quarta-feira, 29 de abril de 2009

Finanças da Câmara de Faro são «um descalabro total», acusou PSD. Apolinário contesta

A situação financeira da Câmara de Faro é de «descalabro total», defendeu esta semana o PSD/Faro, numa conferência de imprensa.
Os social-democratas dizem que a autarquia chegou a uma situação «irreversível de falta de credibilidade política» e consideram que o único caminho que é possível seguir é fazer uma proposta de reequilíbrio financeiro ao Governo. Esta medida, que já havia sido defendida pelo candidato social-democrata à Câmara de Faro Macário Correia, obrigaria a Câmara a entrar num regime de contenção, que a impediria, entre outras coisas, de fazer novas contratações. Para o PSD, «embora esta seja a única solução credível e sustentável de reequilibrar a médio/longo prazo a situação económico-financeira da Câmara», está a ser recusada pelo executivo PS «por ser ano de eleições». Contactado pelo «barlavento», o presidente da Câmara de Faro José Apolinário recusou a ideia de que esta é a única solução possível e lembrou que conseguiu «que o Estado e o Governo da República se comprometesse a investir em Faro e nas zonas envolventes cerca de 500 milhões de euros». «O PSD quer discutir a questão do reequilíbrio financeiro. A mim interessa-me aumentar as receitas do município», que admite terem descido «em cerca de 12,5 milhões de euros» durante o seu mandato.José Apolinário não tem dúvidas em afirmar que o investimento do Estado em Faro e arredores «vai provocar, obviamente, um enorme aumento de receitas». «Por exemplo: com a conclusão da Variante Norte, a zona do Bom João vai ficar a dez minutos do Aeroporto. Vão surgir investimentos turísticos de grande qualidade, nesta zona», assegurou. Quanto ao aumento do passivo da autarquia, que o PSD diz já ter ultrapassado os 82 mil euros, num acréscimo «de 17,4 por cento relativamente a 2007», José Apolinário culpa a crise, nomeadamente no sector imobiliário, e os social-democratas. «O primeiro responsável pela actual situação é o PSD, que conduziu a autarquia a uma situação financeira muito difícil em 2005 e desde então impediu todo e qualquer aumento de receitas para a Câmara de Faro», na Assembleia Municipal, acusou. In Barlavento Online

Entendam-se "Deb"!!
Contudo Apolinário não refuta os números... Agora quanto ao resto, será mais do mesmo... Argumentos dum lado e doutro para ver quem têm mais razão. A questão é que o passivo já vêm de muito antes de 2005, não é??

terça-feira, 28 de abril de 2009

Ria Shopping... A abertura

Foi aberto hoje ao público o novo centro comercial da zona central do Algarve, o Ria Shopping, prometendo, para já fazer em parte, frente ao Fórum Algarve. Há 10 anos atrás nada destes espaços de grande dimensão, aglomerando diversas lojas no interior, coexistia com o comércio local. A verdade é que cada vez mais os pequenos comerciantes sentem dificuldades para acompanhar a cavalgada fulgurante destes espaços congregadores das mais diversas áreas comerciais, que não só dispõem dum stock maior à escolha do cliente como também oferecerem preços mais competitivos, contrastando assim com o Comércio local que para além disso ainda está sistematizado num horário diurno e muitas vezes pouco prático para quem têm um horário laboral similar.

É neste contexto que têm surgido mais espaços desta dimensão no Algarve e no caso concreto do Ria Shopping, nos parece que terá alguns factores positivos face ao Fórum Algarve, dado que se sitia no centro da cidade de Olhão, junto a grandes zonas residenciais, o que por si só beneficia o acesso ao mesmo. Contudo, na minha opinião ficará a perder em todos os outros aspectos, dado que o conjunto de lojas e marcas representadas não supera a oferta que o o Fórum Algarve dispõe, bem como averba uma grande pecha na área de restauração, que para já, está praticamente desactivada, isto numa esplanada que nos muito aberta e que no Inverno, caso mantenha a sua topologia, se revelará fria e ventosa...

Na minha humilde opinião, a própria estrutura do Ria Shopping, em que a lojas estão incorporadas no interior dum edifício base, com corredores no interior fica também àquem do espaço arejado em desenho de praça aberta que proporciona ao visitante um maior contacto com o sol e permite uma circulação mais tranquila pelo centro... Contudo, a quebra será notória em Faro e ainda nem temos o Grand Plaza de Tavira em funcionamento... Aí, por certo a quebra será maior, muito por culpa do mercado espanhol, que assim terá aí uma alternativa mais perto da porta...E na altura, a questão será: Há mercado para três grandes centros comerciais numa faixa de 30 kilómetros?

P.S. - Excelente a ideia do Olhanense, que têm uma loja oficial no interior do Ria Shopping, chegando assim a muita gente e dando uma imagem positiva do Clube ainda que o stand esteja um pouco despido... Fica a ideia para que o nosso Farense faça o mesmo num futuro a médio prazo.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

O Fim de Semana Desportivo em Análise - Época 2008/2009

Abrimos mais uma vez com contentamento esta rubrica semanal que visa resumir o que aconteceu às equipas algarvias de futebol, bem como às equipas em competição no SC Farense nos seus diversos escalões. Nota positiva para os Séniores, que trouxeram um importante ponto de Loulé, graças ao nulo obtido diante do líder destacado na competição, mantendo-se assim invencível nesta segunda fase. Apesar de mais distante do segundo lugar, onde agora o Reguengos ocupa o posto com três pontos à maior com o Farense, o empate do Cova da Piedade veio desanuviar ainda mais o cenário dos farenses, que assim, num cenário perfeitamente provável podem ascender ao segundo lugar da tabela já no próximo domingo, bastando derrotar no S. Luís o Reguengos e esperando que o Louletano não perca na Cova da Piedade. Deixando para já as contas em stand-by, foquemo-nos na campanha dos Juniores que terminaram no sábado a sua briosa participação no Campeonato Nacional, apesar da derrota nos descontos averbado com o Maritimo por 1-2. Contudo, os 34 pontos obtidos em 30 jornadas, por uma equipa estreante na competição desde à uns anos a esta parte, premeia o empenho e qualidade daquele grupo, fechando a época num honroso 11.º lugar na Série Sul, e com a quinta melhor defesa deste campeonato. Nos Juvenis, a equipa A, embora com uma época positiva em termos de pontuação, terminará muito provavelmente o campeonato no segundo lugar, falhando a hipótese de subida pois a vitória deste fim de semana, por 2-0 diante do Armacenences, apenas manteve a distância de sete pontos, quando faltam três jornadas para jogar e o Inter Almancil se mantém intocável no topo. Os Juvenis também estiveram bem nesta jornada batendo o Padernense por 4-0, fixando-se assim no sétimo posto da tabela. Nota também para os Iniciados que na deslocação ao Campo das Gaivotas em Armação de pêra, bateram os locais por 1-2, subindo um posto na tabela, agora no oitavo lugar. Notas finais como é hábito para Infantis e Escolas, tendo os Infantis A empatado 3-3 com o Esperança de Lagos, ao passo que os B's sofreram uma pesada derrota caseira por 3-7 com a mesma equipa. Já as Escolas A venceram categoricamente 1-4 em Lagos, enquanto os B's repetiram o resultado negativo dos Infantis por 3-7.

Voltemos à Terceira Divisão e para realçar mais uma vez o cenário nublado que aflige as equipas que lutam para se manter nos Nacionais. Se no grupo F1 jogavam entre si dois aflitos, Campinense e Messinense, a vitória dos louletanos por 2-0 foi mais um pequeno balão de oxigénio para os comandados de Ivo Soares que ainda assim têm uma missão quase impossível para se manter. Distam 5 pontos do duo da frente da poule e tem que recuperar a diferença em dois jogos, o que será matematicamente possível, mas na realidade muito complicado. Já o Messinense, com esta derrota traçou já o seu destino, caindo no espaço de duas épocas no Distritais, depois de ter navegado gloriosamente pela Segunda B nos últimos anos. Contudo nem tudo são más notícias, já que no grupo F2 o Quarteirense de um passo de gigante rumo à manutenção, vencendo o Barreirense por 1-0. José Veríssimo, o homem que substituiu Resende no comando da equipa, com alguma dificuldade têm conseguido levar a água ao seu moinho, dependendo apenas de si para se manter nesta divisão, bastando-lhe apenas vencer um dos dois jogos que faltam. Já o Silves, despede-se de forma tímida competição tendo averbado mais uma derrota caseira, desta feita por 1-2 com o Lusitano de Évora.

Na Segunda B, destaque para o Lagoa mais uma vez! Não há adjectivos para qualificar a campanha dos comandados de Luis Coelho, que apesar das inúmeras dificuldades acumularam a terceira vitórias consecutivas, fruto da vitória em Pinhal Novo por 1-2 estando ainda na luta pelo lugar de acesso à Liga Vitalis. Pior esteve o Beira Mar que acabou por carimbar o passaporte para a Terceira Divisão, como corolário duma época atribulada na sua estreia neste escalão. Derrotados por 4-0 em Aljustrel, ficaram irremediavelmente condenados pois a desvantagem de nove pontos é irrecuperável nas duas jornadas que restam.

Por fim, chegamos à Liga Vitalis, onde felizmente a esperança ainda é grande nas hostes algarvias. Apesar de caminhos diferentes, quer Olhanense, quer Portimonense têm tudo em aberto para conseguir o objectivo. Se o Olhanense após a retumbante vitória de ontem por 5-0 contra o Freamunde manteve uma preciosa vantagem de quatro pontos sobre o terceiro, o Leiria, que visitará no próximo domingo, tendo que se manter firme nesta fase pois receberá ainda em casa Santa Clara e Gil Vicente, duas equipas fortes e que tudo farão para vencer os algarvios, estamos certos que uma vitória em Leiria deitará toda essa pressão por terra e deixará o Olhanense praticamente com a Sagres na mão, já o Portimonense, na ressaca da derrota da última jornada foi empatar 1-1 com o Feirense, e travará luta intensa pela manutenção até ao fim, numa guerra que envolve seis equipas, nas quais duas ficarão com fava. Para já o Portimonense conserva um precioso ponto de vantagem sobre a linha de água.

