quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Farense há 16 anos atrás...

In Correio da Manhã

O artigo que coloco aqui não se refere a algum feito importante do Nosso Clube, mas foi com nostalgia que ontem um colega meu me entregou um velho jornal que estava perdido na sua secretária, datado de 29.11.1992 e achei interessante compartilhar convosco... São, na verdade, memórias dum Farense forte e que como hoje se reafirmava no futebol português, se bem que em patamares diferentes... A entrevista que Paco Fortes dava na altura a um velho decano do jornalismo algarvio, Teixeira Marques, trouxe-me à memória nomes de alguns velhos ídolos das bancadas do S.Luís, hoje despidas e à espera da venda "salvadora" do futuro do Clube... Para ler com atenção e algum revivalismo...

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Melhores surfistas europeus na Praia de Faro

Tendo a Praia de Faro como palco, a partir de sexta-feira, 31 de Outubro e até domingo, 2 de Novembro, o Forum Algarve Four Oceans recebe a 5ª etapa do European Longboard Tour 2008. Com o prize-money de 5.000 euros – o melhor prémio monetário de todo o circuito – o evento vai receber os melhores surfistas europeus.
Nestes três dias são esperados no Algarve os melhores surfistas europeus da especialidade já que esta etapa é classificada com 4 estrelas pela European Surfing Federation, o que poderá determinar o próximo Campeão Europeu 08.

O Forum Algarve, centro comercial gerido pela Multi Mall Management, é o official main sponsor desta iniciativa que é organizada pelo Clube de Surf de Faro por delegação da European Surfing Federation e da Federação Portuguesa de Surf.

No âmbito do Forum Algarve Four Oceans, o Forum Algarve vai receber uma exposição de pranchas antigas na qual poderão participar todos os que queiram expor as suas Retro Boards. Na exposição vai ser possível recordar as clássicas e famosas Mark Richards, Hot Stuff, Town and Country, Local Motion, Gordon and Smith.

Esperemos que as ondas ajudem, e que o público também participe... Afinal não é só Portimão que acolhe eventos desportivos de dimensão internacional... Parece-me que sempre que algo é realizado lá, os farenses ficam com a auto estima em baixo decorrente dessa suposta "derrota" moral... Contudo há que valorizar o que se faz por cá e tentar fazer disso um enorme sucesso para que a dimensão dos eventos seja mais valorizada, levando o nome de Faro cada vez mais longe!

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Ai Pitico, Pitico, já não tens idade para estas coisas...

Murro atira Pitico para o hospital
O antigo jogador do Farense, Pitico, foi alvo de uma agressão em campo no passado domingo que lhe provocou uma fractura facial. O atleta, de 45 anos, que milita no São Marcos da primeira divisão do distrital de Beja há cinco, foi então conduzido ao hospital e posteriormente transferido para São José, em Lisboa, de onde recebeu alta ontem. O episódio aconteceu em casa do Odemirense, onde o São Marcos sofreu uma pesada derrota por 7-1.
Fonte do São Marcos disse ao CM que a agressão aconteceu quando o jogo estava interrompido e fora do olhar do árbitro. "O atleta do Odemirense deu um soco e só o árbitro auxiliar deu conta e chamou a atenção ao juiz, que expulsou o agressor."
Contactado pelo CM, António Cópio, presidente do Odemirense, disse que o clube "lamenta o sucedido" e que o jogador que agrediu Pitico "terá respondido a provocações", mas "já foi apresentado um pedido de desculpas ao São Marcos", ficando a aguardar a decisão do Conselho de Disciplina da Associação de Futebol de Beja em relação ao caso.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

O Fim de Semana Desportivo em Análise - Época 2008/2009

Nota para mais um fim de semana desportivo, desta feita marcado pelo regresso dos campeonatos nacionais, quer de juniores, quer de seniores. Na verdade, esta jornada acabou por ser negativa para o SC Farense, que viu as suas duas formações mais representativas saírem derrotadas dos seus encontros. E se a derrota dos juniores acabou por ser compreensível, pois tanto o factor "fora" como a valia do adversário podiam prever tal desfecho (1-3) em Leiria, já os seniores desiludiram mais uma vez a vasta moldura humana que se deslocou ao Estádio Algarve, fruto da tímida exibição diante do candidato Louletano, sendo derrotados justamente por 0-1.

Nos outros jogos da Terceira Divisão, grande destaque para o Silves, que embora não tenha ganho, evidencia francas melhorias e travou o líder Cova da Piedade no Estádio Francisco Vieira, sinal da competitividade que esta divisão têm. No outro derby algarvio, Campinense e Messinense jogavam em Loulé e a equipa de Arlésio Coelho manteve a tendência para não vencer, tendo o Messinense obtido a segunda vitória na prova, resultado que agora abre novas perspectivas para a formação treinada pelo jovem técnico José Miguel. Por fim, nota para o Quarteirense que continua a afundar-se na tabela e ontem foi derrotado no Lavardio por um tangencial 1-0, deixando a turma de Resende em maus lençóis.

Jornada positiva na Segunda Divisão B, onde o grande destaque vai para o Lagoa. Esta equipa, que teve uma autêntica razia para a presente temporada, está a rubricar um época assinalável e o trabalho de Luís Coelho têm sido recompensado com preciosos pontos, tendo a vítima deste fim de semana sido o Atlético que foi derrotado pelos algarvios na Tapadinha. No outro jogo, empate 1-1 entre o Beira Mar e o Pinhalnovense, resultado que sem ser positivo, mantêm a equipa de Luís Carlos nos 6 primeiros do campeonato.

Por fim, também jornada postiva para os algarvios na Liga Vitalis. Olhanense e Portimonense, contrariando algumas expectativas, não sairam derrotados dos seus encontros, tendo mesmo o Olhanense regressado às vitórias após bater o Aves por 1-2 com Bruno Veríssimo em grande destaque salvando os algarvios dum resultado negativo na parte final da segunda parte. Os pupilos de Jorge Costa têm são curiosamente o melhor ataque da prova, mas também a pior defesa e estão agora empatados na tabela a 10 pontos com o vizinho Portimonense, o qual defrontarão no próximo sábado no Municipal de Portimão. Por seu turno, os alvinegros garantiram um nulo em Gondomar e mantêm no grupo da frente, deixando assim água na boca o derby da próxima semana.

Dia do Exército trouxe vida à baixa farense

Foi com alegria que visitei ontem a baixa de faro e pude constatar o ambiente em torno da Parada Militar, inserida nas comemorações do Dia do Exército, no qual a Faro foi a cidade anfitriã neste ano de 2008. Este ambiente salutar fruto da excelente moldura humana presente renovou a capitalidade de Faro e endereçou um recado para os políticos locais, aos mostrar que a Cidade gosta destes acontecimentos e colabora para que não sejam um insucesso para a imagem da Cidade. Vericámos muitas espalanadas cheias, ruas preenchidas e sobretudo alegria nas pessoas... Pena que para a próxima semana tudo volte ao marasmo habitual...

domingo, 26 de outubro de 2008

Farense incapaz de ombrear com candidato Louletano afasta-se do sonho da subida

O Estádio Algarve recebeu na tarde de hoje o primeiro jogo oficial entre as duas equipas residentes desse espaço, nesse local e foi com agrado que pudemos acompanhar a partida num ambiente semelhante aos jogos de primeira liga, trazendo-nos à memória tempos passados no velhinho São Luís, onde a força do Leão de Faro era transportada de fora para dentro do relvado. Mas na verdade, a história dilui-se no tempo e na actualidade o Farense encontra dificuldades (inesperadas) em se assumir como força dominadora nos jogos caseiros. Esta época, naquela que foi a quinta partida oficial no “seu” terreno, não consegue melhor que um empate e 4 derrotas…

No jogo de hoje, diante da equipa profissional do Louletano, o Farense voltou a não entrar bem e viu cedo o Louletano assumir as rédeas da partida, coordenando melhor as operações a meio campo, jogando preferencialmente curto e rápido na busca dos homens da frente, Devigor e Mazinho. A este ímpeto, apenas aos 11 minutos se registou uma reacção farense, numa joga de contra ataque conduzida na direita por Della Pasqua, ao qual Everson, na cara do golo, falhou incrivelmente a emenda. Apesar de ter equilibrado a partida gradualmente, raramente o Farense foi expedito na transposição defesa-ataque, revelando lentidão e previsibilidade nas movimentações, sendo as mesmas manietadas por a adulta formação de Loulé, que apareceu mais perigosa e rematadora. Como consequência disso, seria com alguma naturalidade que o Louletano inaugurava o marcador, pelo extremo direito Pintinho, que rompeu pelo meio e correspondeu a uma solicitação de um colega, tendo efectuado um perfeito chapéu a Costa. Mais uma vez o Farense era surpreendido no seu terreno por uma equipa forasteira, ainda na primeira parte, o que trazia dificuldades acrescidas aos Leões de Faro, que teriam que ultrapassar um Louletano mais retraído, mas sempre perigoso no contra golpe.

