terça-feira, 30 de novembro de 2010

Investimento público no Algarve vai duplicar


Os investimentos públicos previstos para o Algarve em 2011 rondam os 280 milhões de euros, um valor que duplica em relação a 2010, cujos investimentos se cifraram em 110 milhões de euros, estimou hoje o PS do Algarve.

O PS/Algarve somou os investimentos públicos para o Algarve inscritos no Orçamento do Estado de 2011, Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central (PIDDAC), Programa Operacional do Algarve e programas nacionais direccionados para a região e concluiu que o investimento vai aumentar.

«Em 2010, o investimento cifrou-se em 110 milhões de euros, enquanto em 2011 vai aumentar para 280 milhões de euros, particularmente em equipamentos sociais, acessibilidades, ambiente e segurança», indica o PS/Algarve.

Os investimentos na região são na ordem dos 110 milhões de euros em escolas, creches, unidades de cuidados continuados, lares de terceira idade e equipamentos de apoio à deficiência e nos hospitais. As instituições de solidariedade e as empresas da região são os motores na «execução deste investimento», realça Miguel Freitas, presidente do PS/Algarve num comunicado hoje divulgado.

O Algarve vai receber 80 milhões de euros de fundos comunitários em diversos programas de apoio às empresas, segundo dados da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da região do Algarve, Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e ao Investimento, Turismo do Algarve e Direcção Regional de Agricultura e Pescas.

Para o deputado Miguel Freitas, «a preocupação central partilhada com os parceiros sociais é a de que o investimento público possa ser uma alavanca para a economia regional, de forma a impulsionar mais emprego e a concretização de projectos estruturantes, essenciais a um desenvolvimento sustentado».

O desemprego no Algarve pode atingir este inverno um quadro negativo, com o número de afectados a chegar aos 33.000 e a taxa a atingir os 15 por cento, alertou recentemente o responsável da União de Sindicatos do Algarve, em entrevista à Lusa

In Sol via Lusa


Sabendo-se que boa parte das obras de requalificação da EN 125 serão executadas em 2011, não é de estranhar o aumento de verbas atribuidas ao Algarve, bem com na construção de outras infra-extruturas antes anunciadas amplificadamente. Por isso, o algarvio atento não pode ficar satisfeito e boquiaberto com estas declarações, que não são mais que um comunicado de intenções à muito diluidas no tempo... O Algarve merece mais investimenmto, porque é das regiões que mais dá a ganhar ao País!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Farense: Joaquim Mendes deixa comando técnico


Os maus resultados da equipa no campeonato estão na origem da rescisão contratual acertada esta noite.

A Direcção do Farense, liderada por Francisco Barão, e o treinador Joaquim Mendes, chegaram esta noite a acordo para a rescisão contratual do técnico que já não orientará o treino de amanhã.
A derrota de domingo com o Lagoa, por 0-1, acelerou a decisão da Direcção, nada satisfeita com os resultados que a equipa tem obtido esta época.

Recorde-se que o clube de Faro ocupa a 13.ª posição da zona sul da 2.ª Divisão (está na zona de despromoção), contanto com apenas um triunfo e cinco empates.

Por João José Pedro In A Bola

Zona Ribeirinha junto à estação da CP em Faro muito desejada pelo lobby imobiliário - A "primeira vítima" é a Associação de Músicos...


In Edição Impressa de 25/11/2010 do Jornal O Algarve



Acerca da notícia do dia de hoje, que dá conta do iminente despejo da Associação Recretiva e Cultural de Músicos em Faro, dum armazém próximo da zona da estação da CP, percebe-se que todo este processo se insere no projecto de remodelação em mente para revitalizar toda essa zona.

A valorização da zona ribeirinha de Faro num projecto envolvente que se estende até às Pontes de Marchil, como se pode ler no artigo acima, e os interesses imobiliários afectos aquela zona até agora esquecida pela cidade, prometem a médio/longo prazo desalojar os Músicos de Faro da sua "casa", numa luta que prometem não abandonar mas que aparentemete parece condenada, esperando-se que no fundo, o bom senso permita que se arranje uma plataforma de convergência, por forma a dotar esta nobre associação doutro espaço daquelas dimensões e valências na nossa cidade.

domingo, 28 de novembro de 2010

Imagens do jogo Lagoa 1-0 Farense


Farense afunda-se em Lagoa e na tabela...



As Notas do Lagoa 1-0 Farense


Notas Positivas:

  • Num jogo que era aguardado com enorme expectativa pela hostes farenses, dada a proximidade geográfica entre as equipas, a situação desportiva do Farense e a paragem nos campeonatos, foi agradável verificar que os farenses eram o dobro dos sócios locais, o que mostra a fidelidade de uma parte dos farenses. Sabemos contudo que neste momento estamos muito longe da mobilização de épocas passadas...
  • A atitude do Farense quando se encontrava em desvantagem numérica e no marcador foi positiva, indo em busca do empate e encostando o Lagoa no seu meio campo, embora sem jogar conexadamente...

Notas Negativas:

  • Apresentado-se em Lagoa com o melhor 11 possível, ou seja, "sem desculpas" de maior em relação à competitividade da equipa, os orientados de Joaquim Mendes não assumiram o favoritismo declarado por Luís Coelho antes da partida e perderam com justiça um desafio que estava ao seu alcance. O Lagoa mostrou o porquê de não estar mais acima na tabela, sendo uma equipa macia e perdulária no ataque e limitada no meio campo e defesa.
  • Exigia-se que a equipa do Farense, recheada de valores com escola nos melhores clubes de Portugal, nos oferecesse uma exibição mais consistente. Analisando a partida, e referindo-me em especial à primeira parte, em que jogámos 11 contra 11, fomos dominados pelo Lagoa, demonstrando mais uma vez incapacidade em "jogar à bola". Digo jogar à bola, porque o Farense não é capaz de nos 2 terços do campo mais afastados do seu guarda redes, fazer mais que 5 passes seguidos. Desta forma torna-se muito difícil deixar a bola jogável nos homens da frente, que poucas vezes rematam enquadrados com a baliza, demonstrando ainda a equipa pouca organização posicional em campo.
  • A tendência para o Farense se apresentar muito recuado em campo, permitiu ao Lagoa construir o seu jogo com tranquilidade em muitas fases do jogo. O sistema de jogo, inicialmente em 4x2x3x1, privilegiava o contra ataque, que foi ensaiado com sucesso raras vezes, com Kéu a falhar numa delas um golo na cara do guarda redes e noutra possivelmente derrubado pelo guardião adversário.
  • A arbitragem de Nuno Almeida foi recheada de controvérsia com o Farense a ter amargos de boca, especialmente num lance em que Kéu nos pareceu obstruído pelo guarda redes Peraltinha, quando estava isolado na zona frontal da área. Seria por certo a expulsão do guardião contrário mas minutos mais tarde seria Mamadou o contemplado pelo critério de Nuno Almeida, saindo expulso e originando um penalty no inicio da segunda parte, que embateu na trave de Serrão, num jogo com muitos cartões para ambos os lados.
  • Nota final para o desterro onde enfiaram os adeptos do Farense, ao nível da relva, num peão separado por uma rede bem alta que dificultava visão bem como dos paíneis publicitários. Numa Segunda Divisão B não se podem dar aos adeptos condições deste género, quando muitas vezes se pagam bilhetes ao nível duma liga profissional. Outra nota para o aparatoso dispositivo policial que revistou toda a gente cirurgicamente. No meu caso, que já assisti a imensos jogos de futebol, entre as melhores equipas portuguesas ou mesmo noutras deslocações de maior risco, nunca havia tido um cuidado tão grande. Curioso que nem Luís Afonso e Carlinhos, jogadores com equipamentos de treino do Farense foram perdoados, sendo revistados... Um escândalo...

Momento do Jogo:

  • Costuma-se dizer que o cântaro tantas vezes vai à fonte, que um dia deixa lá a asa... Ora o Lagoa, depois de duas bolas à trave e de ter um sem número de cantos, estranho seria que num desses lances não violasse a baliza de Serrão. Aos 64 minutos, Ivo Nicolau subiu ao primeiro andar, e no primeiro poste conferiu de cabeça o único golo da partida, na sequência de um canto da direita, dando justiça ao resultado final.



Farense: Serrão; Caniggia, Mamadou, Tiago Sousa, Joshua; Bilro, Barão, Justo, Zambujo, Bruno Carvalho e Kéu. Jogaram ainda: Adérito, Calado e Bruno.

sábado, 27 de novembro de 2010

Atlântico em 92.2 FM acabou...



A Atlântico Fm deixou definitivamente de emitir nos 92.2 Mhz em frequência modulada.

A Atlântico Fm perdeu a sua licença de operador de Rádiodifusão, deixando por esse facto de poder continuar a emitir em Fm, terminou como Rádio local e como órgão de informação.

A Atlântico Fm continuará a emitir na Web, podendo ser ouvida na Internet em todo o mundo como já acontecia anteriormente, a Rádio passará agora por profundas alterações e adaptação a este meio.

Por João Nogueira In AtlanticoFM Online






Já em 5 de Março tínhamos deixado em primeira mão esta morte anunciada, que se consumou no final desta semana... Lamenta-se a morte desta Rádio, na verdadeira acepção da palavra, deixando mais pobre a nossa Região a nível de comunicação e entretenimento. A Internet, como meio de comunicação é de facto uma arma poderosa, mas não prática na difusão da Rádio para o habitual consumidor activo, pelo que muitos não mais ouvirão a saudosa rádio da Vila da Restauração...

Rally Casinos do Algarve 2010 - O vídeo do CRRS!



