sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Pode não ser só utopia...


Apesar de nunca ter acreditado verdadeiramente na possibilidade da Formula 1 poder regressar a Portugal, e desta feita ao Algarve, devido a vários factores, como financeiros, de ordem estratégica por parte dos construtores envolvidos nas provas em difundir a sua marca num país tão pequeno em detrimento de mercados mais atractivos, ou mesmo de interesses políticos, começo agora a ficar um pouco mais optimista, quando vejo o patrão da FOM, Bernie Ecclestone, considerar seriamente uma visita ao Autódromo Internacional do Algarve para perceber se este complexo fruto de capitais privados têm condições para receber o "grande circo" num futuro não muito distante. Falta o apoio estatal, e em ano de eleições não me admiro que seja abordado este tema e que se possam ouvir promessas no sentido de promover este regresso. Para o Algarve seria bom , ainda melhor se acontecesse no Verão, mas tenho dúvidas que este seja um investimento prioritário para o País e por isso estarei atento nos próximos tempos ao desenrolar deste novelo...

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Farense ultrapassa Ferreiras com golos vindos do banco...

O Farense garantiu hoje a passagem à 4ª eliminatória da Taça do Algarve, ao bater no Estádio da Nora, a equipa anfitriã do Ferreiras por 1-3. Apresentando uma equipa com profundas alterações relativamente aos últimos jogos, nota para as estreias a nível oficial com a camisola branca de Dinis e Rodolfo Miranda , que assim se deram a conhecer aos adeptos da capital algarvia, tendo António Barão dado ainda algum ritmo de jogo a outros jogadores menos utilizados como os casos de Justo ou Caras.

A primeira parte inícou-se com um Ferreiras forte e ambicioso, dominando partida e procurando rematar à baliza guardada por Costa. A esse período inicial responderam os Leões de Faro, que equilibraram a partida a partir desse momento, tendo a iniciativa de jogo mas sem ter acutilância no ataque. O Farense procurava muitas vezes a velocidade de Justo, que na ala direita era sempre uma flecha apontada, mas faltava a clarividência e entrosamento com o paraguaio Rodolfo Miranda, que poucas vezes esteve em jogo, nesta sua estreia com a camisola do Farense. Já Dinis, pareceu-nos um jogador habilidoso, mas o tempo que esteve em campo não foi suficiente para tirar grandes ilacções. Nota para uma perdida clamorosa para os da casa, ainda na primeira parte, quando num contra ataque rápido pela direita do ataque do Ferreiras, a bola foi endossada para a cabeça da área, onde um atacante contrário, com Costa batido, enviou o esférico ao lado do poste, para descanso dos adeptos algarvios.

Não contente com a produção atacante da equipa, António Barão trocava então ao intervalo, Rodolfo Miranda por Della Pasqua, e essa decisão não podia ter dado melhores frutos, pois este jogador acabou por decidir a partida. O Farense entrava na segunda parte praticamente a ganhar, quando o jogo na altura ainda não estava "pendido" para nenhum dos lados. António Barão, vendo a sua a equipa a ganhar, logo trocou duas unidades, primeiro no sentido de dar mais poder de choque ao meio campo, adiantando Hernâni com a entrada de Rui Graça e depois com a colocação de Klébson, por forma a dar mais ritmo ao brasileiro. Contudo, o Ferreiras não estava rendido e Marco Alho, também providenciava alterações na sua equipa, que se mostrava combativa e aguerrida no sentido de igualar a contenda. Após um lance muito perigoso para a baliza de Costa, em que podiam ter empatado, seria numa das jogadas seguintes que o Ferreiras marcaria o seu golo, deixando no ar a sensação de que tudo seria possível a partir daí pois o jogo mantinha-se dividido. Seria já na recta final que o Farense acabaria com a indecisão da partida, na sequência de dois cruzamentos para área, numa altura em que a equipa do Ferreiras notava já algumas dificuldades físicas, terminando a partida com um resultado algo pesado para os da casa, pois parece-nos que o mais justo seria um resultado tangencial para o Farense ou mesmo um empate. Arbitragem tranquila.

Taça do Algarve, 3ª Eliminatória
Estádio da Nora (Ferreiras)
Assistência: 200 espectadores
20 horas, 28/01/2009
Árbitro: Ivo Santos
FERREIRAS 1-3 FARENSE

(49mn, por Della Pasqua, que aparece liberto na área, simula o remate e depois disfere um potente remate, indefensável para o guarda redes Mauro)
(66mn, por Ricardo Martins, num remate rasteiro e colocado no interior da área, ao qual Costa ainda tocou com as luvas mas não evitou o golo da equipa da casa)
(79mn, por Della Pasqua, na sequência dum cruzamento da direita do ataque farense, a bola é rematada por um jogador farense e pinga para Della Pasqua que na boca do golo, repõe a vantagem do Farense no marcador)
(88mn, por Rui Graça, na sequência dum canto cobrado por Justo da direita, Rui Graça marca num pontapé acrobático)

Farense: Costa; André Calado, Hernâni, Carlos Neves, Caras; Zé Nascimento, Barão, Dinis( Rui Graça, 53mn); Tony(Klebson, 61mn), Justo, Rodolfo Miranda (Della Pasqua, 46mn). Treinador: António Barão

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

No Rio Seco (Faro) afinal há água em demasia...

As imagens que abaixo vos apresento foram captadas na manhã de domingo no Sítio do Rio Seco, mais concretamente no ínicio da estrada que liga esta localidade a Pechão. Sempre que chove, a água aglomera-se durante vários dias em grande quantidade naquela zona, na proximidade duma curva perigosa, dificultando a circulação naquele local e aumentado consideravelmente o risco dum acidente nesse sítio. Acredito que o Executivo Municipal sabe desta situação à largos anos e tencionará fazer algo... Acredito...



QUARTA DIA 28, 20HORAS, TODOS ÀS FERREIRAS!!O FARENSE DEFRONTA O FERREIRAS, NA 3ª ELIMINATÓRIA DA TAÇA DO ALGARVE
JOGO ÚNICO E DECISIVO!!

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

O Fim de Semana Desportivo em Análise - Época 2008/2009

Voltamos para a análise de mais um fim de semana desportivo, nomeadamente das equipas do futebol farense e do futebol algarvio. Comecemos pelo Farense e pela sua equipa sénior que está agora a vinte pontos do líder Louletano... Com dezoito jogos disputados é esta a diferença entre duas equipas que se assumiam como candidatas à promoção no inicio da temporada. Se o Louletano segue o seu caminho e neste fim de semana bateu em casa o Fabril do Barreiro por 2-1, já o Farense disse na minha opinião definitivamente adeus à subida. A derrota 3-1 em Évora diante dum adversário directo, confirmou que o Farense não pode ambicionar a mais. A verdade é que o Farense não ganhou a nenhum dos cinco primeiros ainda e já estamos a meio da segunda volta. Por muito que nos custe, este Farense não têm demonstrado estaleca e não será agora que a conseguirá, pelo que o objectivo realista é defender o 6.º lugar e se possível subir um ou dois lugares na tabela. Nada mais... Fixemos agora nos Juniores, e no subida de forma sustentada que a equipa têm demonstrado nos últimos tempos. Nós já o havíamos alertado, pois o Farense tinha um calendário complicado no primeiro terço da prova e além do mais estava de regresso à maior competição deste escalão a nível nacional. Ultrapassada essa fase, não é surpresa a campanha deste miúdos que neste fim de semana chegaram ao oitavo lugar após bater o Sp. Pombal por 2-0. Os Juvenis também estão a rubricar uma boa campanha e embora tenham perdido a liderança do Distrital na jornada passada, regressaram às vitórias por 5-2 diante do 1.º de Janeiro, isto na véspera do escaldante derby com o Olhanense. Ao invés os Iniciados estão a rubricar uma campanha mediana e foram derrotados neste fim de semana em Silves por 2-0, ocupando agora o sétimo posto num total de doze equipas. Notas finais para Infantis e Escolas; assim, os Infantis A empataram em casa 2-2 com o Louletano enquanto os B's perderam copiosamente por 0-4 diante do Louletano B. Por seu turno a equipa A de Escolas foi a Almancil derrotar o Almancilense por 0-4.

Na Terceira Divisão, o já citado Louletano continua a defender a liderança enquanto as restantes quatro equipas algarvias continuam a tentar respirar no fundo da tabela. Até se pode considerar positiva a jornada para estes, pois o Campinense de Ivo Soares continua sem perder e foi buscar um ponto à casa do "nosso" carrasco Barreirense, através do nulo registado. O Messinense foi um dos vencedores da jornada, após quebrar um jejum de cinco jogos na vitória por 2-1 diante do Lusitano de Évora. Outro dos destaques foi o Quarteirense que também regressou às vitórias fruto da goleada diante do Silves por 6-3. Se o Quarteirense deu um passo rumo à revitalização da sua moral já o Silves está cada vez mais sozinho no fim da tabela e parece que este ano não se escapará à mais que certa descida aos Regionais.

Na Segunda Divisão B tivemos uma jornada positiva para os algarvios. O Beira Mar, na estreia de Eduardo Rodrigues ao leme da equipa, apesar das inúmeras dificuldades económicas e de constituição plantel conseguiu um precioso empate 2-2 de Pinhal Novo, terra do líder da tabela que agora está acompanhado pelo sensacional Lagoa, após a vitória caseira deste por 2-1 diante do Atlético. Grande destaque para a vitória dos lagoenses que conseguiram o golo do triunfo jogando com dez homens durante mais de meio jogo.

