quarta-feira, 26 de março de 2008

Passo firme para os 1/4 de Final > Farense 2-1 Ferreiras

Na noite desta quarta feira, jogou-se mais uma eliminatória da Taça do Algarve, e no regresso ao velhinho S. Luís, o Farense acabou por presentear os seus associados e adeptos com uma vitória por 2-1, frente a um adversário valoroso e melhor preparado fisicamente. Numa jornada de futebol a meio da semana, situação claramente atípica para as equipas da Terceira Divisão e Distritais, tiveram lugar 3 jogos da Taça do Algarve, juntando-se ao Farense, o Messinense, vencedor por 0-2 em Vila Real de Santo António diante do Lusitano, bem como o Louletano que foi a Quarteira bater os rivais do seu concelho por 0-1.

A partida iniciava-se então no S. Luís, palco de grandes jogos de outrora, com um Ferreiras que entrava no campo, com uma postura bem organizada dando pouco espaço ao Farense para jogar, fruto também da pressão alta exibida pelos homens do Barlavento. Notava-se aí a diferença competitiva dos dois escalões, pois o Ferreiras como seria natural, e mesmo rodando alguns jogadores, têm um ritmo mais forte de jogo, ao qual caberia ao Farense contrariar, aproveitando o factor casa, e esperando também por alguns deslize e desgaste natural do Ferreiras. Percebeu-se que nos primeiros minutos o Farense sentia dificuldades e receava o adversário que jogava com alguns homens adiantados no terreno, inibindo a equipa de Jorge Portela de subir no terreno e sair em ataque organizado, sempre com os jogadores a estarem mais afastados uns dos outros quando partiam para o ataque. Aos poucos o Farense foi crescendo no jogo, e percebendo melhor a estratégia do adversário, que diga-se de passagem, haveria também de quebrar um pouco a pressão efectuado, dando mais espaços para o Farense construir jogo. Ultrapassada a barreira dos 20 minutos de jogo, o Farense iniciava então um período de algum ascendente na partida, onde jogava a toda a largura do terreno, flanqueando o jogo, especialmente pela esquerda onde Caras esteve muito bem, e onde o seu meio campo, agia com razoável rapidez graças à dinâmica do triangulo Márcio, Andrezinho e Calquinhas. As jogadas de perigo anunciavam já o golo inaugural do Farense, que aconteceria bem perto da meia hora de jogo por Paulinho, dando alguma justiça ao intervalo, e premiando a coragem e desinibição que os homens de Faro tiveram ao longo duma primeira parte bem aceitável para os que se deslocaram ao estádio.

Na segunda parte, esperava-se uma reacção do Ferreiras, e este embora sentido, não foi sinal de lances perigosos para a defesa de Faro, que foi tapando da melhor maneira os caminhos para a sua baliza, nunca esquecendo a baliza adversária e aproveitando para rodar alguns jogadores, por forma a não sobrecarregar a equipa para o jogo de Castro Marim. Na verdade sentia-se que o Farense, mesmo a jogar com uma equipa dum escalão superior, transmitia confiança aos seus adeptos e nem mesmos os problemas físicos bem patentes em muitos dos elementos, faziam temer os adeptos, pois o Ferreiras pouco futebol mostrava. Com Bruno bastante desgastado na frente, mas sempre útil em acções defensivas, Jorge Portela optava então a meio da segunda parte, por colocar em campo a estrela da companhia, Brasa, em substituição do apagado Rui Loja, na esperança do mesmo decidir a partida num dos seus habituais raídes pelas defesas contrárias. Com esta substituição, bem pensada por Portela, o Farense só tinha a ganhar, pois haveria de ser o Brasa a fazer o segundo e a deixar os Leões de Faro com pé e meio nos Quartos. Com este segundo golo, acreditavam os adeptos que o resultado estaria feito, mas seria o Ferreiras, ainda esperançado em algo mais, e aproveitando as cada vez mais evidentes carências físicas do Farense, de colocar em campo mais soluções ofensivas, mas também a dinâmica que apenas tinha mostrado nos primeiros minutos da partida, terminado o jogo com uma frente de ataque alargada, que causaria calafrios a Virgolino, obrigado a mostrar as suas credenciais e a guardar a vitória em Faro. O Ferreiras chegaria mesmo ao golo, já perto do fim, e viria ainda depois de reduzir a desvantagem, um elemento seu ser expulso após um desacato junto ao banco do Farense, onde Jorge Portela receberia também “guia de marcha”. Logo de seguida terminava a partida, ao som do apito de Nuno Ferreira, que em conjunto com a sua equipa rubricou uma arbitragem aceitável.

Ficha de Jogo: Estádio de S. Luís (Faro),
20 horas, 26/03/2008

Assistência: 500 espectadores
Farense 2-1 Ferreiras

Filme do Jogo:

20 mn > Andrezinho aparece solto pela esquerda e de ângulo difícil, remata rasteiro para a defesa de João Pereira
25 mn > Jogada muito rápida de contra ataque, Andrezinho inicia a jogada e depois na direita ao receber a bola, de primeira coloca-a n o lado oposto desmarcando Rui Loja que remata por cima
29 mn > Paulinho recebe a bola junto à quina da área pela direita e remata a bola em arco sobre o guardião, entrando a mesma no canto superior direito da baliza sul do S. Luís
42 mn > numero 13 do Ferreiras aparece solto e em plena área só com Virgolino pela frente, envia a bola sobre o travessão, num lance claríssimo de golo
45 mn > Calquinhas aparece pela direita, e já perto da linha de fundo, tira um excelente centro, ao qual Bruno falha por um triz na pequena área, sendo socada depois pelo guardião adversário
74 mn > Perdida de Sousa que ganha posição junto á pequena área pela esquerda e sem ângulo podia ter colocado a bola na baliza, perante a impossibilidade de João Pereira defender
82 mn > Bola jogada para a corrida de Brasa, que ganha em velocidade ao defesa contrário e na saída do guarda redes, flecte para esquerda e o deixa fora do lance empurrando tranquilamente para o segundo
86 mn > Grande remate de longe dum jogador das Ferreiras, ao qual Virgolino responde com uma defesa soberba junto ao travessão
89 mn > Livre a uns bons 35 metros da baliza, com uma defesa de recurso de Virgolino, ressalto junto à baliza, ao qual Virgolino responde bem , sobrando contudo a bola para um jogador das Ferreiras, que a três metros da baliza, atira incrivelmente por cima
90 mn > Troca de bola rápida do Ferreiras no ultimo terço do terreno e após abertura para a esquerda, Bonifácio remata cruzado, a bola sofre um pequeno desvio e anicha-se no poste mais distante da baliza de Virgolino

Farense: Virgolino; Amilcar (Wilson 45mn), Né, Sousa, Caras; Márcio, Andrezinho, Calquinhas (Arlindo 59mn); Paulinho, Rui Loja (Brasa 68 mn), Bruno. Treinador: Jorge Portela

1 comentário:

Strone disse...

o jogo do Lusitano realizou-se em Messines e não em Vila Real de Santo António.