Após o intervalo, com a entrada de David Justo, o Farense ganhou dinâmica e vivacidade no ataque, tendo o jogador pombalino colaborado de forma activa na partida o que contribuiu para o melhor período de futebol farense, até cerca dos 60 minutos de jogo. Pudemos verificar então um Louletano “encostado às cordas” mas a incapacidade de criar reais lances de perigo revelou-se fatal para as ambições farenses, quiçá pondo a nu a falta de um líder a meio campo, que saiba jogar e fazer jogar os jogadores mais adiantados da equipa de Faro. Após esse período, o Farense refreou um pouco os anseios, acabando o Louletano por acertar as marcações e vendo também Ivo Soares abdicar da entrada de Bruno, que ultimamente havia feito boas exibições e que seria um adversário à altura para os gigantes defesas centrais louletanos. Na verdade, Nuno Abreu e Idalécio, demonstrando dificuldades nos lances rápidos, souberam anular da melhor forma o jogo farense, que também não foi inteligente dada a tendência para assistir os avançados pelo ar, facilitando a tarefa aos homens de Loulé, que perante Edinho e Toni, iam defendendo as sua área com relativa facilidade.
Nem mesmo a expulsão de Fábio Teixeira, a dez minutos do final foi aproveitada da melhor forma, pois o Farense tarde se atirou definitivamente para o ataque, demonstrando mais uma vez, pouca atitude ofensiva, o que torna as vitórias cada vez mais difíceis de acontecer. Resultado justo com arbitragem globalmente razoável mas contestada no capítulo disciplinar.
Declarações dos treinadores:
Ivo Soares: “Foi uma partida mal jogada, não foi um bom jogo”, “Na primeira parte, ficámos aquém das expectativas. Depois, no segundo tempo, melhorámos, arrisquei o que podia mas não deu, perante uma boa equipa, a melhor que defrontámos até agora”
Manuel Balela: “Foi um jogo acima do nível habitual de III Divisão. Defrontámos a melhor equipa que vi nestas primeiras jornadas mas que, apesar da maior posse de bola, não criou oportunidades”, “Estes três pontos consolidam o objectivo da subida”

Ficha de Jogo:
Estádio Algarve (Parque das Cidades)
15 horas, 26/10/2008
Assistência: 2500 espectadores
Árbitro: Nuno Filipe (Algarve)
FARENSE 0-1 LOULETANO
(32 mn, por Pintinho, que recebe um passe a rasgar do meio campo e isola-se, executando um chapéu perfeito a Costa, que pouco podia fazer)

Farense: Costa; Cannigia, Hernâni (David Justo 45mn), Wilson, Duarte; Rui Graça, Luís Afonso; Della Pasqua (Edinho 65mn), Barão (Toni 53mn), Zé Nascimento; Everson. Treinador: Ivo Soares

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Rescaldo do Rally de Loulé 2008

Rali de Loulé teve espectáculo até final

A dupla Pedro Peres e Tiago Ferreira venceu o Rali de Loulé e ascenderam à liderança do Campeonato Open de Ralis, quando faltam disputar apenas duas provas para o final da temporada.
Numa prova onde o algarvio Ricardo Teodósio, mesmo com um carro inferior liderou até à derradeira especial, o piloto do Ford Escort Cosworth acabou por chegar à vitória, depois de uma portentosa actuação na segunda passagem pelos 16,93 quilómetros do troço da Cortelha. De uma assentada, Peres não só desfez a pequena diferença que o separava do piloto algarvio, como deixou o até então líder a mais de 15 segundos, beneficiando também dalguns problemas no Mitsubishy de Ricardo Teodósio, que obrogou o algarvio a refrear o andamento nesse troço. Luís Mota, vencedor deste rali em 2006 e 2007, ficou-se pelo último lugar do pódio. No final Pedro Peres afirmou que «quando entrámos para a última especial tínhamos a noção de que poderíamos chegar ao Ricardo e andámos o mais rápido possível. No final, percebi que devia mesmo ter ganho e estou muito satisfeito, pois não há dúvidas de que este carro nos permite fazer coisas espectaculares. Apesar de terem rodado na primeira posição, desde a super-especial disputada no sábado na Zona Industrial de Loulé, Ricardo Teodósio e Pedro Conde não foram felizes na parte final da prova e foram prejudicados por uma ligeira saída de estrada na penúltima especial e um problema na transmissão do Mitsubishi Lancer Evo IV pelo que a vitória seria muito fácil de segurar como admitiu Teodósio, «não fomos muito felizes na parte final, mas acabámos por estar satisfeitos por ter terminado. Nesta última especial tive de poupar a mecânica e por isso não deu para mais». Sempre competitivo, mas sem muitos argumentos para ombrear taco a taco com os dois primeiros da geral, Luís Mota manteve-se firme durante todo o rali, no terceiro posto da geral. Foi controlando os adversários à distância, e pode se dizer que o piloto do Cartaxo deu uma cartada decisiva na conquista do Campeonato Regional Rallys Sul (CRRS), saindo de Loulé quase com o título assegurado. Interessante foi uma vez mais a luta entre Jorge Santos e João Ruivo, que, até à última especial, rodaram sempre bastante próximos, tendo o piloto do Citroen Saxo Kit-Car levado a melhor, com Ruivo a perder imenso tempo devido à quebra da transmissão do Fiat Stilo Multijet na segunda passagem pela Cortelha, que o fez cair até à décima posição final. Devido a isso, Octávio Nogueira e Manuel Coutinho, que fizeram uma prova isenta de problemas, terminaram na quinta e sexta posição respectivamente, tendo Pedro Raimundo concluído a prova na posição seguinte, garantindo mais uma vitória entre os concorrentes do Campeonato de Portugal Júnior de Ralis. Surpreendente ou talvez não, foi a prestação de Pedro Lança, que, na frente de Júlio Bastos, conseguiu um excelente oitavo lugar da geral. Abaixo do esperado estiveram alguns pilotos do Regional Sul, candidatos às primeiras posições, que por problemas mecânicos ou saídas de estrada não conseguiram completar a prova a cargo do Clube Automóvel do Algarve, como foram os casos de Pedro Leone, António Lampreia, Bruno Andrade; João Monteiro. No Troféu FastBravo (Seat Marbella), Óscar Coelho venceu pela terceira vez este ano, e no que toca aos algarvios destaque para a infeliz participaçao do louletano Luis Nascimento, que na estreia nesta categoria, e numa altura em que "dava que fazer" aos habituais candidatos viu uma saída de estrada deitar por terra a brilhante prestação. Nota também para a Super Especial nocturna do Rali de Loulé, grande novidade desta edição, e que foi um momento de pura adrenalina, onde um público muito numeroso se deliciou com a passagem de seis dezenas de veículos em 1700 metros asfaltados da Zona Industrial. Com o resultado obtido no Rali de Loulé, Pedro Peres passa a liderar o Campeonato Open de Rallys por quatro pontos, quando faltam três provas de terra, piso onde o segundo da classificação Jorge Santos não sente grande à vontade.O Campeonato Regional de Ralis do Sul vê quase arrumada a questão da liderança, com Luís Mota a deixar poucas dúvidas de que pode chegar ao título no Rallye Casinos do Algarve.

A próxima prova do Regional Sul é o Rally Casinos do Algarve já a 21 e 22 de Novembro, também pontuável para o Campeonato Nacional de Rallys.

Classificação:
1º Pedro Peres/Tiago Ferreira, Ford Escort Cosworth, 52m51,8s;
2º Ricardo Teodósio/Pedro Conde, Mitsubishi Lancer EVO IV, a 16,8s;
3º Competisport/Luís Mota/Ricardo Domingos, Mitsubishi EVO IV, a 1m23,8s;
4º Jorge Santos/Vítor Hugo, Citroen Saxo Kit Car, a 1m46,1s;
5º Gar. HM-Mister Churrasco/Octávio Nogueira/Nuno Gomes, Citroen Saxo Kit Car, a 3m13,7s;
6º Manuel Coutinho/Manuel Babo, Peugeot 206 GTI, a 4m12,6s;
7º Seteforma/Pedro Raimundo/Nuno R. Silva, Peugeot 206 RC, a 4m54,3s;
8º A.Maia Sport/Pedro Lança/Ricardo Baptista, Citroen Saxo, a 5m18,8s;
9º Júlio Bastos/Aníbal Pereira, BMW M3, a 5m22,6s;
10º João Ruivo/Alberto Silva, Fiat Stilo MJ, a 5m38,3s;

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

"Vendedores" de Ilusões...

Jornada 7: Farense - Louletano

Jornal "A Bola" fala numa assistência esperada de 2 mil pessoas, paraguaios do Farense poderão eventualmente estrear-se e, no Louletano, o central Idalécio(ex-Farense) mantêm-se em dúvida para o jogo de domingo enquanto Pintinho, jogador influente na manobra atacante também recupera de lesão e poderá não defrontar os Leões de Faro.

Apolinário esqueceu-se de apresentar rendimentos

O presidente do município de Faro ainda não apresentou rendimentos no Tribunal Constitucional. Autarca não receia perder o mandato.

Cinco dos seis presidentes de Câmara que não entregaram declarações de rendimentos no Tribunal Constitucional (TC) mostraram-se hoje confiantes de que isso não coloque em causa o mandato autárquico e comprometeram-se a resolver o problema pendente. Entre eles está José Apolinário, presidente da Câmara Municipal de Faro. O autarca alegou que "não tinha consciência da obrigatoriedade de entregar a declaração de rendimentos todos os anos" junto do TC.
"E nem fui notificado da situação [irregular]. Pensava que era no início e no final do mandato", afirmou, à agência Lusa.
"Segunda-feira vou a Lisboa ao Tribunal Constitucional para regularizar a situação", afiançou José Apolinário, negando ter agido de má fé, até porque recentemente vieram a público os seus rendimentos pela imprensa nacional.
Segundo uma notícia de hoje do Diário Económico, Apolinário é um dos cinco presidentes de Câmara (Santarém, Évora, Faro, Castelo Branco, Coimbra e Ponta Delgada) que não entregaram as declarações, uma situação que envolve também 39 vereadores das principais autarquias do país.
A Lei nº 25/95 de 18 de Agosto, no artigo 2º, diz que "os titulares de cargos políticos e equiparados com funções executivas devem renovar anualmente as respectivas declarações" e no artigo 3º da Lei anterior refere que em caso de não apresentação da declaração, o Tribunal Constitucional "notificará o titular do cargo a que se aplica a presente lei a apresentá-la no prazo de 30 dias consecutivos, sob pena de, em caso de incumprimento culposo, (...) incorrer em inibição de um a cinco anos para o exercício do cargo".
Engraçado é que esta situação ainda se reporta ao ano de 2006... E já estamos em finais de 2008...

