segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Ria Formosa: Maioria das obras previstas no Polis arrancam este ano


A maioria das intervenções previstas nos projetos de requalificação das ilhas barreira, praias e parques ribeirinhos abrangidos pelo programa Polis deverá arrancar ainda este ano.


O programa abrange cinco municípios - Loulé, Faro, Olhão, Tavira e Vila Real de Santo António -, incide sobre 48 quilómetros de frente costeira e 57 de frente lagunar e implica um investimento total de 87,5 milhões de euros.

Até dezembro do ano passado e desde a criação da sociedade, em 2008, tinham sido gastos dessa quantia 14,7 milhões de euros, metade dos quais na execução de obras no terreno e a outra metade na realização de estudos e projetos.

Para este ano, o Polis prevê lançar a maioria das empreitadas que se propôs concluir até 2013, incluindo as empreitadas previstas nos Planos de Intervenção e Requalificação (PIR) na maioria das ilhas barreira.

A requalificação dos parques ribeirinhos de Faro, Olhão e Ludo, da ligação entre Pedras d'El Rei e Santa Luzia e a execução do percurso para peões e bicicletas Lacém-Manta Rota são outras obras a lançar ainda em 2011.

Os planos de praia dos Cavacos, Ancão, Fuzeta Ria e Fuzeta Mar também começarão a ser executados este ano, sublinhou a mesma fonte do Polis, que acrescenta que nove das intervenções previstas pelo programa se encontram já concluídas.

Para 2012 ficam o PIR e o Plano de Pormenor da Praia de Faro (Península do Ancão), onde é certa a remoção das casas situadas nos extremos Poente e Nascente, estando a ser estudados os locais para realojar quem ali tenha a sua primeira habitação.

Atualmente está em execução a empreitada de reabilitação das pontes e cais de acesso às ilhas barreira, que deverá terminar em março, e a segunda fase da obra de consolidação do cordão dunar da ilha da Armona e encerramento da barra da Fuzeta.

As pontes e cais que estão a ser recuperadas são as de Olhão (via terrestre), Armona, Culatra e Farol (via marítima).

In Observatório do Algarve


Desde meados de 2008 que o Projecto Polis da Ria Formosa está em pseudo-andamento. Em Setembro de 2008 havia a promessa dos "políticos" de resolver, dada a necessidade urgente de requalificar o acesso à praia de Faro como exemplo, e passados três anos pouco ou nada foi feito, a não ser, (fazendo fé no que se lê no artigo), gastar mais de sete milhões em estudos e projetos.
É por estas e por outras que o "Zé Povinho" cada vez têm a vida mais ingrata, pagando impostos e mais impostos para alimentar os múltiplos organismos publicos envolvidos na matéria...

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Um Chapéu que só cabe na cabeça de Barão!!


As Notas do Farense 1-0 Torreense



Notas Positivas:

  • Tínhamos escrito na semana passada que o Farenses estava a seis pontos do "Céu", uma alusão à manutenção plenamente garantida assim que os Leões de Faro atinjam o décimo primeiro lugar. Hoje, mais importante do que a exibição, foi a vitória, graças a um golo esplendoroso de Barão, o improvável avançado central de serviço na recta final do jogo. Neste momento estamos três pontos do Oriental, que em caso de igualdade pontual se traduzem numa vantagem farense, para além do fosso para os perseguidores ter aumentado para cinco pontos.
  • De volta ao Estádio Algarve, num relvado em plenas condições mas também exigente a nível físico dadas as suas dimensões, Barão, um mouro de trabalho a meio campo, decidiu a partida com um chapéu (o terceiro esta época), só ao alcance dum jogador rápido a decidir nos momentos chave.
  • João de Deus esteve muito interventivo no banco, transmitindo lá para dentro a força de vencer e fazer bem. O Farense esteve bem organizado na defesa a dispôs-se a meu ver nesta partida, duma forma mais ofensiva, mas não desmanchando o habitual esquema de 4x3x3, embora sem um avançado puro na frente. Enfrentando o segundo classificado os Leões de Faro não foram dominantes mas durante os períodos decisivos de jogo pressionaram quanto baste o adversário e garantiram os três pontos numa fase em que o Torreense já não tinha cartuchos para queimar...
  • Comparar a primeira parte com a segunda é um exercício óbvio, mas no qual se chega rapidamente à conclusão que na segunda parte o jogo foi muito mais intenso e com mais ocasiões de golo. Felizmente para o nosso lado, quem rematou menos, ganhou a partida!