Nova E.N. 125 - Projecto para mudar o Algarve...

Lance de estrada que ligará a zona do Escuro (Faro) ao Rio Seco, projecto integrado no consórcio Algarve LitoralFoi apresentado no dia de ontem, com pompa e circunstância, o novo contrato de concessão para requalificação e manutenção da EN 125, a famosa "Avenida do Algarve" que no presente, está na sua globalidade degradada e desajustada à realidade económica e viária que a região algarvia carece. Ontem, no Teatro Municipal de Faro, o primeiro ministro José Sócrates e Mário Lino, ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, apontaram o projecto como dinamizador da economia algarvia e catalisador de 7.000 postos de trabalho, conjugando ainda o facto de oferecer maior segurança para os seus utilizadores.
Estou certo de que esta intervenção era precisa à mais tempo, e apesar de não me agradar todo este circo montado acerca do início das obras, vejo nele uma medida acertada. Contudo há dois reparos que não posso deixar passar em claro:

  • Estarei atento à qualidade e métodos envolvidos pela empresa vencedora do concurso, que como se sabe o venceu com um largo benefício económico para o Estado, em relação às outras propostas sobre a mesa. Um tão grande diferencial de preços não é obra do acaso... Mas aguardemos. Para já dou-lhes o benefício da dúvida.
  • Por outro lado, não me sai da cabeça, que logo que a requalificação esteja terminada, o passo mais lógico seja a colocação de Portagens na única Auto Estrada que cobre na globalidade a região, a Via Infante Sagres. Tal situação, terá claros prejuízos para o Algarve, pois entupirá ainda mais a EN125, que mesmo melhorada não dará melhores condições do que agora, se tal situação acontecer... Espero estar enganado, mas esta decisão da colocação de portagens é uma situação mais que certa, mas adiada no tempo, por forma a não criar grandes ondas no contentamento da população...

sábado, 25 de abril de 2009

Derby termina com repartição de pontos

O Farense "arrancou" um precioso empate a zero no campo do líder e favorito à vitória na série.
O equipa de Faro pode contar com os regressos de Barão e Luís Afonso para o seu meio-campo, mas viu-se privado de pedras importantes na sua dinâmica ofensiva, tal como Norberto, Della Pasqua e Zé Nascimento, tendo optado o técnico por reforçar o sector intermediário com a inclusão de Rui Graça como trinco.

O inicio da partida ficou marcado com uma entrada forte dos leões de Faro, tendo criado nos primeiro minutos um lance de algum perigo junto da baliza do visitados, através de um contra-ataque rápido protagonizado por Justo, mas com uma conclusão deficiente. Porém, foi sol de pouca dura, com a equipa do Louletano a ganhar supremacia no jogo. A única oportunidade digna de registo, foi criada por intermédio de Anselmo, à passagem da meia hora, com um remate muito perigoso, à meia volta, levando a bola a passar muito perto da baliza de Gonçalo. Até ao fim dos primeiros 45 minutos, nenhum outro lance de perigo, apesar do intenso domínio dos de Loulé, sem que o Farense conseguisse sair para o ataque.

Na segunda parte, o Farense equilibrou as operações e foi mesmo a primeira equipa a criar uma chance de abrir o marcador, com um livre ensaiado à entrada da área, com um passe perfeito para Carlos Neves, que na cara do golo, rematou forte contra o guardião adversário. Poucos minutos depois, foi a vez de Gonçalo fazer a defesa da tarde a remate do seu companheiro Graça, que quase ia dando em auto-golo, após um dos muitos livres a meia distância que o líder dispôs ao longo dos 95 minutos da partida.

Foi um jogo no computo geral equilibrado e que ficou muito abaixo das expectativas criadas ao longo da semana, com uma arbritagem que em nada ajudou, apitando ao minímo contacto físico.
Nota para o facto do Farense, continuar invicto na poule de subida, tendo sofrido apenas um golo e realizado 3 dos 4 jogos fora de portas, o que abre boas perspectivas para o que falta de campeonato, sendo que para a semana há mais uma final, em casa, contra o Reguengos.

Camp. Nac. 3ª Divisão, Série F, 4ª Jornada Fase Subida
Estádio Municipal de Loulé (Loulé)
Assistência: 1200 pessoas
16 horas, 25/04/2009
Árbitro: João Letras (Lisboa)
LOULETANO 0-0 FARENSE

Farense: Gonçalo; Cannigia, Hernâni, Carlos Neves, Wilson; Rui Graça, Luis Afonso (Caras), Barão (Arlindo), Justo, Pintassilgo, Bruno. Treinador: António Barão

Crónica por Tiago Santos In Blog Leões de Faro

terça-feira, 21 de abril de 2009

Macário Correia confiante em ganhar Faro, mas aberto a coligações

O candidato do PSD Macário Correia afirmou hoje, em Bruxelas, ter "sinais claros" em como vai vencer as eleições à presidência da Câmara de Faro, mas prefere "humildemente" aguardar pelo acto eleitoral sem rejeitar mesmo possíveis coligações.

"É verdade que os elementos de informação que disponho até ao momento dão-me sinais claros de vencer as eleições sem qualquer coligação", disse Macário Correia à Agência Lusa à margem da sessão plenária do Comité das Regiões da União Europeia.
O actual presidente da Câmara Municipal de Tavira prefere, no entanto, "ter a humildade de reconhecer que estudos de opinião são interessantes de conhecer mas não substituem as eleições".Por outro lado, Macário Correia revelou à Lusa que já foi "contactado" pelo CDS-PP e pelo Partido da Terra para uma eventual coligação eleitoral."Vejo com simpatia e com interesse essa congregação de vontades. É um assunto a estudar que será analisado nos próximos dias com todo o detalhe", concluiu. Macário Correia vai tentar ganhar a Câmara Municipal de Faro ao socialista José Apolinário nas próximas eleições autárquicas. Este acto eleitoral poderá realizar-se entre 22 de Setembro e 14 de Outubro, tendo o Governo como data-limite para a sua marcação o dia 28 de Julho - 80 dias antes do último domingo possível para as eleições.

Com esta notícia fico a saber duas coisas:
  • O PSD vai muito provavelmente coligar-se com o CDS e o Movimento Partido da Terra, dificultando ainda mais a tarefa do PS e de José Apolinário...
  • Que o Pavilhão Gimnodesportivo, iniciado no reinado de José Vitorino, terá que ser inaugurado até 14 de Outubro...

segunda-feira, 20 de abril de 2009

O Fim de Semana Desportivo em Análise - Época 2008/2009

Num fim de semana globalmente positivo para o Farense, o grande destaque acaba por ser para os dois escalões mais elevados do futebol, com nota para a importante vitória obtida por 0-2 em Évora pelos Séniores. Depois de terminar em grande a 1ª fase, o Farense entrou muito bem na fase final, obtendo 7 dos 9 pontos possíveis em disputa, mesmo que jogando duas vezes fora e com um goal average concludente de 5-1. Assim, anulou antes do previsto os 6 pontos que trazia de desvantagem e parece agora um sério candidato à promoção, aguardando-se com expectativa a deslocação a Loulé para defrontar o líder Louletano que mesmo nesta fase não supera a performance do SC Farense. Quanto aos Juniores, o resultado obtido em Massamá (1-1) foi o suficiente para garantir desde já a manutenção e assim permitir uma festa tranquila na tarde do próximo sábado. Registo interessante destes jovens jogadores é o da melhor performance forasteira, obtendo aí 20 dos 34 pontos amealhados, factor importante e que deixa a equipa para já no 10º lugar mas com hipóteses reais de acabar a prova em oitava lugar, lugar mais que merecido para Miguel Serôdio e seus "muchachos" pela forma guerreira e abnegada de como conseguiram um feito que para muitos parecia condenado ao fracasso no ínicio da época.
Falemos dos outros escalões e em especial dos Juvenis A, que apesar da vitória 0-2 diante do quinto classificado, o Quarteirense, está cada vez mais longe do objectivo pois o líder Internacional de Almancil não dá sinais de fraqueza, tendo uma vantagem de 7 pontos para gerir nas quatro jornadas que restam. Nota também para o Juvenis B que na deslocação a Almancil para defrontar o Almancilense, perderam 1-0,e estando no oitavo posto da tabela. Já os Iniciados voltaram às derrotas, depois de terem sido derrotados em casa pelo Portimonense por 1-3, averbando o sexto desaire nos últimos sete jogos.
Notas finais para Infantis e Escolas, com realce para os Infantis que no duplo confronto com o CD Montenegro bateram os locais por 3-7 e 2-5, enquanto as Escolas A venceram 2-0 o Ferreiras em casa, tendo os B's sido esmagados pelo Lusitano de Vila Real por 1-9.

Novamente na Terceira Divisão Nacional, na fase de subida o Louletano regressou às vitórias, deixando arredado da corrida pelo segundo lugar ao Costa da Caparica que, derrotado 4-2 em Loulé, fica a 8 pontos do segundo posto, enquanto os louletanos têm 7 pontos à maior sobre o terceiro classificado, o Reguengos. Na fase de manutenção F1, as duas equipas algarvias, que ainda chegaram a ter algumas ambições, cavaram nesta jornada a sua sepultura. Mais o Messinense, que com a derrota 2-0 em Castro Verde têm sete pontos para recuperar em três jornadas, missão quase impossível, enquanto o Campinense, que à entrada para a poule estava em boa posição, está a fazer uma fase final péssima e têm um pé no Distrital, após a derrota 1-0 no Lavradio com o Fabril. Já na Fase F2 o cenário não é muito melhor, embora o Quarteirense, com a vitória 1-3 em Silves, esteja agora empatado no segundo lugar da poule com 18 pontos, tendo ainda mais 2 dos três jogos para disputar em Quarteira, enquanto que o Silves está agora confirmado no Distrital.