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

As duas visões do PIDDAC, segundo Bota e Freitas

De "decepção completa" a "rigoroso e bem orientado"

O Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central (PIDDAC) para o Algarve em 2009 contempla 99,9 milhões de euros. Quatro concelhos algarvios não recebem qualquer verba. Faro, a par de outros concelhos PS são os mais beneficiados. Nos 13 milhões de euros para Faro estão contemplados projectos como a construção do edifício sede da Polícia Judiciária (431 mil euros), bem como o Porto de Recreio (dois milhões de euros). A soma das verbas destinadas directamente aos concelhos é de aproximadamente 33 milhões de euros. Os restantes 67 milhões que perfazem a totalidade do PIDDAC para o Algarve são descritos nos quadros do Orçamento de Estado como verba para "vários concelhos do distrito". O Região Sul contactou os dois principais partidos políticos no Algarve a fim de colher uma análise ao documento. Se para o PS é "rigoroso e bem orientado", já o PSD diz que "é uma decepção completa, uma vergonha!".

PSD Algarve: Interior "votado ao abandono". Câmaras PSD "marginalizadas".
O PSD Algarve diz que este é o mais baixo PIDDAC de sempre, que desrespeita a região, vota ao abandono o interior, esquece toda e qualquer obra estruturante, e marginaliza as autarquias PSD com dois pesos e duas medidas. Em declarações ao Região Sul o líder da distrital laranja, Mendes Bota, diz que o PIDDAC "é hoje seis vezes inferior ao PIDDAC de há sete anos" e que “bate o recorde” do ano passado que já tinha sido o mais baixo: "Este ainda é menor, porque nem sequer cobre a inflação de 3%". O político lembra que o Estado "leva dinheiro do Algarve às catadupas" e que este PIDDAC "prova que o Algarve é explorado de uma forma colonial". "Aquilo que temos não passa de uma esmola, uma gorjeta", caracteriza. Mais gravoso que isto, considera Mendes Bota, é o facto de quatro concelhos (São Brás de Alportel, Monchique, Vila do Bispo e Alcoutim), não receberem qualquer verba. "Este Governo vota totalmente ao abandono o interior do Algarve. Os concelhos mais desfavorecidos são aqueles que levam zero. É uma vergonha". Por outro lado três autarquias PS recebem verbas consideráveis (Faro: 13 milhões, Portimão: 6,8 milhões; Lagos: 4,1 milhões) em relação a quatro autarquias PSD (Loulé, Albufeira, Tavira e Silves, que recebem entre 1,3 e 1,8 milhões). Para Bota "torna-se evidente que existe aqui dois pesos e duas medidas". "As autarquias do PSD foram completamente marginalizadas", que "o pouco que havia para distribuir foi distribuído por aqueles que já são mais desenvolvidos, ricos e poderosos". Contudo, apesar de sair beneficiado, o responsável ressalva que o concelho de Faro vê muitas verbas consignadas devido à capitalidade, por ali estarem instalados determinados serviços que servem toda a região. Mendes Bota recorda que a região sofreu "um corte brutal" nos fundos comunitários, e que "ao contrário do que foi prometido o PIDDAC não dá qualquer compensação ao nível de fundos internos". "Onde estão as grandes obras que fazem falta: IC27 de Alcoutim para Beja, o IC4 de Lagos para Sines, a Ponte Alcoutim - San Lucar, a modernização da ligação ferroviária até Lisboa, a modernização da rede ferroviária do barlavento, o metro de superfície, a navegabilidade do Guadiana e do Arade...?", questiona, rematando que os 99 milhões de euros inscritos no PIDDAC para o Algarve são verbas "esmagadoramente destinadas a programas operacionais, e não investimentos físicos, materiais". "É uma decepção completa!".

PS Algarve: "Actividade económica directa" apoiada num momento "complexo"
O PS Algarve afirma-se "globalmente satisfeita" com o Orçamento de Estado, que o líder da estrutura, Miguel Freitas caracteriza como "rigoroso mas bem orientado", no que toca à região algarvia. 30 por cento (%) do investimento de 99,9 milhões - "um aumento total de 5 por cento em relação a 2008", destaca o político - é orientado "para a actividade económica directa". "O que é preciso, num momento particularmente complexo, é apoiar as pequenas e médias empresas algarvias em todos os sectores", frisa. Miguel Freitas sublinha também que o OE apoia com "uma verba considerável as infra-estruturas estratégicas ligadas ao mar", nomeadamente os portos de pesca de Albufeira e Quarteira e para o porto de recreio que vai avançar em Faro. O dirigente socialista acentua ainda os investimentos previstos para a saúde e segurança. Nesta área, cita o arranque da esquadra da PSP de Lagos e o "fortíssimo apoio" ao programa Escola Segura. Sobre as várias críticas deixadas ao documento pelo PSD-Algarve, Freitas torce o nariz: "É uma leitura enviesada, que não corresponde à nossa visão". "As marcas importantes e principais investimentos são no litoral, mas não é verdadeiro que não haja apoio ao interior. Muito do PIDDAC regionalizado vai ser investido no interior", reforça o responsável socialista. Sobre uma eventual marginalização de câmaras PSD, o líder do PS Algarve afirma que "o investimento público não escolhe concelhos", lembrando que existem verbas para instituições sedeadas em Faro que vão ser investidas noutros municípios. "O PIDDAC regionalizado de hoje não tem o mesmo carácter do de há dois anos atrás. Há muitas obras que vão ser feitas que não estão em PIDDAC. O que interessa é comparar com 2008: houve aumento de investimento, com prioridades correctas", conclui.

É engraçado como os políticos torcem os números do aumento (ou não) do PIDDAC a seu bel prazer, mas verdade seja dita que mesmo esse valor é uma ESMOLA a uma Região que faz entrar nos cofres do Estado "rios de dinheiro" através do sector do Turismo, onde grande parte da população algarvia trabalha directa e indirectamente... O Poder Central cada vez mais se esquece das periferias e mesmo o pouco que vêm de lá, é distríbuido duma forma pouco ortodoxa, deixando para trás os concelhos mais envelhecidos e que precisam dum novo impulso para poderem sobreviver, o que no caso até proporcionaria melhores condições de vida às pessoas que vivem "sufocadas" nas cidades do litoral, trazendo-as de novo para o "outro Algarve"...

Paraguaios no plantel

O jovem avançado Miranda, ex-Presidente Hayes, e o médio-defensivo Guasch, ex-12 de Octobre, são os mais recentes reforços do Farense e já se treinaram com o plantel. O técnico Ivo Soares vê desta forma colmatadas algumas lacunas verificadas na equipa. Um central poderá ainda reforçar a equipa no decorrer da semana.
In O Jogo

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Rally de Loulé em vídeo...

Nota: Ricardo Teodósio é o n.º 8 num Mitsubishy Lancer branco

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Pedro Peres vence Rally de Loulé "ao cair do pano" quebrando domínio de Ricardo Teodósio

O vencedor Pedro Peres, tripulando um Ford Escort Cosworth, acabou por fazer um rally imaculado e beneficiou duma ligeira saída de estrada de Ricardo Teodósio na penúltima PEC, e de alguns problemas de transmissão no Mitsubishy Lancer EVO IV, deitando por terra a vitória do algarvio, quando este estava a dar um autêntico recital de condução pelos caminhos de terra da serra algarvia... Infortunado terminou em 2.º lugar, deixando no terceiro lugar Luís Mota já bastante afastado deste duo, mas consolidando a sua posição na liderança do CRRS.
Mais informações e fotos brevemente...

O Fim de Semana Desportivo em Análise - Época 2008/2009

Num fim de semana marcado pela interrupção dos campeonatos nacionais de futebol, apenas registamos dois jogos de interesse para os algarvios.
Após 8 das 10 equipas algarvias já estarem afastadas da competição, apenas Olhanense e Portimonense representavam o Algarve na Taça de Portugal Millennium, e se ambas eram consideradas amplamente favoritas para o seus embates de ontem, apenas o Portimonense pode festejar, pois o Olhanense, em maré negra de resultados, desiludiu os seus aficionados, após a displicente exibição diante da formação do Arcos de Valdevez que culminou com a derrota no desempate por marcação de grandes penalidades por 1-4 após uma igualdade 1-1 nos 120 minutos de jogo.
No outro jogo, os comandados de Vítor Pontes cumpriram a sua missão e bateram o Pinhalnovense por 2-1 no Municipal de Portimão, figurando assim como a única equipa algarvia em competição na próxima eliminatória da Taça.

Faro vai ser invadido pelo Exército

A cidade de Faro vai ter uma animação especial no próximo fim de semana. O Município vai receber e apoiar as comemorações do dia do Exército, de 23 a 26 de Outubro, com diversas actividades de carácter militar, cultural, desportivo e recreativo.
Trata-se de uma iniciativa com importância a nível nacional, que vem marcar e reafirmar a aposta do município na vertente cultural e Faro estará de “portas abertas” a todos os visitantes, sobretudo aos mais jovens, os quais poderão usufruir de diversas actividades. A cerimónia e desfile militar, no dia 26, no Jardim Manuel Bivar, corresponderá ao ponto mais alto das comemorações, contando com a presença de cerca de 1200 militares. Também neste dia será celebrada uma Missa na Igreja da Sé pelo Bispo das Forças Armadas e das Forças de Segurança, D. Januário Torgal Ferreira, e com transmissão em directo na RTP.
De 23 a 26, decorrerão as actividades complementares, com exposição de capacidades e meios, uma mostra daquilo que são os meios fundamentais do Exército, na Praça da Pontinha. Neste local será apresentada a viatura de combate Leopard, com 60 toneladas, que chegará da Holanda, directamente para Faro, e que o Exército irá receber para estas comemorações. Estarão ainda presentes outras viaturas militares e emblemáticas, como o Pandur, viatura com 8 rodas e de grande impacto. Ainda na Praça da Pontinha os mais jovens terão acesso à Torre Multi-Usos que permitirá a realização de escalada, Slide e Rappel, sendo esta acção constantemente monitorizada por pessoal devidamente habilitado e garantindo a segurança pessoal dos participantes desta experiência. Também no Jardim Manuel Bivar haverá uma exposição de materiais e pólos de experiência. Estas exposições que decorrerão ao longo das comemorações estarão abertas ao público, com livre acesso, no seguinte horário: dia 23- 14:00 às 22:00; dias 24 e 25- 10:00 às 22:00 e dia 26- 12:30 às 20:00.Destaca-se ainda, no dia 25 de Outubro, pelas 21:30, a actuação da Banda Sinfónica do Exército, composta por 105 músicos, com relevo a nível nacional e também internacional, e que proporcionará um concerto memorável no Teatro das Figuras, com entrada livre.

