitindo o “regresso da Selecção Nacional” ao principal campo de futebol da região mais turística do País. Já o líder da LPF sublinhou as suas palavras com um apelo à “união entre todos os agentes do futebol”, numa altura que “é moda falar-se mal do desporto-rei”, destacando, por esse motivo, a presença de autarcas como José Apolinário (Faro) e José Inácio (Lagoa).Sem deixar cair em saco roto as palavras dos responsáveis pelo futebol nacional, o edil farense fez questão de “aceitar os desafios lançados pelos responsáveis da FPF e LPF”, no sentido do “Estádio Algarve vir a ser palco de mais jogos entre clubes grandes ou selecções nacionais”, aproveitando o autarca para deixar um reparo que apelidou de “politicamente incorrecto” – “Não compreendo o porquê da preferência da Selecção por jogos em estádios dentro das cidades, quando nós temos, como se prova mais uma vez amanhã com o Estádio Algarve cheio, todas as capacidades de transporte para os espectadores”.Outro dos responsáveis da região presente na cerimónia, o presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA), António Pina, também não deixou os seus créditos por mãos alheias ao “disponibilizar os meios possíveis por parte da RTA para que o estádio Algarve seja palco de jogos entre clubes e selecções nacionais, mas também com equipas de nomeada do norte da Europa”, que nesta altura interrompem os respectivos campeonatos por causa dos Invernos rigorosos dos seus países, sendo, em contrapartida, o Algarve, uma região aprazível.A concluir, aproveitando a embalagem do discurso de “união entre todos os agentes do futebol algarvio”, feito pelo presidente da Assembleia Geral, Reinaldo Teixeira, o novo presidente da AFA, Alves Caetano, advogado de 34 anos, colocou o assento tónico para o próximo triénio na “aposta na captação de mais público, sobretudo os jovens, para os estádios, e na formação em toda a linha – escalões jovens, dirigentes e árbitros- como alavanca para um futebol algarvio cada vez mais forte”, sublinhando a presença três árbitros internacionais - Lucílio Baptista Paulo Costa e Bruno Paixão - na cerimónia de tomada de posse, onde também não faltaram muitos representantes de clubes da região e do Pais, que encheram por completo o salão nobre, com destaque para o presidente do Boavista, Álvaro Braga Júnior, antigo responsável do departamento de futebol do Farense, então na I Divisão, por isso com muitos amigos na capital algarvia e no resto do Algarve.


Só acredito quando ver... Acho que já ouvi promessas deste género à tempo atrás... E no fim apenas se resume a 2 particulares da Selecção, uma Supertaça e uma final da Taça da Liga... Para 4 anos é pouco... Muito pouco. Jogos grandes para além destes, só os do Farense!

sexta-feira, 21 de março de 2008

O que é que Faro e Tony Carreira têm em comum?

Já se sabia que o Algarve é talvez a região mais devota por Tony Carreira, mas esta notícia é absolutamente hilariante...

Acham que o Bruno Alves fazia isto, quando estava no Farense?



Se a entrada no Estádio do Mar, está bem viva na nossa memória, a que colocamos abaixo, num jogo com o Estrela da Amadora é assustadora... Punição, há?

quinta-feira, 20 de março de 2008

Estádio Algarve esgotado mas o Algarve quase ignorado...

Há tempos escrevi um “post”, congratulando-me com a opção da LPFP, de escolher o Algarve para receber a final da Taça da Liga, nova competição estreada na presente época, para preencher algum vazio de competições no nosso calendário futebolístico. Aplaudo de pé a criação desta competição, que apesar de necessitar de alguns ajustes, tem tudo para melhorar e constituir um sucesso a médio/longo prazo até porque em jogo, está o dinheiro que pode ser obtido consoante as vitórias obtidas na competição. Bem sabemos que os prémios não são exorbitantes, mas a degradação das finanças dos nossos clubes profissionais, decerto fará com que a aposta nesta competição seja mais efectiva, trazendo maior importância/projecção à competição.

Contudo há uma questão que não posso deixar passar em claro, pois se a aposta de Hermínio Loureiro para a final da Taça da Liga era também dar aos algarvios um "cheirinho" da autêntica festa do futebol, só posso considerar que é insuficiente. Isto porque, para uma região com 500.000 mil pessoas de população residente, apenas disponibilizou 3000 bilhetes para ser comercializados no Algarve, o que é de todo escasso para a procura dos adeptos algarvios. Como se sabe o Estádio Algarve alberga 30.000 mil espectadores, e ao disponibilizar apenas 10% da sua lotação para os algarvios, tratou as gentes do Algarve com alguma indiferença, privilegiando espectadores e adeptos que já de si têm a possibilidade de acompanhar estes grandes eventos duma forma mais regular. Se a LPFP cedeu ao Sporting e Vit. Setúbal cerca de 9000 bilhetes para cada um, ficam a restar 9mil bilhetes, ou seja praticamente 30% da lotação, que se dividiram em convites do patrocinador, da própria Liga de Futebol e bilhetes vendidos na sede da LPFP no Porto ao público em geral. Não querendo ser agoireiro, acredito que, ao contrário do que é noticiado de que o recinto já está esgotado, ainda vamos ver muitas centenas de cadeiras vazias, que podiam muito bem ser disponibilizadas para quem efectivamente, quer participar nesta festa do futebol nacional.

quarta-feira, 19 de março de 2008

Este homem não parava!

Bem, ao ler este artigo na edição de hoje de "A Bola", confirmei uma situação que me havia sido alertada por um adepto e que me deixou um pouco espantado. Então não é que o nosso Jorge Soares, era ao mesmo tempo jogador do Louletano e adjunto de Jorge Portela? Segundo se soube, o cargo desempenhado por Jorge Soares no Farense não era oficial, mas mesmo assim dá que pensar a dinâmica do jogador/treinador, pois durante o dia integrava o plantel do Louletano, realizando as sessões de treino(suponho), desdobrando-se depois pela Escola de Futebol do Benfica e pelos treinos da equipa principal do Farense. Realmente este homem não parava!!

terça-feira, 18 de março de 2008

Faro Capital do Mundo Automóvel a 8 de Maio...

Isto é só um aperitivo do que será aquele fim de tarde do dia 8 de Maio, onde muitas das estrelas mundiais dos Rallys, invadirão o Largo de S. Francisco para um espectáculo memorável.

segunda-feira, 17 de março de 2008

O Fim de Semana Desportivo em Análise

Mais um fim de demana passado e desta feita pode-se dizer que foi positivo para as equipas de futebol do Farense, bem como para as equipas algarvias nos Nacionais.