Notas Negativas

  • A escolha de jogar no Estádio Algarve foi positiva porque ganhámos. Mas se ganhámos no relvado, a ventania sentida durante o jogo condicionou o espectáculo e foram muitas a vezes que a bola foi jogada de "chutão"para frente, dadas as dificuldades em dominar a bola pelos jogadores das equipas.
  • Apesar de o Farense ter mérito na forma como manietou o adversário, esperava-se mais do Torreense, que era à entrada da jornada o maior perseguidor do líder Atlético. Embora mais rematadores na segunda parte, nunca dominaram o Farense e acabaram por sair do Algarve sem pontos e com uma exibição descolorida, que não condiz com as responsabilidades no seu campeonato.



Momento do Jogo:

Lançado do meio campo, Barão efectuou perante a proximidade do guardião do Torreense uma chapelada monumental à entrada da área. A bola sobrevoou e entrou junto ao poste direito da baliza sul, perante a impotência dum ultimo defesa que tentava evitar o golo. Foi a explosão de alegria nas bancadas do estádio Algarve.



Farense: Serrão; Caniggia, Mamadou, Tiago Sousa, Joshua; Bilro, Luis Afonso, Barão; Justo, Bruno Carvalho, Zambujo. Treinador: João de Deus. Jogaram ainda: Adérito, André Calado e Ricardo Calado.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Quando a Comunicação Social mente para agradar...

Queixamo-nos nós que em Portugal, cada um dos três diários desportivos de referência têm ligações afectivas a cada um dos grandes. Diz-se que a "A Bola" é muitas vezes o veiculo de propaganda vermelha, enquanto o "Record" traduz muitas vezes com especial veemência o ponto de vista mais verde do futebol português. Sobra, "O Jogo", sediado no norte, e posse dos "manos Oliveira", pelo que pouco há a acrescentar sobre a preferência clubística!

Mas apesar de muito do que leio e vejo, o caso exposto na imagem roça a fraude noticiosa para atacar o inimigo, dando-se ao luxo de aldrabar uma imagem vista por milhões para atingir os seus fins... A obra é do Jornal "As", diário desportivo sediado em Madrid e também, ele afecto ao poderoso clube, que emprega Mourinho, Ronaldo e CIA...

Aconteceu no domingo passado quando os rivais Barcelona e Athletic Bilbao enfrentavam-se e logo aos 3 minutos, Daniel Alves sendo lançado, em posição duvidosa, cruzou para David Villa, que tratou de pôr os catalães em vantagem...
A omissão de um defesa basco na imagem é evidente e traz à tona o perigo de alguns "Media", na na manipulação da opinião das massas, quando as situações não são devidamente denunciadas.

Num "mundo" cada vez mais dominado pela pressão económica e social, pondo em risco a expressão da pura verdade, aflige-me pensar que muitos opinion makers e jornalistas são pagos para muitas vezes agradar a conveniências!

Isso é o pior que pode acontecer nos media e comigo, nesta mera tasca de devaneios, não contem para esses fretes!

Rally de Portugal de 2011 com base no Algarve, mas com Super especial em Lisboa

O Vodafone Rally de Portugal, a contar para o Mundial da modalidade, volta às estradas a 24 de março, com um figurino que se pretende o mais competitivo de sempre, para manter as emoções ao rubro até à última etapa.

Na edição de 2011, a grande novidade é a Super Especial, que se vai mudar do Estádio Algarve para a Praça do Império, em Lisboa, com vista para o Mosteiro dos Jerónimos e para o Centro Cultural de Belém.

Depois de passar o dia 24 de março em Lisboa, onde a rodear a Super Especial haverá uma série de eventos promocionais e desportivos, o Vodafone Rally de Portugal regressa às estradas do Algarve e do Baixo Alentejo, onde se tem desenrolado na versão adotada desde há alguns anos, que lhe valeu o regresso ao World Rally Championship (WRC).

É nas «excelentes estradas de terra» dos concelhos que são atravessados que os pilotos vão percorrer «mais de 388 quilómetros», uma distância invulgar nos ralis modernos, segundo o diretor da prova Pedro Almeida.

A 25 de março, disputar-se-á a 1ª etapa, que contempla os troços de Santa Clara, Ourique e Felizes. Aqui, como em todas as outras etapas, haverá duas passagens por cada troço.

o dia seguinte, um sábado, o rali chega ao Algarve e passará nos troços de Almodôvar, Vascão e Loulé. Neste dia, corre-se ainda o Open Rally, «que irá decorrer nos mesmo troços entre as duas passagens do WRC».