Ainda em parceria com a Universidade do Algarve, as comemorações irão incluir as Jornadas Académicas, no dia 24, no Campus de Gambelas, durante as quais serão apresentados 3 painéis: “A presença do Exército no Algarve ao longo da história”; “Fortificações e Arquitectura Militar no Algarve” e “Cartografia e Topografia”. Durante estas apresentações, que decorrem das 10:00 às 16:00, decorrerá uma exposição de Cartografia: “Portugal em vésperas das Invasões Francesas”. Através do programa das Comemorações do Dia Exército, em parceria com a Câmara Municipal de Faro, Diocese de Faro e Governo Civil, o Exército Português, organizador do evento, pretende divulgar o seu espírito e capacidades, transmitindo a ideia de um Exército participativo e aberto à sociedade.

PROGRAMA
De 23 a 26
Exposição militar de capacidades e meios do Exército - Praça da Pontinha,
Torre multi-usos- escalada/rappel/slide- Praça da Pontinha
Exposição de materiais e Pólos de Excelência- Jardim Manuel Bivar
Horário:
Dia 23- 14:00»22:00
Dias 24 e 25- 10:00»22:00
Dia 26- 12:30»20:00
Dia 24
Jornadas Académicas- 10:00»16:00
10:30- Painel I- A Presença do Exército no Algarve ao longo da História
12:00- Painel II- Fortificações e Arquitectura Militar no Algarve
14:30- Painel III- Cartografia e Topografia - Exposição “Cartografia de Portugal em vésperas das Invasões Francesas”- durante o dia Local: Universidade do Algarve - Campus de Gambelas- Auditório Verde, Apoio: UALg
Dia 25
08:00- Treino para a cerimónia militar
21:30- Concerto com a Banda Sinfónica do Exército- Teatro das Figuras com 105 músicos/ naipes de cordas, percussão e sopro
Dia 26
10:00- Missa de Acção de Graças e de Sufrágio- Sé Catedral, presidida pelo Bispo das Forças Armadas e de Segurança, S. Exa. Ver. D. Januário Torgal Ferreira /com transmissão em directo pela RTP
11:30 - Cerimónia Militar (parada e desfile) - Jardim Manuel Bivar, com mais de 1000 militares (componente operacional; vertente ensino)
Comando das Forças: Major-General Jerónimo
Salvas de Artilharia
Todas as iniciativas têm entrada livre

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

José Azevedo e Orlando Rodrigues assinam pelo Palmeiras Resort Tavira

José Azevedo e Orlando Rodrigues, ambos ex-Benfica, vão juntar-se à equipa tavirense, vencedora da última Volta a Portugal em bicicleta
O projecto, onde permanece o técnico Vidal Fitas, prevê a internacionalização da equipa, passando para o segundo escalão da União Ciclista Internacional - Continental Profissional -, com o objectivo de disputar uma das três grandes provas mundiais dentro de dois anos: "Tour", "Giro" ou "Vuelta".
"Eles vão ser integrados na estrutura e, a seu tempo, as funções de cada um de nós serão explicadas. Eu não vou sair. Trata-se de tornar a equipa mais ambiciosa, um projecto mais abrangente e eles são uma mais-valia. O objectivo passará por participar nas grandes provas, mas não será num tão curto espaço de tempo", disse à Agência Lusa Vidal Fitas.
José Azevedo, quinto classificado no "Tour2004" e no "Giro2001", terminou a carreira de 15 anos em 05 de Outubro, com 35, e já tinha anunciado a intenção de continuar ligado ao ciclismo de estrada na direcção de uma equipa, juntamente com Orlando Rodrigues, vencedor da Volta a Portugal em 1994 e 1995 e responsável pelas "águias" nas últimas duas épocas.
"Entre os três, cada um terá o seu papel, seja em termos desportivos ou de gestão. O objectivo é que a equipa cresça. Depois de ganhar a Volta a Portugal, a equipa quer dar sequência a esse grande resultado", confirmou à Lusa José Azevedo. - In Observatório do Algarve

Não é que não queira o sucesso da mais representativa equipa algarvia de Ciclismo, mas no contexto actual não será um passo maior que a perna, apostar tão vincadamente na presença numa das três grandes provas de etapas, sabendo à priori o esforço financeiro que será preciso, sempre a "reboque" dos patrocinadores, os quais são cada vez mais difíceis de encontrar? Dúvido que quem aposte tanto duma vez, o possa manter nos anos seguintes e espero que não seja uma ambição desmesurada esta nova política dos homens da cidade onde se come com o prato na gaveta...

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Rally de Loulé corre-se neste fim de semana - Espectáculo garantido pelas estradas de terra na serra algarvia

Mais de sessenta equipas inscritas no Rally de Loulé

Disputa-se neste fim de semana mais uma prova do Campeonato Regional de Rallys Sul, e que contará também para o Campeonato Open de Ralis, trazendo ao Algarve alguns dos melhores pilotos nacionais, enriquecendo assim a 4.º prova do CRRS e devolvendo à mesma mais brilho e competitividade. Para contextualizar melhor o que é o Open de Rallys, este campeonato disputa-se a nível nacional mas apenas admite viaturas que tenham homologação FIA em vigor mas cuja cilindrada nominal seja igual ou inferior a 2000 c.c. e não disponham de quatro rodas motrizes. Contudo são também admitidas viaturas com 4 rodas motrizes caso a homologação FIA já tenha caducado e ainda viaturas do grupoVSH bem com os Clássicos.
E, se no CRRS voltamos a apostar em Pedro Leone e Luís Mota, acresce nesta prova a presença do reputado piloto algarvio Ricardo Teodósio, que também participou no Campeoanto Open em algumas provas, não obstante as dificuldades que têm tido na presente época com o seu Mitsubishy Lancer Evo IV, que regressa neste fim de semana à competição, esperemos com todos os problemas resolvidos.

A juntar a este lote de candidatos temos Jorge Santos e Pedro Peres, que estão a disputar o Campeonato Open e são sérios candidatos a vencer o rally na Geral. Para além de tudo isto o pelotão do Troféu FastBravo apresentará mais de dez Seat Marbella com principal destaque para o líder Óscar Coelho que poderá no Algarve dar um importante passo rumo ao titulo nessa competição.

Para apimentar o espectáculo o Clube Automóvel do Algarve decidiu este ano criar uma super especial, a disputar no sábado à noite na Zona Industrial de Loulé, e que antecederá as seis especiais previstas para domingo. A estrutura do rally no segundo dia mantêm-se idêntica à de 2007 com dupla passagem pelas especiais de Loulé, S. Brás e Cortelha, que completam os 208,65 kms totais da prova onde 68,8 dos quais serão disputados ao cronómetro.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Algarve na rota do Mundial 2018

Federação discute tema na sexta-feira
Cavaco Silva, sabe o DN, quer garantias inabaláveis de lucro para o nosso país

Falta quase tudo para que Portugal possa organizar, em conjunto com a Espanha, o Mundial 2018, mas o DN sabe que os quatro estádios que Portugal pode oferecer ao certame são quase consensuais já nos círculos de decisão. Falamos dos estádios dos três grandes mais o estádio do Algarve. Os primeiros porque abrangem as duas principais cidades do país (Lisboa e Porto) e têm uma lotação acima dos 50 mil lugares, o último devido à proximidade com Espanha e ao turismo, que é uma pedra basilar nas pretensões portuguesas.
A Espanha incluiria seis recintos, que ainda não estão definidos - Madrid, Barcelona e Sevilha são intocáveis. De resto, no cenário da candidatura ibérica, Portugal reivindicaria para Lisboa o jogo de abertura, ficando a final destinada a Madrid. As últimas declarações do secretário de Estado do Desporto, Laurentino Dias, sobre o Mundial revelam uma abertura governativa sobre a candidatura ibérica. Já quanto ao Presidente da República, Cavaco Silva, sabe o DN que quer ter na sua posse um dossiê que sustente a previsão de lucro, com base no turismo e na promoção de Portugal no Mundo. (...)
In Diário de Notícias por Bruno Pires

Como diria o "outro"... Deixem-nos sonhar!

Kanye West dedica post a Isabel Figueira...

Então não é que o famoso e talentoso rapper norte americano, Kanye West dedica um post exclusivo no seu blog pessoal à leoazinha Isabel Figueira... Na verdade, a beleza não têm fronteiras e a internacionalização de uma das beldades do panorama nacional parece ser um facto cada vez mais consumado... Mais interessante que este artigo de Kanye West, só o novo video clip de Britney Spears, que parece regressar à boa forma...

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Agora que já foram anunciados os vencedores do prémio MTV relativos à categoria Portuguese Act, só no resta votar nos Buraka Som Sistema para vencer o Prémio de Melhor Artista Europeu... Não será nada fácil, mas ao menos que fiquem numa posição mais digna do que a maior parte das participações dos últimos anos no Festival Eurovisão da Canção... Difícil?

Farense melhor fora que em casa

Ivo Soares não tem explicação para a fraca prestação da sua equipa nos jogos caseiros mas mostra-se satisfeito com o pleno conseguido fora de portas onde, nos três jogos realizados, averbou outras tantas vitórias. Segue-se o derby Farense-Louletano num recinto que é de ambos. “Vamos tentar a primeira vitória caseira”.

Em S. Bartolomeu de Messines o Farense somou a terceira vitória consecutiva fora de casa, êxitos que não encontram seguimento nos jogos caseiros onde a equipa de Faro apenas empatou uma vez (Campinense 2-2, equipa treinada na altura por Ivo Soares), tendo perdido os outros dois jogos; Castrense e Juventude de Évora. “Confesso, até ao momento não consigo encontrar explicações para os maus resultados em casa”.