Começando pelos Leões de Faro, tiveram uma jornada positiva nos escalões mais jovens e nem a derrota da equipa de Infantis A em Almancil por 4-3, invalidou que a equipa assegurasse a promoção. Também nas Infantis B a jornada foi bastante positiva pois foi à Guia bater a equipa local por 1-6. Enquanto isso, nas Escolas as duas equipas do Farense obtiveram duas vitórias moralizadoras, tendo a Equipa A batido o B Almancilense por 4-0 na Penha, fortalecendo o 3.º lugar na prova, enquanto a Equipa A bateu o Marítimo Olhanense, mantendo-se na 4.º posição. Quanto aos Iniciados, a equipa de Faro bateu em casa o Esperança de Lagos, mantendo-se desta feita no 4.º lugar a 15 pontos do líder Lagoa. Finalmente a Equipa Sénior, teve uma tarde de Sábado descansada, beneficiando duma extraordinária exibição de Brasa e da boa pontaria de Bruno, materializando essas exibições com uma goleada estrondosa por 8-1 diante do penúltimo classificado Aljezurense. Além disso os Leões de Faro beneficiaram do empate forasteiro do Lusitano em S. Brás de Alportel a duas bolas, o que deixa os pombalinos a 7 pontos do Farense e com 8 pontos de vantagem sobre o nosso próximo adversário Castromarinense, que visitou a Penha, batendo o Salgados 0-3.

Na Terceira Divisão Nacional, jornada positiva para as equipas da Nossa Região, pois embora Imortal não fosse aquém dum empate caseiro 1-1 diante do ultimo classificado União de Montemor, que confirmou praticamente o destino da equipa, todas as outras equipas tiveram um desempenho muito satisfatório. Começamos pelo Campinense que venceu o Cova da Piedade por 3-1, equipa que fez uma péssima segunda volta, mas que nas duas ultimas semanas, obteve duas vitórias importantes e que colocam a depender de si próprio para assegurar a permanência, tendo para isso que ir a Almancil bater a equipa local por 2 golos. Destaque também para o próprio Almancilense que foi à Amora bater os locais por 1-3, naquela que constitui a única vitória forasteira da jornada, permitindo desafogar um pouco a equipa de Almancil, à qual basta um empate para assegurar a manutenção antecipadamente. O Ferreiras também deixou tudo em aberto para a última jornada pois foi buscar à casa do líder Aljustrelense, um precioso ponto em virtude do nulo obtido. No derby algarvio da jornada, o Beira Mar garantiu automaticamente a presença na luta pela fase de subida empatando 2-2 com o Quarteirense, que também deixou tudo em aberto para a última jornada. Por fim, nota para o Silves, que têm feito das tripas coração nesta fase final da prova e foi a Évora empatar 2-2 com o Lusitano local, deixando os alentejanos impossibilitados da luta pela subida e angariando um ponto que sabe a pouco, mas que não é de todo desprezável e que pode vir a ser importante ainda.

Na Segunda B, foi tarde de decisões e o Lagoa, garantiu com todo o mérito a presença na fase de subida e consequente manutenção, após empate 1-1 em São Bartolomeu de Messines. Era uma tarde ingrata para o Algarve pois apenas uma das duas equipas algarvias com hipóteses de apuramento seria contemplada e quem sorriu no fim foi o Lagoa, após um golo marcado já no termo da partida de Messines. Um amargo de boca para o Louletano, que cumpriu a sua obrigação ao bater em casa o Lusitânia por 2-0, e que ia beneficiando da derrota do Odivelas nos Olivais por 1-0. A equipa de Loulé chegou a estar virtualmente apurada, mas o empate do Lagoa já perto do fim da partida, hipotecou as aspirações duma equipa que fez uma boa segunda volta com sete vitórias em 13 partidas, podendo-se queixar de um outro resultado caseiro, o suficiente para apurar os homens de Loulé. Mas o futebol é isto mesmo e se fosse ao contrário, seria decerto alegar a referida infelicidade.

Por fim na Liga de Honra, jornada também positiva, começando logo pelo emblema de Portimão, que se deslocou a Vizela e trouxe de lá um ponto muito saboroso, resultado do empate a uma bola, e que a deixa a quatro pontos da linha de água, sendo que na próxima jornada recebe o aflito Desportivo das Aves, num jogo que promete ser clarificador para o futuro do Portimonense na competição. No outro jogo que nos interessa, o Olhanense regressou vitórias, batendo no José Arcanjo, o Varzim, antiga equipa do técnico Diamantino Miranda, por 2-1, o que a coloca a 5 pontos da zona de subida, embora na minha opinião pessoal esse objectivo seja um pouco difícil de obter tendo em conta a irregularidade de resultados obtida pela equipa de Olhão. Espero bem que me engane, mas poderão começar já a contrariar esta ideia na próxima jornada, quando visitarem o líder Rio Ave.

domingo, 16 de março de 2008

Só faltam os adeptos...

Na tarde de hoje tive a oportunidade de me deslocar ao Estádio Algarve, para assistir ao decisivo jogo entre Louletano e Lusitânia dos Açores, no qual estava em jogo a presença do Louletano na fase de subida, garantindo desde já a permanência na Segunda B. Ao entrar no estádio já com o jogo a decorrer, fiquei absolutamente decepcionado com a assistência da partida. Bem sabemos que Loulé não é propriamente uma cidade virada para o futebol, dando maior atenção ao Ciclismo ou mesmo ao Râguebi, mas nunca esperei ver o Estádio Algarve com pouco mais de 200 pessoas, num jogo decisivo para a ambição do Louletano no campeonato.

Há que dar valor ao trabalho sério que Tony do Adro e também das direcções anteriores feito em prol do clube de Loulé, gozando o Louletano de muitas modalidades em actividade e dispondo de vários bens patrimoniais, para além de ter o passivo a zero, também derivado ao forte apoio da Câmara de Loulé e da Indústria local, mas na verdade, de que serve tudo isto se o Clube não consegue granjear novos adeptos? Na verdade, das 200 pessoas que estavam presentes, muito poucos eram jovens, pelo que cabe às gentes de Loulé assumirem definitivamente um espírito dinâmico para inverter a situação, pois é uma pena ver Loulé, que cada vez mais se assume como um pólo de fixação de novas populações, de costas voltadas para o desporto-rei, hipotecando logo aí as legítimas ambições dos seus dirigentes, que tendo a situação consolidada, poderia almejar a voos mais altos.

sábado, 15 de março de 2008

Nacional à vista no jogo da vida de Brasa !!!

Numa tarde solarenga de Março, que anunciava a chegada da Primavera, o Farense brindou os seus adeptos com mais uma moralizadora vitória que o deixa cada vez mais próximo de assegurar o seu objectivo desportivo da época, ou seja a promoção ao Nacional. Isto porque ao bater sem apelo o Aljezurense por 8-1, naquela que constitui a maior goleada da prova, viu o seu perseguidor mais directo, o Lusitano de VRSA, perder mais uma vez pontos na luta pelo primeiro lugar, após o empate a duas bolas em S.Brás de Alportel.