Por fim destaque para a Liga Vitalis onde os algarvios não tiveram jornada positiva. Pior esteve o Olhanense, que mesmo se sabendo das dificuldades dum deslocação a Barcelos, nunca se imaginaria derrotado por 3-0. Apesar de líderes, os homens de Olhão têm agora preocupações acrescidas e já na próxima jornada têm nova deslocação, desta feita ao Estoril, num jogo de particular importância para os pupilos de Jorge Costa. O Portimonense, que está numa fase má, apesar de tudo não comprometeu muito, pois empatou na casa dum dos rivais directo, o Freamunde, mantendo a 12.ª posição com o mesmo número de pontos de vantagem sobre a linha de água.

domingo, 25 de janeiro de 2009

Até gostava de vos contar algo que ouvi hoje mas não posso...

Bartoon de Luís Afonso In Público

Farense afunda-se em Évora e diz "adeus" à subida

O Farense perdeu na tarde de hoje mais uma oportunidade de subir na tabela, onde defrontava um adversário directo na luta pelos lugares cimeiros, o qual já não vencia à seis jogos. Num jogo teoricamente difícil e aguardado com expectativa, os cerca de cem adeptos algarvios viram o Farense entrar bem na partida mas gradualmente foi perdendo o discernimento e saiu vergado a uma derrota por 3-1, que se ajustou ao desempenho das duas equipas no terreno.

A primeira parte começou da melhor forma para os algarvios que entrando forte, dispuseram logo de duas ocasiões para marcar, aproveitando uma delas paJogadores do Juventude de Évora comemoram um dos golos; ao fundo os South Side Boys...ra se adiantar no marcador logo aos 4 minutos. Estava feito o mais difícil, pois num relvado muito fustigado pela chuva, onde se aglomerou muita água e lama, prejudicando de certa forma o controlo da bola, especialmente pela equipa com maior pendor ofensivo. O Farense foi nos primeiros 20 minutos uma equipa mais objectiva, adaptando-se com maior facilidade às circunstancias mas os locais recuperaram e até ao final da primeira parte foram desperdiçando ocasiões mais que suficientes para inverter o resultado. Não contente com a exibição da sua equipa, o treinador Miguel Ângelo, ainda na primeira parte trocou dois jogadores da sua equipa, mas sem resultados imediatos, terminando os primeiros 45 minutos com a vantagem dos Leões de Faro.

Na segunda parte, se a tarefa já se estava a complicar para o Farense, pior ficou pois o Juventude entrou muito forte, desperdiçando mais ocasiões e empurrando definitivamente para o seu meio campo os farenses. O minuto 56 marcaria definitivamente a partida, e iniciaria a derrocada dos algarvios no desenrolar da mesma, pois a expulsão de Luís Afonso, por falta junto ao limite da grande área, ditaria a sua expulsão e o consequente livre perigoso, aproveitado por Luís Barreiros para empatar a partida. António Barão mexeu na equipa no sentido de a equilibrar após este revés, e digamos que conseguiu suster um pouco o ímpeto contrário durante um quarto de hora, mas sem nunca incomodar o guarda redes Cuca. Contudo a Juventude não desistia e era equipa mais forte na partida e como consequência disso chegaria à vitória após marcar dois golos em cinco minutos, já na recta final da partida, perante um Farense debilitado e que agora parece definitivamente condenado a lutar apenas pelo sexto lugar. Arbitragem mediana.

Camp. Nac. 3ª Divisão, Série F, 18ª Jornada
Estádio Sanches Miranda (Évora)
Assistência: 200 espectadores
15 horas, 25/01/2009
Árbitro: Aurélio Afonso (Lisboa)
JUV. ÉVORA 3-1 FARENSE

(4 mn, por Norberto, numa jogada de Caniggia, a bola chega a Norberto e este marca o tento inaugural)
(58mn, por Luís Barreiros, o antigo jogador do Olhanense converte exemplarmente um livre directo, com a bola a bater ainda na trave)
(76mn, por Nuno Gaio, à terceira tentativa o atacante eborense, aproveira uma jogada rápida entre Sissé e Márcio Madeira para rematar cruzado para o 2-1)
(81mn, por Márcio Madeira, na cobrança dum livre directo)

Farense: Gonçalo; Cannigia, Rui Graça, Carlos Neves, Wilson; André Calado (Hernâni 59mn), Luís Afonso, Barão, Norberto, Pintassilgo (Tony, 70mn), Della Pasqua(Bruno 46mn). Treinador: António Barão

sábado, 24 de janeiro de 2009

Serviços mínimos chegam para vencer Sp. Pombal por 2-0

Campeonato Nacional de Juniores, Zona Sul, 19ª Jornada
FARENSE 2-0 SP. POMBAL
(Vicente, 65mn, Do Vale 92mn)

O Farense conseguiu na tarde de hoje mais uma vitória no Nacional de Juniores, dando sequência à subida de forma das ultimas semanas, ascendendo assim ao 8º lugar da tabela, mas mantendo ainda assim, uma margem de 4 pontos para linha de água. Sem ter realizado uma exibição agradável, o Farense conseguiu ser mais eficaz e adulto, marcado os golos já na segunda parte, perante um adversário sem medo mas que denotou fragilidades naturais duma equipa que apenas tinha seis pontos em dezoito jogos disputados...

A primeira parte do Farense não foi boa, antes pelo contrário, mostrando-se adormecido e desligado entre sectores, quiçá pouco espicaçado perante um adversário que já se sabia inferior mas que mesmo assim fez das fraquezas forças e gizou alguns lances interessantes na primeira meia hora de jogo, beneficiando duma fraca pressão dos algarvios e que lhes proporcionava espaços para trocar melhor a bola. Teve um lance claro de golo aos 24 minutos, quando um seu dianteiro apareceu solto e de cabeça atirou por cima da baliza do Farense. Aos poucos o Farense foi se soltando mais, mostrando mais atitude e terminaria a primeira parte já a dominar a partida mas sem nunca jogar bem.

Veio a segunda parte e os Leões de Faro apareceram mais afoitos, mas seria novamente do Pombal a primeira jogada de perigo dessa parte, quando aos 54 minutos um jogador falhou um golo em plena área algarvia. Com Miguel Serôdio castigado, o Farense tentou aos 60 minutos dar mais presença à frente de ataque, trocando um médio pelo dianteiro Vicente, para fazer companhia a Ricardo que mostrava bons pormenores mas estava muito sozinho na frente. E passadas cinco minutos, o mesmo Vicente fabricaria o golo inaugural num lance em que se enquadrou na área, virando-se e ganhando espaço para rematar rasteiro para o fundo das malhas. Estava feito o mais difícil... O Pombal, que já nessa altura se ia fechando, teve que mudar um pouco a atitude e embora conseguisse dominar a espaços fazia do contra ataque a sua maior arma. Contudo, o Farense com maior ou menor dificuldade foi guardando o resultado até que, já depois dos "noventa", num belo contra ataque iniciado por Ró Ró, e conduzido por Ricardo, chegaria ao 2-0 final por Do Vale, que só teve que desembrulhar a prenda oferecida pelo citado Ricardo. Boa arbitragem.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Sócrates metido em sarilhos...

O tio materno de José Sócrates, Júlio Monteiro, admitiu ter proporcionado o encontro entre o actual primeiro-ministro e Charles Smith, sócio da Smith & Pedro, empresa contratada para conseguir o licenciamento do Freeport. As declarações fazem parte de uma entrevista dada pelo tio do ex-ministro do Ambiente ao semanário “Sol” e que será publicada amanhã. Paralelamente, um primo de Sócrates, Nuno Carvalho Monteiro, confirmou ao "Expresso" a existência de um encontro entre um intermediário do negócio do Freeport e o então ministro do Ambiente.

Foi através de mim que ele conseguiu a reunião”, afirmou Júlio Monteiro, que, contudo, garantiu não saber mais nada sobre o desenrolar dos acontecimentos. O tio de Sócrates sublinhou estar a ser “inconveniente” para o sobrinho mas disse estar-se “nas tintas porque é verdade”. O empresário explicou, ainda, que a situação o magoou: “Eu até fiquei chateado pelo facto de nem me agradecerem [o encontro que marquei]”.

Sobre os assuntos que motivaram a reunião Júlio Monteiro assegurou que apenas sabe que Charles Smith se queixou por alegadamente lhe estarem a pedir quatro milhões de contos para o projecto poder avançar e que se mostrou interessado em falar com o ministro do Ambiente da altura.

Num DVD que está na posse das autoridades inglesas desde 2007, é possível ver-se uma conversa entre um administrador inglês da sociedade proprietária do “outlet” de Alcochete e Charles Smith, onde é denunciado o pagamento de “luvas” ao ministro português envolvido no caso e que encabeça a lista detida pelos ingleses de 15 suspeitos de corrupção no licenciamento da superfície comercial. (...)

Já começam a ser muitas "presumíveis" trapalhadas, onde o nosso PM anda metido. Desde o seu diploma de engenheiro até este caso que parece ter contornos muito graves... Numa coisa estou de acordo com José Sócrates - "que façam rapidamente o seu trabalho". Disse José Socrates acerca das entidades envolvidas na investigação. Primeiro porque é para isso que lhes pagam e depois porque o País precisa de saber a verdade!
SÁBADO DIA 24, 15HORAS, TODOS AO S.LUÍS!!
O FARENSE DEFRONTA O SP. POMBAL, EM MAIS UMA JORNADA DO NACIONAL DE JUNIORES!!
SÓ A VITÓRIA INTERESSA!!

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Depois do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa...