Olhando noutra direcção, o treinador do Farense elogiou o apoio da claque do clube, considerando-a “fantástica” não regateando “o apoio à equipa nos jogos em casa, apesar de não estarmos a ser felizes”. Por isso Ivo considera que a claque do clube é, para o grupo que tem à sua disposição, “muito importante, afirmando-se como o 12º jogador”.

O treinador do Farense considera que há capacidade e condições para inverter esta tendência e começar rapidamente a ganhar os jogos em casa. O próximo é com o Louletano, precisamente a outra equipa que utiliza, tal como o Farense, o relvado do Estádio Algarve como casa. “Sabemos do valor do Louletano, uma equipa profissional, respeitamos o nosso adversário mas a nossa disposição será ganhar, não só porque se tratará da primeira vitória caseira da época como também porque os três pontos são importantes para nós. Vamos tentar somar esses três pontos”.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

O Fim de Semana Desportivo em Análise - Época 2008/2009

A paragem dos campeonatos profissionais e também dos campeonato nacional de juniores marcou este fim de semana, jogando-se apenas (no que nos interessa) para a Terceira divisão Nacional e para a Segunda Divisão B.

Assim, na Terceira Divisão, jornada agridoce para as equipas algarvias. No jogo mais aguardado dos algarvios, o Farense tinha uma curta deslocação a São Bartolomeu de Messines para defrontar a equipa local. E, na verdade, o Farense acabou por regressar às vitórias, graças a um solitário golo de Della Pasqua, na conversão de um penalty, num jogo disputado até a fim, com a vitória a cair para os lados da capital algarvia. Com esta derrota o Messinense vai-se afundando na tabela, agora na penúltima posição com 3 pontos. Outro dos grandes derrotados da jornada foi o Quarteirense, que recebia o líder Cova da Piedade e sucumbia inapelavelmente por 0-3, somando já 4 derrotas consecutivas no campeonato. Por seu turno o Silves também regressou aos maus resultados, com a atenuante de ter sido derrotado fora, mas o resultado de 2-5 não deve ter sido fácil de digerir por Nelson Moutinho, agora treinador da equipa barlaventina.
Nos outros dois jogos, bons resultados das equipas de Loulé, Louletano que bateu em casa o Lusitano de Évora por tangencial 1-0 enquanto o Campinense, curiosamente foi jogar fora contra a outra equipa da capital do Alto Alentejo, o Juventude, tendo arrancado um importante ponto após o empate 1-1.

Na Segunda Divisão B, destaque para o Beira Mar de Montegordo, que regressou às vitórias, graças a um golo do ex-Farense Marco Nuno, batendo por 1-0 o Olivais e Moscavide, que mantinha uma série de 39 jogos sem perder na prova! No outro jogo, o Lagoa não logrou melhor que um empate 1-1 diante da equipa sensação, o Aljustrelense.

Moto Clube de Faro: Apolinário propõe voto de reconhecimento

O Presidente da Câmara Municipal de Faro, José Apolinário, propôs ao Executivo Municipal a aprovação de um Voto de Congratulação ao Moto Clube de Faro pelo reconhecimento público que foi feito pelo Turismo do Algarve ao atribuir o prémio Algarve Maximus pela realização da 26.ª Concentração Internacional de Motos de Faro.

Frisando que desde sempre, o Município de Faro tem apoiado incondicionalmente esta iniciativa, o Presidente da Câmara Municipal de Faro vai levar à próxima reunião do Executivo Municipal, que terá lugar Quarta-feira, dia 15 Outubro, um Voto de Congratulação e reconhecimento ao Moto Clube de Faro, cuja direcção, sócios, colaboradores e amigos são os responsáveis por este evento marcante no Município de Faro. Promovido pelo Turismo do Algarve, os galardões Algarve Maximus foram pensados para estimular a qualidade do turismo na região, motivando as organizações a serem exemplos de excelência, boas práticas e inovação em actividades ligadas directa ou indirectamente ao sector. O júri dos prémios Algarve Maximus, que integra as destacadas personalidades portuguesas Francisco Pinto Balsemão, Maria Barroso, Miguel Sousa Tavares, Ruy de Carvalho e António Ventura Pina, nomeou três candidatos em cada uma das seis categorias a concurso, tendo-se seguido uma votação on-line, com um peso de 50 por cento no resultado final, através da qual o público pôde escolher os seus candidatos favoritos.

Mais do que um voto de reconhecimento, os farenses querem é saber da parte do Executivo, se já está algum plano em marcha para cumprir a promessa de Julho último, relativa ao espaço onde se têm realizado a Concentração Motard Internacional de Faro, no qual os investidores têm feito marcação cerrada para dar outro fim aquele local....

Farense com reforços

JOGADORES PARAGUAIOS JÁ ESTÃO NO ALGARVE

O avançado Rodolfo Miranda (20 anos, ex- Presidente Hayes) e o trinco Eduardo Guasch (21 anos, ex-12 de Octobre), ambos provenientes do Paraguai, vão reforçar o Farense (3.ª Divisão Série F).Os dois jogadores já estão em Portugal e assistiram, ontem, ao triunfo da equipa da capital algarvia no reduto do Messinense (1-0). Com este resultado o Farense ascendeu ao grupo dos seis primeiros classificados. Os dois jogadores devem assinar contrato em breve (depois de aprovados pelo treinador).

A equipa algarvia vai continuar a reforçar-se na América do Sul, já que, também do Paraguai, chegará em breve um defesa-central. O técnico Ivo Soares vê assim colmatadas algumas das lacunas que identificou no plantel.

domingo, 12 de outubro de 2008

Farense arranca vitória cirúrgica na serra algarvia

O lance em que se decide a partida: chamado à conversão do penalty, Della Pasqua não falha e marca o único golo do encontro, cirurgicamente no fim da primeira parte.

Disputou-se na tarde de hoje, a 6.º jornada da Terceira Divisão Nacional, e o Farense acabou por regressar às vitórias, fruto do tangencial 0-1 trazido hoje do sintético de Messines. Mantendo a tradição desta temporada, os Leões de Faro mantêm-se invictos fora de portas, situação igualada até ao momento pelo líder Cova da Piedade e pelo conjunto orientado por Manuel Balela, o Louletano.

Numa primeira parte jogada a bom ritmo, acabámos por assistir a uma entrada forte do Farense, situação rara na presente temporada, onde claramente se percebeu a vontade e garra dos jogadores em mostrar uma cara diferente do jogo anterior. O Farense conseguia mesmo empurrar para junto da sua área a equipa de Messines, que evidenciava dificuldades em incomodar Costa no período inicial da partida. Por duas vezes o golo esteve iminente no Municipal de Messines para os homens de Faro, fruto dum remate rasteiro e colocado de Norberto defendido por Mauro e depois na sequencia do canto, quando Bruno, de baliza escancarada não foi lesto, tendo a bola batido no seu peito e sobrevoado a baliza messinense. Estávamos perante a melhor fase de jogo dos Leões de Faro, que iam intensificando a pressão e asfixiando o adversário, mas com o passar do tempo, naturalmente esse ritmo baixou e o Messinense começou a jogar com mais tranquilidade, adiantando as suas linhas e jogando preferencialmente em jogadas rápidas. Nota para uma jogada do ataque messinense à passagem da meia hora de jogo em que Hernâni poderia ter sido expulso por Eugénio Arez, na sequencia do derrube na zona frontal da área, a um jogador messinense que se preparava para esgueirar, situação apenas sancionada com o cartão amarelo. Poderia o jogo ter alterado o rumo aí, mas seria o Farense já no termo da primeira parte, numa fase em que jogo estava equilibrado, a chegar à vantagem na conversão dum penalty existente, o qual foi cobrado exemplarmente por Della Pasqua.

Na segunda parte cabia então à equipa da casa tentar inverter os acontecimentos, mas a verdade é que apesar da muita luta e garra dos homens de São Bartolomeu de Messines, à passagem dos 60 minutos ainda não haviam incomodado verdadeiramente Costa, o que traduzia bem a fraca qualidade do seu jogo ofensivo. O Farense por seu turno, ia controlando a partida mas raramente conseguia construir uma jogada de contra ataque decente, onde nos pareceu que os seus dois homens mais adiantados estavam um pouco fatigados, justificando então a entrada de alguém mais fresco para incomodar a defensiva contrária. Com a saída de Hernâni, diminuído fisicamente após uma jogada mais dura, o Farense queimaria assim uma substituição, tendo Ivo apostado depois na entrada de dois homens mais experientes para sustentar o seu jogo, não dando assim a oportunidade de David Justo poder mostrar serviço num jogo que nos parecia talhado para as suas características.
A partir dos 75 minutos, notou-se então que José Miguel, iria dar tudo por tudo para virar o jogo, apostando forte no ataque e o Farense acabou por passar por alguns sobressaltos, queimando tempo em alguns lances, o que ia provocando a ira das gentes da serra. Sabendo guardar da melhor forma o resultado, duma forma pragmática e objectiva, o Farense não realizou uma exibição vistosa mas garantiu sobretudo uma vitória importante, que a mantêm no trilho dos primeiros lugares, isto na véspera do ansiado jogo com o Louletano, a disputar daqui a 15 dias.
Arbitragem fraca, com prejuízo para ambas as equipas.