O Farense acabaria contudo, por entrar no jogo um pouco adormecido, pois o Aljezurense teve um ligeiro ascendente nos primeiros minutos da partida, nada antevendo tão desnivelado desfecho. Aos poucos o Farense foi assumindo o comando da partida, e seria com naturalidade que chegaria ao golo inaugural à passagem da meia hora da partida. Brasa que havia feito o primeiro da partida, esteve numa tarde imparável, obtendo um “hat-trick” em golos e um “poker” em assistências, sendo de facto uma mais valia para a equipa da capital algarvia. Sem querer comparar jogadores, basta olhar para a exibição do nosso outro extremo, que durante a partida trocou várias vezes de posição com Brasa, para se ter uma noção da exibição de Brasa. Enquanto Rui Loja andou adormecido em campo durante grande parte da partida, Brasa foi durante toda a partida sinal de inconformismo e garra, culminado essa atitude com uma exibição extraordinária. Bruno por seu turno esteve em muito bom nível, muito mais confiante, e onde me lembre apenas atirou ao lado por uma vez, marcando nas outras 4 ocasiões de que dispôs. A equipa de Faro chegaria ao intervalo a vencer por 3-0, e este resultado não escandalizava nenhum dos espectadores do Estádio Algarve, pois o Farense estava mesmo a rubricar uma boa exibição, diante dum antagonista que não conseguia segurar a bola a meio campo, sendo completamente manietado pela dinâmica de Calquinhas e Barão.

A segunda parte iniciava-se com mais um golo do Farense, confirmando que a goleada seria mesmo uma realidade, até porque o Farense neste jogo esteve realmente muito eficaz na concretização, marcando em mais de metade das oportunidades criadas. Com o resultado feito, Jorge Portela optou por rodar alguns jogadores menos utilizados, cabendo uma nota muito positiva para Andrezinho, que nos faz lembrar (à sua dimensão) o luso-brasileiro Deco, incansável no trabalho a meio campo, mas sempre muito inteligente na colocação de bola, o que aconteceu neste jogo nos 30 minutos que esteve em campo. Numa segunda parte sem história, destaque para uma perdida incrível de Rui Loja, a um metro da baliza, após cruzamento da direita e para os últimos 10 minutos da partida onde o Aljezurense procurou chegar ao golo de honra, o que viria mesmo acontecer num golo de belo efeito e que foi aplaudido por muitos adeptos farenses em sinal de fair play e dignidade da equipa do Barlavento, que esteve muito correcta no plano disciplinar, não criando conflitos, o que nos dias de hoje é de estranhar. O jogo terminaria logo seguida no Estádio Algarve, não sem que antes o Farense obtivesse mais dois golos, fechando a contagem nuns desniveladíssimos 8-1. Arbitragem sem problemas.

Ficha de Jogo: Estádio Algarve (Parque das Cidades)
15 horas, 15/03/2008
Assistência: 600 espectadores
Farense 8-1 Aljezurense

(29mn, por Brasa, Barão aparece solto na direita, ganha junto à face posterior da área cruza para Brasa inaugurar o marcador)
(33mn, por Bruno, jogada de Brasa pela esquerda que cruza para a pequena área onde Bruno, com muita tranquilidade, domina a bola e marca facilmente)
(39mn, por Bruno, nova jogada de Brasa na esquerda, que cruza rasteiro para Bruno colocar a redondinha junto ao poste direito do guardião do Aljezurense)
(50 mn, por Bruno, passe longo de Calquinhas a desmarcar Brasa, que faz gato sapato da defesa barlaventina e cruza para Bruno marcar à boca da baliza)
(74mn, por Brasa, num livre directo marcado na face posterior esquerda da grande área, com a bola sobrevoar o guardião e a entrar num ângulo superior esquerdo)
(78mn, por Calquinhas, que apareceu isolado junto ao guarda redes e à saída do mesmo, rematou rasteiro para o seu lado esquerdo, conferindo o 6-0)
(81 mn, por Miguel, jogada rápida do Aljezurense, onde um atacante surge na cara de Costa, que efectua uma defesa incompleta, sobrando a bola para Miguel, que a uns bons 35 metros da baliza, faz um lindíssimo chapéu, num golo aplaudido por muitos adeptos farenses)
(89 mn, por Bruno, Caras passa Brasa, que com uma excelente visão de jogo, dá para a desmarcação de Bruno, que em plena área, na cara do guarda redes, remata rasteiro por entre as pernas do mesmo)
(93 mn, por Brasa, passe longo a desmarcar Brasa, e este descaído pela esquerda só teve de escolher o lado para onde queria colocar a bola)

Farense: Costa; Amílcar (Andrezinho 58mn), Né (Roque 71mn), Wilson, Caras; Arlindo, Barão, Calquinhas; Rui Loja (Paulinho 80 mn), Brasa, Bruno. Treinador: Jorge Portela

sexta-feira, 14 de março de 2008

Antevisão Jornada 22 >> Farense - Aljezurense

Joga-se já amanhã uma das últimas 9 finais rumo ao título do Distritalão, cabendo ao SC Farense receber nesta jornada a equipa do Aljezurense. Jogo que certamente terá uma balança muito inclinada para o meio campo do Aljezurense, pois a equipa da Costa Vicentina, é a penúltima da tabela com 13 pontos em 21 jogos, situação que se agudizou nas últimas semanas pois nesta segunda volta apenas averbou 2 empates e 4 derrotas. Sendo um jogo aparentemente fácil, o Farense deve encarar a partida com muita atitude pois o Aljezurense, ao pisar pela primeira vez (e quiçá) única o Estádio Algarve, quererá deixar boa imagem e tentará adiar ao máximo o primeiro golo da partida. Cabe ao Farense contrariar a situação e não fazer sofrer o seus adeptos como nos jogos caseiros com Serrano ou Salgados, isto já com Portela ao leme da equipa, até porque estamos em vésperas duma importantíssima deslocação a Castro Marim, e um empate nesta jornada seria de todo indesejável pois empolgaria as hostes de Vila Real e Castro Marim.

Farense - Aljezurense
Estádio Algarve (Parque das Cidades)
15 horas 15/03/2008
Arbitro: Carlos Cabral

Xanana ou Chalana?

Aqui fica a pergunta...

Qual destes dois homens têm a tarefa mais díficil?

a) Xanana Gusmão - governar um país democraticamente imaturo e onde abundam guerrilhas e convulsões na luta pelo poder
b) Fernando Chalana - por o "melhor plantel dos últimos 10 anos" a jogar futebol e dar alegrias aos adeptos?

Não querendo influenciar a votação acho que estamos perante um empate técnico...

quarta-feira, 12 de março de 2008

POLIS praticamente aprovado em Faro

À hora de fecho deste "post", tudo indica que o Programa Polis irá ser aprovado pela maioria dos representantes da Assembleia Municipal de Faro. A bancada do PSD apresentou uma proposta que mereceu a concordância das forças políticas representadas na Reunião Municipal de ontem, apenas com o voto contra do vereador José Vitorino. Apesar da Assembleia Municipal reunir vários representantes políticos do Concelho, as representações partidárias na Câmara deverão ser suficientes para validar o Programa Polis, sendo que, na proposta apresentada pelo PSD estão inclusas algumas cláusulas que salvarguardam os direitos dos moradores das ilhas barreira.

Hoje decide-se Faro...