Sem dúvida mais uma excelente produção do Forum Ralis a Sul, com as incidências da quinta prova do Campeonato Regional Ralis do Sul, o Rally do Algarve. Vejam mesmo até ao fim porque os despistes, drifts e habiliadades são uma permanente durante os 11 minutos de espectaculo na serra de Monchique.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Portagens: Marcha lenta faz fila de vários quilómetros em Faro


Devargar, devagarinho, a 10km, duas carrinhas em ambas as faixas da EN 125, do Patacão a Faro. Atrás, veículos da comissão de utentes da Via do Infante... e os outros que não passavam."Marcha da indignação" contou com trânsito em hora de ponta na capital algarvia.



A intitulada "marcha da indignação" organizada hoje pela comissão de utentes da Via do Infante contra a introdução de portagens, provocou constrangimentos no trânsito no principal acesso a Faro e dentro da cidade.

Foi necessário cerca de uma hora para fazer os poucos quilómetros entre o Patacão e as Pontes de Marchil, à entrada da cidade.

As cerca de 20 viaturas de elementos da comissão e de outros manifestantes, com duas carrinhas a par a encabeçar o protesto, partiram em marcha lenta em direção a Faro e com destino à rotunda do hospital, criando uma fila de vários quilómetros.

Com cartazes com slogans "portajar a via do infante é dar mobilidade ao acidente" ou "o Algarve não paga portagens na A22", a comissão de utentes quis marcar posição pela segunda vez depois de há cerca de um mês ter feito um protesto idêntico mas na zona de Boliqueime.

"A nossa ideia é que as portagens vão empurrar toda a gente para a Estrada Nacional 125 (EN125) que sabemos como está e mesmo requalificada não é uma alternativa", afirmou Hélder Raimundo, membro da comissão de utentes.

João Vasconcelos, um dos mentores da comissão de utentes, diz que o protesto serve para mostrar que "os algarvios não vão ficar de mãos paradas a permitir a introdução de portagens".

"O Algarve atravessa grandes dificuldades e ainda vai ficar mais em crise com as famílias e as empresas em mais dificuldade devido à introdução de portagens na vida do infante", afirmou Vasconcelos.

Petição com 10 mil assinaturas

O membro da comissão de utentes frisou que a petição on-line de protesto contra as portagens "já alcançou as 10 mil assinaturas" às quais se juntam "muitas mais em papel".

"Esta é uma causa justa para a sociedade algarvia. Os algarvios tem de ser ouvidos, e os políticos têm de cumprir as promessas, o PS colocou no programa do governo que não haveria portagens na via do infante", criticou João Vasconcelos.

"Apelo a todos os algarvios para que adiram aos protestos contra a introdução de portagens, reiterou João Vasconcelos, acrescentando que "a comissão de utentes debate-se com dificuldades de apoios para organizar e promover os protestos" e que "caso tivesse o apoio do PS, PSD e da comunidade intermunicipal do Algarve (AMAL) os protestos teriam mais visibilidade e impacto".

"A comissão está aberta a todas as correntes e forças políticas. Esperamos que a AMAL e o seu presidente, Macário Correia, nos deem também o seu apoio porque esta á uma luta comum a todos os algarvios", rematou João Vasconcelos.

A Comissão de utentes da Via Infante foi criada em setembro com um grupo de cidadãos do Algarve para lutar contra a introdução de portagens até 15 de abril.

In Observatório do Algarve

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Promessas e realidades...


Estava a aqui a ler esta notícia sobre o financiamento para o novo Hospital Central do Algarve, a construir no Parque das Cidades, à qual já assistimos a ínumeras conferencias de imprensa, promessas acompanhadas de banquetes e até o lançamento da primeira pedra à mais de seis meses atrás pela ministra da Sáude, Drª Ana Jorge, quando me apercebo que tudo isto acontece, sem que o próprio financiamento esteja ainda acertado...

Ou muito me engano, ou nem daqui a cinco anos teremos esta infra-extrutura ao dispor dos algarvios...

Portuguesa a trabalhar para a promoção...


Mais noticiado que a própria vitória da novela da TVI, Meu Amor, nos Emmys Internacionais, a mais importante lista anual sobre séries televisivas de ficção, foi a figura da ex-estrábica Rita Pereira apresentado durante a gala...

Diria que com esta aparição, a morena da TVI acaba de marcar pontos na sua carreira internacional, à "pala" da promoção promiscua do corpo, deixando um impacto do nosso país no exterior, muito mais interessante que às mil e uma noticias sobre a Crise, Cristianos Ronaldos e Corrupção desta vida...

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Sexta Feira, 26 de Novembro, 17h30, no Arneiro, em Faro... Contra as portagens na A22!!


A Comissão de Utentes da Via do Infante, de acordo com as decisões tomadas na assembleia de Loulé, no passado dia 13 de Novembro, considera que hoje estão reunidas melhores condições para os algarvios participarem, ainda com mais força determinação, contra a introdução de portagens na Via do Infante. Se estas forem introduzidas, o Algarve a atravessar uma grave crise, mergulhará numa verdadeira catástrofe social e económica, com muitas mais empresas a encerrarem provocando mais alguns milhares de despedimentos. O governo e o PSD serão os responsáveis por este agravamento da crise na região, pois negociaram a implementação das portagens na Via do Infante, ainda antes da requalificação da EN 125 e contrariando promessas anteriores.


Além de outras iniciativas que irão ser postas em prática pela Comissão de Utentes, nomeadamente acções-surpresa, a entrega de milhares de assinaturas na Assembleia da República contra as portagens e equacionar o recurso aos tribunais nacionais e europeus, demonstrando que a Via do Infante não é, de facto, uma SCUT, os cidadãos, os utentes e as populações do Algarve vão mais uma vez voltar ao protesto regional, fazendo ouvir a sua revolta e descontentamento.

A Comissão de Utentes da Via do Infante apela a todos os automobilistas, utentes, associações, empresas e a todos os cidadãos, que estejam contra a introdução de portagens no Algarve, independentemente da requalificação da EN 125, que se manifestem publicamente no próximo dia 26 de Novembro incorporando-se na Marcha da Indignação. O ponto de concentração será na EN 125, Sítio do Arneiro – Faro (em frente à fábrica da Sumol), pelas 17.30 h, com partida marcada para as 18.00 h a caminho da rotunda do Hospital Distrital, nesta cidade.

Desde já, a Comissão de Utentes agradece a divulgação deste comunicado de imprensa nos v/órgãos de comunicação social e a v/presença na referida Marcha da Indignação. Alguns elementos desta Comissão irão estar presentes, a partir das 18.30h, em frente ao Fórum Algarve (junto à Direcção Regional de Educação).


A Comissão de Utentes

Greve geral paralisa Algarve


A greve geral afetou vários setores, como transportes, tribunais, autarquias, administração pública, escolas e Universidade. Veja aqui todos os números e setores que aderiram à greve na região, actualizados ao longo do dia.



Actualização às 17h30

O Sindicato Nacional do Ensino Superior (SNESup) disse em comunicado enviado às redações que “os objetivos foram atingidos”, com 90% cento de adesão na Universidade do Algarve.

A nível nacional, as taxas de adesão oscilaram entre os 95%, numa escola do Instituto Politécnico de Lisboa, os 90% da Ualg, da “maior parte das faculdades” da Universidade de Lisboa e “alguns departamentos” da Universidade da Beira Interior e os 40% por cento, na Universidade de Coimbra. O SNESup dá ainda conta de “uma greve com adesão significativa entre os funcionários não docentes” e da “não comparência de alunos”.


Atualização às 14h41

Últimos números da greve geral no Algarve:

Escolas sem aulas

No concelho de Faro estão sem aulas as escolas: EB 2/3 Neves Júnior; EB 2/3 Joaquim Magalhães; EB1 S. Luís; EB 2/3 Sto. António; EB1 Penha; EB 2/3 D. Afonso III; EB1 Carmo; Sec. João de Deus; EB 2/3 Montenegro; JI/EB1 Montenegro; EB1 Montenegro; EB1 Pontes de Marchil; EB1 Patacão; EB1 Ancão; e EB2/3 Estói.

Em Olhão, os estabelecimentos de ensino encerrados são: EB 2/3 Carlos da Maia; 2/3 Paula Nogueira; EB1 nº 4; EB 2/3 Alberto Iria; EB 2/3 João da Rosa; EB1 Cavalinha; BI/JI nº 6; EB 2/3 Moncarapacho; e Sec. Olhão.

Em Monchique, estão sem aulas: EB1 nº1; EB1 nº2; e JI Monchique.

Em Vila do Bispo foi afetada a EB2/3 Vila Bispo e em Loulé não houve aulas na EB2/3 Padre Cabanita e Sec. Loulé.

Em Albufeira as escolas sem aulas são: EB2/3 Paderne; EB/Sec. Albufeira; e Sec. Albufeira.

Ficaram ainda sem aulas a EB 2/3 Silves, em Silves; a Sec. Lagoa e a EB 2/3 Parchal, em Lagoa; a Sec. De Vila Real de Santo António, em Vila Real de Santo António; a Sec. Lagos, em Lagos; a Sec. Laura Ayres e a EB 2/3 S. Pedro do Mar, em Quarteira; a Sec. Manuel Teixeira Gomes e EB 2/3 Júdice Fialho, em Portimão.

Autarquias locais

A greve afetou ainda vários serviços das autarquias locais. Na câmara de Albufeira, os dados da União de Sindicatos indicam que os estaleiros estão 80 por cento em greve; dos oito eletricistas apenas dois estão a trabalhar; o setor do lixo está com 85 por cento de greve; a secção de pessoal está fechada; a secção de contabilidade apenas tem quatro, de 18 funcionários, ao serviço; o atendimento ao público está encerrado; a tesouraria está encerrada; as escolas estão encerradas; a biblioteca está fechada; a secção de educação está fechada; o gabinete de presidência e vereação também está encerrado.