No domingo, dia 27 de março, a 3º e última etapa tem apenas duas classificativas, mas uma delas terá mais de 30 quilómetros. Silves e Santana da Serra são os nomes dos troços.

O segundo promete ficar bem famoso, já que haverá «transmissão direta para todo o mundo».

O troço de Santana da Serra será um «Power Stage», classificativa «em que os pilotos com melhor desempenho têm uma bonificação em pontos». Desta forma, consegue-se uma maior competitividade e, desejavelmente, manter a dúvida sobre o vencedor até ao final.

A organização da prova justificou ainda a opção por fazer a Super Especial em Lisboa com uma tentativa de captar mais público, não só nacional, mas também da vizinha Espanha, nomeadamente da zona de Madrid.

Segundo um estudo que tem vindo a ser feito pela Universidade do Algarve (UAlg), os cidadãos espanhóis são os que maior peso têm no que a visitantes diz respeito. Ainda assim, a grande maioria desloca-se da Andaluzia, seguida de longe pela região da Galiza, bem a Norte.

Com uma etapa em Lisboa, a organização acredita que os habitantes da região de Madrid se sentirão mais compelidos a visitar Portugal e assistir ao Rally, modalidade muito popular entre os nossos vizinhos.

O mercado espanhol contribui significativamente para as receitas totais do Rally de Portugal, vertente principal do estudo do investigador Fernando Perna, que determinou que este evento só foi ultrapassado no que a proveitos e ao Algarve diz respeito pelo Euro 2004. «E este [o rally] realiza-se todos os anos», frisou o investigador da UAlg.

Por Hugo Rodrigues In Barlavento

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Macário Correia denuncia esquema na exploração de nadadores-salvadores


O presidente da Câmara de Faro denunciou hoje um alegado sistema fraudulento na exploração dos nadadores-salvadores no concelho que envolvia funcionários da autarquia «com interesse pessoal na matéria».

Macário Correia revelou que o alegado esquema lhe foi denunciado pelos próprios nadadores-salvadores, que se queixaram de que alguém retinha parte do dinheiro que deviam receber pelos serviços prestados.

«Percebi que havia uma solução engendrada que passava por angariar dinheiro através do trabalho dos nadadores-salvadores», refere, escusando-se a revelar o nome da pessoa ou entidade responsável pelo alegado esquema de extorsão.

De acordo com o autarca, alguns concessionários também lhe relataram a existência de uma alegada negociação comercial sobre o valor que eles tinham a pagar para ter nadadores salvadores.

«Depois [os concessionários] vinham a saber na prática que havia ali um trabalho de intermediário em que alguém metia ao bolso dinheiro que teoricamente estaria a ser pago aos próprios nadadores salvadores», refere.

A denúncia surge um dia depois de o autarca ter proposto que a época balnear nas praias da capital algarvia seja encurtada num mês, medida justificada pela sua escassa utilização no início de Junho e final de Setembro.

O presidente da Câmara afirma ter tomado medidas para desmantelar a alegada rede no ano passado, dispensando os funcionários municipais envolvidos no assunto e implementando uma «relação clara e directa» com os nadadores salvadores.

Apesar de assumir a gravidade da situação, Macário Correia diz não ter feito queixa à polícia por considerar que «tinha condições suficientes para resolver o problema para o futuro».

Contudo, o autarca diz ter aconselhado as vítimas do alegado esquema a apresentar queixa mas estes, apesar de «revoltados», não o fizeram por «receio de represálias» e por não terem testemunhas efectivas da alegada fraude

In Lusa/SOL


Macário Correia continua igual a si próprio... Sempre polémico, mas intransigente na correcção de maus hábitos! Depois desta semana se ter conhecido que a época balnear, no concelho de Faro vai ser diminuida em um mês, essencialmente por uma questão orçamental, surge agora a denuncia grave dum esquema encriptado de extorção nos serviços municipais, no que toca ao serviço nadadores salvadores. A questão é delicada mas a forma como é denunciada ainda tráz mais veracidade às ocorrência e é a prova de como muita coisa obscura acontece no nosso páis durante largos anos sem que ninguém tenha "tomates" para enfrentar os problemas e resolver os mesmo em conformidade.

Com Macário não se brinca!

Estrada que liga Loulé a Faro pronta daqui a seis meses

In Edição Impressa do Jornal O Algarve, 24/02/2011

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Contas aprovadas por unanimidade e estatutos do Clube alterados


Passivo reduzido em 4 milhões de euros e espera-se a redução de mais 2 milhões

As Assembleias Gerais do Sporting Clube Farense que decorreram ontem, dia 22 de Fevereiro, serviram para aprovar as contas relativas ao exercício entre 2009 e 2010, contas essas aprovadas por unanimidade.