Muito do futuro da nossa cidade nos próxmos 10 anos decide-se esta noite no Teatro das Fuguras, em Faro, numa Assembleia Municipal que deve ser tão decisiva quanto polémica, depois do que se viu na última quinta feira...

terça-feira, 11 de março de 2008

Baza correr com o Paulo Bento?!?

Depois do Mister Cajuda ter deixado o "Zbording" a 20 pontos do Porto, só me apetece é ouvir esta música!!! Na minha opinião deveria ter entrado para votação no Festival da Canção, pois teria logo à partida 3 milhões de votos....

O Fim de Semana Desportivo em Análise

Neste fim-de-semana, mais uma jornada intensa para o Sporting Clube Farense. Nos seus escalões mais jovens, Infantis e Escolas, 3 jogos fora que se traduziram em duas vitórias e uma derrota. Assim as equipas de infantis saíram vitoriosas dos seus dois encontros, por 1-11 em Paderne diante a equipa local e 1-5 em Bias. Quanto às Escolas, no aquecimento para o grande jogo disputado no sábado passado, e equipa farense foi derrotada pelo Lusitano por 4-3, equipa que actualmente lidera o campeonato e que assim largou a sua vantagem.
Quanto aos Iniciados, foram derrotados pelo Quarteirense, no Municipal de Quarteira, n.º 2 por 2-1, resultado que afastou definitivamente a equipa de Faro da luta pela promoção ao Nacional.
Quanto aos Seniores, jornada gloriosa para as gentes de Faro, que pacificamente invadiram Vila Real de Santo António, dando a cor e emoção ao Distritalão. O Farense teve uma jornada muito positiva, assegurando uma vitória preciosa e viu também o Castromarinense atrasar-se na corrida, equipa na qual depositávamos alguns receios e que segundo as crónicas não merecia a derrota caseira diante do sensacional Armacenenses. Bem se pode dizer que o Farense caminha a passos largos para a Terceira Divisão Nacional, que na próxima época terá um formato mais reduzido, logo mais competitivo, e para e qual convém estar devidamente apetrechado. Só esperamos que a situação do Estádio se resolva mui breve, pois os Nacionais estão aí e a "não subida" por esse motivo seria um autêntico balde de água fria.

Na Terceira Divisão Nacional, que se encontra a apenas 2 jornadas do final da primeira fase, as equipas algarvias tiveram um comportamento mediano. As vitórias de Campinense e Quarteirense diante de adversários alentejanos, respectivamente União de Momtemor por 0-1 e Lusitano de Évora por 4-2 permitiram a estas duas equipas de Loulé subir lugares na tabela, agora que todos os pontos são imprescindíveis. O Quateirense está mesmo em 5.º lugar, fruto dum boa segunda volta e colocando em xeque a equipa de Almancil, que neste domingo empatou em casa com o histórico Barreirense a zero bolas. Embora ainda em zona de tranquilidade, o Almancilense está em declínio e nesta segunda volta apenas averbou 3 vitórias em 11 jogos, colocando o seu lugar cada vez mais desprotegido. Nos outros jogos, destaque para p derby do concelho de Albufeira, que terminou com a vitória do Ferreiras de João Clara por 3-1 sobre o Imortal, deixando a equipa da cidade do turismo, cada vez mais afundada na tabela, condenado a uma descida que parece inevitável. Quanto à luta dos dois primeiros, Aljustrelense e Beira Mar, promete durar até ao fim, pois ambos tiveram resultados negativos nesta jornada. O Beira Mar foi derrotado no Barreiro, diante do Fabril por 2-1 e ainda não garantiu a permanência automática na Terceira Divisão. Enquanto isso, o líder Aljustrelense foi a Silves, empatar com a equipa local a uma bola. Nota positiva para o Silves, que embora com tarefa complicada, continua a subir competitivamente e promete ainda muita luta para se manter no Nacional.

Na Segunda B, pior era impossívelAs três equipas algarvias somaram outras tantas derrotas, com o Lagoa a ter o resultado menos aceitável, pois perdeu excelente oportunidade de garantir praticamente a permanência, sendo batido no seu reduto pelo Real de Massamá por 0-1. O Messinense, que apenas podia almejar a angariar pontos para uma 2.º fase mais sólida, foi derrotado por 2-0 em Odivelas e viu o Real aproximar-se, perdendo oportunidade de se chegar ao meio da tabela. Quanto ao Louletano, foi sem dúvida um dos grandes derrotados da jornada, pois teve o “pássaro na mão” e deixou-o fugir. A ganhar por 0-1 fora, diante dum adversário directo, baqueou na segunda parte e têm uma tarefa complicada para esta ultima jornada. Têm que ganhar em casa ao último, o que pode acontecer, mas têm que esperar que Lagoa e Odivelas sejam derrotados respectivamente em Messines e Moscavide… Sem dúvida uma pena, que apenas uma das equipas do Algarve posse disputar um lugar na para tranquilidade…

Quanto à Liga Vitalis, jornada algo agridoce para as duas equipas representativas da região. Se por um lado o resultado do Olhanense na casa do primeiro Trofense, pode-se considerar positivo, a forma como foi alcançado é mais uma prova do que temos escrito neste espaço semanal: infelizemente para nós algarvios, o Olhanense falha nos momentos chave da época! Isto porque a ganhar 2-0 aos 87 mn, permitiu o empate diante dum Trofense atabalhoado e arriscou-se a sofrer a derrota, não fosse uma fantástica intervenção de Bruno Veríssimo na última jogada do jogo. Com este resultado e incidências de jogo, decerto Diamantino terá posto definitivamente a cabeça no sítio e abandonou de vez a ideia de subida de divisão, discurso noticiado na imprensa ma semana passada. Nós que elogiámos com razão Diamantino, aquando da sua chegada ao clube, não podemos deixar escapar a actual situação do clube de Olhão, pois na sequência dos últimos resultados só pode mesmo ambicionar a terminar o campeonato numa posição respeitável. Quanto ao Portimonense, o empate caseiro a zero bolas diante dos Galos de Barcelos não pode ser considerado um mau resultado, mas os seus perseguidores tiveram uma jornada positiva, aproximando-se do clube de Portimão, que ainda assim conserva uma vantagem de 3 pontos sobre a linha de água.

segunda-feira, 10 de março de 2008

AVISO IMPORTANTE - Night em Faro

Saídas à Noite - NÃO VÁ SOZINHO, CUIDADO!

Está com os seus amigos num bar (ou noutro sítio qualquer), a divertir-se.
De repente, chega um indivíduo e pergunta de quem é o carro tal, cor tal, matrícula tal, estacionado ali na rua. Pedem que o (a) dono (a) dê um pulinho lá fora para manobrar o carro, que está a dificultar a saída de um outro.
Bastante solícito (a) vai e, ao chegar ao seu carro, anunciam-lhe o assalto. Levam o veículo, os pertences e ainda tem sorte se não levar um tiro.
Numa mesma noite, a polícia atendeu três pessoas feridas, todas envolvendo a mesma história.
Divulgue esta notícia para alertar os seus amigos.Não custa prevenir.