Depois do tão badalado Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, chega agora à redacção do blog Algarve Farense a proposta para algumas alterações no referido tratado...
Eis o novo Acordo Ortográfico Olhanense:
  • Alevantar - O acto de levantar mas com convicção, com o ar de 'a mim ninguém me come por parvo!... alevantei-me e fui-me embora!'.
  • Amandar - O acto de atirar com força: 'O guarda-redes amandou a bola para bem longe'
  • Aspergic -Medicamento português que mistura Aspegic com Aspirina.
  • Assentar - O acto de sentar, só que com muita força, como fosse um tijolo a cair no cimento.
  • Capom -Porta de motor de carros que quando se fecha faz POM!
  • Destrocar -Trocar várias vezes a mesma nota até ficarmos com a mesma.
  • Disvorciada - Mulher que se diz por aí que se vai divorciar.
  • É assim... - Talvez a maior evolução da língua portuguesa. Termo que não quer dizer nada e não serve para nada. Deve ser colocado no início de qualquer frase. Muito utilizado por jornalistas e intelectuais.
  • Entropeçar - Tropeçar duas vezes seguidas.
  • Êros - Moeda alternativa ao Euro, adoptada por alguns portugueses.
  • Falastes, dissestes... - Articulação na 4ª pessoa do singular. Ex.: eu falei, tu falaste, elefalou, TU FALASTES..
  • Fracturação - O resultado da soma do consumo de clientes em qualquer casa comercial. Casa que não fractura... não predura.
  • Há-des - Verbo 'haver' na 2ª pessoa do singular: 'Eu hei-de cá vir um dia; tu há-des cá vir um dia...'
  • Inclusiver - Forma de expressar que percebemos de um assunto. E digo mais: eu inclusiver acho esta palavra muita gira. Também existe a variante "Inclusivel".
  • - A forma mais prática de articular a palavra MEU e dar um ar afro à língua portuguesa, como 'bué' ou 'maning'. Ex.: Atão mô, tudo bem?
  • Nha -Assim como Mô, é a forma mais prática de articular a palavra MINHA. Para quê perder tempo, não é? Fica sempre bem dizer 'Nha Mãe' e é uma poupança extraordinária.
  • Númaro - Também com a vertente "númbaro". Já está na Assembleia da República uma proposta de lei para se deixar de utilizar a palavra NÚMERO, a qual está em claro desuso. Por mim, acho um bom númaro!
  • Parteleira - Local ideal para guardar os livros de Protuguês do tempo da escola.
  • Perssunal - O contrário de amador. Muito utilizado por jogadores de futebol. Ex.:'Sou perssunal de futebol'. Dica: deve ser articulada de forma rápida.
  • Pitaxio - Aperitivo da classe do 'mindoím'.
  • Prontus- Usar o mais possível. É só dar vontade e podemos sempre soltar um'prontus'! Fica sempre bem.
  • Quaise - Também é uma palavra muito apreciada pelos nossos pseudo-intelectuais... Ainda não percebi muito bem o quer dizer, mas o problema deve ser meu.
  • Stander - Local de venda. A forma mais famosa é, sem dúvida, o 'stander' deautomóveis.O "stander" é um dos grandes clássicos do "português da cromagem"...
  • Tipo - Juntamente com o 'É assim', faz parte das grandes evoluções da língua portuguesa. Também sem querer dizer nada, e não servindo para nada, pode ser usado quando se quiser, porque nunca está errado, nem certo. É assim... tipo, tás a ver?
  • Treuze - Palavras para quê? Todos nós conhecemos o númaro treuze.

Se tiverem mais algumas sugestões não exitem...

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Estádio Algarve não quer ficar de fora do Mundial’2018

O Estádio Algarve não ficará de fora de uma eventual candidatura ibérica ao Mundial’2018, mesmo que, para isso, tenha de se adaptar ao limite mínimo de 40 mil lugares, defende um dos membros do conselho de administração do Parque das Cidades. José Apolinário, líder da câmara de Faro – que partilha com Loulé a gestão do equipamento –, revelou ao Região Sul que já existem contactos prévios com a Federação Portuguesa de Futebol e a Secretaria de Estado da Juventude e Desporto. “Junto dessas entidades, os dois municípios já manifestaram a disponibilidade para o Estádio Algarve acolher jogos da prova e o nosso empenho conjunto em apoiar uma candidatura de Portugal e Espanha”, disse o autarca. Um dos problemas que se coloca à parte portuguesa da parceria ibérica é a lotação mínima de 40 mil lugares requisitada pela FIFA, a qual, nas condições actuais, apenas abrangeria os estádios da Luz e de Alvalade, em Lisboa, e do Dragão, no Porto.
Na mente dos responsáveis portugueses, o Estádio Algarve seria o quarto recinto a indicar pelos portugueses, enquanto Espanha teria oito, um dos quais em Sevilha: desse modo, o Olímpico local e o estádio algarvio seriam sedes de um dos grupos da fase inicial da prova. José Apolinário abre as portas a uma eventual alteração na lotação do recinto, até porque a ideia das duas edilidades passa por remover as actuais bancadas amovíveis situadas nos topos. “Se essa situação tiver de ser colocada em cima da mesa, então terá de se adaptar o estádio. Uma coisa é certa: as bancadas terão de sair, portanto, teremos de prever a situação, com o apoio do governo ou em parceria com entidades privadas”, diz o autarca farense. O administrador do PC assevera que ainda não se avançou para a sua substituição “por razões financeiras” e porque “existe a possibilidade de um parceiro privado desenvolver uma área de negócio na zona do topo sul, colocando então uma bancada definitiva”.
Recorde-se, os líderes das federações de futebol de Portugal e Espanha, Gilberto Madail e Angel Villar, oficializaram esta segunda-feira a candidatura conjunta ao Mundial’2018.
In Região-Sul

Invasão a Évora - Porque o Farense precisa de Ti!

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Diz que já neva na Fóia

Ao que parece, nevou finalmente no Algarve, nomeadamente no Alto da Fóia - Monchique, e pelas crónica será para continuar amanhã... Para acompanhar.

Cortesia Foto: Barlavento Online, por João Tiago

Estará Faro no século XXI?

Às vezes interrogo-me se Faro já terá entrado no Séc. XXI... Não vou ocupar hoje o vosso tempo falando-vos das intermináveis obras de esgotos que estão inacabas por grande parte das estradas do Concelho, e que "à pala" dos arranjos de circunstância têm deixados muitos condutores com jantes "quadradas"... Hoje permitam-me abordar uma das coisas mais absurdas e aberrantes, para o qual não consigo encontrar explicação(ou até consiga...), que podemos observar no interior da cidade de Faro, no que concerne a estradas. Situemo-nos na zona do "depósito da água", junto à Escola E B 2,3 José Neves Júnior, naquela pseudo-estrada que liga a zona do depósito até à E.N.2, junto ao "Café Alaska". Pois bem, desde os meus tempos de escola na Pinheiro e Rosa, que me interrogava como era possível que esse atalho à Avenida Calouste Gulbenkian, utilizado diariamente por centenas de automobilistas estivesse sem um pingo de alcatrão, porventura esquecida pelos homens fortes na nossa política local, isto porque talvez naquela zona os moradores fossem pessoas com poucas posses ou mesmo pessoas de etnia cigana que moram lá mais do outro lado... Quase dez anos se passaram e à pouco tempo foi com agrado que apreciei as obras que estão a ser feitas no local, tanto a nível de infra estruturas para crianças como na própria estrada que foi em parte alcatroada. Mas, ironia das ironias, deixaram parte desse trajecto por alcatroar, como que fazendo distinção de moradores, ou de interesses... São uns 100 metros apenas que ficaram por corrigir, e que em tempos de chuva como agora, deixam esse caminho com crateras que assustam qualquer condutor. Das duas uma, se a obra da estrada e infra estruturas anexas foi suportada por algum Privado, o que julgo não ter sido, o que espera a CMF para de uma vez por todas alcatroar, ou mesmo em ultimo caso, por brita naquele local resolvendo uma situação que se arrasta à anos mas já devia estar mais que tratada? E se aquela obra é mesmo da responsabilidade da CMF, que "brincadeira" é aquela que estão fazer com os moradores e utilizadores, deixando do lado junto às empresas um piso invejável e do outro as imagens que anexamos?

(Actualizado, 21.51 de 21/01/2008) - Recebemos um comentário que nos alerta para o facto deste atalho estar em terreno clandestino, e por isso a CMF não ter intervenção directa na manutenção ou constução sobre o mesmo. Contudo, acreditamos que é do interesse público o desenbaraçamento desta situação que nada prestigia a cidade e lamentamos o facto desta não estar resolvida, pois justifca de facto a intervenção a bem de todos os Municipes. Assim haja vontade.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

O Fim de Semana Desportivo em Análise - Época 2008/2009

Em mais um fim de semana desportivo para os Leões de Faro, podemos dizer que se podia esperar muito mais das equipas de Futebol... Comecemos pelos Seniores, que na tarde ontem perderam em casa diante do histórico Barreirense por 1-2. Com esta derrota, o Farense situa-se agora a 17 pontos do líder Louletano e 15 do Cova da Piedade, o que na verdade nos parece uma distância já considerável para que os Leões de Faro recuperem na 2ª fase. Por isso, e antes demais, é importante defender o sexto posto, que está agora "preso por arames". Os Juniores também não foram felizes, mas sabia-se à partida que o jogo não era fácil, pois o Atlético é uma equipa forte na Tapadinha e está a fazer uma campanha mais que tranquila. Apesar da derrota, os pupilos de Miguel Serôdio têm no próximo sábado uma grande oportunidade de regressar às vitórias, pois defrontam o último Sporting de Pombal no S. Luís e poderão aumentar a vantagem para a linha de água por forma a se resguardar mais na tabela. Nos Juvenis, jornada também negativa pois o Farense, ao empatar a zero no areal de Armação de Pêra, perdeu a liderança para o Olhanense, enquanto a equipa B foi derrotada 5-2 nas Ferreiras. Já nos Iniciados, o mesmo Armacenenses foi copiosamente derrotado por 7-0 em Faro. Notas finais para os Infantis onde a equipa A empatou 3-3 em Lagos e está agora no 5.º lugar da tabela, enquanto a equipa B foi derrotada em Lagos por 6-5. Por fim, nas Escolas A o Farense derrotou em casa o Esp. Lagos por 5-1 enquanto a equipa B bateu em Lagos os locais por 0-3.