Ficha de Jogo:
Estádio Municipal de Messines (São Bartolomeu de Messines)
15 horas, 12/10/2008

Assistência: 600 espectadores
Árbitro: Eugénio Arez (Algarve)
MESSINENSE 0-1 FARENSE

(43 mn, por Della Pasqua, na cobrança duma grande penalidade. Bruno ganha posição dentro da área e quando se preparava para alvejar a baliza de Mauro, é derrubado. Na conversão, Della Pasqua remata rasteiro para o lado direito da baliza, enganando o guardião messinense)

Farense: Costa; Cannigia, Hernâni (Né, 63mn), Wilson, Duarte; Rui Graça, Luís Afonso, Barão; Norberto (Everson, 70 mn); Della Pasqua (Zé Nascimento, 72mn), Bruno. Treinador: Ivo Soares

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Água perdida

Com este post, levo-vos a um sítio da serra algarvia, situado no interior do concelho de S. Brás de Alportel, de nome Cova da Muda. Esta localidade pitoresca, composta por umas 20/30 carras térreas ao redor da estrada, que liga o Alportel ao Cabeço do Velho, foi alvo da minha visita durante alguns tempos para trazer do fontanário situado naquela zona, uma água pura e de qualidade invejável... Com os tempo, as Autoridades foram restringindo os litros de água para cada utente, devido à crescente procura da água mineral, que era compreensivel por forma a preservar esse bem... Contudo, os incêndios florestais ocorridos naquela zona e consequente infiltração das terras onde está a nascente estiveram na origem do fecho desse fontanário, devido à má qualidade da água, não visível a olho nu, mas justificada pelas análises que foram feitas pelas entidades competentes para matéria. Muitos dos utentes do espaço foram se afastando, desgostos de toda a situação, não estando em causa o valor monetário que se poupava mas sim a qualidade da água e a mais-valia que isso constítuia para o próprio local. Esta semana, numa passagem pela Cova da Muda pude verificar então o abandono a que está votado esse fontanário... Admitia que o seu fecho fosse algo irreversível, não contava é que agora o fontanário estivesse aberto, sem qualquer tampa ou mesmo torneira, estando continuamente a derramar para a estrada um fio de água considerável, que supostamente, não estando boa para o consumo alimentar, têm, sem qualquer dúvida, utilidade na rega ou mesmo para lavagem... Quando muitos nos vêm falar na poupança dos bens energéticos e água, pergunto eu, se não haverá um digno fiscal da Câmara que se desloque àquele sítio, tome previdências e ponha termo naquela situação, que desta forma parece ser a pior das três possiveis?

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Ligações trocadas - A anedota do dia

Pior seria se o dirigente do Belenenses tivesse trocado o número da esposa pelo da amante, mas com esta conversa, o resultado acabou por ser este, em detrimento da suposta primeira escolha....

Dirigente do Belenenses- Tou, Jaime?
Jorge Costa - ????
Dirigente do Belenenses - É para dizer que amanhã encontramo-nos em Fátima para tratar deste assunto.
Jorge Costa - Não é o Jaime, é o Jorge.
Dirigente do Belenenses - Perdão, ligo já daqui a um bocadinho...

Câmara de Faro embarga corte de pinheiros em terreno da Diocese no Vale das Almas

O presidente da Câmara Municipal de Faro determinou hoje o embargo da operação de corte de pinheiros que está a ter lugar num terreno no Vale das Almas, que é propriedade da Diocese do Algarve, apurou o barlavento.online.
Segundo um comunicado da Câmara de Faro, «o Município, ao ter conhecimento de que estaria em curso o corte de um número não determinado de pinheiros na zona de Gambelas, Freguesia de Montenegro, enviou ontem para o local uma equipa do Serviço de Fiscalização Municipal».A fiscalização confirmou o abate das árvores, informando que este «estaria a ter lugar mediante prévia comunicação dos proprietários do terreno à Direcção-Geral dos Recursos Florestais».Mesmo assim, e apesar da documentação apresentada à fiscalização, o presidente José Apolinário determinou à Fiscalização Municipal «que proceda ao embargo da operação de corte das árvores, visando impedir, desta forma, a sua continuação».Ao que o barlavento.online apurou, para o terreno em causa, que pertence à Diocese do Algarve, já deu entrada nos serviços da Câmara de Faro um pedido de licenciamento de um loteamento para a construção de vivendas.
O terreno, aliás, segundo o PDM de Faro, está incluído numa zona urbanizável. Este é o espaço onde tem tido lugar, nos últimos anos, uma pequena parte da Concentração Motard de Faro. No entanto, mesmo que venha a ser aprovado o loteamento, isso não deverá afectar a realização da concentração, já que grande parte das estruturas de apoio à iniciativa do Motoclube de Faro são instaladas num outro terreno já integrado em zona onde não se pode construir, do outro lado da estrada.Fonte do gabinete de José Apolinário disse ao barlavento.online que a proprietária do terreno vai agora ser notificada do embargo decretado pelo presidente da Câmara, e poderá depois contestar. «O que o presidente não quis é que o corte das árvores avançasse sem que a autarquia tivesse conhecimento», para depois ser confrontada com um facto consumado.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Algarve promovido a nível mundial pela Eurosport

Foi com agrado que ontem à noite, quando freneticamente fazia zapping, me intrigou a emissão da Eurosport, e me despertou interesse a cara de Miguel Praia no canal pan-europeu de desporto... Instantaneamente interrompi essa tradicional tarefa que normalmente faço em busca de algo interessante e diferente para melhor do que os nossos 4 canais nos oferecem no dito horário nobre... Pude então constatar que a Europort iria dedicar 20 minutos de emissão ininterrupta à nossa Região, inserido na rubrica Sport Traveller, convidando então três figuras importantes do desporto nacional que escolhem o Algarve como destino para a sua prática desportiva e lazer, binómio a que estava associada a rubrica. Miguel Praia, Gustavo Lima e Carlos Sousa deram então a conhecer ao vasto auditório da Eurosport algumas das infra-extruturas desportivas no Algarve, as paradisíacas paisagens algarvias e algumas das localidades do Algarve que marcam quem os visita, quer pelo ambiente cosmopolita ou pela genuína vivência do Algarve profundo e quiçá algo desconhecido do grande público. Dos locais visitados destaco a Costa Vicentina, Monchique, Paderne, Albufeira, Vilamoura, Sagres mas também a Ria Formosa onde foi destacado o património ambiental da Ilha Deserta e a qualidade do serviço do Restaurante residente nessa ilha, mas também algumas imagens da cidade de Faro vista das dunas da Ria Formosa.

Sei que este programa teve o dedo (e carteira) da Associação de Turismo do Algarve (ATA) englobado numa estratégia de marketing para a Região e creio que o espectador ficou com uma agradável ideia da Região, ainda para mais quando conhecemos nos últimos dias os registos das taxas de ocupação de camas, no qual o mês de Setembro não escapou à tendência de decréscimo ocorrida neste Verão, sendo de especial interesse inverter essa realidade... É que, como disse Mendes Bota há uns tempos atrás, "O Turismo é o Petróleo do Algarve"...

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Tramados pela "velhota"...


É nisto que dá, quando os clientes são mal servidos pelo serviço da (Zon) TV Cabo, e depois utilizam o Fórum da Sport TV para pedir ajuda e mostrar a sua insatisfação... Simplemente hilariante... Será que deram o jeitinho, depois desta reclamação?

Farense com luz ao fundo do túnel?

O presidente da Câmara Municipal de Faro diz que o Plano de Pormenor de São Luís, um dos entraves à venda do Estádio, poderá ser alterado a partir de Agosto. Compradores “só” têm de arriscar...

O plano de pormenor a partir de Agosto de 2008 pode ser alterado, já passaram três anos desde a sua aprovação, mas para isso é preciso um impulso de alguém, seja do Farense ou de outro eventual interessado”.
As palavras de José Apolinário revelam que afinal, um dos principais obstáculos à venda do Estádio de São Luís (por causa do índice de construção relativamente reduzido), poderá ser desmistificado.
Apolinário é claro, no entanto, em afirmar que não se devem criar expectativas de curto prazo, uma vez que uma alteração possível do Plano de Pormenor demorará sempre mais de 18 meses: “Quem estiver interessado nesse plano terá de arriscar e comprar dentro das condições actuais porque são as que resultam actualmente da utilização dos instrumentos de planeamento”, afirma, em entrevista ao Observatório do Algarve.
Negando ter-se alheado do processo da venda do Estádio de São Luís, Apolinário justifica algum afastamento pelo facto de, apesar de a autarquia ser a proprietária dos terrenos onde o Estádio se encontra (o que faz com que não possam ser penhorados pelas Finanças), a alienação estar a cargo da Comissão de Venda: “Cada coisa no seu lugar. O processo de venda é conduzido pelo Farense e por uma comissão eleita em Assembleia Geral do S.C.Farense”, garante.
O mesmo se aplica – diz o autarca - face a uma eventual decisão de englobar ou não o Pavilhão ou o Ginásio-Sede num eventual negócio (como pretendia um dos proponentes), uma vez que esses dois bens estão registados a favor do Clube (ainda que com hipoteca) e resultaram de uma recolha de fundos promovida pelos sócios.
Recorde-se que, essa era aliás a intenção de um dos concorrentes ao São Luís: a proposta, da autoria do grupo Retail Parks de Portugal, SGPS, liderado por Alexandre Alves, foi excluída alegadamente por ter interesse nos edifícios do Pavilhão e Sede, não incluídos no caderno de encargos. Por abranger uma área maior, a proposta era também mais elevada que a da Byte Eficaz, empresa liderada por Mário Rocha, que oferecia 15 milhões de euros mas invocou entre outros motivos a existência do contrato com o actual Pingo Doce para a não-realização do negócio.
Já a Retail Parks propunha-se adquirir todas as infraestruturas por 20 milhões de Euros e como contrapartidas propunha a construção, noutro local próximo, de um estádio com 1.500 lugares, três campos de treino e um ginásio, entre outros equipamentos.