Na Segunda Divisão B, é de facto impressionante e louvável a prestação do Lagoa, que, formado por um plantel globalmente de amadores, mesmo depois da sangria do defeso de Verão, têm em Luís Coelho um comandante seguro e nem mesmo ausência duma direcção e dos ordenados em dia demove a equipa de resultados desportivos meritórios, tendo neste fim de semana batido o Odivelas por 1-2 fora, estando no terceiro posto, mas matematicamente ainda na luta pelo acesso ao play-off de subida, situação muito improvável, mas ainda assim demonstrativa da performance nesta fase da época.
Noutro contexto, o Beira Mar, jogava cartada decisiva, do seu futuro pois a vitória em Moscavide, lançaria definitivamente os homens de Eduardo Rodrigues na luta pela manutenção, mas a derrota 1-0, deitou praticamente por terra essas aspirações.

Finalmente na Liga Vitalis, nota importante para o Portimonense, que voltou aos maus resultados e resvala agora perigosamente na tabela, tendo apenas 3 pontos de vantagem para o último classificado e também o penúltimo classificado. A derrota caseira 1-2 com o Estoril veio trazer de novo o cenário de crise a Portimão, em contraste com o que se sente em Olhão. Os vizinhos da cidade da Restauração até nem venceram nesta jornada, e caíram do topo da tabela, vendo também Leiria aproximar-se mais do ultimo lugar de promoção à Liga Sagres, mas continuamos crentes, que o Olhanense, ao empatar 1-1 em Aveiro, trouxe um ponto importante, e que lhe fará muita falta nas contas finais do campeonato.

Em bom inglês...

@ Barragem de Odeleite

domingo, 19 de abril de 2009

Vitória chave em Évora deixa Leões com garras na subida

A deslocação a Évora que era tida como crucial pelos algarvios, para que estes encarassem a promoção com outra confiança, a verdade é que o Farense conseguiu mesmo confirmar as expectativas, num jogo em ambiente adverso, trazendo da capital alentejana três pontos na bagagem, que deixam definitivamente o adversário de hoje para trás na tabela e permitem que os homens da capital algarvia se fixem a um ponto do segundo lugar, beneficiando do empate 1-1 entre Cova da Piedade e Atlético de Reguengos.

Num jogo em que os algarvios até entraram melhor que o adversário na partida, assistimos a um jogo globalmente equilibrado, mas notando-se uma melhor capacidade de troca de bola a meio campo, perante um Juventude de Évora que não fez a melhor das exibições, muito por culpa também dos algarvios, que pela sua forma de jogar, anularam muitas das iniciativas do adversário através dum maior índice de virilidade na luta pela bola. Se a infelicidade batia novamente "à porta" de Della Pasqua, que saiu lesionado pouco depois da meia hora de jogo, positivo para o Farense foi a exibição de Pintassilgo, que marcaria logo de seguida o golo inaugural da partida, revelando-se decisivo também na segunda parte, numa altura em que os locais assaltavam o meio campo farense.

Num jogo algo quezilento e com muitas paragens, situação que até favorecia a equipa em vantagem no marcador, o Juventude tentou na segunda parte chegFoto de Arquivoar à igualdade mas encontrou sempre um adversário organizado e nem mesmo a infantil expulsão de André Calado, entrado à sete minutos no jogo, condicionou a estratégia de António Barão, que viu Cissé, um dos dianteiros do Juventude ser expulso logo de seguida. Como consequência, o maior balanceamento atacante dos alentejanos, aliado a um maior espaço para jogar, em virtude de menos duas unidades em campo, acabou por favorecer a forma de jogar do Farense, que em contra ataque matou o jogo, novamente com a intervenção preciosa de Pintassilgo, oferecendo o golo a Bruno. Outra vez traídos por nova expulsão, desta feita de Zé Nascimento, à passagem do minuto 80, foi novamente Pintassilgo a fazer das suas, ao "sacar" a expulsão dum defesa contrário, deixando o jogo com 9 x 9, completemente partido e em que Gonçalo, também ele inspirado, segurou tenazmente uma vitória saborosa, num jogo que parecia interminável, fruto dos nove minutos acrescentados, em virtude das muitas paragens e do critério algo exagerado do árbitro no capítulo disciplinar que mostrou 14 cartões amarelos e 4 vermelhos durante a partida.

Camp. Nac. 3ª Divisão, Série F, 3ª Jornada Fase Subida
Estádio Sanchez Miranda (Évora)
Assistência: 550 pessoas
16 horas, 19/04/2009
Árbitro: Frederico Martins (Lisboa)
JUVENTUDE DE ÉVORA 0-2 FARENSE

(37 mn, por Pintassilgo, na sequência duma jogada rápida pela direita, Pintassilgo, recém entrado marca de cabeça, num lance com algumas culpas para o guarda redes Tiago)
(77 mn, por Bruno, num contra ataque pela esquerda, entre José Nascimento e Pintassilgo, este último faz uma assistência para Bruno concluir facilmente no interior da área)

Farense: Gonçalo; Cannigia, Hernâni, Carlos Neves, Wilson; Rui Graça (André Calado, 62mn), Zé Nascimento, Caras (Klébson, 73mn), Justo, Della Pasqua (Pintassilgo, 32mn), Bruno. Treinador: António Barão

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Pousada de Estoi inaugurada oficialmente até ao Verão

A Pousada de Estoi, em Faro, já está aberta ao público, mas a sua inauguração oficial só deverá ter lugar em Maio ou em Junho. Por agora, a mais recente Pousada de Portugal a abrir portas está em regime de «soft opening», mas já aceita clientes, revelou ao «barlavento» o Grupo Pestana, que explora a unidade hoteleira.

Segundo a porta-voz do grupo português, a unidade abriu no fim-de-semana de Páscoa, disponibilizando 45 dos 63 quartos de que dispõe. Mas, em pouco tempo, será alargada a oferta de quartos e a unidade deverá estar a funcionar em pleno, no que à vertente de alojamento diz respeito, bem antes do lançamento oficial. Esta inauguração «ainda não tem data marcada», mas acontecerá, «com certeza, antes do Verão». Nesta altura, quase todas as vertentes estarão já a funcionar. A única que poderá demorar mais algum tempo a abrir ao público é a de SPA e piscina interior, estruturas que ainda não estão concluídas.

A Pousada de Estoi já foi construída «segundo a lógica da nova geração de Pousadas», em que, além da vertente ligada ao património histórico edificado, design e hotelaria de charme, é criado outro tipo de serviços e oferecida maior capacidade de alojamento. Em Estoi, a Enatur, responsável pela construção da unidade hoteleira, recuperou o Palácio do Visconde de Estoi, aproveitou as antigas cavalariças da propriedade e construiu de raiz um novo edifício. Também houve uma aposta na recuperação dos jardins do palácio e da sua estatuária, que já foram famosos pela sua beleza. Assim, no palácio propriamente dito, estão instaladas «todas as partes comuns da Pousada». O restaurante, os bares, as salas de convívio e de pequeno-almoço e a recepção são exemplos. Já os 63 quartos vão estar todos situados no novo edifício, construído de raiz para esse efeito. Destes, três são suites. «Todos os quartos são amplos e modernos», garantiu a porta-voz do Grupo Pestana.

O antigo edifício das cavalariças do Palácio de Estoi foi recuperado para servir de salão multiusos, onde se poderão não só realizar eventos, mas também reuniões e conferências. Ao mesmo tempo, haverá uma zona de lazer exterior, com piscina. As Pousadas de Portugal de construção mais recente têm, tendencialmente, mais quartos do que as mais antigas, de modo a poderem «oferecer outro tipo de serviços, como por exemplo o SPA e a piscina interior». Uma maior capacidade de carga também torna a vertente de conferências e de eventos mais apelativa.

O projecto que permitiu transformar o Palácio de Estoi e a sua envolvente numa Pousada moderna é da responsabilidade do arquitecto Gonçalo Byrne. O investimento feito nesta unidade hoteleira ultrapassou os 13,5 milhões de euros.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Justiça "à portuguesa"...

Associação de familiares das vítimas diz-se indignada à mesma
Entre-os-Rios: tribunal diz que custas a cobrar às famílias são de 57 mil euros e não meio milhão


O Tribunal de Castelo de Paiva disse hoje que o valor das custas relativas ao processo da queda da ponte de Entre-os-Rios é de 57 mil euros e não de perto de meio milhão de euros, como tinham referido as famílias das vítimas.

Fonte judicial explicou à Agência Lusa que, desse montante global de 57 mil euros, 53 mil euros reportam-se aos pedidos de indemnização cível, em custas a repartir por mais de cem pessoas. A mesma fonte adiantou que os restantes quatro mil euros são de tributações devidas aos assistentes e arguidos.