A Direcção Distrital de Faro da ASPP/PSP.

Ora diguem me lá, se este Nod na dá uns ares barlaventines?

domingo, 9 de março de 2008

Ainda hoje sou parado nas ruas de Faro

"O catalão mais algarvio de Portugal" - "epíteto ganho pela ligação de mais de uma década ao Farense - continua de pedra e cal em terras lusas, agora ao comando de uma equipa do concelho de Palmela, onde também se sente em casa. "Passei a ser o catalão mais 'caramelo' do Pinhal Novo", diz, entre risos, Paco Fortes, actualmente o "mister" do Pinhalnovense, numa alusão à alcunha dos locais.Francisco Fortes Calvo chegou a Portugal nos anos 80. "Estava farto do futebol espanhol, muito duro". Só no aeroporto de Barcelona escolheu a rota. "Tinha duas passagens nas mãos - uma para o Celta de Vigo, outra para o Farense". Optou por esta, após servir o Barcelona e o Valladolid. Não se arrepende. "Ainda hoje sou parado nas ruas de Faro. Esse carinho não tem preço".Como jogador no Farense, de 1984 a 1989, jamais esquecerá o empate com o Olhanense, que o obrigou a sair do estádio sob escolta policial. Milhares assistiam à partida com o eterno rival da capital algarvia, que perdia por 2-0. "Só se ouviam 'olés'. Faltava um quarto de hora para o final quando marquei um golo e um colega outro. Foi uma explosão de júbilo para os farenses", recorda. Mas Paco Fortes não ousou pisar Olhão durante uns tempos. Enquanto treinador do Farense, de 1989 a 1998, levou o clube a caminhos nunca antes trilhados presença numa final da Taça de Portugal (1990/91) e apuramento para a Taça UEFA (94/95). Tinha jurado que percorreria a pé a distância entre Faro e Ayamonte, caso chegasse à final do Jamor. "São 75 quilómetros! Saí às 6 e cheguei às 21.30 horas, morto, mas cumpri a promessa!".A caminhada foi acompanhada a par e passo por populares nas ruas e através das televisões. "Quando cheguei a Vila Real de Santo António fiquei emocionado. Havia centenas de pessoas nos passeios a incentivar-me", recorda. Mediática foi também a promessa que Paco Fortes cumpriu na época 1997/98 cortou o cabelo e o bigode, porque o Farense não desceu à II Liga. Na temporada 2004/2005, já no Pinhalnovense - após passagens pelo Imortal e de novo pelo Farense -, prometeu usar brinco, se a equipa não fosse despromovida. "Andei um mês a tapar a orelha, com vergonha, e a ouvir 'Ó mister, está com dores de ouvidos?'".Paco Fortes voltou esta época ao Pinhalnovense após oito meses no Raja de Casablanca. "Foi muito bom conhecer outro futebol, outras mentalidades", afirma. Mas confessa que teve saudades dos petiscos lusos (emagreceu mais de 20 quilos) e que a barreira linguística o desanimava. "A sorte é ter descoberto que há portugueses em todos os cantos". "
In www.jn.sapo.pt
por Telma Roque

sábado, 8 de março de 2008

Alma e Paixão indiciam um Farense Campeão >>>>>>>>> Lusitano VRSA 0-1 Farense

A cidade de Vila Real de Santo António acolheu neste sábado um dos melhores jogos de futebol do Farense dos últimos anos, tendo em conta tudo o que estava em jogo e o ambiente ao seu redor. Comparável a isto nos últimos anos, só os jogos com o Olhanense, aquando da passagem do Farense pela Segunda B. Isto porque o ambiente de fervor clubístico e desportivismo aliado ao bom espectáculo no campo, dignificou mais uma vez Faro e o Algarve no que ao futebol diz respeito. Sem dúvida que há muito não se via tamanha comunhão na família farense, que se deslocou em massa a Vila Real de Santo António, participando activamente durante o jogo, mesmo ao lado da claque apoiando e incentivando os seus jogadores até à exaustão. E esse apelo não foi ignorado pelos jogadores, que rubricam uma exibição segura, desinibida e cheia de garra, culminando essa atitude com uma vitória muito importante na luta pela promoção ao Nacional.

A partida começou numa toada de equilíbrio, onde as equipas ofereceram na primeira parte um grande espectáculo e futebol de ataque de parte a parte. Na verdade quem assistiu àquela primeira parte, decerto poderia pensar que o jogo seria duma Segunda B ou mesmo Liga Vitalis, pois as equipas circulavam a bola com muita rapidez e perícia criando lances perigosos junto das balizas. O Lusitano teve em Tiago Simão o seu homem mais irreverente, ofuscando a outra estrela da companhia David Justo, que embora não jogando mal esteve muitos furos abaixo do esperado. Por seu turno Tiago Simão, teve um belo duelo com Amílcar e ganhou muitos deles, criando jogadas perigosas que incrivelmente eram desperdiçadas pelos seus colegas de ataque. O Farense respondeu bem ao assomo inicial do Lusitano e acabaria por pegar no jogo, fruto de um futebol feito de transições rápidas e força no meio campo, perante uma equipa do Lusitano que estava em inferioridade no capítulo físico, pois tinha muitos jogadores franzinos. Sempre que conseguia impor o seu jogo, o Lusitano oferecia uma boa circulação de bola e dinâmica atacante, mas o Farense foi na primeira parte uma equipa mais objectiva e alicerçou o seu jogo em Brasa, que esteve ao mais alto nível, vencendo claramente o duelo na esquerda. Uma nota para a defesa do Lusitano que quando sentia pressão dos opositores, não hesitava em jogar a bola fora, queimando as jogadas duma forma prática, mas não tendo intenção em criar lances perigosos no contra golpe. Assim o Farense beneficiava de alguns lançamentos manuais junto à área e também de alguns cantos que poderiam causar dissabores desnecessários. E seria mesmo na sequência dum lançamento lateral, já no termo da primeira parte que o Farense chegaria ao golo solitário da partida, por intermédio de Brasa, que foi na minha opinião o MVP da partida.

Na segunda parte o Lusitano entrou com “ganas” de virar o marcador e conseguiu mesmo criar calafrios à defesa dos Leões de Faro. O Farense entrava com uma disposição em campo diferente, consequência do infortúnio de Túlio que se lesionara no joelho na última jogada da primeira parte, obrigando Jorge Portela a alterar o seu plano prematuramente, colocando Calquinhas em campo. Por seu turno o Lusitano ao fazer entrar o médio atacante Daniel Gomes procurava maior acutilância no ataque, e viu-se isso em uma ou duas jogadas pois este jogador era muito rápido a pensar e executar os passes, apanhando em contrapé a defesa do Farense. Embora não asfixiado, o Farense via o Lusitano crescer no jogo e se golo tivesse aparecido não seria de espantar pois os pombalinos tiveram 2 ou 3 lances que podiam ter dado outro fôlego à partida. A partir dos 60 minutos notou-se claramente que o meio campo do Farense já não segurava o jogo, e Arlindo e Wilson eram dois elementos a menos na equipa, debilitados fisicamente justificando as suas substituições que no caso de Arlindo só pecou por tardia. Nalgumas jogadas notou-se que Amílcar vinha fechar ao meio, onde estes dois jogadores não conseguiam acompanhar o jogo, desguarnecendo a direita, onde Tiago Simão apareceu pelo menos uma vez a rematar com relativo perigo. Ao trocar Wilson por Márcio, recuando Arlindo para central, o Farense conseguia estancar esse problema a meio campo e a partir dai começou novamente a tomar as rédeas da partida, perante um Lusitano que parecia já não acreditar muito na reviravolta, em virtude também da expulsão dum seu elemento mas que apostou mesmo assim tudo no ataque, trocando mesmo um central por um ponta de lança na parte final do jogo.