Na autarquia de Aljezur o cenário é o seguinte: escola encerrada; lixo com 70 por cento de greve; edifício da Câmara Municipal encerrado; armazéns encerrados, jardim de infância tem uma de três salas a funcionar; cantoneiros de limpeza (varredores) 100 por cento de adesão à greve; cantina fechada; secção de obras adesão de 80 por cento.

No município de Alcoutim regista-se 80 por cento de adesão à greve e as escolas estão fechadas.

Na autarquia de Faro a adesão foi de 20 por cento e o setor de fiscalização está encerrado. No que respeita à empresa municipal FAGAR, o edifício regista 20 por cento de adesão; contadores e canalizadores 50 por cento de adesão; secção de pintura 60 por cento de adesão; carpintaria 50 por cento de adesão; jardins 10 por cento de adesão.


A Câmara de Lagoa, tem os armazéns fechados; no edifícios da autarquia há 30 por cento de adesão; nos jardins 50 por cento; as piscinas estão encerradas; armazéns de logística fechados; secção de águas 4 trabalhadores em greve, num total de 10; pavilhão desportivo fechado; limpeza e saneamento 100 por cento de greve; parque de viaturas 100 por cento de greve.

No município de Loulé a adesão é de 100 por cento nas secções de lixo; tesouraria; águas; eletricidade; contabilidade; e obras. No mesmo concelho há uma adesão de 50 por cento nas secções de carpintaria e no edifício da Câmara Municipal.

Na câmara de Monchique há 100 por cento de adesão à greve geral nos armazéns e na recolha do lixo; 90 por cento no edifício da autarquia; e 80 por cento nas escolas.

Quanto ao município de Olhão, os dados da USAL indicam uma adesão de 100 por cento na recolha do lixo noite e na secção de obras; 80 por cento na secção de trânsito; 75 por cento no saneamento; e 50 por cento na recolha de lixo dia.

Na autarquia de Portimão, os armazéns aderiram a 100 por cento, a secção de fiscalização está fechada e o edifício camarário conta com 40 por cento dos funcionários em greve.

Quanto à câmara de Silves, a secção de recursos humanos regista 98 por cento de adesão à greve, as secções de carpintaria e de eletricidade e pintura aderiram a 100 por cento; a secção de expediente 99 por cento; a DGU 97 por cento; a secção de águas 90 por cento e a secção de cultura 50 por cento.

No município de Tavira estão fechadas as secções de pessoal e de taxas e licenças; a adesão é também de 100 por cento na secção de desporto e nos motoristas; os armazéns registam 98 por cento de adesão e o edifício da autarquia 80 por cento.

A câmara de Vila do Bispo regista uma adesão no concelho é de 30 por cento.

No município de Vila Real de Santo António estão fechadas as oficinas, as escolas e 99 por cento da Solvia, secção de limpeza autárquica, está em greve.

No que respeita aos Bombeiros, os Municipais de Tavira e os Voluntários de Vila do Bispo estão a cumprir serviços mínimos.

Nas juntas de freguesia do distrito de Faro estão encerradas: Albufeira; Paderne; Alte; Porches; Santa Luzia; Pereiro; Aljezur; Odeleite; Carvoeiro; São Pedro; Lagoa; Barão de S. João; Santa Bárbara de Nexe; Bensafrim; São Sebastião; Santa Maria de Lagos; Odiáxere; Benafim; São Clemente; Quarteira; Mexilhoeira Grande; Alcantarilha; Portimão; Silves; Cabanas de Tavira; Santo Estêvão; Santa Maria de Tavira; Barão de São Miguel; Monte Gordo; e Vila Nova de Cacela.

No setor de enfermagem a adesão à greve é, no turno da manhã, de 83 por cento no Hospital de Faro (não se realizaram 80 por cento das consultas externas cirurgias só de urgência); 93 por cento no Hospital de Portimão; 93 por cento no Hospital de Lagos; e no Instituto da Droga e da toxicodependência a adesão foi de 100 por cento no turno da noite e de 46 por cento no turno da manhã.

Nos organismos da administração pública, a USAL indica que estão encerrados o IPJ, os Bares do Serviço de Ação Social da Universidade do Algarve e o Instituto Geográfico/Cadastral, este último com uma adesão de 90 por cento, No Centro Distrital de Segurança Social a adesão é de 80 por cento.

Os serviços de Segurança Social estão ainda encerrados Olhão e Loulé.


Actualização às 13h00

A Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública anunciou, em comunicado, que a adesão à greve geral está a ser "significativa" na administração pública central. Em Faro, "todas as escolas da cidade estão encerradas", assim como as escolas de Vila Real de Santo António e de Olhão, refere a nota.

Por sua vez e também em comunicado enviado às redações, o sindicato dos funcionários judiciais avança que a adesão à greve geral foi de 100 por cento em tribunais como Olhão e Faro.

O sindicato, segundo o seu presidente, Fernando Jorge, continua a atualizar os dados "embora com previsível dificuldade, atendendo ao elevado número de tribunais no país - cerca de 400 - e à dificuldade de contacto telefónico até porque a maioria dos telefonistas estão em greve". A nível nacional a adesão é entre os 85 e os 90 por cento.

Actualização às 12h21

De acordo com dados da União de Sindicatos do Algarve, 45 escolas da região não abriram hoje portas devido à greve geral.

No Hospital de Faro 80 por cento das consultas externas foram canceladas e a unidade hospitalar apenas está a efectuar cirurgias de emergência.

Loulé, Olhão e Lagos sem recolha de lixo

Os primeiros sinais da greve chegaram cerca das 22h00 de dia 23, com a União de Sindicatos a anunciar que não houve recolha de lixo no concelho de Loulé, com os trabalhadores que iniciavam o turno às 20h30 a aderirem totalmente à greve.

O mesmo exemplo foi seguido pelos trabalhadores do turno das 22h30, em Olhão, e pelos das 00h00, em Lagos.

Aeroporto de Faro sem voos

O Aeroporto de Faro não tem, até ao momento, voos a operar devido à forte adesão à greve por parte dos trabalhadores do Aeroporto de Faro.

De acordo com a União de Sindicatos do Algarve (USAL), algumas companhias estão a optar por embarcar os passageiros a partir do Aeroporto de Sevilha.

Enfermeiros paralisam

Os enfermeiros aderiram em massa à greve geral, com uma paralisação de 100 por cento no Hospital de Lagos, 93 por cento no Hospital de Faro e 81 por cento no Centro Hospital do Barlavento Algarvio, segundo a USAL.

Portos e barras encerrados

Adesão em massa foi também a dos trabalhadores portuários do Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos (IPTM), os pilotos da barra e os controladores de tráfego marítimo, o que levou ao encerramento de todas as barras e portos do Algarve.

De Sagres a Vila Real de Santo António, estão afetadas todas as atividades e operações portuárias com os navios mercantes, de comércio, cruzeiros, pescas e recreio e nos estaleiros.

No Porto de Portimão um navio de cruzeiros, o "Saga Pearl II", com 446 passageiros e 252 tripulantes a bordo, cancelou a escala e desviou a rota para o Porto de Sevilha.

No Porto de Faro, um navio mercante que esperava atracação para carregar 2.200 toneladas de alfarroba, com destino ao Reino Unido, ficou ao largo.

Trabalhadores da pesca deixaram as embarcações de pesca amarradas ao cais, protesto a que se juntaram os trabalhadores da Docapesca e dos estaleiros, anunciou a USAL.

Em Olhão, a frota de pesca da sardinha do Porto de Olhão, constituída por 10 embarcações, não saiu para o mar.

Supermercado de Tavira abre com dois funcionários

No supermercado Lidl, em Tavira, os trabalhadores aderiram em massa. O espaço comercial abriu com dois chefes, um a repor a fruta e outro à caixa.

A centrais sindicais CGTP e a UGT convocaram para hoje uma greve geral conjunta contra as medidas de austeridade, anunciadas pelo Governo em setembro, com as quais pretendem consolidar as contas públicas, entre as quais os cortes de salários nos trabalhadores do Estado, o congelamento das pensões em 2011 e o aumento em dois pontos percentuais do IVA.

Esta é a segunda greve geral marcada pelas duas centrais. A primeira realizou-se há 22 anos contra o pacote laboral, proposto pelo então primeiro ministro Cavaco Silva.


In Observatório do Algarve


É impressão minha ou na Câmara Municipal de Faro, o espectro de crise e dispensas anunciadas à muito pelo Executivo, inibiu muitas das pessoas de fazer greve, assim se explicando das mais baixas taxas de adesão nas Câmaras Municipais do Algarve...??

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Maldição Especial. Quem vier atrás de Mou que feche a porta...


Mourinho é um eucalipto e por onde passa seca tudo: Benítez será a última vítima de quem o sucede num clube

Antes de ser Special One (Chelsea), Il Speciale (Inter de Milão) e El Especial (Real Madrid), Mourinho foi Tarzan (União de Leiria) e merda (FC Porto) - a sério. Recuperemos aqui quem o mimoseou com tanto carinho quando ele não era Mou, mas apenas o filho de Mourinho Félix que alimentava ódios nos decanos da velha guarda. Entre eles, Manuel José e Octávio Machado. O deles a seu dono.