Por outro lado, foram também aprovadas algumas alterações aos Estatutos do Clube, sendo que as mais importantes referem-se à diminuição do número de elementos que fazem parte da Direcção do Clube que passam de treze para sete, ficando, a partir de agora, a Direcção composta por Presidente, dois Vice-presidentes, dois Directores, Tesoureiro e Secretário.

Os Órgão Sociais do Clube passam a ser eleitos por períodos de três anos com início a 1 de Maio.

Os direitos que os sócios efectivos têm foram alterados em alguns aspectos, nomeadamente no que se refere a assistir e participar, bem como requerer a convocação de AG, assim como representar o Clube em qualquer entidade.

Assim, só sócios que tenham um ano de antiguidade com as quotas em dia o poderão fazer.

Para ser eleito Presidente da Direcção será necessário, a partir de agora ter três anos de sócio, com as quotas em dia.


Foi ainda simplificada a classe de sócios do Clube, bem como o número de sócios necessários para a convocação de uma AG Extraordinária, que passa de 250 para 100.


Foi ainda introduzido nos Estatutos do Clube a possibilidade de o Sporting Clube Farense ter Filiais e Núcleos, desde que aprovados por Assembleia Geral, sob proposta da Direcção.

A Direcção do Clube aproveitou estas reuniões magnas para informar os sócios sobre algumas das actividades que vem fazendo no que concerne a dívidas fiscais e outras, património e processos de divida a ex jogadores.

Através do dr. José Diogo, advogado fiscalista, os sócios ficaram a saber que está feito um acordo com a Segurança Social para pagamento da divida de cerca de 90 mil euros em 96 prestações, acordo esse que está a ser cumprido, bem como do trabalho desenvolvido junto dos serviços de finanças.

Graças ao trabalho desenvolvido nos últimos meses, ficou demonstrado aos sócios que o passivo do clube diminuiu perto de 4 milhões de euros e espera-se a redução de mais 2 milhões de euros.
Usou ainda da palavra o dr. Rui Gomes, advogado do Cube para explicar aos sócios os vários processos em curso respeitantes a património e ex atletas.


Foram informados os sócios de que tanto o Restaurante “Farense”, como o Supermercado “Pingo Doce” nunca tiveram ao longo destes anos todos, alvarás e licenças de utilização, processos já resolvidos por esta Direcção.

Quanto ao processo do Restaurante “Farense”, ficou a saber-se que não obstante o inquilino estar obrigado por lei a depositar o valor da renda, excluído a despesa com algumas refeições fornecidas ao clube, na Caixa Geral de Depósitos, por via da penhora dessa renda, o mesmo não o fazia desde 2006.

Ficou também esclarecido o processo de adjudicação ao novo arrendatário.

Quanto à clínica médica, cuja renda é de 600 euros, também penhorada, e cujo contrato termina a meio deste ano, os sócios ficaram cientes que nos últimos meses, o depósito obrigatório do inquilino na CGD, tem sido no valor de 47 euros, justificando o inquilino a diferença com dívidas antigas do clube. A Direcção já pediu o esclarecimento necessário, pois desconhece tais dívidas.

Os sócios também foram informados da actual situação processual sobre a situação dos terrenos pertença do Clube, tanto o da “Horta das Figuras”, à espera da decisão final que tudo indica será favorável ao Clube e à Petrogal, bem como do terreno de “Vale Carneiros”, terreno esse de cerca de 3.000 m2, urbanizável, escriturado e registado em nome do Sporting Clube Farense.

Acerca dos processos de impedimentos movidos por três ex atletas, falaram o Presidente da Direcção e o advogado do clube para referir que após acordo verbal, aceite pelo sr. Hassan Nader e pelo sr. Hugo Gomes, para pagamento de uma verba mensal, o sr. Hassan Nader, 24 horas depois do acordado, recusou assinar o acordo escrito e nunca mais contactou ou foi possível contactar o ex-atleta do clube.

A Direcção do Sporting Clube Farense continua a lamentar o fraco interesse dos sócios em participar nas Assembleias Gerais do Clube.

Recordamos que é esse o local indicado para levantar questões, indagar, sugerir e participar activamente junto da Direcção sobre a vida do clube.


SCF – Gab. de Imprensa


Confira o relatório de contas 2009 / 2010 AQUI:

Dívida do Farense desce de 8 para menos de 3 milhões de euros



Não foi por milagre, nem sequer através da já há muito anunciada venda de património. Foi com a ajuda de um fiscalista que a direção do Sporting Clube Farense (SCF) conseguiu, no espaço de um ano, diminuir as dívidas do clube ao Estado em quase seis milhões de euros.