Confrontado com a discrepância de números, o presidente da Associação de Familiares das Vítimas da Tragédia de Entre-os-Rios (AFVTE-R), Horácio Moreira, admitiu que seja esse o valor. "Se o tribunal diz que é esse o valor, eu acredito", afirmou. Questionado porque razão aludiu, ontem, a custas de meio milhão de euros, disse: "Cheguei a esse valor multiplicando os valores relativos das famílias já notificadas". Desvalorizando a diferença entre os números que apresentou e os que o tribunal referiu, Horário Moreira declarou: "Se fossem apenas 10 euros, a indignação era a mesma. Não está em causa o valor, está em causa o princípio". Ainda assim, Horário Moreira disse que toda esta situação podia ter sido evitada se o tribunal tivesse clarificado "em devido tempo" toda esta situação junto da associação de familiares.
Quarta-feira, os familiares das vítimas da tragédia de Entre-os-Rios pediram a intervenção do Presidente da República e do Governo para serem libertados do pagamento de meio milhão de euros de custas no processo-crime relativo à queda da ponte. Horácio Moreira revelou que a responsabilidade pelas custas foi distribuída por cerca de 200 familiares das vítimas, que se constituíram partes no processo de responsabilização criminal pela queda da ponte. Adiantou que, só no seu caso pessoal, as custas importam em cerca de 1900 euros e sustentou que a imputação desta despesa aos familiares é um acto "inconcebível e desumano". "Não só não vimos feita justiça, como fomos os únicos condenados no processo", observou o dirigente associativo, acrescentando que "o sentimento profundo existente em Castelo de Paiva é o de que os únicos condenados são os familiares e as pessoas que passaram no local errado à hora errada".

A antiga Ponte Hintze Ribeiro caiu a 4 de Março de 2001, provocando a morte de 59 pessoas, que seguiam a bordo de um autocarro e dois veículos particulares. Mais de cinco anos depois, em Outubro de 2006, o Tribunal de Castelo de Paiva determinou a absolvição de quatro engenheiros da ex-Junta Autónoma de Estradas e de outros dois de uma empresa projectista, que o Ministério Público responsabilizava pela queda daquela travessia sobre o Douro. Os seis técnicos estavam acusados dos crimes de negligência e violação das regras técnicas, mas o tribunal entendeu que na altura das inspecções realizadas pela ex-Junta Autónoma de Estradas à ponte não havia ainda regras técnicas que enquadrassem a actuação dos peritos. "Facilmente se conclui que os arguidos não praticaram os crimes de que vinham acusados, impondo-se a sua absolvição", sentenciou o colectivo de juízes.
Não me interessa se nos outros países a justiça é melhor que a nossa, porque não seria isso que me serviria de consolação... O que me choca neste caso, é que, além de não se fazer justiça, o Tribunal de Castelo de Paiva, têm o desplante de cobrar os custos do processo aos principais lesados do que sucedeu. Tudo o que se possa dizer, será "chover no molhado" mas não sendo alguma pessoa tida como culpada, decerto a entidade responsável pela manutenção da ponte, e que têm a seu cargo decidir sobre a sua abertura ao público, deveria ser arrolada no processo, acarretando as indemnizações devidas ao familiares, o que não atenuaria o seu sofrimento, mas seria também uma forma de custear algumas das perdas decorrentes da situação. Perante o facto da abertura da via ao público, estávamos perante um caso de negligência por parte do responsável da ponte, e, que eu saiba, negligência é crime à luz do Código Penal que rege o nosso País. Cavaco foi chamado a intervir e eu só espero amnistia para os familiares! É o mínimo!

quarta-feira, 15 de abril de 2009

De mal a pior!

Será que o PS Faro com estas atitudes ainda não percebeu que só vai perder votos nas urnas?? Depois do que escrevemos neste artigo, então não é que hoje se percebe, que apesar do que já foi discutido na Assembleia Municipal, o seu responsável local alega que "O PS não vai retirar os cartazes. Não estamos a violar a lei, e os cartazes não impedem a visão nem o trânsito. Também não são um atentado à estética urbana. Não os tiramos porque fomos os primeiros a colocá-los e estão nos melhores locais"... Simplesmente brilhante... Aguardemos.

Na ressaca do futebol, nada melhor que uma menina que nos dá força...


terça-feira, 14 de abril de 2009

Macário promete estradas novas para Faro

O candidato do PSD à câmara de Faro, Macário Correia, prometeu à agência Lusa requalificar as quatro estradas de acesso à capital do Algarve.

Em declarações à Lusa, Macário Correia afirmou que "Faro recebe os seus visitantes, essencialmente por quatro portas (Patacão, Rio Seco, Chelote e Penha)" e essas "entradas revelam anos de abandono, de desleixo, de ausência de planificação e de determinação".
"A primeira tem alguns arranjos positivos, ainda que incompletos e carentes de uma qualidade mais cuidada. As outras três são muito pobres e com um aspecto confrangedor para quem recebe milhares de pessoas por dia e dá assim sinais de pouca consideração por elas", afirmou o candidato social-democrata.
O ainda presidente da câmara de Tavira garante que "é possível fazer melhor e até gastar pouco dinheiro público" e defende que "a solução passa por lançar rapidamente concursos de ideias, com vista à requalificação global das entradas".
"No seguimento das próximas eleições autárquicas, este processo será prioritário", prometeu Macário Correia, para quem "a execução das obras preconizadas nesses projectos podem, em boa parte, ser apoiadas em donativos privados de empresas que gostem de se associar a imagens agradáveis e positivas".
O candidato social-democrata, que vai concorrer contra o actual presidente, o socialista José Apolinário, pretende assim "a remoção da excessiva quantidade de painéis", a "limpeza de muros", a "criação de espaços verdes ordenados", de "bermas cuidadas" e a criação de uma "nova solução para a fluidez viária de Vale de Amoreira/Nacional 2".
A "Retirada de construções abarracadas" ou a "requalificação de sinalética informativa e direccional" são outros dos objectivos da requalificação dos acessos a Faro preconizada por Macário Correia, informa o despacho da agência noticiosa.
"O dinheiro público não abunda, mas as cedências e compensações urbanísticas dos loteamentos confinantes, que deste modo saem valorizados, e os donativos atrás referidos são grande parte da solução", concluiu.

Ideias têm Macário, mas como todos os políticos da nossa praça, só acredito quando ver a obra feita. De facto as entradas da cidade citadas no artigo, à excepção do Patacão, são vergonhosas e indignas duma capital de distrito, juntando também a essas a entrada da Lejana. Arrisco me a dizer que a maior parte das cidades algarvias têm um conjunto de entradas nos seus núcleos, com melhores condições, mas Faro, a capital, continua parada no tempo...

Lucílio e o Wikipédia...


segunda-feira, 13 de abril de 2009

O Fim de Semana Desportivo em Análise - Época 2008/2009

Em fim de semana pascal, no qual alguns campeonatos estiveram parados, destacamos mais uma vez a equipa Sénior do SC Farense que conseguiu vencer mais uma batalha, garantindo os três pontos num confronto directo com um oponente à promoção, o Cova da Piedade, que acabou por vencer por 3-1. Com o campeonato cada vez mais equilibrado e aberto, assistimos agora a uma luta de quatro galos para o mesmo poleiro, o segundo lugar, pois apenas três pontos separam estas equipas entre si. Com oito jornadas pela frente, parece-nos ser do Atlético de Reguengos um ligeirissímo favoritismo, mas o futebol é uma incerteza e por isso o mais importante é marcar a diferença nos jogos fora. Torna-se imperioso vencer o próximo jogo, ou pelo menos não perder em Évora, adversário directo, por forma a segurar essa equipa e também não se afastasr do trilho dos primeiros. Relativamente ao SC Farense, apenas registámos mais uma equipa em competição, as Escolas A que bateram o Internacional de Almancil, fora, por 1-3.

Voltemos à Terceira Divisão, onde na fase de subida, o Juventude de Évora causou sensação, batendo o líder destacado Louletano por 2-1, mantendo-se assim colado ao Farense e deixando os de Loulé a oito pontos dos Leões de Faro. por seu turno, no grupo de manutenção F1, as duas equipas algarvias deram importantes retrocessos na luta pela permanência. Em Loulé, o Campinense de Ivo Soares viu mesmo o seu adversário empatar a partida 1-1 no período de descontos, perante uma arbitragem calamitosa, que favoreceu claramente o Castrense, deixando os alentejanos no topo da poule e os louletanos a quatro pontos da linha de manutenção. Pior está o Messinense, que após a vitória da jornada passada, voltou a complicar e perdeu 2-1 no Lavradio com o Fabril, tendo agora que recuperar seis pontos nos próximos quatro jogos, situação que nos parece improvável.
No grupo de permanência F2, o Silves acabou por dizer praticamente adeus aos Nacionais após o nulo com o Barreirense, distando agora oito pontos da linha de água, distância muito larga para recuperar, enquanto que o Quarteirense de José Veríssimo perdeu uma oportunidade de ouro para respirar após um desaire caseiro com o Lusitano de Évora por 1-2, estando a dois pontos do Barreirense.

Na Segunda Divisão B, aparte da tranquila campanha do Lagoa na fase de subida, o destaque vai para o Beira Mar, que contrariando as expectativas gerais, parece dar um ultimo grito de revolta e neste fim de semana repetiu a vitória da passada semana, fruto do 2-1 averbado em Monte Gordo como o Oriental. Apesar de ter deixado a lanterna vermelha nas mãos do Torreense, a tarefa não se afigura fácil para os comandados de Eduardo Rodrigues, distando seis pontos da linha de água e tendo apenas quatro jogos para recuperar tal diferença, sendo apenas um em casa... Já o Lagoa redimiu-se da derrota caseira da jornada passada, e no Josino da Costa goleou o líder Carregado por 4-1, mantendo-se tranquilamente no quarto posto.

Por fim, destaque para a Liga Vitalis, e em especial para o Olhanense, que nesta jornada regressou às vitorias, batendo o perseguidor directo por 2-1 em Olhão, num jogo que poderia ter um resultado mais dilatado mas que no essencial afastou da corrida o Feirense, ficando agora o Olhanense, no nosso entendimento, apenas a temer a equipa do União de Leiria, que está a seis pontos dos lugares de subida, mas que ainda receberá no Magalhães Pessoa os algarvios. Por seu turno, o Portimonense também não envergonhou nesta jornada, ao empatar 0-0 na deslocação a Oliveira de Azeméis, segurando assim a vantagem pontual de sobre o seu adversário na luta pela manutenção.