"O Mourinho foi deselegante comigo e com os técnicos portugueses. Estou farto de ver tarzans como Mourinho. Ele ainda é um aprendiz de treinador", por Manuel José em Abril de 2001; "O Mourinho como homem é uma merda", por Octávio Machado, em Fevereiro de 2004. Eles tinham as suas razões, que eram as mesmas: serem trocados por Mourinho. O primeiro, na União de Leiria; o segundo, no FC Porto; e ambos tiveram de pôr um freio nas críticas porque o homem construiu (e continua a construir) uma carreira que muitos tentarão copiar.

Mourinho é um treinador de causas. E de efeitos. Quando entra num clube causa alvoroço - os jogadores rendem mais, a equipa idem e os títulos sucedem-se; e quando sai desse clube, o efeito é imediato - os jogadores rendem menos, a equipa idem e os títulos desvanecem. Exagerado? Talvez. Mas o que está a acontecer a Rafa Benítez no Inter só reforça aquilo a que vamos chamar de Maldição Especial: quem vier atrás de Mourinho que feche a porta.

RAFA BENÍTEZ Comecemos pelo fim, que é o presente. Rafa Benítez vai de mal a pior no Inter de Milão - ou de voto de confiança em voto de confiança, que vai dar ao mesmo. A "Gazzetta dello Sport" escreve que caso perca o próximo jogo (Twente, para a Liga dos Campeões), Moratti despede-o. Bom, e Benítez é incompetente? O currículo diz que não: uma Liga dos Campeões, uma Supertaça de Inglaterra, uma Supertaça Europeia (Liverpool), duas ligas espanholas e uma Taça UEFA (Valencia). Mas os números do Inter esta época são tristonhos: 20 pontos e 14 golos marcados na liga italiana até agora (menos 12 e 18, respectivamente que no ano passado por esta altura), cinco encontros consecutivos sem vencer e nove pontos atrás do líder, AC Milan. E ao vermos Milito (três golos apenas), Cambiasso, Sneijder (o putativo bola de ouro) ou Maicon arrastarem-se em campo, perguntamo-nos se terão desaprendido ou se é apenas a orfandade de Mou a fazer efeito - sobre isso, Ricardo Costa, treinado por ele no FCP, dá a sua opinião ao lado. Mais. O Inter só vendeu um pseudo-titular, o estouvado Balotelli.

AVRAM GRANT Mourinho saiu do Chelsea em rota de colisão com Abramovich, que contratou Avram Grant para o lugar dele. Em defesa do israelita, é verdade que ele chegou a duas finais (Liga dos Campeões e Taça da Liga) e discutiu o campeonato inglês até à última ronda - não ganhou nenhuma das três competições. E o Chelsea ficou de mãos a abanar como a foto aqui em cima ilustra.

GIGI DELNERI Este nem aqueceu o lugar: Pinto da Costa despediu-o antes da época arrancar. Contratado ao Chievo para substituir Mourinho, vencedor da Liga dos Campeões, Gigi Delneri chegou de braço dado com PC, com o pé esquerdo engessado e a moral toda: "Prometo trabalho, empenho e vontade. Queremos praticar um futebol ofensivo que alie a técnica à táctica." Só que os veteranos do FCP (escreveu-se isso sobre Baía, Jorge Costa e Pedro Emanuel) torceram o nariz aos métodos do italiano e fizeram ver isso ao presidente. Delneri saiu, veio Fernández (que ganhou a Taça Intercontinental, diga-se) e depois Couceiro em quem muita gente viu o Mourinho II pelo discurso e pelo cabelo grisalho. Faltaram-lhe vitórias e o título foi para o Benfica.

MÁRIO REIS José Mourinho despedira-se do Benfica e estava parado até ser chamado para a União de Leiria. Em 2001/02, pela equipa do Lis, Mou completou 19 jogos, fizera boa figura e foi resgatado pelo FC Porto. Para o substituir, entrou Mário Reis que fez apenas cinco encontros (um empate e quatro derrotas) até pedir a rescisão de contrato - até ao fim do campeonato, foi Vítor Pontes a tomar conta do conjunto.
.... In I Online



E ainda faltaria aqui Toni, o eterno bombeiro do Benfica, o tal que no último Mundial fez de espião da equipa da técnica da Costa do Marfim, liderada por Sven Goran Erikson, traindo Portugal e os portugueses, numa baralha que apesar de tudo conseguimos superar...


A Mourinho, que no Benfica em 9 jogos para o campeonato averbara apenas 18 pontos, mas que parecia ter encontrado ao fim de alguns jogos o bom caminho, sucedeu Toni que conduziu então o Benfica à pior classificação da sua história, o famoso 6º lugar...


De Mourinho aqui por Faro lembro-me dum jogo numa tarde invernosa, num sábado, em que perdemos 0-1 com a União de Leiria, a poucos meses do ingresso deste génio do futebol no FC Porto. A derrota nesse dia foi mais um passo rumo à descida da primeira liga por parte dos Leões de Faro e logo com ajudinha deste aprendiz a melhor do mundo, que nesse jogo já demosntrava algumas das suas caracteristicas mais vincadas...

Grandes valores do desporto algarvio premiados pelo Governo Civil de Faro






Fernando Cabrita, de 67 anos, antigo jogador e treinador de futebol, recebeu ontem à noite o Prémio Carreira, durante a gala da Honra ao Mérito Desportivo Algarvio 2010, promovida pelo Governo Civil de Faro.

A gala contou com o apoio da direção regional do Instituto do Desporto de Portugal, e destinou-se a premiar o contributo de atletas, técnicos, clubes e dirigentes no desenvolvimento desta prática na região.

A entrega do Prémio Carreira pela Governadora Civil de Faro Isilda Gomes, ao antigo jogador do Olhanense e do Sporting de Braga, encerrou a cerimónia realizada no Hotel Real Marina, em Olhão, no âmbito da qual foram atribuídos um total de 11 prémios e 30 placas de mérito.

Para além de Fernando Cabrita, foram vencedores, nas respetivas categorias, para as quais estavam nomeados, Mário da Encarnação (85 anos)-Prémio Fair-Play; Visacar-Prémio Amizade; Marcelino Viegas (69 anos)-Prémio Comunicação; Paula Martins (42 anos)-Juiz do Ano; José Monteiro (35 anos)-Atleta do Ano em Desporto Adaptado; Rui Machado (26 anos)-Revelação do Ano; Vidal Fitas (41 anos)-Técnico do Ano; Portinado-Clube do Ano; Fernando Rocha (55 anos)-Dirigente do Ano e Ana Cabecinha (26 anos)- Atleta do Ano.

A Honra ao Mérito Desportivo Algarvio 2010 distinguiu ainda um total de 30 atletas, técnicos, dirigentes e clubes desportivos, que estavam nomeados para as 11 categorias, por proposta das associações e federações representativas das diversas modalidades praticadas na região.

Para a Governadora Civil de Faro, a iniciativa lançada este ano representa o merecido reconhecimento do trabalho de elevada qualidade realizado por todos os que praticam atividades desportivas e os que apoiam o seu desenvolvimento, contribuindo assim para glorificar o Algarve.

“Hoje é um dia de festa para o desporto algarvio”, referiu Isilda Gomes, para quem a realização da Honra ao Mérito Desportivo Algarvio constitui uma vitória, não apenas para os nomeados e vencedores, mas para a própria região.

“Lutar por mais e melhor desporto é uma obrigação de todos e há que promover momentos como este para estimularmos quem o pratica e apoia, porque este é um trabalho de grande contributo para a imagem da região”, frisou Isilda Gomes, salientando que a aposta no desenvolvimento do desporto deve passar por uma conjugação de esforços entre praticantes, coletividades e entidades oficiais.

Durante a gala, que contou com a presença do Vice-Presidente do IDP, a Governadora Civil destacou ainda o empenho das Câmaras Municipais no desenvolvimento da prática desportiva na região, tendo considerado que é também às autarquias que se deve o grande mérito alcançado pelo desporto algarvio.

Isilda Gomes, que elogiou também o empenho do diretor regional do IDP Joaquim Paulino, bem como a disponibilidade da diretora regional do Instituto Português da Juventude, na organização desta primeira gala dedicada ao desporto algarvio, observou ainda que, apesar de “fortíssimo”, o movimento associativo do Algarve “deve continuar a ser apoiado e estimulado, porque é deste que muitas vezes emergem os honrosos valores que dignificam o Algarve”.

Palavras de estímulo que marcaram também as intervenções do vice-presidente e do diretor regional do IDP, respetivamente, Paulo Bessa e Joaquim Paulino, bem como do presidente da Câmara de Olhão Francisco Leal, que elogiaram esta iniciativa do Governo Civil de Faro em prol do desporto da região.

“O desporto é uma forma de afirmação e vamos lutar para que o Algarve tenha cada vez mais atletas de grande qualidade”, referiu Joaquim Paulino, considerando que a região reúne potencial humano e condições para alcançar os níveis mais elevados do desporto nacional.

Joaquim Paulino lançou ainda o repto ao movimento associativo para que continue a participar activamente nesta iniciativa do Governo Civil, salientando que “fazer desporto também constitui um ato de cidadania que dignifica a região algarvia".

Animada pela banda Íris, de Olhão, a cerimónia da Honra ao Mérito Desportivo Algarvio 2010 contou ainda com a presença dos presidentes das Câmaras de Faro e de Tavira, bem como vereadores e outros autarcas de vários municípios, entidades regionais e dezenas de atletas, técnicos e dirigentes de clubes, associações e federações desportivas da região.

Reconhecer o mérito desportivo de individualidades ou coletividades que tenham contribuido para o prestígio do desporto no Algarve é o objetivo da Honra ao Mérito Desportivo Algarvio, que pretende incentivar o universo de praticantes, técnicos, dirigentes, familiares de praticantes ou beneméritos, na obtenção de resultados relevantes na área desportiva, ética e social.