Na Terceira Divisão Nacional, dos representantes algarvios apenas o Louletano triunfou e logo na casa do ex-líder Cova da Piedade que assim se viu ultrapassado pelos homens de Loulé graças a um golo de Pintinho. Quanto ao resto, só empates e derrotas, com destaque para o Silves que parece estar com o destino traçado para os Distritais, após mais uma derrota, desta feita caseira e diante um rival directo, o Castrense... Também o Campinense continua sem vencer em casa, apesar do empate diante do Atlético de Reguengos não ser muito negativo, mas face à classificação foi mais um passo atrás no sentido da recuperação que Ivo Soares quer promover à equipa. Também o Quarteirense não regressou às vitórias e empatou em casa 1-1 diante dos Pescadores Costa Caparica, o que agudiza a crise dos comandados de Luis Resende, que nos últimos 15 jogos só venceram por uma vez... Nota final para o Messinense, que também não está em bons lençóis, tendo sido derrotado por 2-0 no Lavradio diante do Fabril. Se olharmos para a classificação, nuvens muito negras ameaçam o futebol algarvio que neste momento deixa quatro das suas seis equipas nos últimos quatros lugares da tabela, sendo um muito mau pronuncio para a representação algarvia nos Nacionais da próxima época.

Na Segunda Divisão B, cada vez mais se vão afastando os percursos das duas equipas algarvias. Dum lado, o pujante Lagoa, que apesar das dificuldades, mantêm-se firme nos primeiros postos da tabela, e nesta jornada trouxe de Aljustrel uma meritória vitória por 1-2, ascendendo assim ao segundo lugar da tabela, enquanto que o Beira Mar se vai afundando na tabela, nesta época de estreia na Segunda B. Já não vence à três jogos e o competitivo campeonato dita assim que os comandados de Rui Caldeira estejam já penúltima posição, após derrota por 3-0 em Moscavide.

Nota final para o Olhanense, que encerrou na tarde ontem a sua caminhada na Carlsberg Cup, terminando o seu grupo só com derrotas, o que acaba por ser a natural sina do único representante da Liga Vitalis diante de adversários de outra dimensão. Depois de derrotados na Luz por 4-1, tendo ainda assim rubricado uma exibição muito honrosa, não puderam ontem repetir a postura e saíram vergados a uma derrota esclarecedora por 3-0 no Minho, diante do Vitória de Guimarães treinado pelo olhanense Manuel Cajuda.

Ao que a Crise obriga...

Reforma de Bush vira festa no Algarve
George W. Bush entrega a pasta a Barack Obama e o mundo está em festa. Empresa de Faro convida clientes a atirarem sapatos ao empregado de balcão!

Celebrar o fim do mandato de um dos presidentes norte-americanos mais contestados do planeta virou moda. Entre as mais de mil festas assinaladas no site ‘Bush Bye Bye Party’, algumas vão ter lugar no Sul do país.
Na Praia da Rocha, em Portimão, o bar Moonlight, na Avenida Tomás Cabreira, garante, de forma sucinta, que vai festejar a despedida “desse senhor”.

De forma mais original, no Patacão, arredores de Faro, a empresa de sistemas de rega Aquamatic promete “lançamento de sapatos” com direito a “brindes” na compra de “três rolos drip-line”.
“Quem comprar, terá direito a lançar o sapato”,
assegurou ao Observatório do Algarve Vítor Galego, funcionário da empresa. O alvo, explica, será o “empregado de balcão”.
“Alguns clientes estão entusiasmados e já nos disseram que vão trazer sapatos mais leves para afinar a pontaria”.
Vítor Galego espera que a iniciativa possa ajudar nas vendas até porque o negócio está em crise.
“Ouvimos falar no site e resolvemos associar-nos à ideia. Temos informação na entrada da loja e os brindes prontos para oferecer. Vamos esperar que ajude nas vendas. Por outro lado, a governação dele [George Bush] foi muito má. Vamos ter esperança em Obama”, sugere .

Em Loulé, Miguel Brito também promete celebrar.
“Espero, como a maioria da população mundial, que o novo inquilino da Casa Branca tenha a arte de se desviar dos sapatos, a paciência de esperar pelo momento certo, a coerência entre acção e discurso e sobretudo, a vontade de fazer tudo isto”, explicou ao Observatório do Algarve.
(...) In Observatório do Algarve

Se José Socrates perder as Legislativas, qual será o repto lançado por esta empresa do Patacão?

domingo, 18 de janeiro de 2009

Maldição regressa ao Estádio Algarve... Barreirense sorriu no fim

Apesar dos muitos cantos e livres conquistados na parte final da partida, o Farense não conseguiu marcar qualquer golo e foi infeliz na forma como sofreu o golo já no período de descontos.

O Farense quebrou na tarde de hoje uma boa sequência de quatro jogos sem perder no qual averbou 10 pontos. Apesar de se ter afastado dos lugares cimeiros acabou por manter a sexta posição, mas esta está agora mais a ameaçada, isto na véspera da difícil e aguardada deslocação a Évora do próximo domingo. A derrota penalizou o Farense, não só pela oportunidade perdida de subir na tabela mas porque com uma assistência superior à dos últimos jogos, o Farense perdeu uma ocasião de se reconciliar definitivamente com o seu público, que no inicio da época vinha em grande número ao Estádio Algarve, mas gradualmente se foi afastando devido às más exibições e resultados da equipa.

Sob umas nuvens ameaçadoras, mas que não passaram disso mesmo, durante o tempo de jogo, o Farense até iniciou a partida de forma aceitável, pois apesar do relativo equilíbrio foi de facto a equipa com maior vontade e ensaiou nos primeiros minutos algumas jogadas mais incisivas, sem contudo criar chances reais de golo. O Barreirense acabaria por equilibrar definitivamente partida e assistiu-se a um jogo algo morno, mastigado a meio campo, onde as defesas se iam superiorizando aos atacantes contrários. Seria nessa altura que surgiria o golo do Farense, perto da meia hora de jogo, marcado por Norberto que desfazia assim uma igualdade que até ao momento era justa. Após o golo, a dinâmica do jogo não mudou muito, com um Farense assentar o seu esquema num 4x1x4x1, que poucos frutos dava... Seria do Barreirense a mais clamorosa ocasião até ao intervalo com um seu jogador a aparecer solto na área, após cruzamento atrasado da direita, e a chutar mal a bola, quando tinha tudo para empatar a partida. Terminava assim a primeira parte, com o resultado de 1-0, premiando um Farense mais eficaz, perante um adversário que não estava ser inferior em grande parte do primeiro tempo.

No segundo tempo, o cariz do jogo não mudou muito, mas António Barão, mesmo a vencer, e não satisfeito com a produtividade atacante da equipa, trocava o defesa Wilson por Bruno, no sentido de acompanhar mais Della Pasqua, que estava muito sozinho na frente. Notou-se claramente no jogo de hoje o défice exibicional dum jogador que esteve em foco nos últimos jogos que assistimos, Pintassilgo, que talvez tenha tido dificuldades em impor o seu jogo pois estando encostado na ala direita, não tinha a liberdade para organizar o jogo, prejudicando assim o fluxo ofensivo da equipa. O Barreirense, não tinha nada a perder e ia tentando "pegar" no jogo, perante um Farense pouco mexido, e foi cada vez mais pressionando os locais, embora sem proporcionar a Costa momentos de maior aperto. Foi por isso neste clima de “paz podre” que os homens do Barreiro desfariam a vantagem num lance de bola parada, quando faltavam ainda cerca de vinte e cinco minutos para o final da partida. O Farense tinha que acordar e sair da letargia a que estava remetido, e foi isso que aconteceu... Embora sem o impacto da reacção com o Castrense, chegou-se mesmo a acreditar que o golo estava iminente, pois com garra e coração o Farense ia criando perigo junto da baliza de Valter, conquistando cantos e livres junto à área. Por seu turno o Barreirense ia procurando estancar esse pendor e nunca deixava perder uma oportunidade de contra ataque, que embora sem muitas facilidades, acreditava também na vitória. Chegávamos então à recta final, com o público do Estádio Algarve muito ansioso, vendo o Farense a tentar o golo mas seria a equipa forasteira a trocar as voltas aos adeptos algarvios... Na verdade o Barreirense acabaria por ser feliz, fruto dum lance em que Costa é mal batido e no qual o homens de Barreiro acabavam por garantir a vitória num terreno sempre apetecível, perante um Farense incrédulo e depois desiludido com a "sina" que lhe estava destinada na tarde de hoje. Arbitragem aceitável.