Resultado muito importante, sofrido e justo para o Farense, que se distancia do seu perseguidor, e viu também nesta jornada o Castromarinense perder em casa diante o Armaceneneces por 0-2, equipa de Armação de Pêra que nos confrontos com os 3 primeiros averbou "apenas" 13 pontos em 18 possíveis.
Arbitragem de Nuno Alvo em razoável nível apesar de muita contestação de parte a parte em alguns lances.

Ficha de Jogo: Estádio Municipal de Vila Real de Santo António (Complexo Desportivo de VRSA),
15 horas, 08/03/2008

Assistência: 2500 espectadores
Lusitano VRSA 0-1 Farense

Filme do Jogo:
6 mn > David Justo foge na direita, ultrapassando Caras e cruza para a área onde Patxi chega atrasado e falha o primeiro
9mn > Brasa faz muito bem uma diagonal e aparece “cara a cara” com João Azul, rematando para uma defesa incompleta do mesmo
28mn > Passe longo de Caras a desmarcar Túlio na direita, e este dentro da grande área livre de opositores faz um centro, ao qual Bruno chega atrasado
30mn > Brasa executa um excelente trabalho na esquerda e tira um centro milimétrico para o segundo poste onde Túlio remata de cabeça na pequena área, sendo o mesmo cortado por um contrário
38mn > Grande jogada colectiva do Lusitano na esquerda e Tiago Simão cruza muito bem para Patxi que não aproveita
40mn > Lançamento lateral de Túlio, e Brasa após um desvio na área de Ricardo, surge solto de marcação na esquerda e empurra para dentro perante a impotência dum defesa pombalino
49 mn > Perdida clamorosa de Patxi que solto em plena área remata escandalosamente por cima após um centro rasteiro de Tiago Simão na esquerda
71mn > Bola no poste esquerdo da baliza de Costa, após a sequencia de um Livre para a área e desvio involuntário de Bruno
81 mn > Bom trabalho de Brasa junto à meia lua e remate a rasar a barra

Farense: Costa; Amilcar, Né, Wilson (Márcio, 79mn), Caras; Arlindo(Andrezinho, 85mn), Barão, Ricardo, Túlio (Calquinhas 45mn), Brasa; Bruno. Treinador: Jorge Portela

Antevisão Jornada 21 >> Lusitano VRSA - Farense

É hoje o grande dia!!! No jogo mais aguardado dos farenses nos últimos 3 anos, o Farense desloca-se a Vila Real de Santo António na defesa duma liderança que foi perseguida durante largas jornadas e que só foi consumada à 3 jornadas atrás. Trata-se dum jogo, que embora não seja decisivo, irá marcar muito as duas equipas tendo em contra o que falta do campeonato. Se por um lado o Lusitano não vence em casa à mais de um mês, o Farense também não se pode gabar muito pois nas últimas duas deslocações averbou apenas um ponto. Cabe ao Lusitano assumir o controlo da partida na tarde de hoje, em virtude da desvantagem pontual e também do factor casa que não pode ser descorado. É com imensa curiosidade que se espera a reacção do Farense a esta postura da equipa adversária, pois desde o regresso ao futebol em Outubro de 2006, entrou em todos os campos do Algarve com a responsabilidade de assumir sempre as despesas, mas hoje embora com o pensamento na vitória, será concerteza o Lusitano e entrar a todo o gás. Ou seja teremos um jogo bem à medida de Brasa que cremos que aproveitará os espaços nas costas da defesa lusitana para criar perigo com os seus raids... E é nestes pormenores que o Farense têm que apostar para desequilibrar o marcador pois a equipa do Lusitano é forte e têm um bom entrosamento, dispondo no seu plantel de elementos muito perigosos no ataque como David Justo, Salsinha ou Patxi, podendo manter uma intensa pressão atacante durante grande parte da partida.... Quanto ao Farense destaque para a ausência de Edinho, que não recupera a tempo para este jogo, obrigando Bruno a sair do banco para se juntar a Túlio e Brasa na frente de ataque dos Leões de Faro. Jogo de grande entusiasmo por partes das respectivas massas associativas, esperando cerca de 2500 pessoas no agradável estádio da cidade pombalina.

quinta-feira, 6 de março de 2008

Algarve acolhe novamente a "nata" dos Rallys

É mais uma vez com orgulho que o Algarve recebe a mais importante prova de Rallys de Portugal, este ano integrada na "Taça UEFA" dos rallys mundiais, o denominado IRC, onde o espectáculo não irá faltar. Com início a dia 8 de Maio com uma Super Especial no Largo de São Francisco em Faro, o Vodafone Rally de Portugal vai animar a nossa cidade, onde nomes conceitudos a nível mundial como Didier Auriol ou François Duval darão espectáculo em viaturas S2000. Numa noite que é também marcada pelo início da Semana Académica, este ano no Complexo Desportivo da Penha, Faro será mais uma vez "a Roma" do sul de Portugal.
Quanto ao Rally, embora com algumas alterações nos traçados, terá basicamente a mesma estrutura dos últimos 3 anos, altura que se mudou com sucesso para o sul de Portugal.
Sem dúvida a não perder esta primeira semana de Maio, onde muitos aproveitarão para marcar férias, com intuito de acompanhar de perto esta fantástica prova. Eu que o diga!!!

quarta-feira, 5 de março de 2008

Final da Taça da Liga vai ser “uma festa”

"Bilhetes a preços “extraordinariamente acessíveis”

Fazer da final da Taça da Liga uma “grande festa” é o objectivo, anunciado hoje, da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), que promete bilhetes a preços “extraordinariamente acessíveis” para o encontro decisivo do torneio, marcado para o Estádio Algarve. A final da competição patrocinada pela Carlsberg, entre Sporting e Vit. Setúbal, está agendada para o próximo dia 22 de Março, sábado de Páscoa, pelas 20:30 horas.
O responsável máximo da LPFP, Hermínio Loureiro, juntou hoje, naquele recinto, as duas autarquias (representadas pelo presidente da câmara de Loulé, Seruca Emídio, e pelo vereador de Desporto da câmara de Faro, João Marques) e o patrocinador principal (representado por Francisco Guedes), para dar a conhecer as últimas novidades do jogo decisivo. A ideia passa por fazer uma “grande festa” no dia 22. “É a primeira final oficial no Estádio Algarve. Por ser um motivo especial, esperamos juntar mais jovens, mais mulheres, mais famílias”, salientou o presidente da Liga.