In Barlavento Online


É com agrado que constacto este acto solene para distinção e honra dos desportistas algarvios. Que esta seja a primeira de muitas galas, visando a promoção e reconhecimento de todos os agentes desportivos, que dignificam o nome da nossa Região. Aos que não foram contemplados, se estende o acto público desta entidade governamental na Região, como prova da atenção e carinho que nos merecem também, ficando o repto para que novos e melhores valores se formem no Algarve.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Complexo Desportivo de Portimão pode cair por terra






O presidente da Câmara de Portimão Manuel da Luz não está disposto a esperar mais pela construção do Complexo Desportivo, no Barranco do Rodrigo, por isso a autarquia está aberta à negociação de uma possível rescisão do contrato com o Grupo Lena.

«Neste momento, interessa mais ao município a rescisão do contrato, porque os equipamentos (estádio de futebol, pavilhão multifuncional e piscinas olímpicas) tinham que ser revistos e já não faz sentido, nesta altura de crise, a sua construção», revelou ao «barlavento» Manuel da Luz.

É que já se passou mais de um ano desde o lançamento oficial da primeira pedra, mas o Grupo Lena, vencedor do concurso público internacional para a construção do Complexo, em Janeiro de 2007, não avançou nem com um tijolo.

No local, o terreno continua delimitado pelos tapumes, mas as máquinas nunca chegaram a trabalhar, a não ser na cerimónia da primeira pedra, em Setembro do ano passado, antes das últimas eleições autárquicas.

Agora a Câmara não quer esperar mais e encostou o adjudicatário à parede. «Enviei uma carta, há três ou quatro semanas, ao Grupo Lena, onde fizemos uma espécie de ultimato, no sentido de nos informarem, de uma vez por todas, formalmente e por escrito, o que pretendem fazer e quais são os prazos ou se querem encontrar uma forma de rescisão do contrato», revelou Manuel da Luz em entrevista ao «barlavento».

Ao edil portimonense o grupo empresarial garantiu que teria uma resposta ainda durante este mês de Novembro. «Pareceu-me que há alguma perspetiva de que a resposta seja no sentido de se negociar uma rescisão», considerou o autarca.

Um dos argumentos do presidente da Câmara de Portimão, que está disposto a rescindir o contrato, é que o município está a ser prejudicado, pois há um terreno com uma localização importante que não está a ser aproveitado.

Além do mais, as dificuldades que o Grupo Lena atravessa neste momento, nomeadamente em obter crédito junto da banca, agravadas pela crise, obrigam a uma reformulação do projeto, caso não avance a rescisão.

«Não há condições por parte do adjudicatário para que o processo seja executado conforme aprovado no Plano de Pormenor (PP). Se for para alterar, tem que ser ponderada a situação, tendo em conta o interesse do município, a compreensão do até onde se pode ir e as expetativas que o concessionário tinha à partida», ilustrou o presidente portimonense.

Esta hipótese cruza-se ainda com a questão do procedimento legal, pois, uma vez que há um PP aprovado em determinadas condições, se tiverem que ser feitas alterações significativas, como reformular o projeto no que toca aos equipamentos públicos, estas mudanças só poderiam ser feitas ao fim de três anos da aprovação do Plano.

Nesse caso, teriam que ser seguidos de novo os trâmites processuais que estão previstos na lei para alterar Planos de Pormenor e de Urbanização, entre os quais os pedidos de pareceres às entidades, uma das questões que em 2007 provocaram algumas reviravoltas no projeto.

Mas esta solução seria «o menos» para o autarca. «O importante é chegarmos a um acordo e ponderar qual é o interesse do município neste momento, tendo em conta que o quadro alterou-se por completo desde a aprovação do PP. E uma coisa é certa, não quero esperar mais», reforçou o presidente da Câmara.

Mesmo com a opção da alteração em cima da mesa, a Câmara quer, nesta altura do campeonato, voltar a «ter o terreno sem ónus» e rescindir o contrato, pois os projetos iniciais já não fazem sentido.

«Estamos a fazer uma intervenção no Estádio Municipal que terá que ser justificada, tendo o equipamento que se manter uns anos. Quanto às piscinas, estamos a trabalhar noutra perspetiva, de construí-las noutro local, e o pavilhão também já não faz sentido ao fim deste tempo todo e com a crise que está ai», concluiu.

O «barlavento» contactou também o Grupo Lena para obter a sua posição, mas o grupo apenas informou que não tem, neste momento, «declarações a prestar sobre este projeto».

Por Ana Sofia Varela In Barlavento Online


Ao que parece a crise já chegou à Câmara mais endinheirada e empreendedora do Algarve, caindo por terra um projecto ambicioso a nível desportivo, e que dotaria a cidade de modernas infra-extruturas desportivas, quiçá o calcanhar de aquiles da cidade na oferta que actualmente disponibiliza aos seus visitantes, e também por forma a potenciar ainda mais os seus eventos. Com as obras do velho estádio em ritmo moderado, mas necessários para que o clube da terra possa finalmente jogar em casa, tornava-se evidente que este desfecho viesse a ocorrer, dada a crise e porque o Grupo Lena atravessa enormes dificuldades desde à uns bons meses a esta parte...

Contudo ou muito me engano, e quando estádio estiver finalmente pronto, o Portimonense estará com as malas feitas para a Segunda Liga...

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Obama destaca raízes algarvias do seu cão...


O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, destacou hoje as «raízes portuguesas» do seu cão, um exemplar da raça cão de água português, durante o encontro com o primeiro-ministro, José Sócrates, na cimeira da NATO, em Lisboa.

Falando no final do encontro com o primeiro-ministro português, Barack Obama aludiu ao «grande interesse» despertado pela relação da sua família com Portugal, devido ao cão de água português que foi oferecido às suas filhas, de nome Bo.

«O nosso cão é o membro mais popular da Casa Branca», brincou.

Com dois anos, Bo chegou à Casa Branca em Abril do ano passado, como cumprimento de uma promessa de Barack Obama às suas filhas, Malia e Sasha, após ter vencido as eleições presidenciais norte-americanas.

Depois de o presidente norte-americano ter manifestado a intenção de ter um cão de água português, o Turismo do Algarve disponibilizou-se para entregar em mão um cachorro, mas o animal acabou por ser oferecido à família Obama pelo senador Ted Kennedy, entretanto falecido, que era um entusiasta desta raça.

De pelo branco e negro e hipoalergénico, Bo cumpriu um dos requisitos essenciais para se tornar a mascote da Casa Branca: que não fosse um foco de infecções para Malia, de 12 anos.

O cão de água é considerado pelos peritos um óptimo cão de guarda, lutador, bom companheiro, dócil e cuidadoso com as crianças.

É na região do Algarve que se encontra o maior número de exemplares de cães de água de Portugal.

In SOL via Agência Lusa


Diz o ditado aldrabado que "com cães e bolos se enganam os tolos"... O facto é que Barack Obama não é nenhum tolo e desta forma fez orelhas mocas ao apelo do nosso Presidente para que os Estados Unidos invistam no nosso país... Estava Cavaco à espera do quê?

Farense: empate com Operário deu alento à equipa


O Farense não vence há quatro jornadas, averbando nesse período quatro empates (o último foi com o Operário, a dois golos). E este resultado foi bastante importante para a equipa, pois contribuiu para deixar para trás os lugares de despromoção.

Ocupando o décimo segundo lugar da zona Sul da 2.ª Divisão, o panorama desportivo do emblema de Faro não é o mais animador. As adversidades com que o grupo se tem debatido não têm sido fáceis de ultrapassar, ao ponto de o treinador Joaquim Mendes ter-se debatido, ao longo das primeiras oito rondas, com um plantel curto, fustigado por muitas lesões e castigos.

Sem encontrar desculpas e muito menos refugiando-se nos problemas, Joaquim Mendes considera o campeonato «muito equilibrado e competitivo».

«A equipa tem respondido afirmativamente aos problemas inerentes à competição», salienta o técnico.

Recuperado o lugar acima da linha de água, a luz voltou a brilhar em Faro, contribuindo o empate frente ao Operário para reanimar e aumentar os níveis psicológicos dos jogadores.

«Foi muito importante sairmos dos lugares de despromoção. Temos a noção do campeonato em que estamos inseridos», diz quem acredita nos atletas que lidera.

«Confio em absoluto neles, pois têm trabalhado de uma forma exemplar e com uma dedicação extrema. A par disso, a Direcção, que também se tem debatido com problemas, tem feito tudo para que o sucesso seja uma realidade», afirma.

«Apesar das dificuldades, quem está no Farense tem de lutar sempre pela vitória, dando sempre o máximo dentro de campo», destaca Joaquim Mendes.

Por João José Pedro In A Bola

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Perguntem ao Queiróz como foram possíveis estas manchetes...


Faro: Rita Redshoes e Nome animam salas de espectáculo da cidade



A cantora portuguesa Rita Redshoes e a banda farense Nome vão animar sexta-feira e sábado, dias 19 e 20, respectivamente, as duas principais salas de espectáculo da cidade de Faro.

Na sexta-feira, o Teatro das Figuras recebe, às 21.30 horas, Rita Redshoes, que apresentará o seu segundo trabalho de originais «Lights & Darks», lançado este ano e composto por 14 temas, entre os quais «Captain Of My Soul».

Os bilhetes para o concerto de Rita Redshoes têm o preço de 12,5 euros para a primeira plateia, 10 euros para a segunda plateia, com descontos de 20% para maiores de 65 anos.