Um "Machado" de guerra

Fico feliz por saber que o algarvio e farense Rui Machado acaba de vencer o Torneio de Atenas, como que dando sequência aos últimos feitos dos nossos valores emergentes no ténis, como são os casos de Michele Larcher Brito e Frederico Gil. Só que este, enche-nos mais o coração, porque é dos nossos. Força Rui!

domingo, 12 de abril de 2009

Tantas cadeiras vazias para comemorar o pódio de Filipe Albuquerque...

A A1GP passou neste fim de semana por Portugal, mais concretamente pelo novissímo Autódromo Internacional do Algarve. Esta competição, desenhada e comandada pelo luso-sul africano Tony Teixeira, que aliás até já anunciou a construção dos monolugares da A1GP junto do dito autódromo, é neste momento a antecâmara da F1, e pelo que nos pareceu, será no futuro uma competição cada vez mais interessante de seguir, fruto das regras inovadoras e do conceito que é adoptado, por forma a aumentar a competitividade das equipas. Estando os monolugares das 23 formações, equipadas com o mesmo modelo de motor, tudo o que poderá desequilibrar, será sempre através da mais valia do staff de apoio e do próprio piloto.

Hoje, Filipe Albuquerque, o piloto que representa Portugal na prova acabou por conseguir dois resultados meritórios, primeiro chegando ao terceiro lugar na sprint race e depois sendo mesmo segundo na feature race, após a penalização da equipa irlandesa. Terminada a prova era tempo de comemoração, mas o conimbricense, depois de tanto esforço coroado com glória, apenas viu nas bancadas não mais que 10 mil pessoas, num circuito que pode albergar até 80 mil espectadores... Quando colocámos o dedo na ferida neste post, sabíamos do que falávamos, e embora o importante nestas provas, seja principalmente o impacto financeiro gerado pela transmissão televisiva, decerto não será este o argumento desejado pelos organizadores, quando a A1GP têm nesta época um média de 62.500 espectadores por corrida...

sábado, 11 de abril de 2009

Bruno decide jogo e aproxima Farense dos lugares de subida

Foi desta forma que Bruno abriu o marcador aos 13 minutos de jogo, culminando a sua exibição com mais um golo e um penalty ganho a um defesa, numa altura em que a vitória do Farense parecia incerta.

O Farense estreou-se hoje a ganhar na fase de subida, após uma sofrida vitória por 3-1, terminando a partida com apenas nove jogadores, mas guardando no S. Luís três importantes pontos que o mantém na quarta posição da tabela, mas mais perto dos dois lugares da frente.

Perante uma casa bem composta, mesmo que numa tarde em que os vizinhos de Olhão jogavam em casa, os comandados de António Barão tiveram forte apoio e entraram praticamente a ganhar na partida graças a um golo de Bruno, quando ainda nem tinha passado o quarto de hora. Mas o jogo até teve um inicio equilibrado, com as equipas a repartirem a iniciativa entre si registando-se apenas um aviso de Bruno, nuBruno prepara-se para rematar de primeira, mas atabalhoadamente para o segundo golo da partidam remate cruzado logo aos nove minutos de jogo. Com o golo obtido, coube ao Cova da Piedade perder logo de seguida um golo que parecia certo, mas por aí se ficou a reacção dos homens da margem sul, tendo também os algarvios reduzido a intensidade de jogo e procurado jogar na expectativa do que o adversário fazia. Bruno acabaria por ser o herói do jogo, realizando uma primeira parte de muito bom nível, talvez a melhor exibição que nos recordamos com a camisola branca dos Leões de Faro, gizando algumas jogadas interessantes e mostrando uma maior rapidez de movimentos. Ele mesmo faria o 2-0 através dum remate muito atabalhoado, numa altura em que o Cova da Piedade havia assentado arraiais no meio campo algarvio, dispondo de muitos lances de bola parada, alguns com a conivência do sr. árbitro da partida. O resultado seguro até aí obtido era o corolário duma exibição coesa e baseada num futebol prático, em que o Farense procurava por a bola na frente com a maior rapidez possível, perante o Cova da Piedade que demonstrava pouca felicidade na finalização.

Na segunda parte o Cova da Piedade ainda esboçou uma ténue reacção mas o Farense cedo mostrou capacidade para dominar o adversário e conseguia continuar a criar lances de perigo até que, contra a corrente do jogo o Cova da Piedade reduziria a diferença, através de um golo de Juliano. Com o golo, os homens da margem sul desinibiram-se e podiam mesmo ter empatado num dos lances seguintes, repetindo-se ao minuto 60 outra ocasião que foi bem defendida por Gonçalo. Aos 64 minutos aconteceria o lance polémico do jogo, parecendo-nos em claro prejuízo do Farense, pois ao não ser assinalada uma grande penalidade sobre Barão, este que já tinha um cartão amarelo, seria expulso do jogo, por simulação de falta. Com os nervJuliano, nr.º 17 nas costas, conferiu de cabeça o golo do Cova da Piedade na sequência de um canto marcado à maneira curtaos à flor da pele, e com a equipa reduzida a dez unidades, cabia a António Barão tentar equilibrar a equipa, fazendo entrar Rui Graça para fortalecer a zona defensiva da equipa e consolidar o resultado mínimo que ai se registava. O Cova da Piedade empolgou-se com a situação e sufocou os Leões de Faro até ao fim da partida, obrigando os farenses a quebrar muitas vezes o ritmo, também apoquentados por alguns problemas físicos, com saliência para a saída de Wilson por esse motivo, mas seria num dos raros contra ataques levados a cabo pelo Farense nesta fase de jogo, que surgiria o golo da tranquilidade, tendo Bruno conquistado um penalty após um lance de disputa de bola com um defesa contrário, que Della Pasqua converteria facilmente. Mas se os farenses estavam agora bem mais descansados, apreensivos ficaram com nova expulsão dum jogador do meio campo algarvio, Luís Afonso, tendo sido admoestado com o segundo amarelo após a comemoração deste golo. Contudo o resultado estava feito e nem mesmo o forcing final dos visitantes surtiu efeitos, terminando a partida com um saboroso 3-1 para o Farense perante uma equipa arbitragem que até começou bem mas terminou a partida a acumular alguns erros, na sua maioria em prejuízo dos algarvios.

Camp. Nac. 3ª Divisão, Série F, 2ª Jornada Fase Subida
Estádio de S. Luís (Faro)
Assistência: 900 espectadores
16 horas, 11/04/2009
Árbitro: José António Figueiredo (Lisboa)
FARENSE 3-1 COVA DA PIEDADE

(13 mn, por Bruno, na sequência dum livre executado por Caniggia à entrada do meio campo adversário, a bola é jogada por Pintassilgo junto à linha e cruza para área onde aparece Bruno a marcar de cabeça)
(32 mn, por Bruno, na sequência duma boa jogada de Wilson pela esquerda, cruza atrasado para área, onde Bruno remata muito enrolado de pé direito, enviando a bola ao poste e anichando-se na baliza defendida por Osvaldo)
(56 mn, por Juliano, que marcou de cabeça em plena área, na sequência dum canto curto)
(84 mn, por Della Pasqua, convertendo uma grande penalidade para a direita de Osvaldo e decidindo assim o vencedor do encontro a escassos minutos do fim)

Farense: Gonçalo; Cannigia, Hernâni, Carlos Neves, Wilson (André Calado, 72mn); Zé Nascimento (Rui Graça, 66mn), Luís Afonso, Barão (Rui Graça, 84mn) Justo, Pintassilgo (Della Pasqua, 77mn), Bruno. Treinador: António Barão

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Funcionárias da Loja do Cidadão de Faro proibidas de usar saias curtas e decotes

As funcionárias da Loja do Cidadão de Faro, inaugurada a 3 de Abril, foram proibidas de usar saias curtas, decotes, saltos altos, roupa interior escura, gangas e perfumes agressivos. As instruções foram dadas numa acção de formação antes da abertura da loja, denunciou uma funcionária.

Segundo conta hoje o “Correio da Manhã”, as instruções foram apresentadas durante uma acção de formação promovida pela Agência de Modernização Administrativa.“Esta acção incide sobre várias matérias e, em particular, sobre o que deve constituir um atendimento de qualidade, que ajuda ou prejudica o relacionamento com os cidadãos”, justificou Maria Pulquéria Lúcio, vogal do Conselho Directivo da agência, ao jornal. Os “aspectos de postura pessoal foram abordados como importantes para uma imagem cuidada” das funcionárias, acrescentou.
Pulquéria Lúcio confirmou a proibição do uso de decotes exagerados, perfumes agressivos e gangas, mas negou a referência a saltos altos e a roupa interior escura.


Numa sociedade onde a perda de valores está cada vez mais implantada, banalizando-se cada vez mais o uso de vestuário impróprio para os locais frequentados, mas também muitas outras situações que põe em causa a moralidade, vejo nesta recomendação um acto digno e quiçá em extinção nos dias que correm...

quarta-feira, 8 de abril de 2009

FARO: Semana Académica ao som de DJ Tiesto

A Semana Académica do Algarve regressa ao Largo de São Francisco onde DJ Tiesto figura como cabeça de cartaz. Organização espera ainda divulgar um “grande nome da música Mundial” nos próximos dias. Vinda de 30 Seconds to Mars e Tony Carreira foi boato.
Sob o tema “Onde Há Clima Para...”, foi apresentada esta tarde a 24ª edição da Semana Académica do Algarve (SA), que marca o regresso ao Largo de Francisco, depois de em 2008 ter sido no Complexo Desportivo da Penha, perto das piscinas municipais.