Camp. Nac. 3ª Divisão, SérieF, 17ª Jornada
Estádio Algarve (Parque das Cidades)
Assistência: 600 espectadores
15 horas, 18/01/2009
Árbitro: Mário Belmonte (Évora)
FARENSE 1-2 BARREIRENSE

(29 mn, por Norberto, que aparece desmarcado no coração da área e encosta facilmente para a baliza defendida por Valter, após um cruzamento longo da direita de Barão)
(64 mn, por João Filipe, na cobrança dum livre directo que se anichou nas redes defendidas por Costa)
(91 mn, por Mauro, livre directo marcado por João Filipe na meia direita do seu ataque, ao qual Costa tenta agarrar, mas não o conseguindo, deixa a bola à mercê de Mauro que facilmente fez o golo forasteiro)


Farense: Costa; Cannigia (Luís Afonso 61mn), Rui Graça, Carlos Neves, Wilson (Bruno 57mn); Hernâni, Zé Nascimento, Barão (Klebson, 67mn), Norberto, Pintassilgo, Della Pasqua. Treinador: António Barão

sábado, 17 de janeiro de 2009

Condutor de camião furtado espalha terror em Lagos, mata uma mulher e fere seis

Um jovem ao volante de um camião furtado espalhou esta manhã o terror na cidade de Lagos, acabando por matar uma senhora e ferir pelo menos seis outras pessoas, três delas com muita gravidade, apurou o barlavento.online no local

A vítima mortal, confirmada ao barlavento.online pelo presidente da Câmara de Lagos, é uma senhora de 46 anos, mulher de um agente da GNR, e que foi colhida pelo camião numa esplanada junto ao Mercado de Santo Amaro.

O condutor, de 23 anos de idade, que testemunhas pensam que estava sob o efeito de álcool ou drogas, começou a sua viagem louca junto ao cemitério de Lagos, por volta das 11 horas, e em 20 minutos atravessou toda a parte alta da cidade, em contra-mão, por cima de passeios, atravessando rotundas a direito.Pelo caminho, o camião furtado à empresa Solmate numa obra da Câmara de Lagos foi abalroando viaturas, algumas das quais ficaram completamente destruídas, e foi sendo perseguido pela polícia, em pelo menos três viaturas.Segundo Manuel Felicidade, dono de um estabelecimento no Mercado de Santo Amaro, «ele vinha a acelerar por aí fora, completamente desgovernado, passava por cima dos passeios e das rotundas e, quando chegou aqui ao mercado, voltou para trás».

Nessa altura, um homem, identificado por várias testemunhas como sendo um enfermeiro do Hospital de Lagos, conseguiu pendurar-se na janela do camião do lado do condutor e fazê-lo guinar, evitando que o veículo entrasse de frente na esplanada de uma cafetaria do mercado, que àquela hora estava cheia de gente.Ainda assim, nessa esplanada, o camião desgovernado fez pelo menos seis vítimas graves, acabando mesmo por matar uma das pessoas que aí se encontrava, tal foi a violência do embate. Testemunhas garantem, porém, que se o camião não tivesse sido desviado teria provocado «uma carnificina ainda maior».Um dos feridos graves é o enfermeiro, cuja perna ficou esmagada debaixo de um dos rodados do camião.

Na sua fuga pela cidade, segundo outras testemunhas, a PSP terá disparado pelo menos um tiro contra a viatura pesada, mas, por se tratar de um camião de grandes dimensões, com báscula, roubado pelo condutor a uma empresa de construção civil da cidade, a polícia foi incapaz de deter a sua marcha destrutiva.Fonte do Comando Distrital da PSP garantiu que «os agentes tudo fizeram para tentar travar o veículo», mas que «não conseguiram devido à sua dimensão».

O barlavento.online apurou ainda que o condutor do camião furtado, que também estará ferido e foi detido pela PSP, era operador de uma retro-escavadora numa empresa de Lagos.Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro da Protecção Civil, o alerta para o atropelamento foi dado às 11h22, mobilizando nove veículos e 24 elementos dos Bombeiros Voluntários de Lagos, INEM, PSP e GNR.As vítimas foram transportadas para o Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio, assim como o condutor do veículo pesado, que também acabou ferido.

A morte quando menos se espera. E nós a preocuparmo-nos com tantas coisas mesquinhas...

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Faro: empréstimos geram acusações

O PS Faro acusa a bancada PSD na Assembleia Municipal local de tudo fazer para inviabilizar empréstimos para a Autarquia pagar dívidas a fornecedores. PSD já reagiu e contra ataca. Em causa dois empréstimos. Um de seis milhões de euros para pagamento de dívidas. Outro de 700 mil euros para acorrer a dificuldades de tesouraria. Este último foi chumbado por toda a oposição. O primeiro passou com os votos da maioria PS, CDU e BE. Mas a bancada PSD ausentou-se da sessão no acto da votação. O PS Faro emitiu um comunicado onde critica a oposição em geral mas o PSD em particular, por ter chumbado o empréstimo que se destinava, entre outros objectivos, a cumprir com protocolos assinados com colectividades do concelho. O PSD contra atacou. Diz que “é mentira” e que os 700 mil euros iriam servir para pagar “indemnizações” ou “obras comparticipadas por fundos comunitários”. Para os social-democratas o executivo socialista e o PS Faro criaram uma “lamentável campanha de desinformação” ao dizerem que o dinheiro seria para cumprir com protocolos assinados. Por outro lado o PSD diz que “é falsa” a acusação de que tentou inviabilizar o pagamento a fornecedores na questão do empréstimo de seis milhões de euros. Primeiro salienta que o facto de não ter votado “em nada obstaculizou à aprovação do referido empréstimo”. E diz que não votou porque “o PS impôs à Assembleia uma votação que não coincidia com a convocatória (...) e respectiva ordem de trabalhos, o que constitui manifesta ilegalidade”. De resto, o PS Faro diz que a oposição “põe em causa os legítimos direitos e interesses de terceiros, que não devem ser afectados por disputas eleitorais”, repudiando as posições tomadas pela oposição. E o PSD remata que o PS “agravou gravemente a situação económico-financeira” da Câmara, e que “a política de fuga para a frente prossegue com mais empréstimos, mais dívida” sem que “ninguém saiba qual é o actual passivo”.

Se há dívidas é porque há investimento, mas a verdade é que enquanto outras cidades algarvias crescem, Faro vai perdendo terreno para elas... Algo está mal na nossa cidade e esta "guerra" entre partidos só vem descredibilizar ainda mais o sector. A verdade é que o PS têm sido de longe a força politica com mais mandatos nos últimos vinte anos e devia ter uma palavra aos munícipes a explicar como se chegou a este cenário de rotura financeira, antes de requerer empréstimos e mais empréstimos para endividar a Câmara. Tudo isso não passa de balões de oxigénio. Será esta a solução?

As duas faces de Ronaldo...

No mesmo local, mas passado um ano é evidente a diferença de estado de espírito do menino prodígio madeirense... Considere-se ou não o melhor futebolista do mundo, ficamos felizes com a citação recebida pelo jogador português. Na minha opinião, os prémios desta natureza valem o que valem, dado que os jogadores nomeados têm a sua probabilidade dependente de vários factores... Imagine o leitor que CR7 tinha feito esta mesma época a nível exibicional mas o Man. United não tinha arrecadado qualquer título como o fez em 2008 graças ao brilho de várias estrelas da constelação de Manchester mas também do trabalho de Ferguson? E se essa conjugação de títulos fosse arrecadada por Messi ou Káká?

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Pina treina-se em Faro

O plantel do Farense pode vir a ter mais um reforço, a acontecer o último da época. O treinador António Barão tem vindo a observar nos últimos dias o defesa Pina, que fez a formação nas escolas do Sporting. A decisão será conhecida até ao final da semana.
In edição impressa do Jornal "A Bola"

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Xutos e Pontapés - 30 anos de sucessos

Faz hoje trinta anos que os Xutos e Pontapés iniciaram o seu ciclo de vida, pois precisamente à trinta anos, a 13 de Janeiro de 1979 davam o seu primeiro concerto ao vivo inserido na comemoração dos 25 Anos do Rock n'Roll, partilhando o palco com os Faíscas, que se despediam como banda neste espectáculo. Tudo aconteceu na sala Alunos de Apolo. Começava assim a estrada para esta nova banda, Xutos & Pontapés Rock and Roll Band... depois de tentarem usar nomes como Beijinhos & Parabéns ou Delirium Tremens, ainda antes da primeira apresentação ao vivo... Considerados por muita gente como a maior banda de sempre do nosso País, "os Xutos", como carinhosamente são chamados, são o testemunho vivo da irreverencia das gerações dos anos 80, 90 e 2000's, que se vão contagiando a partir da adolescência com a fusão rock, hard rock, punk e pop da banda lisboeta. Hoje, estão evidentemente de parabéns, e é com alegria que constato a união que se mantêm intacta desde o inicio entre Kalu, Zé Pedro e Tim, desde o primeiro momento... Já passaram três décadas e eles permanecem firmes... Quantas bandas deste nível se podem orgulhar de tão duradoura união? Muito poucas... E com este nível de dinâmica e entusiasmo muito menos. Obrigado Xutos!
Deixo-vos uma das minhas músicas favoritas, uma das muitas que podiam estar aqui neste momento, dado o excelente reportório da banda...