Trocar a relva por um shopping?
Sem querer comentar as propostas, “até porque as desconheço em profundidade”, Apolinário mostra-se apologista de atrair superfícies comerciais para o Centro da Cidade e aponta exemplos no estrangeiro que têm dado resultados.
Em suma, José Apolinário não exclui de todo a hipótese de, no São Luís, poder nascer afinal uma média superfície de comércio: “Tenho muitas dúvidas que um Centro Comercial de dimensão – de 30 mil metros –passe o crivo da avaliação ambiental, mas se calhar um de 10 ou 12 mil metros poderá passar. [No São Luís] existem 3.000 metros de área comercial autorizada e 5.000 metros quadrados de escritórios. Qualquer coisa economicamente viável que permita passar numa avaliação ambiental, é razoável”, admite. “Mas não se pode obrigar a comissão que foi eleita a assumir um plano que não existe. A Comissão tem de responder perante o que está autorizado”, acrescenta o autarca.
A questão é que para se tornarem “apetecíveis” do ponto de vista financeiro, as grandes superfícies comerciais rondam habitualmente os 25 mil metros.
Daí que qualquer promotor que venha a investir na aquisição do Estádio de São Luís tendo em vista um grande espaço comercial terá não só de ter paciência e fazer fé no novo Plano de Pormenor, como ainda aguardar pelo aval de Lisboa (da Agência do Ambiente) face a um Estudo de Impacte Ambiental que analise as condições de tráfego, de ruído e de estacionamento necessárias para este tipo de estruturas.
“Se fosse para um shopping ou uma grande superfície comercial, tínhamos muitos grupos interessados e o valor do Estádio seria bem superior ao que estamos a pedir”, afirmava a semana passada Aníbal Guerreiro, presidente da Comissão de Venda do Estádio de São Luís.
No entanto, no novo concurso que será lançado esta semana, o valor solicitado pelo imóvel deverá ser exactamente o mesmo, 14 milhões de euros, “esticando” no entanto as condições de pagamento, para aliciar um pouco mais os potenciais compradores.

É que o fisco, ainda que receba mais de 700 mil euros por mês ao abrigo do Pacto Extrajudicial de Conciliação, não parece disposto a esperar muito mais tempo para cobrar a dívida do clube, que ascende a perto de 11 milhões de euros.
“Há serviços do Estado que parecem apostados em não encontrar soluções”, desabafa José Apolinário, sem nomear quais. “Eles sabem muito bem quem são”, conclui.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

O Fim de Semana Desportivo em Análise - Época 2008/2009

Mais um fim-de-semana desportivo e desta feita com sabor amargo para o SC Farense. Se os Juniores obtiveram uma esperada derrota por 0-4 diante da super potência do futebol de formação em Portugal, o Sporting, realizarando mesmo assim uma exibição digna e quiçá se justificasse um ou dois golos para os miúdos de Faro. Só que no futebol, há uma velha máxima, como diria Camacho- “o que manda é golo”- e o Farense acabou por ser vitima da fraca concretização dos seus rapazes. Contudo o maior dissabor aconteceria na tarde de ontem, em pleno Estádio Algarve, onde os Seniores presentearam os sócios e simpatizantes com uma pobre exibição, sendo derrotados por 1-2 diante do Juv. de Évora, equipa que desceu para a Terceira Divisão nesta época, mas que nos pareceu ao alcance dum farense mais inspirado, expedito e organizado do que o que vimos.

Nos outros jogos da Terceira Divisão Nacional, destaque para o Louletano que regressou às vitórias, desta feita no Lavradio onde bateu o Fabril por 1-2, num resultado que até poderia ser mais expressivo… O Silves conseguiu finalmente, e ao cabo de 5 jornadas garantir a primeira vitória na prova por 3-1, sendo sua vitima o Quarteirense, que após um bom começo vai-se afundando na tabela. No outro jogo de algarvios, o Campinense voltou a não vencer, e empatou com o Barreirense 1-1 no Municipal de Loulé, o que agrava a situação dos homens de Loulé, que após a saída de Ivo soares apenas venceram ao então debilitadíssimo Silves, somando após esse jogo empates e derrotas comprometedoras.

Na Segunda B, jornada novamente negra para Lagoa e Beira Mar de Monte Gordo, que após um excelente inicio, protagonizam agora um perigoso declínio na tabela classificativa. Os homens de Monte Gordo já vão na terceira derrota consecutiva e ontem foram mesmo goleados na Tapadinha diante do Atlético, enquanto os comandados de Luís Coelho saíram derrotados do confronto com o Mafra por 2-0.

Por fim, nota para a Liga Vitalis, em especial para o Portimonense. Na verdade os homens de Vítor Pontes, estão a dar sequencia ao bom trabalho do discípulo de José Mourinho e com um plantel com mudanças mas onde impera a juventude, estão neste momento num honroso 2.º lugar, após uma brilhante vitória de 5-2 sobre o Desportivo das Aves. Brilhante foi também o desempenho exibicional do Olhanense na tarde ontem, mas a infelicidade manchou a tarde rubro negra. Por algum tempo o nome Sidnei ensombrará as cabeças dos nossos vizinhos, pois o golo da igualdade a uma bola obtido nos descontos deitou por terra alguma da euforia ainda vivida lá para os lados de Olhão, na sequencia deste empate 1-1 com o Boavista.

A saga da venda do S. Luís... Parte 3

Ginásio-sede hipotecado?
Alves ofereceu 20 milhões pelo Farense

Alexandre Alves, administrador da Retail Parks de Portugal SGPS, ofereceu 20 milhões de Euros pelo estádio do Farense, mais contrapartidas. A Comissão de venda rejeitou.

A Retail Parks de Portugal SGPS apresentou uma proposta “em que pagaria ao clube 20 milhões de Euros e como contrapartidas propunha a construção, noutro local próximo, de um estádio com 1.500 lugares, três campos de treino e um ginásio, entre outros equipamentos”, disse ao Observatório do Algarve Alexandre Alves.
Esta proposta “englobava naturalmente o ginásio-sede do Farense, até porque há uma hipoteca sobre esta propriedade, que assim ficava desde já ressarcida”, explica o empresário.
Recorde-se que a Comissão de Venda anunciou ter excluído a proposta da Retail Parks de Portugal SGPS, na conferência de imprensa que realizou na semana passada por esta incluir precisamente o edifício do ginásio-sede, sem todavia explicar quais as contrapartidas apresentadas.
A proposta de 15 milhões de euros do outro concorrente, Mário Carvalho Rocha, proprietário da Byte Eficaz, Lda, unipessoal sedeada na Maia, foi aceite, porém a comissão de venda alega que este “não cumpriu com o pagamento inicial” pelo que o negócio não se concretizou.
O empresário rejeitou esta posição, em entrevista ao Observatório do Algarve, e remete a responsabilidade da falha do negócio para o clube.
Quanto à proposta de Alexandre Alves, "quando receberam a documentação podiam também ter logo recebido o meu cheque, que ia anexo",frisa.

Estou disponível para negociar
Alexandre Alves referiu ao Observatóro do Algarve que estaria disponível para “concertar uma posição, seja com o clube, seja com os outros ocupantes do espaço, designadamente a cadeia de supermercados Pingo Doce e o médico (o cardiologista Veloso Gomes) que possui 90 metros quadrados junto à sede”.
No que toca ao supermercado e “tendo em conta a degradação que já existe nas actuais instalações, aquela superfície comercial poderia facilmente ser enquadrada no próximo projecto”, diz ainda o administrador da Retail Parks de Portugal SGPS, concorrente à compra do Farense.

A Câmara tem alguma coisa a dizer
Alexandre Alves assegura também que o seu projecto “em relação à área de construção prevista e aprovada pela autarquia (no Plano de Pormenor), iria diminuir cerca de 20% a volumetria de construção no centro da cidade”.
A autarquia aprovou cerca de 35.000 metros quadrados de construção – 29.700 metros quadrados (m2) para habitação e 5.000 m2 para comércio, serviços e lazer –, além dos 27.000 m2 de estacionamento subterrâneo.
“Até aqui, a única medida que tomei quando soube da decisão da comissão de venda do Farense, foi dar conhecimento da situação ao presidente da Assembleia Municipal de Faro (Luís Coelho), porque considero que neste negócio a autarquia tem alguma coisa a dizer” afirma o empresário.
O Observatório do Algarve vai continuar a seguir o caso da venda do Farense, até porque Alexandre Alves considera que “o projecto poderia resolver o problema do Farense e ser uma mais valia para a cidade” pelo que está a “ponderar” os passos seguintes.
O Farense, por seu lado, e segundo o presidente da Comissão de Venda vai tentar “a negociação com o Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas (IAPMEI) para o alargamento do prazo para pagar os cerca de 9 milhões de dívidas do Farense poderá ser um factor que levará este novo concurso - que deverá avançar na próxima semana - a ter sucesso, pois, haverá mais tempo para negociar”.
Sabemos que esta proposta não poderia ser aceite pois não obedecia às regras estabelecidas pela comissão de venda para viabilização do negócio. Contudo, a ser verdade o que o Sr. Alexandre Alves, administrador da Retail Parks de Portugal SGPS afirma, estávamos na minha opinião, na presença duma proposta irrecusável para o Farense. Porque, mesmo ficando sem o edifício sede, e a confirmar-se a promessa do Sr. Alexandre Alves, o Farense ganharia outro estádio, mais três campos de treino e ainda um novo ginásio. Ou seja, os Leões de Faro teriam um complexo desportivo ao nível dos melhores clubes do país, ganhando logo aí também património. A juntar a isto não podemos esquecer a gorda quantia que este homem se diz disposto a oferecer para comprar o espaço. Por isso, aguardo com expectativa, as mudanças nas regras de venda que foram prometidas pela comissão de venda, para perceber se dessa forma o Farense poderá fazer este bom negócio. Além do mais, tenho imensas dúvidas que nas condições do mercado actual o Farense possa vender o espaço por mais de 11/12 milhões de euros, tornando este negócio ainda mais atractivo... Aguardemos...

domingo, 5 de outubro de 2008

Quando falta a garra e a inspiração, vencer é impossível...