Com um orçamento de 800 mil euros, a SA traz a Faro, entre os dias 7 e 16 de Maio, bandas como Blasted Mechanism, Mind Da Gap, Buraka Som Sistema ou David Fonseca. Porém, o nome mais aplaudido no anfiteatro da Faculdade de Economia, em Gambelas (onde decorreu a apresentação), foi o de Tiesto, um DJ que vai abrir as hostes no primeiro sábado.

Por enquanto está em 'banho-maria' a contratação de um “grande nome da música Mundial que está a gravar um album em Miami”, referiu Teixeira de Matos, promotor do evento, que garantiu que será divulgado nos próximos dias e que deverá preencher o último dia da SA.

Eduardo Almeida, presidente da Associação Académica, recordou ao Observatório do Algarve que uma mentira de 1 de Abril criou alguns problemas com as bandas já contratadas: “Começou a circular um sms com nomes de bandas que viriam à SA, como 30 Seconds to Mars, Tony Carreira ou Mikael Carreira. Esse sms foi parar à revista Blitz que, sem confirmar a informação connosco, lançou como cartaz oficial da SA, o que nos trouxe alguns problemas com as bandas que já estavam contratadas”.

Os Xutos e Pontapés foi outra formação equacionada, mas um acidente com o baterista Kalu (partiu uma perna) levou a que a banda não marcasse concertos até Abril, o que fez com que a Associação deixasse 'cair' a banda de rock portuguesa.

O espaço vai ter, como de costume, três palcos: o Palco Principal, o Palco RUA e a Tenda de DJ.

Cartaz

Quinta-feira, dia 7 - Dia de Tunas
Sexta-feira, dia 8 - Ludo - Slimmy - DJ Tiesto
Palco RUA: You Should Go Ahead
Sábado, dia 9 - Mind da Gap - Da Weasel - DJ King Bizz
Palco RUA: Freddy Locks
Domingo, dia 10 - Fio Dental - Quim Barreiros
Palco RUA: Banda da RUA
Segunda-feira, dia 11 - Nome - Íris
Palco RUA: Killing Electronica
Terça-feira, dia 12 - Bunnyranch - Tara Perdida
Palco RUA: Green Machine
Quarta-feira, dia 13 - Kumpania Algazarra - Blasted Mechanism
Palco RUA: OliveTreeDance
Quinta-feira, dia 14 - David Fonseca – Klepth
Palco RUA: Dois Mil e Oito
Sexta-feira, dia 15 - Mesa - Buraka Som Sistema
Palco RUA: Resinance
Sábado, dia16 - Platinum ABBA - (Nome internacional a confirmar)
Palco RUA: Skalibans

In Observatório do Algarve


Espero que agora seja verdade, este cartaz é muito melhor que o outro, e desde já peço desculpa pela confusão criada neste espaço com origem na Blitz...

Gomes Ferreira em entrevista

In A Bola, 07/04/2009

terça-feira, 7 de abril de 2009

6 milhões mais um Pinto...

Foto enviada por Fernando Soares

Tudo na mesma, sabemos nós...

Na conferência de imprensa realizada durante o rally de Portugal, o presidente da Federação Internacional do Automóvel (FIA), Max Mosley afirmou que a possibilidade de Portugal, e neste caso Portimão receber o grande circo da Formula, não é irreal e que está á distância dum acordo comercial com o detentor dos direitos de exploração da F1, o britânico Bernnie Ecclestone. Acho curioso, como os meios de comunicação portugueses deram ênfase às declarações de Max Mosley...

Ora o que ele disse, foi o que todos já sabemos, ou seja, que o dinheiro e interesses comerciais é que mandam nestas coisas e que se Portugal quer a prova têm que se mexer! Tudo isto já qualquer pessoa atenta sabia, mas mesmo assim houve que fizesse disso uma grande abertura de Mosley para as negociações... Pois se Portugal, e o Algarve em particular querem a prova saberão que terão que desembolsar uma verba estimada em 25 milhões de dólares, cerca de 18/20 milhões de euros, valor considerável dada a conjuntura económica no país e para o qual o Estado sempre torceu a nariz...

Além do mais, perante o cenário de crise mundial, é natural que Mosley queira promover o seu produto, pois quanto mais interessados houver em entrar na organização de provas, mais poderá Bernnie Ecclestone levantar a fasquia com eventuais interessados.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

O Fim de Semana Desportivo em Análise - Época 2008/2009

Com o regresso dos campeonatos nacionais de futebol em força neste fim de semana, destacamos a estreia do SC Farense na segunda fase da Terceira Divisão Nacional, averbando um nulo na Costa da Caparica, o que, na sequência dos resultados da tarde, permitiu manter distâncias para o 2.º lugar e mesmo ganhar um ponto ao Atlético de Reguengos que perdeu 4-0 no Municipal de Loulé com o Louletano. Já os Juniores, que estão com 28 das 30 jornadas cumpridas, ainda não garantiram a manutenção. As contas eram fáceis de fazer e o Farense tinha que fazer o mesmo resultado que o Oeiras para garantir automaticamente a manutenção nesta jornada mas o empate 1-1 com o Estrela da Amadora veio adiar o desejo doas algarvios, deixando uma vantagem de 4 pontos para guardar nas ultimas duas jornadas. Com os Juvenis A parados, os Juvenis B, estiveram contudo em acção trazendo um empate 1-1 da Guia, estando agora no 8º lugar da tabela. Com o campeonato de Iniciados parado, vamos directamente para os Infantis, com destaque para a equipa A que foi a Tavira vencer por 4-0, cimentando o quinto lugar na 1ª divisão, enquanto as Escolas B foram derrotadas em Olhão pelo Marítimo por 3-2, permanecendo no sétimo lugar da tabela.

Voltemos à Terceira Divisão, e já para destacar as duas séries de manutenção, onde estão agrupadas duas equipas algarvias por série. Na série F1, o Campinense de Ivo Soares sofreu um duro revés na sequência da derrota 2-0 em Messines, permitindo aos locais ficar a 3 pontos da linha de água, e deixando os homens de Loulé em baixo animicamente. Já na série F2, se os Silves deu mais um passo em frente rumo à despromoção, perdendo 2-1 em Évora com o Lusitano, o destaque veio do Lavradio, casa emprestada do Barreirense, onde o Quarteirense arrancou uma preciosa vitória por 0-2, estando agora com 15 pontos, a apenas 1 ponto do Barreirense, primeira equipa acima da linha de água.

Na Segunda Divisão B, na fase de subida, o descansado Lagoa têm vindo a perder o gás da primeira fase, onde nos últimos 7 jogos, perdeu 5... Ontem, os comandados de Luís Coelho foram infelizes, falhando mesmo um penalty sofrendo o golo da derrota 0-1 no Josino da Costa, no termo da partida com o Real. Já o Beira Mar de Monte Gordo, equipa muito debilitada, fez surpresa nesta jornada, e contrariando as expectativas, venceu o encontro caseiro com o Torreense, equipa imediatamente acima na sua poule,por 2-0, estando contudo ainda distante da primeira equipa acima da linha de água, o Mafra com 22 pontos.

Finalizamos, como habitualmente, falando da Liga Vitalis. O grande destaque da jornada vai para os comandados de Lito Vidigal, o Portimonense, que bateu inapelavelmente o Gil Vicente por 3-0 em Portimão, deixando os galos fora da corrida pela promoção, e quebrando um ciclo de 4 jogos sem vencer, afastando-se também da linha de água, de onde dista agora 5 pontos. Nota final para o Olhanense, que foi surpreendido em Oliveira de Azeméis, pela equipa treinada pela ex-glória do Farense, Pedro Miguel. Num jogo com uma arbitragem algo conturbada, a Oliveirense venceu 1-0 e deixou os de Olhão com companhia na frente, tendo contudo mantido uma distância segura sobre o terceiro posto, que é ocupado pelo Feirense, equipa com a qual jogará no próximo sábado no José Arcanjo, num jogo que promete ser determinante na luta pela subida de divisão.

Semana Académica do Algarve 2009 - O Cartaz (Falso)

Blasted Mechanism fecham com chave de ouro a SA2009, abrindo a noite para os reputados 30 seconds to MarsDe 7 de Maio a 16 de Maio, Faro recebe a 24ª Semana Académica do Algarve!

Anunciado hoje dia 2 de Abril, o cartaz conta com nomes (uns já esperados, outros uma perfeita surpresa) como 30 Seconds to Mars, Moonspell, More than a Thousand. Ao contrário do cartaz do ano passado, o de este ano parece reunir entre a comunidade estudantil um forte agrado e um aplauso pelos esforços prestados pela AAUalg.

O Cartaz ( Palco Principal )
7 de Maio - Tunas, João Paulo Cavaco
8 de Maio - Quem é o Bob ?, Max ( ex-Expensive Soul )
9 de Maio - Rita Redshoes, XLGarcia e David Guetta
10 de Maio - Ana Free, M.A.U
11 de Maio - Joana Reis e Michael Carreira
12 de Maio - More than a Thousand, Tara Perdida
13 de Maio - Slimmy, Moonspell
14 de Maio - Sam the Kid, Da Weasel
15 de Maio - Angélico, Buraka Som Sistema
16 - Maio - Blasted Mechanism, 30 Seconds to Mars
In Blitz

Não sendo do meu total agrado, acredito que este cartaz será mais bem recebido que o do ano passado... Nota para a ausência dos míticos Xutos e Pontapés, e para a inclusão de nomes internacionais como o DJ David Guetta, ou 30 Seconds to Mars. Aliás estes últimos serão talvez o nome mais forte do cartaz dada a projecção actual da banda... Não deve ter sido barata a sua contratação... Repito, que não serão estes nomes da senda internacional que me farão as delícias, mas dentro do possível, considero o cartaz equilibrado, diversificando os estilos de música mais acarinhados pela massa estudantil... Talvez falta-se um "Jorge Palma" ou mesmo um nome do Jazz para compor o ramalhete, mas ainda assim dou os meus parabéns pelo Cartaz.
P.S. -> Este cartaz era falso, veja este post

domingo, 5 de abril de 2009

Farense trás ponto da Caparica e continua na luta

O Farense iniciou esta tarde a fase de subida do campeonato nacional da 3ª divisão, série F, numa deslocação há Costa da Caparica, para um jogo por si só já se afigurava complicado, quanto mais não fosse pela derrota averbada no jogo da 1ª fase por 3 a 2 numa altura em que a equipa ainda era treinada por Ivo Soares.