Sábado, no Teatro Lethes, às 21:30 horas, encerra-se o ciclo «Bandas de Cá» com os Nome, em concerto acústico.

Este projecto, iniciado na capital algarvia há seis anos, conta com João Neto (voz e guitarra acústica), João Vargues (guitarra), Pedro Baptista (baixo), Henrique Cabrita (teclas) e Guilherme Martins (bateria).

Os ingressos para o concerto dos Nome têm o preço único de 7 euros.

In Região-Sul


Ouvi hoje na Antena 1 Algarve que a Viviane irá ter uma participação especial no concerto d'Os Nome, no Lethes... Mais uma razão para não perder este aguardado espectáculo que à hora que escrevo ainda têm 70 bilhetes sem dono...

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Cinzeiros e mulheres...


Assinala-se hoje o Dia mundial do não fumador, por forma a sensibilizar a sociedade do perigo que constitui o vício do tabagismo, considerado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) a principal causa de morte em todo o mundo...

Neste dia, é oportuno recordar então uma frase que fez correr muita tinta, no momento em que já são mais a mulheres que fumam, do que os homens:

"Beijar uma mulher que fuma é a mesma coisa que lamber um cinzeiro..."


Agora imaginem quem a proferiu...

terça-feira, 16 de novembro de 2010

As imagens do Rally Casino do Algarve 2010

Cortes orçamentais deixam Teatro Municipal de Faro nos mínimos


O Teatro Municipal de Faro (TMF) está a trabalhar com a equipa nos mínimos e vai receber apenas 200 mil euros para programar espetáculos em 2011, menos 52 por cento do que 2005, ano da "Faro, Capital Nacional da Cultura".



Em entrevista à Agência Lusa no âmbito do orçamento e programação do TMF para 2011, a administradora executiva daquela instituição cultural, Anabela Afonso, admitiu que o teatro está a trabalhar nos mínimos e adiantou que está previsto a Câmara de Faro dar um total de "700 mil euros" para o ano de 2011 e, dessa verba, uma fatia de "200 mil euros para programação", um valor que admite ser baixo.

"Este teatro viveu um ano bem, mas quando a Capital Nacional da Cultura se vai embora - em 2005 - e quando começam os problemas financeiros do município, começa-se logo a cortar na equipa em cada ano que passava e, atualmente, está nos mínimos", disse Anabela Afonso.

Segundo aquela responsável há apenas uma pessoa por área, sendo no total cerca de 20 funcionários.

"Uma pessoa para a produção, uma pessoa para a programação, uma pessoa na direção técnica, uma pessoa para marketing e comunicação, uma pessoa na bilheteira, uma pessoa na receção, uma pessoa no serviço educativo. Levamos o princípio da polivalência ao seu expoente máximo", desabafa.

Sobre a quantia destinada à programação, Anabela Afonso admite que a verba é reduzida, principalmente se comparada com o ano de inauguração, em que receberam um milhão e 300 mil euros.

"Em termos de orçamento, vamos ter cerca de 200 mil euros, o que não é muito para uma estrutura como o Teatro Municipal, considerando que também está aí a verba para programar o Teatro Lethes", adiantou Anabela Afonso.

O teatro vai, todavia, fazer um esforço para arrecadar outros financiamentos para além dos do município, seja com as receitas da bilheteira, seja alugando a sala para eventos ou através de mecenato, explicou a administradora executiva.

"Com esse esforço [bilheteira, aluguer e mecenato], prevemos em termos de orçamento global para 2011, e com os 700 mil euros totais do município, chegar à volta dos 900 mil euros", afirmou, reiterando que o ideal para fazer programação de forma "mais confortável" era ter um milhão de euros.

Este ano, o TMF, inicialmente batizado de Teatro das Figuras, teve 310 mil euros de orçamento total, um valor menor, porque ao longo do ano "houve um esforço para transferir verba e cobrir prejuízos acumulados de anos anteriores", explicou Anabela Afonso.

Do orçamento total de 2010, cerca de 400 mil euros serviram para cobrir alguns dos prejuízos acumulados.

A filosofia da programação do teatro é apostar "na qualidade, regular idade e diversificação", garantindo a fidelização e formação de públicos, explica a empresa Teatro Municipal de Faro, E.M, no seu sítio da Internet.

Além de se debater por uma programação regular de qualidade, os objetivos desta empresa pública são também "desenvolver parcerias de trabalho com agentes culturais, associações e organismos sedeados na região" e "contribuir para a construção de uma Rede Nacional de Teatros".


In Observatório do Algarve



Entende-se que esta empresa municipal não poderia ficar indiferente aos cortes naturais duma empresa-mãe falida, a Câmara Municipal de Faro, no seu funcionamento... O que não se percebe é como se poderá continuar a apregoar aos quatro ventos que Faro é uma cidade de Cultura, quando a sua sala de eleição (uma das melhores do país) não têm capacidade para trazer grandes nomes da arte e espectáculo, nem os projectos do museu de arte contemporânea estão em marcha...

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Ciclismo: Tavira e Loulé sem garantias de continuar


A duas semanas do fim do prazo de inscrição para a época de 2011, a equipa do Clube de Ciclismo de Tavira, vencedora das três últimas edições da Volta a Portugal em bicicleta, não tem garantias de poder manter o projeto. CC Loulé também está em dificuldades.

"Ainda não temos patrocinador que se possa constituir como patrocinador principal. Continuamos a aguardar respostas e vamos esperar até ao limite. Não está fácil", admitiu Jorge Corvo, presidente do Clube de Ciclismo de Tavira, em declarações à Lusa.

O Tavira tem de pagar a taxa de inscrição na União Ciclista Internacional até 25 de novembro e formalizar a inscrição até 29 junto da Federação Portuguesa de Ciclismo, apresentando nomeadamente os contratos com corredores e ‘staff’, garantia bancária, orçamento detalhado, apólice do seguro e contratos de patrocínio.

"Há toda a vontade de que a equipa continue, mas não podemos avançar até ter condições reunidas", acrescentou Jorge Corvo, sublinhando que, não havendo patrocinador, "não foram feitos contratos com nenhum corredor".

Já sem poder contar o espanhol David Blanco, vencedor da Volta em 2008, 2009 e 2010, que correrá pela Geox (ProTour) no próximo ano, nem o compatriota Alejandro Marque, que vai representar o Boavista, o Tavira mantém na expetativa diversos corredores, designadamente Cândido Barbosa.

"Se conseguirmos ter um projeto aliciante, o Cândido Barbosa continua, mas, para já, aguarda", explicou o dirigente tavirense, acrescentando que "a equipa pode ir para a estrada com um plano B, ou seja, o mínimo indispensável".

O CC Loulé, a outra equipa algarvia do pelotão, corre o risco de não competir na próxima época. Em declarações à Lusa, o diretor desportivo, Jorge Piedade, assumiu que "não está fácil" encontrar patrocinador para a equipa.

"Vai ser até à última a lutar para ir para a estrada. É a crise, é o doping, são essas coisas que fazem com que o ciclismo não seja apelativo e as autarquias também não gostam de ciclismo. Neste momento, são só os carolas que tentam contornar as dificuldades para ver se conseguem formar a equipa. Se não conseguirmos, temos de partir para outra", admitiu.

Depois do inesperado recuo do projeto da Liberty Seguros, só há três equipas profissionais praticamente confirmadas no pelotão para a próxima época: LA-Paredes Rota dos Móveis, Barbot-Efapel e Boavista, cujo patrocinador ainda não foi divulgado.


In Observatório do Algarve


De equipa imbatível, a projecto em vias de acabar... Apenas 3 meses bastaram para que "o Tavira", a mais antiga equipa profissional de ciclismo no activo em todo o mundo, perdesse duas ou três das suas unidades mais influentes.

Diria que apesar de tudo, e pelo que sei, a equipa da cidade do Gilão está praticamente certa, embora com um investimento muito mais reduzido, que espero, seja o suficiente para manter nomes como os de André Cardoso ou Cândido Barbosa, na minha opinião as mais valias desta equipa para o ataque à nova época.

Quanto à equipa de Loulé, o cenário é negro e por aqui me aqui me fico...

A segunda vez de Armindo...


Não poderia deixar passar em claro mais um grande feito do piloto de Santo Tirso, que ontem no Rally de Gales se sagrou bi Campeão Mundial de Produção no circuito maior dos rallys do planeta. Num Mitsubishy Lancer EVO X, a partir de agora descontinuado para as competições ao mais alto nível, o nortenho garantiu a vitória do ceptro mundial nesta variante, conseguindo um segundo lugar tacticamente gerido por forma a garantir com toda a segurança a renovação do troféu, numa época em que não terminou uma única prova fora do pódio, o que demonstra a regularidade do português.

Tivesse ele outros argumentos financeiros, ou fosse natural dum país de um dos construtores mundiais e estávamos possivelmente a falar por estes dias por um lugar de topo no WRC, mas como portugueses, estamos mais uma vez orgulhosos pelo brilhante feito mas com a sensação de resignação face ao poderio que outros têm, quando nós temos o potencial...

Mas acima de tudo ficam os parabéns deste espaço para o grande Armindo Araújo, o único português a sagra-se bi campeão mundial de rallys...!

domingo, 14 de novembro de 2010

Vitória e título de Ricardo Teodósio


Sem qualquer tipo de oposição Ricardo Teodósio dominou como muito bem entendeu a 5º prova do Campeonato Regional de Ralis Sul, vencendo quatro das cinco especiais e, melhor que tudo, alcançou o seu primeiro título no Regional Sul. Lembre-se que Ricardo Teodósio ainda chegou a fazer um 4º tempo à geral no troço de abertura, mas problemas de travões condicionaram depois a prestação do piloto, que após terminada a prova do Regional decidiu não prosseguir em prova.