Nas contas apresentadas ontem em Assembleia Geral (AG) do SCF, o número causou espanto, já que o emblema de Faro há muito se debate com graves problemas financeiros e com um passivo que rondará os 10 milhões de euros.

Uma evolução que o presidente do clube António Barão explicou com a limpeza que a sua direção fez à casa.

«Houve um grande trabalho do nosso fiscalista, ao longo deste mandato. A dívida era de 8 milhões e, neste momento está em 2,9 milhões», explicou António Barão ao barlavento.online, à margem da reunião.

«O nosso fiscalista fez um trabalho muito profundo. Houve muitos processos que prescreveram. Assim, este é o valor das dividas do clube à Segurança Social e ao fisco», revelou.

A maioria desta verba é devida à Fazenda Pública, pois no que toca à Segurança Social a situação está em vias de regularização. «Estamos neste momento a dever 80 mil euros à Segurança social e já acordámos um plano de pagamento a 96 prestações», contou António Barão.

Esta situação, apesar de colocar uma nota bem menos negra na situação financeira do clube, não é a solução para os seus problemas.

«Ainda teremos de arranjar, no curto prazo, uma verba de 500 mil euros, para pagar a credores, para podermos inscrever a equipa profissional de futebol na próxima época», revelou.

Assim, continua em cima da mesa a intenção de vender o Estádio de São Luís e os terrenos que este ocupa, mas agora, admitiu o presidente do SCF, o clube «tem mais poder negocial».


Contas menos complicadas, estatutos mais restritivos

Esta evolução, que permite ao clube e aos seus sócios ter esperanças legítimas quanto à sua viabilização económica diz respeito, parece ter estado na base da revisão estatutária que se seguiu à apresentação das contas de 2009/10, em nova AG.

A direção propôs maiores limitações na elegibilidade para cargos nos órgãos sociais do clube bem como ao direito de votar, participar e convocar AG.

Qualquer destes direitos só é reconhecido a um sócio que seja efetivo há mais de um ano, com quotas pagas. No caso do candidato a presidente, terá de ter três anos como sócio efetivo e quotas pagas.

A proposta original apontava, neste ponto, para os cinco anos de antiguidade, mas os sócios chumbaram a primeira proposta, por considerarem que isso podia complicar futuras eleições, dada a diminuição da massa associativa nos últimos anos (na sala estavam 85 sócios, numa votação de alteração de estatutos).

Como explicou Rui Gomes, que elaborou a proposta com António Barão, esta alteração teve como objetivo «evitar que alguém que não tenha amor ao clube se candidate, com grandes promessas, para poder ser ele a vender o Estádio».

A direção também propôs e viu ser aprovadas alterações a artigos nos estatutos que limitavam os seus poderes e que responsabilizavam os seus atos.

No primeiro caso, explicaram os redatores da proposta, tratou-se da eliminação de um artigo único que obrigava a direção do clube a submeter à AG qualquer ato que tivesse ligado a venda de património, aceitação de donativos e celebração de contratos.

Este é apenas um exemplo de artigos que existiam e que foram agora alterados que serviam «para esvaziar a direção de poderes», aprovados com base na existência de uma SAD, entretanto extinta.

No que toca à responsabilização dos dirigentes por eventuais prejuízos que as suas medidas possam causar, a direção introduziu a salvaguarda de que esta responsabilização só pode existir caso seja provada «gestão danosa», ou seja, que os atos foram feitos de má fé.


Por Hugo Rodrigues In Barlavento Online



Nota para as afirmações que assinalei a azul, pois de acordo com que foi explicado pelo Dr. Rui Gomes na noite de ontem, a negociação de bens que não obriga à aprovação numa AG é apenas relativa à aquisição de bens pelo Clube, e nunca na sua venda. Ou seja, a decisão sobre o negócio de venda do Estádio S Luis, ou outro bem imóvel do Clube, será sempre decidido em conjunto numa AG para esse efeito.

Iron Maiden, Xutos e Íris na Concentração de Motos de Faro


O site oficial da banda heavy metal anunciou o espetáculo para 14 de julho em Faro, durante a concentração de Motos. Xutos & Pontapés, Mago de Oz e Los Inhumanos (Espanha), os ingleses Hells Bells (banda de tributo aos AC/DC) e algarvios Íris, no cartaz.

A camisola oficial da digressão mundial do último disco The Final Frontier dos Iron Maiden já desvendara a paragem em Faro, que a banda justifica com a amizade que os unia a Manu da Silva, que faleceu e era manager do bar algarvio, propriedade do baixista do grupo Steve Harris.