E para chamar as pessoas, a organização pensou em preços “extraordinariamente acessíveis”: o custo dos bilhetes é de 3 (para portadores do Cartão Jovem), 5 e 10 euros. “Trata-se de uma atenção especial aos adeptos, muitas vezes relegados para plano secundário”, ressalva Hermínio Loureiro. “Os adeptos não vão tanto aos estádios por razões financeiras…” Outra inovação prende-se com a conferência de imprensa de antevisão do jogo, a realizar na véspera, em pleno Estádio Algarve. “Vai ter os técnicos de Sporting e Vit. Setúbal, Paulo Bento e Carlos Carvalhal, respectivamente, lado a lado, a falar da final”, anunciou o responsável.
Hermínio Loureiro enalteceu o “empenho” demonstrado pelos dois clubes na organização do encontro. “Esperamos que seja um sucesso para o futebol, para o Algarve e para a competição.” Seruca Emídio lançou o repto de a final do torneio voltar ao Estádio Algarve em 2009 e o dirigente da LPFP respondeu afirmativamente. “Queremos manter a ligação ao turismo, por isso, não vejo razões para que, no final desta edição, não comecemos a tratar já da próxima final…” Ainda assim, a prova – considerada um “sucesso” nesta primeira edição” – será alvo de alterações, especialmente no modelo, para que se realizem mais jogos envolvendo as equipas da Liga Vitalis: nesta edição inaugural, oito equipas do segundo escalão profissional jogaram apenas uma vez. “Queremos mais jogos, para conseguirmos mais receitas, mais público, mais espectáculo”, sublinhou."

Por Edgar Pires

Fonte: http://www.regiao-sul.pt/

Depois de falhada a promessa de um jogo da Nossa Selecção no Estádio Algarve nesta fase de qualificação para o Euro'2008, e de não haver uma equipa algarvia na Bwin Liga utilizadora do Estádio Algarve, parece que Hermínio Loureiro não têm problema algum em trazer a festa do futebol ao Algarve. Esperemos que não se fique por aqui e que nas próximas edições da Taça da Liga, o recinto algarvio seja o anfitrião da final da prova, dando projecção e utilização ao tal elefante branco de que muitos falam, mas se esquecem que foi o estádio construído de raiz mais barato de todos! E para além disso têm habitual utilização do Farense e Louletano, superando assistências dos estádios de Leiria e Aveiro... Só que desses ninguém fala!

terça-feira, 4 de março de 2008

Vamos a contas...

Levámos a cabo nas últimas semanas um pequeno inquérito relativo ao novo autódromo que está ser construído na região algarvia, na zona de Portimão. Como se sabe, está previsto que este investimento da Parkalgar esteja concluído no quarto trimestre de 2008, estando já homologado para receber corridas de Formula 1. Foi neste contexto, e tendo em conta as limitações que Portugal têm, em conseguir assegurar provas internacionais de automobilismo duma forma regular, que colocámos a questão aos nossos visitantes se tal investimento teria retorno no expoente máximo do desporto automóvel (F1), e em que espaço temporal acreditavam que isso aconteceria. As respostas divergiram pelas 4 hipóteses de resposta colocadas, mas a ilação que retiramos é de que muito dificilmente, ou num médio/longo prazo é que o circuito receberá tais provas, embora também haja quem não acredite mesmo nesse evento no Algarve.

O desafio que coloco agora, na véspera do Farense viajar à casa dos seus maiores rivais da presente época, Lusitano e Castromarinense, é de saber qual destas equipas será a maior opositora até final da época na luta pela subida. Participem e no fim... vamos a contas.

Quem diz a verdade não merece castigo!!!

Esta de confundir a palavra "pobre" com "solidário" não lembra mesmo a ninguém....

segunda-feira, 3 de março de 2008

O Fim de Semana Desportivo em Análise

Neste fim-de-semana, as equipas de futebol do Farense em competição jogaram todas em casa e podemos dizer que os resultados obtidos foram bastantes aceitáveis, resumindo-se a 4 vitórias e uma derrota. Nas equipas de Escolas o Farense obteve uma vitória pela sua equipa A por 5-2 sobre o Louletano, enquanto na equipa B foi derrotado na Penha, pelo Ginásio de Tavira por 3-5. Nos Infantis o Farense teve “chapa 7” nos dois jogos vencendo o Salir por 7-3 e o Castromarinense por 7-0. Quanto à outra equipa em competição, os Seniores bateram no Estádio Algarve, o último classificado da tabela, Padernense por 4-0. Na antecâmara dum jogo extremamente importante, e também duma importante sequencia de jogos que podem decidir muito do futuro do Farense neste campeonato, a equipa de Faro não deixou créditos por mãos alheias e venceu tranquilamente sem que forçasse o andamento, poupando-se para o jogo desta semana em Vila Real de Santo António. Nesta jornada o Farense viu as outras duas equipas candidatas à subida vencer em dois campos complicados, sublinhando a importantíssima vitória do Castromarinense em Alvor por 1-2, enquanto o Lusitano venceu em Faro o salgados por 0-4. Ou muito me engano, e se o Farense não perder em Vila Real, acredito que o principal adversário será o Castromarinense que têm vindo paulatinamente a crescer no campeonato e têm uma bela equipa e um treinador conhecedor do Distritalão. E depois têm um factor que pode fazer a diferença que é o seu campo pelado de características especiais pois situasse junto ao rio, logo num sítio algo ventoso.

Na Terceira Divisão Nacional jornada negra para as equipas do Algarve, pois nenhuma das sete triunfou, e o líder Beira Mar, do qual esperávamos muito, foi inclusivamente humilhado no Barreiro por 5-0, perdendo assim a liderança para o Aljustrelense. Outra das equipas que estava a fazer um bom campeonato, o Almancilense, treinado por Luís Dores, foi surpreendido em casa pelo Cova da Piedade por 1-2, mantendo-se contudo ainda em zona de tranquilidade. Outra das equipas do concelho de Loulé, o Campinense, não além dum empate caseiro frente ao Ferreiras, resultado que pouco serve às duas equipas, mas em especial ao Campinense que nesta segunda volta apenas amealhou 5 pontos em 10 jogos, quando na primeira volta havia feita uma campanha de grande nível. No jogo dos dois aflitos do Algarve, mais um empate que pouco serve às duas equipas, pois ao empatarem 2-2 em Albufeira, Imortal e Silves ficaram mais longe dos seus adversários directos, o que constitui uma nota negativa para o Futebol Algarvio, pois poderá perder estes dois representantes nos escalões nacionais. Na partida que falta abordar, o Quarteirense foi derrotado em Aljustrel por 2-1, resultado que não envergonha, mas que fez com que os homens do mar, abandonem (esperemos temporariamente) a zona de tranquilidade.