Luís Mota ainda conseguiu vencer um troço à geral, travando uma luta muito grande por essa posição num rali que considerou difícil e complicado.

Boa prova de Nuno Pinto que rodou sempre rápido apesar de algumas dificuldades com o acerto do Lancer.

Márcio Marreiros fez uma prova complicada, que começou com uma saída de estrada, dois piões e mais algumas peripécias, que não lhe permitiram melhor que o 4º lugar.

Destaque ainda para o 5º lugar de Bruno Andrade, numa prova cautelosa em que manteve a concentração em pisos tão complicados para terminar bem classificado.


Bernardo Sousa como "peixe na água" em Monchique...


Terminou a temporada 2010 do Campeonato de Portugal com o já campeão em título, Bernardo Sousa, desta feita acompanhado por Paulo Babo, a vencer e a convencer no Rali Casinos do Algarve.

Exceptuando a Super-Especial e um furo na parte final da Fóia 1, troços que não venceu, Bernardo Sousa, mesmo sem pressão e podendo arriscar, acabou por ser menos espectacular que o habitual, mas arrecadou possivelmente a vitória mais fácil da temporada.

Miguel Campos ainda o Rali não ia a meio e já tinha perdido todas as hipóteses de lutar pela vitória. Os pneus que escolheu não funcionaram nos primos troços (rasgos pouco largos) e depois, mesmo com o furo de Bernardo Sousa, nunca conseguiu aproximar-se dos tempos do seu adversário. Mesmo assim, dois segundos lugares e uma vitória a fechar a época não foi nada mal para preparar 2011, mas com um Fiesta com mais motor!!!

Nada melhor que um 3º lugar à geral para fechar uma temporada em grande. Adruzilo Lopes estava no lugar certo para beneficiar da desistência de Ricardo Moura e do furo na 7ª especial de Vítor Pascoal para fechar a temporada em beleza, num rali em que lhe valeu muito a sua experiência neste tipo de troços.

Espectacular foi a prova de João Silva, também num Clio R3. O madeirense entrou a "medo" mas assim que os troços foram secando foi ganhando confiança e fez alguns tempos muito bons, demonstrando que tem capacidade de aprendizagem e de evolução em terrenos tão difíceis como os troços deste rali.

Ivo Nogueira e Frederico Gomes terminaram o rali ao sprint separados por 0,1s!!! Foi uma excelente e moralizadora vitória no Citroen Racing Trophy de um jovem promissor, que chegou a ter 14s de desvantagem para o piloto de Cascais (depois de um pião) e conseguiu recuperar até regressar à liderança nesta competição que tinha sido sua na fase incial.

Frederico Gomes consegue mesmo assim vencer o Campeonato de F3, um feito muito importante para o piloto de Cascais depois de tantos anos de carreira nos ralis.

Mesmo com o 7º lugar, quando um terceiro parecia garantido, Vítor Pascoal ficou como vice-campeão, num resultado perfeitamente merecido para o piloto de Amarante.

Destaque também para o 9º lugar de Armando Oliveira que assim garantiu para si a Taça Nacional de Ralis, ficando em segundo Paulo Neto, que também terminou este rali logo a seguir a Armando Oliveira.

Com algumas importantes desistências no Grupo N, acaba por ser Vasco Tintim, num Citroen Saxo Cup a vencer este agrupamento no Rali Casinos do Algarve. Uma vitória pouco provável, tanto mais que o piloto perdeu cinco minutos com uma saída de estrada que quase o fizerem abandonar. Vitro Calisto, em Citroen Xsara acabou assim por ser o segundo classificado do Gr.N.

LÍDERES DO RALI
Vítor Pascoal (1ª Pec), Bernardo Sousa (2ª à 8 pec)
VENCEDORES DE TROÇOS:
Bernardo Sousa (6); Miguel Campos (1); Vítor Pascoal (1)

CLASSIFICAÇÃO FINAL
1º Bernardo Sousa / Paulo Babo – Ford Fiesta S2000 1h09m14,7s
2º Miguel Campos – Aloísio Monteiro – Ford Fiesta S2000 a 1m14,0s
3º Adruzilo Lopes / Vasco Ferreira – Renault Clio R3 a 2m30,2s
4º João Silva / José Janela – Renault Clio R3 a 4m18,9s
5º Ivo Nogueira / Vítor Hugo – Citroen C2 R2 Max a 6m05,6s
6º Frederico Gomes / Luís Cavaleiro – Citroen C2 R2 Max a 6m05,7s
7º Vítor Pascoal / Mário Castro – Peugeot 207 S2000 a 6m11,1s
8º Francisco Barros Leite / Luís Ramalho – Seat Leon a 7m20,0s
...

PILOTO DE RALI
Bernardo Sousa
MOMENTO DO RALI
Tempo perdido por Miguel Campos no 2º e 3º troço
MENOS DO RALI
Poucos participantes


sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Super Especial no AIA do Rali Casinos do Algarve com novidades


O fim de semana do AIA vai ser muito animado, e entre os diversos eventos conta-se a super-especial de abertura do Rali Casinos do Algarve.


A partir das 20:30 do próximo sábado, dia 13, o Autódromo Internacional do Algarve é palco de um verdadeiro desfile de emoções. Além de um traçado completamente renovado, a super especial do rali tem mais atrativos.


Dez minutos antes da super especial, haverá uma demonstração de Karts do Kart Club by Kartódromo Internacional do Algarve, outra em BMW M3 da Racing School do Autódromo Internacional do Algarve e um show de NASCAR. Após esta injeção de adrenalina inicial, seguem-se os concorrentes regionais do Rali Casinos do Algarve. Na transição para o nacional mais 10 minutos de demonstrações.


Após o final da super especial, quatro escolhidos no público pelo speaker do AIA (dois homens e duas mulheres) trocarão argumentos numa corrida de karts. Os vencedores, masculino e feminino ganharão um voucher de 15 minutos no Kartódromo Internacional do Algarve.


Nos concorrentes do Campeonato de Portugal de Ralis destacam-se três veículos S2000 e no Campeonato Regional de Ralis do Sul, Ricardo Teodósio promete o espetáculo habitual.


In AutoSport


A não perder jà amanhã à noite!... Mais informações AQUI

Dificuldades acrescidas no Algarve


As notícias do Algarve não são as melhores. O Governo está a complicar a vida dos algarvios de modo drástico.

O desemprego na região é o mais elevado do país.

O prometido Hospital Central que daria emprego a muita gente, durante a obra e depois em exploração não arrancou na data anunc...iada.

A requalificação da estrada 125 prometida há muito, apenas está a conta gotas e além da variante de Faro, nada mais acontece.

O Orçamento de Estado para o Distrito de Faro tem descido de ano para ano.Os fundos europeus para o Algarve sofreram uma drástica redução.

O Governo tem reduzido as transferências para os Municípios do Algarve, mais do que para o resto do país.Por isso as empresas da nossa região e os municípios estão cercados de dificuldades e sem meios para se lançarem em investimentos de criação de empregos.

A agravar tudo isto uma empresa tutelada em exclusivo pelo Governo despede de repente mais de 300 trabalhadores no aeroporto de Faro.Lamentamos todas estas atitudes simultâneas, as quais no seu conjunto bloqueiam o futuro do Algarve.Temos que exigir que o investimento público prometido para a região avance para que haja emprego e oportunidades para os algarvios.

retirado do Facebook
José Macário Correia
Presidente da Câmara Municipal de Faro



Há que dizer isto com frontalidade! O Algarve, uma das regiões que mais dá ao País, está a ser sistematicamente prejudicado pelo poder central...

Farense: Palma tem 29 mil euros a receber

3.º caso decidido pelos tribunais nos últimos meses

O Farense está a contas com um novo problema: Palma, antigo jogador dos algarvios, tem de receber 29 mil euros na sequência de uma ação cível movida contra o clube, procedimento anteriormente adotado por Hassan (120 mil euros) e Hugo Gomes (26 mil).

Por via destes processos já decididos o clube está impedido de inscrever jogadores. “Não sei quem tem influenciado estes nossos ex-atletas, mas ao procederem assim só prejudicam a procura de soluções com vista à resolução das dívidas. O lamento é maior por estarem envolvidos dois elementos formados nas nossas escolas e um que foi uma referência do Farense”, lamenta António Barão, presidente do clube.

Os algarvios desenvolvem esforços para, através da venda do Estádio de S. Luís, fazerem face a uma dívida superior a 10 milhões de euros. “O processo está bem encaminhado, mas estas situações só prejudicam o nosso esforço”, assinala António Barão.

Suicídio. Ontem viveu-se uma manhã agitada nas instalações do Farense, já que o arrendatário do café/restaurante situado no edifício-sede enforcou-se na cozinha, recorrendo para o efeito a um cabo elétrico.

In Record

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Novo estádio em Lisboa... A simbiose dos azulejos e das alcatifas...


Cortesia Bola na Rede

ACT não detectou ilegalidade nos despedimentos na Groundforce


Empresa de handling vai despedir os mais de 300 trabalhadores da operação do aeroporto de Faro.

Fonte da Autoridade das Condições de Trabalho (ACT) disse à Renascença que aquela entidade ainda não encontrou qualquer ilegalidade no processo de despedimento colectivo que está a ser levado a cabo na Groundforce.

A mesma fonte garante que a autoridade que inspecciona o cumprimento das leis laborais já reuniu com os sindicatos dos trabalhadores do handling e com a administração da Groundforce, e não verificou, até ao momento, qualquer ilegalidade neste processo de despedimento colectivo.