A banda confirma a data do concerto acrescentado que o cartaz da concentração internacional de motos inclui os Xutos & Pontapés e os espanhóis Mago de Oz e Los Inhumanos.

Os britânicos Hells Bells (banda de tributo aos AC/DC) e os algarvios Íris incluem igualmente o programa.

O Moto Clube de Faro já colocou os bilhetes à venda no site.


In Observatório do Algarve

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Obras nas bermas da EN 125 - Pressa em fazer, preguiça em acabar!


Desde á uns 3 meses a esta parte, que um pouco por toda a EN 125, (pelo menos aqui na zona central do Algarve) têm se assistido a uma série de obras por parte, salvo erro da CME, empresa subcontratada, e que consistem na abertura de uma vala paralela ao limite da faixa de rodagem, para instalação, pelo que sei, da Fibra Òptica, aumentando a cobertura desse serviço para fora dos grandes centros urbanos.


Aplaudimos estas obras, o que não percebe é como tanto tempo depois do serviço já estar efectuado, se manter o "buraco" nas bermas, sem qualquer cobertura em alcatrão. Os transtornos para os peões e ciclistas são evidentes, colocando em risco a sua integridade física ainda para mais nestes dias de chuva, e os eventuais danos provocados pelas pedras soltas resultantes das obras, acabam por de uma forma ou outra deixar as viaturas mais massacradas...


Tudo isto quando o serviço é contrato por um empresa pública que retirará dividendos enormes para a cedência desta linha a (outras) operadoras, mas que não age de uma forma efectiva para evitar distúrbios à comunidade.


Assim não!

SCUT: “Via Infante está paga há 20 anos com fundos europeus”, Macário Correia


O presidente da Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) disse hoje que o maior troço da Via Infante foi pago com fundos europeus, pelo que “não faz sentido” portajar uma estrada que vai fazer aumentar o custo dos transportes.


“O troço maior de estrada designada Via Infante está feito e pago há 20 anos com fundos europeus e não é feito pela engenharia financeira das SCUT, a não ser um pequeno troço para Lagos”, disse Macário Correia à margem do seminário “Regionalização e Revisão Constitucional: Que Perspetivas”.

O presidente da AMAL considerou que o Algarve tem uma situação “muito diferente” do resto do país, no que diz respeito à introdução de portagens em autoestradas sem custos para o utilizador, apesar de estar solidário com a luta de todas as regiões.

Segundo Macário Correia, introduzir portagens na Via Infante corresponde a aumentar os preços nos transportes em 20 por cento.

“Temos uma grande sazonalidade de utilização, sobretudo de turistas e a introdução de portagens vai criar custos adicionais no turismo. Calcula-se em 20 por cento a mais de custos nos transportes, o que é complicado coma a Andaluzia ao lado, que é nossa concorrente”, destacou.

Para o presidente da AMAL, resta ao Governo ser coerente para não cair em “contradição”.

“O Governo atual e o anterior sempre prometeram que o Algarve não deveria ter introdução de portagens, sem a requalificação da estrada nacional 125, que é a estrada paralela à Via Infante. Essa obra não está feita, por isso apelamos à coerência do Governo para que cumpra o que prometeu”, afirmou.

Macário Correia está confiante no desfecho da reunião de quarta-feira com o secretário de Estado das Obras Públicas e só, em último caso, equaciona a utilização de uma providência cautelar contra a introdução das portagens no Algarve.

“Vamos ter uma reunião com o senhor secretário de Estado das Obras Públicas na próxima quarta-feira e esperamos que essa reunião seja frutuosa e que, eventualmente, possa dispensar outros procedimentos. A providência cautelar é uma situação instrumental que pode ocorrer, mas nós queremos ir pela via do diálogo e não pelas questões dos tribunais”, acautelou.


Via Lusa In Diário-Online

domingo, 20 de fevereiro de 2011

A seis pontos do Céu...



Depois duma cruel derrota caseira frente ao Juventude de Évora na jornada passada, o Farense deslocava-se hoje ao Estádio Carlos Salema, na zona da Oriental de Lisboa para defrontar a equipa local, treinada pelo mítico Carlos Manuel. Segundo rezam as crónicas, os Leões de Faro foram justos vencedores da contenda, ganhando três pontos ao um adversário directo na luta pela manutenção. Os golos da vitória algarvia foram obtidos na primeira parte por Barão e Mamadou, cimentando o 12º posto na tabela, que será alvo dum play-out de despromoção.