O equilíbrio foi a tónica dominante do encontro,a primeira parte foi disputada com muitos receios de parte a parte, de resto ficou sempre a impressão que antes de querer ganhar ambas as equipas não queriam essencialmente perder, o que resultou numa primeira parte com raros lances de perigo junto das areas. António Barão sabia de antemão que uma derrota contra a equipa teoricamente menos apetrechada da fase de subida, deitaria pelo terreno parte das ambições de ascenção da sua equipa.

Na segunda parte a tendência de equilíbrio manteve-se, sendo que as defesas continuaram a sobrepôr-se aos ataques. Ainda assim foram os da casa a enviar uma bola à barra da baliza de Gonçalo apenas com 5 minutos jogados da etapa complementar. O Farense disporia de duas boas situações de golo, aos 65 e 75 minutos de jogo com Norberto a finalizar.O empate ajusta-se ao que se passou no decorrer dos 90 minutos de jogo, sendo que com os resultados ocorridos o Farense manteve-se a 6 pontos do 2º lugar, pontos esses que poderão reduzidos já na próxima semana visto que a formação do Cova da Piedade se desloca ao São Luís.

Camp. Nac. 3ª Divisão, Série F, 1ª Jornada Fase Subida
Campo Pescadores (Costa Caparica - Almada)
Assistência:
16 horas, 05/04/2009
Arbitro: Luis Brás (AF Lisboa)
PESCADORES COSTA CAPARICA 0-0 FARENSE

Farense: Gonçalo; Cannigia, Hernâni, Carlos Neves, Wilson; Zé Nascimento (David Justo, 60mn), Luís Afonso, Barão (Rui Graça, 84mn) Norberto, Pintassilgo (Della Pasqua, 76mn), Bruno. Treinador: António Barão

Etapa final consagra Loeb e Armindo. Teodósio infeliz perde liderança na geral do CPR

Armindo Araújo deu espéctaculo com cautela mas não se acanhou nos festejos. Segundo ele, até parecia o espírito do Euro 2004Com a tarefa muito dificultada no dia de hoje, Hirvonen cedo percebeu na estrada que mais valia guardar a segunda posição do que forçar o andamento para anular uma desvantagem 27 segundos. Se Loeb abria (e limpava) a estrada nas primeiras passagens de Loulé e S. Brás, Hirvonen e os demais concorrentes tiveram um grande handicap pois a inexistência de vento deixava um rasto de pó no ar que teimava em não dispersar, atrapalhando a visão dos pilotos, que assim viam as suas prestações condicionadas. Nem Sordo nem Solberg arriscaram e também mantiveram as suas posições, havendo contudo uma luta em perspectiva para o quinto lugar, entre Mathew Wilson e Henning Solberg, mas cedo o escocês levou vantagem que parecia já lhe garantir a quinto posto, mas, um acidente perto do final do penúltimo troço deitou por terra as aspirações do piloto. A sua viatura chegaria de reboque ao Estádio Algarve pouco depois das 15 horas, conforme pudémos constatar, enquanto Henning Solberg, nesse momento havia já vencido a SS do Estádio Algarve, como que num remake do havia feito no primeiro dia de prova. Com a desistência do russo Novikov no primeiro troço do dia, seria Mads Ostberg, que tripula um Subaru Impreza, a garantir o sexto posto, deixando as posições seguintes para Federico Villagra e Khalid Al Qassimi, ambos em Ford Focus WRC, que graças à sua regularidade e às enúmeras desistências foram trepando na classificação, ficando assim em lugares honrosos.

Contudo, a par de Loeb, os grandes vencedores do dia seriam Armindo Araújo e Vitor Pascoal. O primeiro tinha hoje a missão de gerir uma vantagem de mais de 2 minutos sobre o segundo classificado no PWRC, situação que executou da melhor forma, nunca cMano a mano entre Vitor Pascoal e Ricardo Teodósio na Super Especial de consagração. O algarvio tinha que recuperar 2,6 segundos mas acbou por perder o dueloorrendo riscos e terminando no 9.º lugar da geral com menos 1.07 minutos sobre o 10º calssificado e segundo no PWRC, Martin Prokop. Quanto ao CPR, Ricardo Teodósio que ontem na parte de tarde, já demonstrava alguma perda de fulgor, vinha para hoje com uma pequena vantagem de 9,6 segundos sobre Vitor Pascoal, vantagem que não conseguiu guardar, muito por culpa de dois acidentes que o pararam em dois troços, não tendo por isso hipótese de alargar a vantagem e também porque na segunda passagem por Loulé, como consequência do acidente de Luca Griotti, este vinha com uma andamento lento, e Teodósio que havia partido imediatamente para a sua prova depois deste, acabou por levar com muito pó em cima, perdendo tempo e sendo ultrapassado por Pascoal na geral, situação que já não inverteu no Estádio Algarve, onde tinha de recuperar os 2,6 segundos em 2,2 km da extensão do circuito. Apesar disso, só se pode considerar excelente a sua participação, terminando este rally de 4 dias sem danos de maior na viatura, num excelente 15.º lugar absoluto, entre mais de setenta concorrentes, a maior parte com carros muito mais apetrechados do que o do algarvio.

sábado, 4 de abril de 2009

Com Loeb ao seu nível habitual, os adversários ficam sempre para trás...

Sebastien Loeb, o grande vencedor do dia. Foi no troço de Almodôvar que conseguiu conquistar mais segundos a HirvonenSe na primeira etapa do rally de Portugal, disputada ontem, o francês havia estado aquém dos esperado, mesmo que melhorando um pouco na parte da tarde, situação que havíamos vaticinado, seria hoje o dia do assalto para o homem da Citroen. Partia com 18 segundos de desvantagem para Hirvonen, mas hoje, invertendo-se a ordem de passagem na estrada, e também com outra disposição psicológica, Loeb ganhou os seis troços do dia, assumindo a liderança na primeira passagem por Almodôvar, onde depois na parte da tarde, daria novo recital, neste mesmo troço, porventura muito técnico, ganhando ao homem da Ford 11 segundos nos 27,18 kilómetros. Apesar de ultrapassado pelo pentacampeão francês, Hirvonen conseguiu estancar o perigo que vinha do outro piloto oficial da Citroen, o espanhol Dani Sordo, que esteve abaixo do nível exibido ontem, terminando o dia a 30 segundos de Hirvonen.

Logo cedo nos deslocámos para a primeira SS do dia, Santa Clara 1, onde naquela localidade, ainda muito cedo, perto das 8h30, já sentia o frenesim dum dia de WRCy ao fim de semana, quando o público tem maior disponibilidade para comparecer. Era evidente o aumento da presença de espectadores nos troços, quiçá o triplo de ontem, abundando o sotaque espanhol e nortenho pela pene-planície alentejana, com os espectadores, muitos deles já acampados nas imediações das zonas espectáculo, e instalando à roda das viaturas pequenas esplanadas, onde não faltava o grelhador para cozinhar a almoço. Como curiosidade, realçamos mesmo este facto das pessoas trazerem mais comida de casa, o que em cenário de crise é compreensível, isto para desespero dos habituais vendedores de roulotte, que tiveram o seu negócio condicionado.

Voltando à corrida, já não vimos passar no primeiro troço Marcus Gronholm que capotaria antes da ZE 2, deixando a luta pela vitória entregue aos três homens da frente, tendo a mesma sido assistida à distância pelo regular Peter Solberg, que com a viatura que têm, pouco poderia fazer, senão aguardar por algum azar para ascender ao pódio. Noutro patamar, HenningPeter Solberg alarga demasiado uma curva e têm depois que fazer uma ginástica para não ir contra o sobreiro.. Solberg e Mathew Wilson, os dois pilotos da Stobart travaram duelo intenso pela quinta posição, onde o primeiro líder da prova, o sueco Solberg, tentou recuperar as perdas de ontem e de certa forma o conseguiu estando agora na sexta posição, mas a míseros nove décimos de Wilson. Isto porque a jovem promessa Sebastien Ogier da equipa júnior da Citroen também desistiu logo cedo e permitiu a ascensão destes dois pilotos. Também outra promessa da Citroen, o russo Novikov, de apenas 18 anos, teve uma saída de estrada e prejudicou o seu desempenho, embora mostrando bons pormenores nos locais de passagem onde estivemos.