E se na Terceira Divisão a jornada foi negra, na Segunda Divisão B a jornada correu de feição aos três representantes algarvios, pois traduziram os seus 3 jogos em outras tantas vitórias, no que resulta que Lagoa e Louletano estejam mesmo com boas hipóteses de lutar pela fase de subida, situação que à dois meses atrás era uma autêntica improbabilidade. O Lagoa têm vindo a rubricar uma bela recuperação, pois nos últimos 5 jogos têm um goal average de 7-0, contando com 4 vitórias e um empate forasteira diante do Madalena dos Açores, e nesta semana bateu em casa o Odivelas por 1-0. Quanto ao Louletano, venceu in-extremis, graças a um golo de Tonanha, o aflito Real de Massamá por 1-0, deixando tudo em aberto quanto ao seu futuro, pois aproximou-se bastante do zona de tranquilidade, “mordendo os calcanhares” ao Atlético, do qual dista apenas um ponto. Quanto ao Messinense, prossegue a sua recuperação e desta feita bateu o Pinhalnovense de Paço Fortes por 4-2, num belo jogo de futebol. É caso para dizer que as equipas do Algarve fizeram a “vida negra” nestas duas semanas ao catalão, pois sofreu 8 golos, marcando apenas 2, saindo derrotado das duas partidas e atrasando perigosamente da zona de subida…

Por fim na Liga Vitalis, o que havíamos dito na semana passada, acabou infelizmente por acontecer, pois o Olhanense voltou a dar um passo atrás e disse na minha opinião “adeus” à promoção. A equipa de Olhão foi batida em casa pelo Estoril, que foi um justo vencedor, perante um Olhanense que insiste em falhar nos jogos decisivos, não mostrando condição para lutar pelos lugares cimeiros. È na verdade uma pena pois acreditávamos que este ano seria possível fazer uma gracinha, dadas todas as circunstâncias, mas as mexidas pouco felizes no plantel em Janeiro podem ter hipotecado as aspirações de subida, contentando-se os olhanenses com uma posição tranquila na tabela. Ao invés, o Portimonense está a fazer um série de jogos fenomenal e o trabalho de Vítor Pontes têm vindo a dar frutos, pois a equipa de Portimão, segundo rezam as crónicas, deixou de ser aquele equipa apática e desligada do jogo, mostrando agora outra “fibra”, que lhe permite estar já a 5 pontos da linha de água, em virtude da excelente vitória por 0-3 diante do Fátima.

domingo, 2 de março de 2008

Imagens do derby eterno...




Fotos gentilmente cedidas por Diogo Simões, momentos antes do ínicio do Sporting-Benfica, e também durante a partida, que terminou com o Benfica a conservar o empate na casa do quinto classificado.... Será que foi mesmo um bom resultado para os Encarnados?

sábado, 1 de março de 2008

Decidir cedo para descansar depois - Farense 4-0 Padernense

O Farense saiu vitorioso este sábado em mais um jogo a contar para o Distritalão, obtendo um bom resultado e exibição, que embora não sendo muito agradável inverteu a tendência de declínio exibicional patente nos últimos jogos. O adversário era “apenas” o ultimo classificado, contudo ficámos agradados com alguns períodos de jogo pois a equipa desenvolveu a espaços, jogadas interessantes. O Farense entrou muito bem na partida e aos sete minutos já vencia por 2-0, como que num “remake” do jogo de S. Brás de Alportel em que também havia entrado a ganhar. Defrontando um opositor frágil e inofensivo o Farense assumiu as rédeas do jogo e criou lances de perigo que deixavam na retina a sensação de que provavelmente se assistiria a uma goleada das antigas. Havia passado a meia hora de jogo e Edinho acabava por bisar na partida ao fazer o 3-0 num belo chapéu, como que a consequência natural dum futebol articulado, também propiciado por a inclusão de Calquinhas a meio campo, jogador que foi o criativo da equipa, que jogava e fazia jogar os companheiros, e em que os Leões de Faro apostavam em aberturas rápidas para os três os homens da frente que invariavelmente aproveitavam as débeis marcações e espaços concedidos na defensiva padernense. O Padernense foi de facto a pior equipa que este ano vimos alinhar no Estádio Algarve, prova disso a incapacidade atacante desta equipa que mesmo a perder por 3-0, apenas efectuou o primeiro remate já no termo da primeira parte.

Na segunda parte o Padernense tentou reagir e chegar pelo menos ao tento de honra até perto dos 65 minutos da partida, perante um Farense em total descompressão, e acreditamos nós, com o pensamento do jogo de Vila Real, pois os jogadores optavam por uma toada mais tranquila, sem a intensidade desejável para que víssemos um bom espectáculo. Teria o Padernense, uma boa hipótese de reduzir a diferença aos 68 minutos, não fosse a ingenuidade do seu atacante, pois numa jogada rápida já à entrada da área e com espaço em frente para se aproximar da baliza, chutou fraco para as mãos de Costa, e numa das jogadas seguintes havia de ser Brasa a mudar o marcador, fixando o 4-0 final, que poderia ter sido outro não fossem algumas perdidas escandalosas de Bruno, que parece atravessar uma crise de confiança e quiçá azar, pois a bola teima em não entrar na baliza adversário. Hoje teve oportunidade por pelos menos 3 vezes de fazer o seu golo, mas o defesa contrário sobre a linha, e o guardião noutra evitaram que fizesse o gosto ao pé. Por fim nota para Hernâni que regressou à competição, jogando os últimos 20 minutos da partida, num claro sinal de Jorge Portela de que conta com o jogador, aproveitando para lhe dar ritmo competitivo, com vista às difíceis batalhas que se adivinham. Arbitragem muito bem conduzida por Sílvia Domingos. Um exemplo para muitos homens que andam na arbitragem, pois sabe estar em campo não querendo ser o protagonista nem entrando em pormenores mesquinhos usuais na nossa arbitragem.

Ficha de Jogo: Estádio Algarve (Parque das Cidades)
15 horas, 01/03/2008
Assistência: 600 espectadores
Farense 4-0 Padernense

(2mn, por Né num livre marcado por Edinho na meia direita, o guardião Lima afasta a bola e aparece Né a cabecear para o golo)
(7mn, por Edinho na sequenência duma jogada de Brasa pela esquerda e Edinho, imperial de cabeça e marcar o primeiro da sua conta pessoal)
(30mn, por Edinho, que apareceu solto junto ao guardião do Padernense, e à saída do mesmo, fez um chapéu que entrou junto ao poste esquerdo da baliza norte do Estádio Algarve)
(71mn, por Brasa num remate rasteiro da meia lua mas descaído para a esquerda, que embora não sendo muito forte, apanhou desprevenido Lima e alojou-se junto ao poste esquerdo da baliza)

Farense: Costa; Amilcar, Né, Wilson, Caras; Arlindo, Barão (Hernâni, 72mn), Calquinhas; Túlio (Roque 45mn), Brasa, Edinho (Bruno 44mn). Treinador: Jorge Portela