Isto significa que só o melhor 12º classificado das três séries da Segunda Divisão se salvará, pelo que, para o Farense é obrigatório recuperar seis pontos, pois esta é a distância para o "seguro" 11º lugar, mas também para os outros 12ºs da zona norte e centro.

Até ao final do campeonato restam 10 jornadas, onde o Farense realizará seis jogos caseiros, pelo que a partir de agora a margem de erro é menor e espera-se que o jogo do próximo domingo com o Torreense, seja o sinónimo duma sequência vitoriosa para os homens da capital algarvia.

Tony Martin confirma prognósticos e ganha Volta ao Algarve


O alemão Tony Martin (HTC-Highroad) não defraudou as expectativas e conquistou a Volta ao Algarve, assumindo-se como sucessor de Alberto Contador (Saxo Bank-Sungard), vencedor das duas edições transactas da corrida portuguesa, mas que desta feita não foi além da quarta posição da geral.

Depois da excelente exibição na subida para o Alto do Malhão, onde acompanhou os melhores trepadores, Tony Martin só teve de esperar pelo contra-relógio de hoje para fazer valer os seus dotes naquela que é a especialidade de eleição, a luta contra o tempo. Martin cumpriu os 17,2 quilómetros, entre Lagoa e Portimão, em 20m53s, à espantosa média de 49,417 km/h. O segundo classificado foi o holandês Lieuwe Westra (Vacansoleil), a 5 segundos, e o terceiro o português Tiago Machado (RadioShack), a 26 segundos. O espanhol Alberto Contador não foi além do 15.º registo, a 45 segundos do vencedor. Pior esteve o camisola amarela à partida, Stephen Cummings (Sky), autor do 26.º tempo. Com a modéstia deste desempenho caiu para a sétima posição da geral.

A HTC-Highroad foi a grande dominadora da corrida, tendo vencido duas etapas, a classificação colectiva e tendo colocado dois homens nos dois primeiros lugares da geral. A seguir a Martin ficou Tejay van Garderen, a 32 segundos. O terceiro foi Lieuwe Westra, a 39 segundos.


O melhor português foi Tiago Machado, sexto a 47 segundos. Caso o famalicense não tivesse perdido 15 segundos em “cortes” nas duas primeiras etapas, teria voltado a colocar-se no pódio.

Tyler Farrar (Garmin-Cervélo) não conseguiu impor-se em qualquer etapa, mas patenteou a regularidade suficiente para vencer a classificação por pontos. As equipas portuguesas pouco fizeram perante a armada estrangeira de luxo. As excepções foram o Tavira-Prio, que conseguiu levar Ricardo Mestre ao pódio como vencedor da montanha, e a Barbot-Efapel que venceu as metas volantes por intermédio de César Fonte.

A 37.ª Volta ao Algarve foi um grande sucesso organizativo. O pelotão de qualidade inigualável nas estradas portuguesas atraiu multidões às estradas algarvias. Em termos mediáticos faltou o directo televisivo, mas a cobertura da prova e a exposição da mesma, nacional e internacionalmente, foi enorme, muito por causa da presença de Alberto Contador, que escolheu esta corrida para regressar à competição depois de levantada a suspensão

In Jornal Ciclismo




Acrescento ao Artigo que o melhor homem do Tavira-Prio na corrida foi André Cardoso, que terminou no 40º lugar, a 4.08 minutos do vencedor, sendo o sexto melhor portugês. Por equipas, a Tavira-Prio ficou no 15º lugar a 11.48 da vencedora HTC, isto num universo de 21 equipas em competição.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Mais casas da ilha de Faro podem vir a ser demolidas


Se forem seguidas as soluções técnicas apontadas para o plano de pormenores da praia da ilha de Faro, mas habitações podem vir a ser destruídas. O autarca Macário Correia frisa que tratam-se apenas de propostas que a Câmara ainda vai avaliar.

O plano de pormenor da praia da ilha de Faro deverá estar concluído dentro de um mês e aponta para o avanço de demolições na zona desafectada, ou seja, na zona onde a Câmara de Faro tem jurisdição.

As demolições estavam previstas serem efectuadas apenas nos extremos da ilha, onde há casas clandestinas, mas Valentina Calixto, presidente do conselho de administração Sociedade Polis Ria Formosa, indica que os estudos técnicos prevêem mais do que isso.

«As soluções técnias dos especialistas avançam para a construção de uma duna, em toda a extensão da ilha de Faro, no sentido de reforçar o cordão dunar e criar uma barreira protectora que permita que o mar não atravesse a ilha. Agora vai ter consequências, ou seja, onde a duna for construída vamos ter que demolir casas», explicou.