Nota final para os portugueses, evidentemente para Armindo Araújo, que até nem iniciou bem o dia, perdendo a liderança em Santa Clara 1 para o sueco Patrick Flodin, que tripula um Subaru Impreza N14. Contudo, o piloto nortenho a competir no Mundial de Produção soube gerir bem a situação alternando com Flodin o domínio dos troços, até que o sueco capotou em Almodôvar 2, o 5.º troço do dia, deixando Armindo Araújo confortavelmente na liderança desta categoria, ocupando mesmo num honroso 13.º lugar da geral. Quanto ao Campeonato Nacional de Ralis (CPR), nesta etapa 2, que pontua em separado, Ricardo Teodósio até começou bem, mas a partir de Vascão 1 começou a perder fulgor, borrando mesmo a pintura, com uma saída de estrada e sendo ultrapassado nesta etapa por Vítor Pascoal, piloto do Peugeot 207 S200o privado, conservando contudo o lugar de melhor do CPR na geral dos dois dias, por apenas 9 segundos, prevendo-se amanhã um dia electrizante para estes dois pilotos na busca pelo título de melhor português na prova, à parte de Armindo Araújo, que pontua para o PWRC.

Reparem no rasto de pó de Ricardo Teodósio e percebam a trajectória neste gancho do troço Almodôvar 2...

Estádio de São Luís no mercado a partir de segunda-feira

O Estádio de São Luís vai voltar a estar a leilão a partir de segunda-feira. À segunda tentativa, o clube farense, que faz depender da venda do imóvel o seu futuro, oferece uma área comercial bem maior do que da primeira vez em que colocou o estádio no mercado.

Além de ver a área de construção autorizada pela Câmara aumentar - área total de construção passou dos 35 para mais de 44 mil metros quadrados - o clube de Faro também associou novas parcelas ao concurso, uma delas cedida pela autarquia. Assim, além do estádio em si, estão igualmente à venda a parte do ginásio sede que albergava o consultório do médico Veloso Gomes e garagens e o passeio junto à fachada do estádio que dá para a Ermida de São Luís, no largo com o mesmo nome.

Recentemente, a volumetria de construção naquele terreno foi alterada pela autarquia. Agora, em vez dos três mil metros quadrados originalmente destinados a comércio, está prevista uma zona dedicada a «comércio, serviços, escritórios e lazer» de 20.769 metros quadrados, revelou sexta-feira ao final da tarde o presidente do Farense Gomes Ferreira. Em compensação, a área destinada à habitação diminui, bem como o número máximo de fogos permitidos. Quem comprar o terreno do São luís compra igualmente direitos de construção de 23.866 metros quadrados, com um limite máximo de 216 fogos. Ao nível do estacionamento, poderá ser construída uma unidade subterrânea com uma área total de 25.400 metros quadrados.

Os interessados em apresentar uma proposta para a compra do estádio terão de levantar a documentação com todas a s informações necessárias na sede do Sporting Clube Farense, pelo preço de 300 euros. A base de licitação é de 15 milhões de euros. A partir daí, podem licitar, desde que o façam «em carta fechada e lacrada», dirigida ao presidente da comissão encarregue da venda do São Luís Aníbal Guerreiro.

Estas propostas podem ser enviadas até dia 4 de Maio. No dia a seguir, 5 de Maio, às 18 horas, serão abertas todas as propostas, numa sessão que decorrerá na sede do clube e onde todos os licitadores deverão marcar presença. Aqui, «será aberta nova licitação entre os autores das três melhores propostas» e vendido o Estádio a quem der o valor mais elevado neste novo leilão. Caso não seja ultrapassado o valor da melhor licitação selada, será o autor desta última a ficar com o estádio.

Assim que a venda seja adjudicada, o comprador terá de pagar à cabeça 5 por cento do valor total da proposta. Os restantes pagamentos ficarão estipulados num contrato de promessa de compra e venda a ser acordado por ambas as partes.

Caso consiga vender o imóvel, algo que Gomes Ferreira garantiu ter esperança de que venha a acontecer, o Farense vai avançar para a assinatura da acta final do Procedimento Extra-judicial de Conciliação que encetou para pagar as suas dívidas. O valor destas ainda não foi totalmente apurado, pois «há que ter em conta os juros e eventuais perdões». Ou seja, só mesmo na hora de assinar a acta é que se saberá. «Queremos resolver o nosso passado e projectar o futuro», garantiu o presidente do Farense.
Parece que finalmente o negócio estará bem encaminhado, mas ainda aguardo com expectativa a resolução da situação com o Pingo Doce, para a qual ainda foi adiantada nenhuma informação ofcial. Não há dúvida que as condições de negócio são atractivas para os eventuais interessados, mas no meio disto tudo, a a prudência e capacidade negocial serão essenciais. para mim o negócio só estará "fechado", com a totalidade do dinheiro na conta.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Hirvonen na frente, com Loeb a preparar-se para ataque intenso amanhã...

Hirvonen, o homem que terminou na frente no dia de hoje, na sáida a uma curva algo perigosa em Ourique 1
Múltiplas leituras se podem fazer do que observámos hoje em permanência na estrada, num dia recheado de emoção e competitividade entre os pilotos da frente.

Começámos o dia mais uma vez, bem cedo, saindo de Faro pelas 7.20, em direcção ao primeiro troço do dia, Ourique 1, mais concretamente para a Zona Espectáculo 2, na Medronheira. Chegados à proximidade do local, mais uma caminhada de 3 kilómetros se seguiu, pois as erradas indicações dos assistentes ACP, antecipando o estacionamento das viaturas às pessoas, obrigavam estas a seguir pelo próprio pé até à Zona de Público. Cedo chegados ao local, onde a prova só se iniciava pelas 10.15, encontrámos um local espectacular, onde uma longa descida antecedia uma curva pronunciada à direita, para delicia do público, que mais uma vez correspondeu à "chamada", comportando-se com ordem ao longo dos troços da prova. Com Loeb a abrir a estrada, foram beneficiados os pilotos que se seguiam, pois encontravam um piso mais limpo, com menos pedras e com as trajectórias delineadas. A juntar a isso o pentacampeão francês teve ainda um percalço nesta SS acabando por ter uma saída de pista que o atrasou, deixando caminho aberto para o seu colega Sordo, que esteve em grande plano, e para os dois pilotos da Ford, Hirvonen e Latvala, este último com um andamento verdadeiramente diabólico nos primeiros dois troços, tendo depois sido traído pela sua juventude e alguma falta de concentração que originou uma aparatosa queda de 150 metros por um penhasco. Saindo ileso do mesmo, perdia aí a liderança e a hipótese de continuar em prova, deixando Dani Sordo na frente, sempre com a pressão de Hirvonen e do regressado Gronholm que esteve em grande, num Subaru Impreza WRC 08. patrocinado pelo Turismo de Portugal. Quanto aos portugueses, o destaque inicial era sem dúvida para Bruno Magalhães, o homem do Peugeot 207 S2000, viatura muito bem preparada e que estava na liderança do Mundial de Produção, até que o motor cedeu na ultima PEC da manhã deixando o árabe Nasser Al-Atiyah na frente, perante um calculista Armindo Araújo, que também já havia assistido à queda do seu rival no Mundial, o sueco Patrick Sandell, também acidentado.

Na parte da tarde repetiam-se as passagens nos troços, encontrando os pilotos a estrada mais limpa, mas também desgastada, tendo a partir daí se assistido a uma ténue recuperação do Sebastien Loeb, o maior favorito ao triunfo, vencendo duas das três SS's, perante Mirko Hirvonen, o solitário piloto da Ford, que esteve muito certinho e conseguiu conquistArmindo Araújo, num Mitsubishy Lancer EVO 9, termina o dia a liderar o Mundial de Produçãoar a liderança e mantê-la até ao fim do dia, roubando-a a Sordo, que não esteve muito bem em Ourique 2. Gronholm ainda ameaçou a liderança mas também teve alguns problemas em Malhão 2, situação que deixa Hirvonen a abrir a estrada no dia de amanhã. Pode se pensar que Loeb foi calculista nesta tarde, procurando amanha, em melhores condições assaltar o primeiro lugar, em troços que serão ainda mais duros e extensos na Serra do Caldeirão, como também há quem diga que o domínio da Citroen pode estar um pouco condicionado pela boa ambientação dos Ford's em terrenos de gravilha. Muito se jogará amanha entre estes quatro homens, parecendo-nos que o norueguês Peter Solberg, embora a 42,2 segundos da geral, esteja fora da corrida, não obstante a boa prestação no já algo "ultrapassado" Citroen Xsara WRC, antigo carro de Sebastien Loeb. Boas prestações de Sebastion Ogier, Matthew Wilson ou mesmo do míudo de 18 anos Evgeny Novikov, num vistoso C4 da equipa Junior da Citroen, terminando a nota dos pilotos internacionais com Henning Solberg, o vencedor de ontem, mas que hoje teve alguins problemas que condicionaram a prestação ao longo do dia, podendo amanha ser um dia de viragem na prova do piloto do Ford Focus RS WRC 08. Armindo Araújo não podia ter tido dia melhor, pois se havia visto dois concorrentes directos abandonar de manha, na tarde foi Nasser Al-Atiyah a parar mesmo à frente do local onde estávamos, na PEC 6, já na Zona Espectáculo 4, ascendendo à liderança, mesmo sem forçar o andamento. Quanto aos portugueses, o sinal + acabou mesmo por ser para o algarvio Ricardo Teodósio, que venceu esta etapa, batendo outros pilotos lusitanos muito bem apetrechados como Vítor Pascoal, Nuno Barroso Pereira, Adruzilo Lopes ou Ricardo Moura, de forma peremptória. O algarvio era mesmo um dos mais espectaculares na estrada e como consequência dessa atitude, esteve sem dúvida entre os mais acarinhados da prova, juntando a isso os registos conseguidos na estrada, regressando às vitórias numa prova do Campeonato Nacional, visto que este rally, têm características diferentes do normal, disputando-se em jornadas diferentes para o CPR, e contando com pontuações distintas mas premiadas também na geral final.

Amanhã esperam-nos os troços de Santa Clara Almodovar e Vascão, e contamos consigo para nos fazer companhia...



Ricardo Teodósio em grande estilo na PEC 2

TEMPOS ONLINE