Farense visita Ferreiras para a Taça do Algarve

O sorteio realizado na noite de hoje na sede da Associação de Futebol do Algarve ditou o reencontro do Farense com a equipa do Ferreiras na terceira eliminatória da Taça do Algarve. Assim, a equipa treinada por António Barão jogará no dia 28 deste mês no Estádio da Nora, contra a formação treinada por Ricardo Alho. Estas equipas inverteram posições nos quadros competitivos no final da pretérita temporada, e nesta época o Ferreiras têm como objectivo regressar aos Nacionais, estando actualmente no terceiro lugar do Distritalão a dez pontos do líder Esperança de Lagos, tendo no seu plantel alguns jogadores conhecidos dos farenses como Marco Benje, Nélson Cruz, João Pereira ou Luís Ferreira. Por curiosidade, estas mesma equipas jogaram entre si na época passada para esta mesma competição, mas no estádio S. Luís, tendo a vitória sorrido aos Leões de Faro por 2-1.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

O Fim de Semana Desportivo em Análise - Época 2008/2009

Jornada positiva para o SC Farense, se olharmos para as três equipas mais representativas, futebolisticamente falando. Os Séniores, numa difícil deslocação a Reguengos de Monsaraz, trouxeram de lá um ponto importante, fruto da igualdade a duas bolas, deixando tudo em aberto para uma hipotética subida e solidificando a posição nos "6+", por forma a acautelar antecipadamente a permanência nesta divisão. Já os Juniores voltaram às vitórias, batendo no S. Luís, o Estoril por 3-2. Perante uma adversário directo, os algarvios foram mais fortes deram sequência a uma boa fase da equipa, que nos últimos quatro jogos conquistou nove pontos, o que a afasta dos quatro lugares de descida, subindo mesmo nesta jornada uma posição, estando agora no décimo lugar. Os Juvenis regressaram à competição e entraram da melhor forma neste ano, batendo em casa o Quarteirense por 4-1, permanecendo no primeiro lugar com dezoito pontos, mas tendo a morder os calcanhares a formação do Olhanense, que parece neste momento, o mais sério rival dos miúdos de Faro na competição. Já os Iniciados mantêm-se a meio da tabela no seu campeonato, e nesta jornada não fizeram melhor que uma derrota tangencial em Portimão por 3-4, estando agora no sétimo lugar com doze pontos. Finalmente, nota para o resultado de Infantis e Escolas: Os Infantis A bateram o CD Montenegro por 6-0 enquanto a equipa B bateu também o CD Montenegro por 5-1, enquanto nas Escolas, a equipa A bateu fora o Ferreiras por 2-4, enquanto as escolas B empataram 3-3 com o Lusitano de Vila Real de Santo António.

Nos outros jogos algarvios da Terceira Divisão, destaque para o derby concelhio disputado no estádio Algarve, entre Louletano e Quarteirense, equipas representantes das duas cidades do Concelho. Sob o olhar de Seruca Emídio, presidente da Câmara louletana, o Louletano venceu por 3-0, num jogo muito controverso e marcado pela arbitragem. A verdade é que os homens de Loulé se aproximaram do líder Cova da Piedade pois estes empataram 2-2 em Messines noutro jogo em que os dirigentes locais se queixaram imenso do trabalho do trio de arbitragem. Nota positiva da jornada para o Campinense, que teve de esperar 15 jogos, e curiosamente pelo regresso de Ivo Soares para vencer, desta feita em Castro Verde, num campo que começa a ser talismã para o ex-técnico do Farense que agora venceu por 1-2. Nota final para o Silves que deu um passo atrás e vê-se agora sozinho no fundo da tabela, na sequência da derrota por 3-0 na Costa da Caparica.

Na Segunda Divisão B, nota negativa para a prestação das duas equipas algarvias, que a jogar em casa não conseguiram melhor que um ponto. O Lagoa recebia o líder Mafra e apesar da vitória não ser imprescindível, seria importante para se perceber o verdadeiro valor desta equipa. O nulo traduz e equilíbrio entre as equipas mas acabou por deixar os lagoenses no terceiro lugar no final desta jornada. Pior fez o Beira Mar, que se debate com problemas financeiros e disso se parece ressentir a equipa que está a fazer um campeonato irregular, nivelado por baixo. A derrota por 0-2 diante do Atlético deixou os montegordinos no nono lugar com dezanove pontos, mas apenas com quatro de vantagem sobre o ultimo lugar.

Por fim, na Liga Vitalis, é cada vez com maior insistência que se acredita que será desta que o Algarve voltará a ter um representante no escalão maior do nosso futebol. O Olhanense, ao bater o Gondomar por 2-0 deu mais um passo firme rumo à subida, aproveitando os deslizes adversários e aumentando para sete pontos a diferença para os terceiros classificados, Feirense e Gil Vicente. Costuma-se dizer que é neste jogos que se definem os campeões e parece-nos que este poderá ter sido o passo definitivo para o Olhanense se assumir de vez como maior candidato à vitória na prova. Por outro lado, o Portimonense vai navegando cada vez com mais dificuldade, isto depois de mais um empate caseiro 2-2 diante do Vizela, numa altura em que Vítor Pontes começa a ser contestado, pois já não vence à mês e meio e a equipa, ocupando a décima segunda posição, com quatro pontos à maior sobre a linha de água parece ter cada vez menos "onda" para inverter a situação.

Um algarvio na Casa Branca...

Com tanto por onde escolher e com raças muito mais bonitas e possantes à disposição, então não é que o novo homem forte dos EUA (e do Mundo) irá provavelmente escolher uma raça de cães algarvia para fazer companhia às suas filhas e guardar a Casa Branca... Sem entrar na histeria em volta da eleição do primeiro presidente negro da história dos "States", até porque acredito que ele não fará muito melhor que Bush, ao menos parece que a sua primeira decisão irá merecer vinte valores!

domingo, 11 de janeiro de 2009

Farense traz ponto de Reguengos e aumenta vantagem para o sétimo classificado

O Farense conseguiu na tarde de hoje mais um preciso ponto fora de casa diante dum adversário teoricamente mais forte, aumentando a invencibilidade para quatro jogos no campeonato, num jogo emotivo e onde o empate a duas bolas se afigurou como o resultado mais justo no sintético de Reguengos.

Numa primeira parte equilibrada, acabou por entrar melhor a equipa de Faro, que jogando na casa do terceiro classificado, não entrou temeroso e foi trocando a bola com alguma qualidade, tendo mesmo criado algumas ocasiões para iniciar a contagem. Contudo seriam os alentejanos a inaugurar o marcador, um pouco contra a corrente de jogo, deixando os homens de Reguengos mais tranquilos, embora a sua toada de jogo não se alterasse muito, privilegiando o contra ataque onde dispunham de unidades muito rápidas e fortes na frente. Mais uma vez António Barão não esteve com meias medidas e ainda sem chegarmos ao intervalo, lançava em campo Bruno, no sentido de dar maior poder ao ataque algarvio. Curiosamente ou talvez não, dois minutos depois, ganharia o penalty que daria o empate ao intervalo, num lance muito contestado pelos adeptos locais.

Na segunda parte o Reguengos entrou bem, mas seria o Farense a adiantar-se no marcador, graças a um golo de Norberto. Num jogo muito contestado pela arbitragem, o Atlético chegaria à igualdade num lance de grande penalidade muito duvidoso, como que numa compensação de outro lance na área que o arbitro não marcou. Contudo o Farense não baixou os braços e aguentando a intenção ganhadora dos locais, foi gradualmente afastando o jogo da sua área e conseguiu mesmo em certos períodos dominar a partida e procurar o 3-2, tendo depois guardado o resultado na parte final, perante um adversário já algo cansado em virtude das tardias substituições efectuadas pelo treinador Jorge Vicente. Arbitragem de má qualidade em prejuízo de ambas as equipas.

Camp. Nac. 3ª Divisão, SérieF, 16ªJornada
Campo Virgilio Durão (Reguengos de Monsaraz)
Assistência: 350 espectadores
15 horas, 11/01/2009
Árbitro: Paulo Roberto Jorge (Setúbal)
ATLÉTICO REGUENGOS 2-2 FARENSE

(27 mn, por Barry, jogada de Ben, que cruza atrasado para o remate vitorioso de Barry)
(46 mn, por Della Pasqua, na cobrança duma grande penalidade a castigar uma (suposta) falta cometida sobre Bruno junto à linha de fundo)
(55 mn, por Norberto, na sequência dum cruzamento para a área, Bruno desvia de cabeça e Norberto faz o segundo)
(70 mn, por Ben, (suposta) falta de Rui Graça sobre Ben na área e este chamado à conversão não falha e empata a partida)

Farense: Costa; Cannigia, Rui Graça, Carlos Neves, Wilson; Hernâni, Zé Nascimento (Bruno 43mn), Barão, Norberto, Pintassilgo (Klébson, 73mn); Della Pasqua (Luis Afonso, 66mn). Treinador: António Barão


sábado, 10 de janeiro de 2009

Vitória sobre canarinhos deixa Farense mais seguro na tabela

Campeonato Nacional de Juniores, Zona Sul, 17ª Jornada
FARENSE 3-2 ESTORIL

Depois da derrota na semana passada em Loulé, o Farense deu hoje um passo seguro na tabela, subindo um degrau e posicionando-se agora com quatro pontos à maior sobre a primeira equipa abaixo da linha de água. A vitória por 3-2 de hoje, apesar de sofrida, premiou os comandados de Miguel Serôdio, que entrando mal na partida, conseguiram ser eficazes na primeira parte, tendo depois sofrido muito na segunda parte para segurar a vitória trazida da primeira parte, que ao intervalo se cifrava nuns explícitos 3-0.

O jogo iniciava-se no relvado do São Luís, agora um pouco melhor tendo em conta os últimos jogos que presenciámos, com os primeiros minutos a serem equilibrados embora o Estoril estivesse um pouco mais afoito, mas a equipa algarvia viria a atravessar um mau período entre os dez e trinta minutos, onde a equipa da Linha podia mesmo ter inaugurado marcador, tendo disposto de três boas ocasiões, uma delas com a bola ser defendida pelo guarda redes Bruno, rechaçando no poste direito da baliza sul. Temeu-se o golo estorilista mas seria o Farense a chegar ao golo, passados trinta minutos e contra a corrente do jogo. Num livre conquistado na direita do ataque algarvio, ainda longe da baliza, pareceu-nos Álvaro o marcador a cobrar e a bola passando por um mollho de jogadores que a tentava interceptar, anichou-se directamente na baliza do Estoril para gáudio dos adeptos farenses no estádio. O Farense soltou-se mais e passados sete minutos marcaria o 2-0 numa grande jogada de combinação entre Álvaro e Ricardo pela esquerda, culminada com o golo de Álvaro, que fez uso da sua velocidade, técnica e inteligência para aperecer solto na área, fazendo o 2-0 com muita classe perante o guardião contrário. O resultado era injusto para os forasteiros mas seria outra vez o Farense a marcar por Piçarra, após boa jogada de André pela direita. Tudo isto em doze minutos, que acabariam por marcar definitivamente a partida e deixar os rapazes do Estoril praticamente condenados.