Na imagem das equipas, cai na retina a união da equipa alentejana, permissa também revelada em campo e que foi decisiva no resultado do encontro

O Farense deu na tarde de hoje mais uma pálida imagem do que pode fazer, desiludindo mais uma vez os seus aficionados, neste que foi o 4.º jogo no Estádio Algarve mantendo a sequência negativa de resultados caseiros que teima em não desaparecer.
E se as expectativas eram consideráveis para esta partida, tendo em conta o resultado obtido no Barreiro, cedo se percebeu que a equipa treinada por Ivo Soares, não iria ter um dia feliz, tal foi a inoperância demonstrada, em especial na primeira meia hora de jogo, esboçando apenas uma ténue reacção após sofrer o primeiro golo da equipa eborense.

Ivo Soares apresentou um onze com algumas adaptações na equipa, em virtude da ausência de algumas unidades importantes, mas não se pode dizer que tenha sido esse o factor decisivo no desenrolar na partida. Após 10 minutos de estudo mútuo entre as equipas, o Juventude de Évora foi ganhando domínio na partida enfrentando uma equipa algarvia apática, mal organizada e com poucas ganas. Por isso, e mesmo sem o Juventude de Évora acelerar muito na partida, à meia hora de jogo já tinha rematado por 5 vezes à baliza de Kula enquanto os homens da casa apenas por uma vez se haviam aproximado com perigo da baliza de Tiago. Os alentejanos chegariam mesmo ao golo, na sequência de um canto, situação recorrente esta época, e que trazia alguma justiça ao marcador. Após o golo, o Farense tentou pegar mais na partida, situação mais que esperada, mas também não foi feliz, até porque a equipa contrária, que ia fazendo anti jogo desde o inicio do encontro, com o passar do tempo foi se aproveitando cada vez mais da complacência do arbitro e se a fluidez de jogo farense já era inconsistente então mais frágil se ia tornando. Na primeira parte, por incrível que pareça apenas nos recordamos duma boa jogada farense, na sequência duma “descida” de Hernâni pela direita, assistindo Edinho, que na grande área ganhou espaço mas rematou rasteiro para as mãos de Tiago.

Viria a segunda parte, e já com David Justo em campo, mas também Tony e Bruno, o Farense foi encostando cada vez mais o adversário à sua área, tendo quase sempre 4 atacantes em cima da defesa contrária por forma a aproveitar qualquer falha defensiva dos eborenses e assim chegar ao golo. Contudo, o despovoamento do meio campo, tornou o jogo dos Leões de Faro muito previsível, o que acabava por facilitar a tarefa da defensiva do Juventude de Évora, que se mostrou muito disciplinada, anulando as investidas farenses que também não eram correctamente executadas pois os jogadores não se desmarcavam e buscavam espaços para criar perigo junto da baliza de Tiago. E se tudo se mantinha difícil para os comandados de Ivo Soares, pior ficaram quando o experiente Nuno Gaio fez o 0-2 numa jogada de contra ataque. Era a total desilusão para as hostes farenses, que ainda conseguiram chegar ao golo por Bruno, aproveitando a força e estatura do gigante de Loulé, alimentando tenuemente a esperança do empate. Mas faltavam apenas 7 minutos para terminar o encontro e o Farense não mais conseguiu chegar com perigo à baliza contrária, acumulando mais um resultado negativo, que deixa os farenses a 8 pontos do líder Cova da Piedade e a 5 do rival Louletano. Resultado que se justifica, num jogo feio e com uma arbitragem razoável, apenas manchada pela complacência para com o anti-jogo adversário.

Ficha de Jogo:
Estádio Algarve (Parque das Cidades)
15 horas, 05/10/2008
Assistência: 850 espectadores
Arbitro: Ricardo Baixinho
FARENSE 1-2 JUVENTUDE ÉVORA

(27 mn, por Paulo Martins, na sequência dum canto cobrado na direita directamente para o segundo poste, surge o Xavier e desviar para a pequena área, onde aparece o central Paulo Martins a marcar o golo inaugural, com Kula fora do lance)
(76 mn, por Nuno Gaio, jogada rápida de ataque do Juventude pela esquerda com o cruzamento a ser tirado do meio do meio campo farense para o atacante Nuno Gaio, que, de cabeça desvia de Kula)
(88 mn, por Bruno, na sequência de um cruzamento da esquerda, Bruno antecipa-se ao guarda redes Tiago e “penteia” a bola para a baliza eborense)

Farense: Kula; Hernâni(Toni, 54mn), Né, Rui Graça, Cannigia; Arlindo (David Justo, 34mn), Norberto, Luís Afonso, Everson; Della Pasqua(Bruno, 65mn), Edinho. Treinador: Ivo Soares

sábado, 4 de outubro de 2008

Lembram-se SS?

Foi um dos jogos que mais prazer me deu presenciar... Mas também foi um dos resultados que mais azia me deu, fruto duma autêntica bomba de Jorge Vidigal na cobrança de um livre directo que se anicharia já nos descontos da partida... Um deslocação massiva das gentes de Faro até à cidade da Restauração... Aos vasculhar por aí, descobri o registo de várias faixas mostradas entre os Mosh Side e os "nossos" South Side, mas destaco esta, talvez a resposta a alguns dos que ainda questionam a grandeza do SC Farense.

Vitor Pereira vs Bino

No outro dia estava ler um desportivo e deparei-me com a figura dum novo treinador da nossa "praça" que me fez lembrar logo um ex-internacional português, o conhecido Bino... Ora comprovem lá, e apesar das diferenças de idade das fotos que encontrei, se na verdade não são parecidos em alguns dos seus traços...

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Jorge Portela em trabalhos...

Ao ler esta notícia, fico com a ideia que Jorge Portela se já tinha pouco tempo para o Farense, agora muito menos teria... Ou seja a sua prioridade a curto prazo seriam mesmo as escolas de futebol e não o SC Farense...

Conheça mais contornos sobre a negociação entre o SCF e a Byte Eficaz

Mário Rocha, pretenso comprador do Estádio do Farense, rejeita as acusações da Comissão de Venda e diz que quem falhou foi o clube.
A mim disseram-me que era para comprar o Estádio de São Luís, mas depois só mandaram metade das certidões de teor!”, afirma Mário Carvalho Rocha, proprietário da Byte Eficaz, em entrevista ao Observatório do Algarve.
A empresa foi, aliás, a única a concorrer à compra do Estádio de São Luís, tendo oferecido 15 milhões de euros – segundo o próprio – pela aquisição dos terrenos, mas o sinal, que rondava os 700 mil euros, nunca apareceu. “Não apresentei o dinheiro, mas não havia problema nenhum de apresentar os 750 mil euros, só que não vou comprar com o Pingo Doce lá, isso era como casar com uma mulher já com o filho lá dentro!”, justifica o empresário, ligado ao sector da construção civil.
Para além disso, o empresário exigia ver fotocópias aprovadas do projecto, algo que o Clube disse ser impossível: “Não existe um projecto aprovado, existem sim estudos de viabilidade aprovados que é uma coisa totalmente diferente”, adianta Carlos Ataíde, da Comissão de Venda do Estádio de São Luís.
O pretenso comprador – ou intermediário -, Mário Rocha, chegou a ser presidente do União Sport Clube de Paredes, já teve negócios no Algarve, depois a firma trabalhou em Espanha e agora está no Norte.
“Conheço bem o Algarve, temos várias empresas do grupo ligadas ao sector do imobiliário e construção, mas nenhuma das pessoas envolvidas no negócio é algarvia”, adianta, escusando-se a revelar a existência ou não de algum grande grupo por detrás do negócio.
O Observatório do Algarve sabe, no entanto, que a sua empresa, a Byte Eficaz, sediada na Maia, tem o capital mínimo exigido por lei - 5 mil euros - e conta com apenas dois funcionários. A empresa, cujo objecto é a construção civil e obras públicas, bem como a compra e venda de bens imóveis, segundo a Portugal Telecom não tem sequer telefone atribuído e a morada do único sócio é idêntica à da empresa.
Nós chegámos inclusive a ter uma reunião marcada, disponibilizámos tudo o que nos pediram, arranjámos uma garantia bancária para o sinal, mas o senhor dizia que aparecia e nunca apareceu”, contesta por seu turno Aníbal Guerreiro, presidente da Comissão de Venda. Aníbal – que afirma desconhecer pessoalmente o alegado comprador – relata inclusive que na segunda vez que um encontro esteve marcado, a Comissão recebeu um e-mail do interessado que avançava com a crise económica internacional como justificativa para o atraso na entrega do sinal. “Se não querem assumir responsabilidades, pelo menos estejam calados!”, desabafa.

Pingo amargo?
Quanto à questão da permanência do supermercado do grupo Jerónimo Martins, Carlos Ataíde refere que a situação estava bem clara no concurso: “O contrato com o Pingo Doce faz parte do Caderno de Encargos, o senhor pediu-nos para negociar com eles a saída e nós dissemos-lhe que isso não era das nossas competências”.
O Observatório sabe que o negócio com a Jerónimo Martins está assente pelo menos até 2013, e rende ao clube (e ao futuro proprietário) cerca de 20 mil euros mensais, ocupando perto de mil dos 5 mil metros quadrados destinados a espaços comerciais.
“Penso até que seria um bom negócio manter uma loja-âncora neste espaço, por duas razões”, afirma fonte ligada ao processo. “Uma porque, enquanto constroem, os promotores têm um rendimento fixo e outra porque assim têm capacidade de atrair outro comércio no espaço comercial”, garante.
Com ou sem Pingo Doce, Mário Rocha não afasta, no entanto, a hipótese de concorrer de novo ao Estádio de São Luís: “Mantenho o interesse na compra do terreno, desde que me forneçam os documentos”, diz, “mas com o Pingo Doce, nunca será por aquele preço”, afirma.
Só que a comissão já garantiu que o preço se vai manter intocável, até para permitir saldar todas as dívidas do clube. Se o empresário nortenho concorrer de novo...“Não há problema e podemos esquecer até a situação, mas no dia em que se abrirem as propostas, vai ter de existir um sinal, caso contrário os concorrentes serão excluídos”, afirma Aníbal Guerreiro. A comissão já disse que não desiste do seu principal objectivo: vender o Estádio, para resolver a crise do clube algarvio.
In Observatório do Algarve