Ao final da tarde, a própria Groundforce emitiu um comunicado em que também diz não ter praticado nenhuma ilegalidade.

A administração da empresa diz que informou a comissão de trabalhadores da sua decisão em acabar com a escala de Faro e que só depois é que vai receber individualmente todos os trabalhadores abrangidos pelo despedimento colectivo.

Só nessa altura haverá negociações individuais, sendo que, até lá, nenhum trabalhador está despedido, garante a empresa.


O administrador delegado da Groundforce, Fernando Melo, afirmou ontem que a maior prestadora de serviços de assistência de transportes em terra nos aeroportos portugueses vai suspender a sua operação no aeroporto de Faro e dispensar os 336 trabalhadores.

"A suspensão da operação da Groundforce no aeroporto de Faro visa reduzir os prejuízos da empresa, condição que é indispensável à viabilização do seu futuro e dos restantes dois mil postos de trabalho", disse o responsável numa conferência de imprensa, em Lisboa.
In RR


Evidentemente que do ponto de vista das leias laborais não existirá, pelo menos por agora, qualquer ilegalidade, visto que todos os funcionários foram avisados do inicio do processo de despedimento colectivo, seguindo-se agora o processo negocial. Contudo não creio ser digno para um trabalhador que durante 20 anos deu muito da sua vida à causa receber esta notícia por email, um subterfúgio cada vez mais usado por quem não têm coragem e consideração para enfrentar as consequências duma medida tão fria e na maior parte das vezes injusta. Pelo que leio, a média salarial era muito acima da média nacional e terá sido este, em virtude da perda de clientes da GroundForce, uma das principais razões apontadas pela Direcção para tomar a medida... Em todo o caso, as chefias deveriam ter ao longo do processo redimensionando a extrutura da empresa, minimizando as perdas e desta forma preservando postos de trabalho, por forma a tapar um pouco dos buracos financeiros da empresa no Brasil...

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Aviação: Sindicato lamenta despedimento coletivo de 336 trabalhadores na Groundforce em Faro


O Sindicato dos Técnicos de Handling dos Aeroportos lamentou hoje que a Groundforce queira avançar com o despedimento coletivo de 336 pessoas no Aeroporto de Faro, Algarve, enquanto no Brasil sustenta 2.800 trabalhadores com prejuízos de 70 milhões de euros/ano.

O presidente do Sindicato dos técnicos de Handling dos Aeroportos, André Teives, critica a empresa de handling Groundforce - detida a 100 por cento pela transportadora aérea estatal TAP - por anunciar “um despedimento coletivo” no Algarve, enquanto no Brasil sustenta 2.800 funcionários com “prejuízos de 70 milhões de euros por ano”.

“A mesma empresa, que com investimentos do Estado português, sustenta 2.800 trabalhadores no Brasil com 70 milhões de euros por ano de prejuízo, vem agora querer mandar para o desemprego os funcionários do Algarve”, declarou à Lusa.

Segundo André Teives, “todos os trabalhadores da base de Faro estão "efetivos nos quadros da empresa”, têm entre “10 a 20 anos de casa” e estão a meio da vida ativa, com uma média de idades “situada nos 40 anos”.

A reconversão destes trabalhadores não é fácil, pois a função deles é trabalhar com aeronaves, com regras internacionais e se o avião for mal carregado não descola ou pode cair”, alerta André Teives.

Os trabalhadores da Groundforce souberam do despedimento coletivo pela comunicação social, contou o presidente do Sindicado dos Técnicos de Handling dos Aeroportos.

Uma funcionária do balcão da Groundforce no Aeroporto Internacional de Faro, que pediu o anonimato, confirmou hoje à Lusa que “oficialmente não tinha sido informada dos despedimentos”.

“Não tive nenhuma informação oficial”, disse, referindo que trabalha há mais de 10 anos na empresa.

O ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações lamentou hoje os despedimentos na empresa de assistência em terra em aviões Groundforce, afirmando que este tipo de situações deve ser encarado no âmbito de processos de reestruturação.

O governante acrescentou, todavia, que é importante ter presente que "há processos de reestruturação ao nível das diferentes empresas que visam precisamente atacar situações de défice que são insustentáveis".

Segundo o ministro, "são processos de reestruturação e é nesse quadro que devemos encarar a situação".

A Groundforce possui atualmente bases operativas de assistência a bagagens e “check in” no Porto, Lisboa, Faro, Porto Santo e Funchal





Absolutamente lamentável e injustificável face aos argumentos que os Sindicatos apresentam e prova de que em Portugal, as empresas nacionais e estatais estão mais preocupadas no lucro de terceiros do que em tratar com zelo do futuro do país...

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Ria Formosa! Uma maravilha para todos...

A lancha utilizada foi encontrada junto à barrinha e trata-se de um autêntico TGV marítimo, com três motores de 250 cavalos...
Depois de ter visto no Telejornal e de agora ter lido que a costa algarvia, nomeadamente a Ria Formosa é um alvo apetecível para o tráfico de estupefacientes fico com a sensação de que para além de ser uma Maravilha Natural para o grande público, será também uma "maravilha" para os traficantes, que desta forma colocam no mercado europeu o "produto"...

Turismo: Rali de Portugal 2010 trouxe retorno de 85ME - Estudo




O rali de Portugal de 2010 trouxe um retorno de mais de 85 milhões de euros ao nível turístico, número só superado em Portugal com o Euro 2004, revela um estudo hoje divulgado pelo Automóvel Clube de Portugal (ACP).

De acordo com o estudo, levado a cabo pelo Centro Internacional de Investigação em Território e Turismo da Universidade do Algarve, "só em despesa direta – gastos em dormidas e refeições – registaram-se mais de 50 milhões de euros" gastos no Baixo Alentejo e Algarve, onde a prova decorreu entre 27 e 30 de maio.

No âmbito do retorno a nível indireto, "através da exposição mediática do evento" na comunicação social, estima-se que o valor recolhido seja de "35 milhões de euros, 27 dos quais através" das televisões internacionais.

"Contas feitas, 85,199 milhões de euros é um resultado recorde nas provas desportivas levadas a cabo em Portugal", diz o ACP, que organiza o evento, ressalvando que este número foi só superado com a realização em 2004 do europeu de futebol.

"A imagem e a promoção turística do país graças à realização deste evento são motivos de orgulho para o ACP", assinala a nota da instituição.

Via Agência Lusa


Como adepto desta modalidade, acompanhado desde à muito as andanças do Rally de Portugal em solo algarvio, acho estranho o valor de 85 milhões apresentado no estudo, pois a última edição do Rally de Portugal não teve tanta gente (de fora do Algarve) nas estradas como em edições anteriores. Em todo o caso não deixa de ser relevante a importância deste evento a realizar este ano em época baixa no Algarve, como forma de atenuar pelo menos na semana do evento a crise na ocupação hoteleira e na área da restauração que afecta cada vez mais a região algarvia. Torna-se cada vez mais imprescíndivel que o Turismo do Algarve aposte forte neste evento, promovendo o produto "WRC" nos mercados onde o desporto automóvel está mais implantado e de onde os pilotos que lutam pelos primeiros lugares são naturais, podendo desta forma consolidar a sua marca junto dum público que ainda não conheça verdadeiramente a nossa Região.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

(Estádio) Algarve perde super especial do Rally de Portugal...


Super-Especial em Lisboa com animação

O Rali de Portugal vai ter a sua primeira prova especial de classificação na Praça do Império, no dia 24 de Março, 5ª Feira, num dia dedicado ao público, aos patrocinadores e à promoção de Lisboa e de Portugal.

Nesta super-especial, os concorrentes alinharão em séries de, no mínimo, três equipas, num sistema de perseguição linear - e não em percursos opostos, como sucedeu no passado - mas com partidas individuais de 15 em 15 segundos.

A super especial utilizará os arruamentos fronteiros ao Mosteiro dos Jerónimos, Centro Cultural de Belém e Museu da Marinha e será disputada em três voltas, com rotundas, chicanes e saltos a proporcionar certamente um grande espectáculo para todos os presentes e para os que estiverem em casa a seguir a transmissão da RTP.

A semana começará com os reconhecimentos, 2ª e 3ª Feira, para na 4ª feira se realizar o Shakedown no Algarve já na parte da tarde. No dia seguinte vai haver um conjunto de eventos (reconhecimentos, autógrafos, desfile dos pilotos e demonstrações com carros clássicos de ralis no percurso da super-especial) que culminará com a Super-especial entre as 15h30m e as 18h00m.

Dessa forma as duas super-especiais do Estádio Algarve não se irão realizar, mas o Estádio Algarve irá manter-se como centro nevrálgico. A prova conta com 3 etapas (7 secções) e um percurso total de 1360 km, integrando 17 provas de classificação que perfazem 385 km, o que representa quase 30% do itinerário do rali.

De referir que, uma vez concluída esta nova super especial, toda a caravana rumará ao Estádio Algarve, local onde a prova retomará o seu figurino tradicional.

O ACP promete ainda mais surpresas para o último dia de prova, estando também quase certa a realização do Porto RoadShow, em moldes idênticos ao que aconteceu em 2009.


In Ralis Online

Não bastava já o afastamento da final da Taça da Liga do Estádio Algarve, para agora esse espaço perder também o encanto desportivo e promoção mediática que uma Super Especial... Evidentemente que a competição a sério será disputada no Algarve e Alentejo mas noto que cada vez mais os patrocinadores e o público em geral exerecem uma pressão enorme para retirar a prova do sul do país, o que por certo não demorará mais de meia de dúzia de anos a fazer efeito e desta forma contituir mais uma machadada nos pontos de interesse desportivos e turisticos que o Algarve oferece...