Na segunda parte o Farense entrava bem no jogo e ia tentando gerir o resultado tranquilo que trazia da primeira parte até que entrou em cena no jogo o árbitro da partida... Não se pode dizer que o primeiro golo do Estoril tenha tido o dedo desse "senhor", mas percebeu-se que a partir do 3-1, as decisões do juiz da partida foram muito infelizes, demonstrando uma dualidade de critérios e irritando os adeptos e técnicos algarvios, com Miguel Serôdio a ser vítima disso, sendo expulso do banco quase no fim da partida. Com o golo, os canarinhos motivaram-se e empurram o Farense para o seu meio campo, chegando ao golo da diferença mínima aos 70 minutos após um livre muito duvidoso sancionado pelo árbitro. Até ao fim da partida foi uma pilha de nervos para os presentes, embora a partir dos 75 minutos os Leões de Faro tenham apaziguado partida, diminuindo o ritmo de jogo na expectativa de levar a água ao seu moinho, o que acabou por acontecer mas com muito sofrimento.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Faro: doentes “gelam” na Ortopedia

Num dos dias mais frios do ano, há pacientes que têm de esperar sentados à mercê do clima, por uma consulta de Ortopedia. Aquecedores ficaram sem gás.

Cheguei às 07h45 e só estava um aquecedor a funcionar. Dez minutos depois, o outro também parou”, afirma ao Observatório do Algarve José Marques Júnior, ele que foi com a filha de sete anos esta manhã a uma consulta de Ortopedia.
“Ainda liguei para a minha mulher para lhe pedir umas mantas, porque isto estava um gelo e a miúda estava de facto com muito frio”, acrescenta.
É que, segundo o Instituto de Meteorologia, a temperatura mínima prevista para hoje era de 3 graus, e a máxima de 10. Para amanhã, prevê-se ainda uma ligeira descida da temperatura.
Só no dia de hoje, mais de uma dezena de pessoas encontravam-se no exterior do edifício do Hospital Central de Faro, onde se encontra montada uma enorme tenda amarela, para tentar proteger os utentes da chuva e do vento.
Quanto ao frio, há apenas dois aquecedores a gás, em forma de cogumelo, mas até esses se foram abaixo, no que é até agora o dia mais frio do ano.
Fui chamado às 09h30 e só saí às 11h00, e a essa hora os aquecedores ainda estavam desligados. Queixei-me ao funcionário e ele disse que se eu queria protestar que falasse com a direcção do Hospital”.
Em função disso, José exigiu o livro de reclamações e pelo menos uma outra pessoa acabou por exercer o mesmo direito.
Isto é uma situação que se arrasta para aí há um ano e meio”, garante Eduardo Rocheta, outro dos utentes à espera de consulta. “Só hoje já houve duas pessoas a pedir o livro de reclamações por causa das más condições de espera”.
Caso caricato, é que houve até mesmo um utente que estacionou debaixo da tenda, num lugar de acesso exclusivo às ambulâncias, para que a mulher que tem doenças dos ossos, pudesse ficar à espera sem ser ao relento.
O gás nos aquecedores – que funcionam com botijas pequenas - já foi, entretanto, restabelecido, ainda que os mesmos se encontrem praticamente juntos e não consigam abranger toda a área da espera.
O Observatório do Algarve solicitou esclarecimentos à administração do Hospital, que ainda não respondeu.
Palavras para quê? Onde está o respeito pelos doentes e pela dignidade humana?

Ao menino e ao borracho...

Cristiano Ronaldo viu a vida por um fio... Não é todos os dias que vemos um acidente deixar uma viatura de alta cilindrada neste estado.
Os danos no Ferrari de matricula portuguesa com cerca de uma mês de matrícula, avaliado nuns míseros 350 mil euros são um mal menor, primeiro porque este deve ter um seguro que cobre estas situações e depois porque para Ronaldo, o maior problema será mesmo arranjar de novo os números de telefone que estavam no telemóvel que ia com ele no carro... Afinal este Ferrari é só um terço do que ganha mensalmente, ou seja é como uma compra duma Playstation2 com alguns jogos, por um português remunerado pela média nacional de salários...

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Terceira Divisão Nacional pode acabar daqui a dois anos

Foi notícia do Jornal A Bola no passado sábado, a questão duma nova reformulação nos quadros competitivos do futebol sénior em Portugal, que visa essencialmente a redução do numero de equipas a disputar os Nacionais. Segundo se leu, Gilberto Madail escolheu um grupo de trabalho para estudar a questão e estes seis dirigentes (4 associativos e 2 dos quadros de FPF) colocaram na mesa duas propostas para futura apreciação e votação numa assembleia geral que poderá ocorrer ainda este mês. A ideia é que a Terceira Divisão Nacional seja minimizada a um torneio de dois meses, a ocorrer no final da época entre os campeões distritais (e porventura alguns repescados das associações mais fortes), sendo depois apurados os melhores dessa fase final para ascender directamente à Segunda Divisão B. Com o objectivo de reduzir custos, a FPF, na minha opinião irá dar uma machadada na estrutura do futebol português, deixando mais jogadores no desemprego e também resumindo o país a apenas três divisões nacionais, o que na minha óptica é pouco, para um país que cada vez mais se quer assumir como uma potência no futebol mundial, limitando cada vez mais a competitividade e o desenvolvimento da modalidade.

No caso do SC Farense, e olhando para os dois quadros que anexamos, parece-nos que no caso do futuro dos Leões de Faro ser desembaraçado, o caminho para a Liga Sagres parece mais desbravado pois se o Farense conseguir a promoção à Segunda B até 2010, poderia ser incorporado numa campeonato que já contemplaria nessa altura a subida directa à Liga Vitalis, do campeão da série, situação que não acontece neste momento, onde num universo de 48 equipas em 4 séries, apenas sobem duas. No lado negativo, caso o Farense não consiga terminar o campeonato de 2009/2010 em posições cimeiras, poderia correr o risco de voltar ao Distrital, que desta feita estará mais competitivo que nunca, com a inclusão de muitas equipas algarvias com "tarimba" de Nacionais, o que obrigaria a uma equipa muito competitiva para as ultrapassar, mas também para disputar a "tal" fase final Nacional, com vista à promoção à Segunda B. Uma situação para acompanhar com muita atenção nos próximos tempos...

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Ricardo Teodósio volta ao nacional de rallyes

Após passar pelo Campeonato Open de Rallyes no ano transacto, onde conseguiu obter alguns resultados de relevo, não melhores pela falta de sorte que nos últimos tempos o tem acompanhado, Ricardo Teodósio prepara-se para regressar este ano ao nacional maior da especialidade. Recorde-se que, o piloto da Guia – Albufeira - alinhou no último Rally Casinos do Algarve ao volante de um Mitsubishi Lancer Evo IX, da equipa espanhola AR Vidal, com a qual continua ligado para no início desta temporada disputar três provas… Assim, Ricardo Teodósio, navegado por Pedro Conde estará em Espanha ainda este mês para disputar uma prova na Galiza, a qual servirá de preparação para a presença desta dupla algarvia, provavelmente a única, nas duas primeiras provas do Campeonato de Portugal de Rallyes - o Rally Torrié e o Rally de Portugal. Saliente-se que, dependendo dos resultados obtidos nestas duas provas, Teodósio e Conde poderão marcar presença em mais algumas provas do Campeonato de Portugal de Rallyes. In Região-Sul

Apesar de ser uma reentrada com "pezinhos de lã", esperemos que o regresso do piloto algarvio à grande montra dos rallys em Portugal seja coroada de êxitos. Numa altura em que as marcas oficiais de afastam da competição devido a restrições financeiras, abrem-se novas esperanças para o algarvio lutar pelos lugares cimeiros da prova, o qual é considerado por muitos, como o piloto mais espectacular do nosso país dos últimos anos... Sem dúvida, uma prenda para o público, isto num altura em que o WRC está cada vez mais perto no calendário e onde fazemos votos que o nosso representante dignifique a Região da forma que nos tem habituado, tendo a vantagem de correr em casa e sentir-se mais seguro nos troços sinuosos da serra algarvia, do que muitos dos "tubarões" internacionais que nos visitarão no inicio de Abril...

O carro não pegava e elas deram uma ajudinha...

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

O Fim de Semana Desportivo em Análise - Época 2008/2009

Jornada de sensações fortes para os apaniguados do SC Farense. Comecemos pelos Seniores que na tarde ontem ofereceram uma pálida imagem ao seu público durante uma hora. A descrença acercava-se dos adeptos mas a última meia hora da partida mostrou um Farense à Farense, lembrando os velhos tempos do São Luís, onde a equipa algarvia era o espelho do querer e dinâmica, derrubando barreiras que aos olhos de outros seriam intransponíveis mas que para nós eram alcançáveis. A exibição que garantiu o 3-2 final foi premiada com uma longa salva de palmas dos sócios e adeptos de pé, como sinal de agradecimento para este esforço que redundou numa passada mais larga, reaproximando o Farense dos lugares cimeiros. O Farense recuperou dois pontos a todos os da frente, menos ao líder Cova da Piedade, mas mesmo assim, e se o campeonato passasse já agora para a segunda fase, a verdade é que o Farense dependeria de si próprio para subir de divisão, pois os 12 pontos de desvantagem seriam reduzidos a seis para o Louletano, segundo classificado. Estes seis pontos poderiam ser abatidos com uma dupla vitória sobre os homens de Loulé na segunda fase, pelo que ultrapassaríamos estes no confronto directo. Tudo isto, contas em cima do joelho, e que não passam disso mesmo, pois há mais jogos e mais adversários bem colocados mas como diria o "outro", Deixem-nos sonhar!
Nos escalões mais jovens, nota importante para os Juniores, que perderam soberana hipótese de cimentar a sua posição na tabela, sendo derrotados em Loulé por 3-2, num jogo que estiveram a ganhar desde cedo e no qual poderiam ter aumentado essa vantagem... Derrotados, os rapazes de Faro jogam agora cartada importante na próxima jornada diante do Estoril no velho S. Luís.
Com alguns escalões jovens parados, destacamos os resultados dos Juvenis B, vitória 0-8 em Paderne; Iniciados, vitória caseira por 3-0 sobre o Gin. Tavira e Infantis A, empate caseiro 4-4 com o Gin. Tavira.

Nos outros jogos da Terceira Divisão Nacional, nota para dois derbys algarvios envolvendo as quatro equipas algarvias mais debilitadas na tabela. Em Quarteira assistiu-se a um jogo intenso entre os locais e o Messinense, onde o empate a duas bolas acaba por manter ambas as equipas com os "pés molhados"... Já em Silves, os locais que não ganhavam à cinco jornadas, bateram por 2-1 o Campinense que não ganha exactamente à uma volta! Por isso, e dado que a equipa se afunda na tabela, dias difíceis se avizinham para Arlésio Coelho no comando da equipa. No outro jogo da jornada o Louletano não conseguiu melhor que uma igualdade a 1-1 na Caparica, deixando o líder Cova da Piedade aumentar a diferença para três pontos.

Na Segunda B, a jornada não se adivinhava fácil para as duas equipas algarvias, pois jogavam fora de casa com equipas competitivas. O Beira Mar ainda logrou trazer um ponto de Aljustrel após o nulo obtido, aumentando a série para três jogos sem perder, sinal positivo, depois duma má fase da equipa treinada por Rui Caldeira. Já o Lagoa foi derrotado por 2-1 em Odivelas, isto numa semana onde se soube que três ou quatro pedras importantes abandonaram a equipa após convites mais vantajosos de outros clubes.

Por fim, nota para Liga Vitalis, onde cada vez mais se acentuam destinos diferentes para os dois representantes algarvios. Se o Olhanense conseguiu uma vitória imaculada nos Açores, diante do vice-líder Santa Clara por 2-0, assumindo-se cada vez mais como o elo mais forte da competição até ao momento, já Vítor Pontes começa a ser cada vez mais contestado... No jogo de ontem, no Municipal de Portimão, o empate 1-1 diante do Beira Mar veio agudizar a crise duma equipa que já não ganha à cinco jogos, tendo apenas três pontos de vantagem sobre a linha de água.

Parque das Cidades poderá receber IKEA

É a manchete do Jornal "O Algarve" desta semana. A possibilidade do Ikea ser edificado a sul do Estádio Algarve, no Parque das Cidades é cada vez mais real e já se fala na alteração do Plano de Pormenor para poder concretizar o negócio. O Ikea, a acreditar na notícia pretende instalar-se no Algarve, e pretende construir a sua loja na zona central do Algarve, muito perto da Via do Infante e vê neste espaço o local ideal para tal... É com agrado que recebemos a notícia até porque à meses havia mostrado a minha ideia sobre o aproveitamento do espaço, no sentido de aproximar cada vez mais as pessoas do Parque, e embora focasse o aspecto da restauração como alvo, acredito que esta aposta é também muito viável, isto numa altura em que o Hospital e o Centro de Congressos não passam de projectos adiados no tempo...

domingo, 4 de janeiro de 2009

O Leão mostra a sua raça!

O golo de Pintassilgo, aos noventa e um minutos na conversão duma grande penalidade foi o corolário de trinta minutos de intenso domínio algarvio no último terço da partida, justificando claramente a vitória pela raça e querer demonstrados em campo nesse período, invertendo um score de 0-2, consolidado ainda nos primeiros vinte minutos de jogo.

Terminou em apoteose o jogo desta tarde disputado no estádio Algarve. Frente a frente estavam as equipas do Farense e Castrense, à partida separadas por quatro pontos nesta jornada. O Farense apresentou-se hoje muito desfalcado,em virtude dos atrasos burocráticos dos últimos reforços, mas principalmente com jogadores afectados por lesões e gripes, o que tornava a tarefa dos comandados de António Barão ainda mais difícil.

O jogo iniciava-se então no bem tratado relvado do Estádio Algarve, sob uma temperatura fresca mas debaixo dum sol radioso que convidava os interpretes a uma sinfonia bem afinada... Mas o Farense não correspondeu às expectativas depositadas e apresentou-se em campo com nítidas dificuldades na troca de bola... Ainda nem dez minutos haviam passado e já os algarvios se viam perder, graças a um golo de belo efeito marcado pelo Castrense, o qual intranquilizou ainda mais o Farense. O Castrense jogava mais no meio campo farense e como consequência disso chegava mais vezes à baliza de Costa. Seria num desses lances que Rui Graça cometeria uma falta dispensável na área, conduzindo o Farense para a beira do precipício, pois ficava a perder por 0-2 e pior que isso não mostrava argumentos para ultrapassar um adversário que trocava muito bem a bola e onde tinha jogadores rápidos na frente, que sempre que podiam incomodavam os defesas algarvios. Perante este cenário, Della Pasqua, vindo de lesão foi "lançado às feras", única solução ofensiva no banco, na tentativa de dar mais apoio a Pintassilgo e libertá-lo um pouco das amarras a que estava sujeito, dando também maior instabilidade à defesa contrária. Mas, o meio campo não produzia e o guarda redes Peraltinha não era chamado a intervenções complicadas, o que traduzia a qualidade do jogo ofensivo dos Leões de Faro.

António Barão percebeu isso e lançou ao intervalo uma unidade mais criativa no meio campo, Luís Afonso, que apesar de debilitado fisicamente, e, com o auxílio de Hernâni lançado quinze minutos mais tarde, trouxe mais alegria ao jogo algarvio. Ultrapassada a hora de jogo, e já após o Castrense ter tido uma ocasião soberana para matá-lo de vez, após duplo desperdício dos seus atacantes, primeiro numa bola à trave e depois na recarga defendida in-extremis por Costa, o Farense partiu então para uma meia hora muito forte, do melhor que se viu esta época, transfigurando-se completamente. Era uma equipa mais pressionante, rápida e organizada e com isso foi ameaçando cada vez mais a equipa alentejana que já denotava algum cansaço e pouco discernimento. Iam-se coleccionando livres e lançamentos laterais junto à área até que Pintassilgo marcaria o golo da esperança, a cerca de vinte e cinco minutos do final do jogo. Perante este cenário assistimos então a um período em que os visitantes preferiram abdicar do futebol para dar lugar a um anti-jogo condenável, atrasando as substituições e acumulando lesões sucessivas nos seus jogadores... Mas o Farense, apesar destas adversidades, mostrava raça, criava oportunidades, e foi desta forma que chegou à igualdade já perto dos "noventa", mas ainda a tempo de garantir a vitória, já em período de descontos através duma grande penalidade contestada pelos forasteiros, mas bem assinalada. Foi a loucura no Estádio Algarve! O golo de Pintassilgo trazia justiça ao resultado e era uma justa recompensa para os homens de Castro Verde que tudo fizeram para queimar tempo, isto com a complacência do árbitro, que apenas havia dado cinco minutos de descontos.

Vitória muito importante, e que permitiu ao Farense segurar o sexto lugar, aproximando-se de todas as equipas da frente à excepção do líder Cova da Piedade, situação que permite encarar com mais confiança esta segunda volta do campeonato.

Camp. Nac. 3ª Divisão, SérieF, 15ªJornada
Estádio Algarve (Parque das Cidades)
Assistência: 400 espectadores
15 horas, 04/01/2009
Árbitro: Joaquim Rabasqueira (Évora)
FARENSE 3-2 CASTRENSE

(8 mn, por Nuno Martins,num forte e colocado remate de fora da área, descaído pela esquerda ao qual Costa pouco podia fazer)
(17 mn, por Pedro Lança, na sequência duma grande penalidade bem cobrada para a esquerda de Costa, castigando uma falta de Rui Graça que agarrou Rui Pepe na área)
(66 mn, por Pintassilgo, após um livre cobrado da esquerda do ataque farense, há um desvio no segundo poste de Rui Graça e aparece Pintassilgo a marcar de cabeça o golo que animava de novo as hostes farenses)
(82 mn, por Luís Afonso, livre descaído pela esquerda marcado à maneira curta, onde Luís Afonso desfere um remate de longe mas fortíssimo, fazendo a bola entrar junto ao ângulo superior esquerdo da baliza defendida por Peraltinha)
(91 mn, por Pintassilgo, jogada dentro da área castrense, junto à linha onde o Della Pasqua é derrubado por um defesa contrário. Assinalada grande penalidade e Pintassilgo, chamado para a cobrança, engana o guarda redes e faz o golo da reviravolta)

Farense: Costa; Cannigia, Rui Graça, Arlindo (Luís Afonso 46mn), Wilson (Della Pasqua 25mn); Carlos Neves, Zé Nascimento (Hernâni 60mn), Barão, Norberto, Pintassilgo, Toni. Treinador: António Barão