Na zona desafectada há centenas de casas, mas a Sociedade Polis não revela quando poderão ser destruídas.

Ao longo dos anos, a autarquia de Faro vendeu alguns terrenos aos proprietários, mas a grande maioria paga um aluguer do espaço à Câmara Municipal.

Oiça a Reportagem Completa da TSF aqui

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Portugal é o 14º país que mais bebe álcool no mundo



Portugal continua nos lugares cimeiros entre aqueles que mais álcool consomem. Ocupa o 14º lugar, mas a situação tem-se mantido estável nos últimos anos. São 14,55 litros de álcool per capita por ano, indica o último relatório da Organização Mundial de Saúde, agora divulgados, que analisa dados entre 2000 e 2005.

Se se considerar apenas o álcool declarado, Portugal ocupa o oitavo lugar, com 12,45 litros por pessoa. Ler Mais no Público



Com crise ou sem ela, parece que mesmo que os portugueses cortem em muitas despesas, não abdicam do consumo de bebidas alcoólicas, pois isso seria a degenaração dum hábito bem lusitano!

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Algarve é a região com maior taxa de desemprego em Portugal


Após estudo revelado pelo INE, o Algarve é a região mais afectada pelo desemprego. Ao fixar-se nos 14,8% no quarto trimestre de 2010, a taxa de desemprego atingiu o nível mais elevado de sempre, fazendo com que a região sul do país superasse o Norte.

“No quarto trimestre, as taxas de desemprego mais elevadas foram registadas nas regiões NUTS II do Algarve (14,8%), Norte (12,7%), Lisboa (12,3%) e Alentejo (11,2%)”, refere o Instituto Nacional de Estatística (INE).

“Face ao trimestre homólogo de 2009, e à semelhança do sucedido globalmente para Portugal, a taxa de desemprego aumentou em todas as regiões, com excepção da Região Autónoma dos Açores, onde diminuiu, e da Região Autónoma da Madeira, onde não se alterou”.

Os maiores acréscimos ocorreram no Algarve, com a taxa de desemprego a aumentar em 3 pontos percentuais, seguindo-se Lisboa, com um crescimento de 1,9 pontos, revelam os dados do INE.

“Face ao trimestre anterior, a taxa de desemprego aumentou em quatro regiões: Centro, Lisboa, Algarve e Região Autónoma dos Açores”. Mais uma vez, os maiores crescimentos “foram observados no Algarve (2,0 p.p.) e em Lisboa (1,0 p.p.)”.

“Em termos das médias anuais, as maiores taxas de desemprego em 2010 foram observadas no Algarve (13,4%), no Norte (12,6%), no Alentejo (11,4%) e em Lisboa (11,3%). As menores taxas verificaram-se na Região Autónoma dos Açores (6,9%), na Região Autónoma da Madeira (7,4%) e no Centro (7,7%).

In Jornal do Algarve

Hotéis a fazer promoções incríveis mas mesmo assim quase vazios, campos de golfe com poucos clientes, construção civil parada, resturantes com cada vez menos clientes, diminuição do consumo... É este o cenário no Algarve! Para onde caminhamos? Deixo-vos uma música cada vez mais actual e que se tornou num ápice, em sucesso nas redes sociais...

Armindo Araújo no WRC com a MINI


Após quatro anos e dois títulos absolutos no Campeonato do Mundo de Ralis - Produção, Armindo Araújo conseguiu garantir os apoios necessários para o tão desejado e esperado salto para a categoria máxima dos ralis mundiais.

Pela primeira vez, Portugal vai ter um representante no WRC
e a MINI foi a marca escolhida pelo piloto de Santo Tirso para esta nova fase da sua carreira.


"Antes de mais queria deixar uma palavra de apreço à Mitsubishi, marca que representei nos últimos sete anos e com a qual consegui as maiores conquistas da minha carreira. Obrigado por terem acreditado, tal como eu, num projeto ganhador", começa por dizer Armindo Araújo que parte agora para um novo e ambicioso desafio. "Após alguns meses de intenso trabalho consegui assegurar a minha entrada no WRC e isso é, sem dúvida, a realização de um sonho. Este novo projeto não é apenas meu, mas sim de todos aqueles que acreditaram ser possível dar este salto e que, durante meses a fio, me motivaram e apoiaram no sentido de por de pé um projecto desta envergadura. Nesse sentido quero agradecer desde já à TMN, GALP, LUSITANIA e MCA que continuarão a ser meus parceiros e também à MINI Portugal que se juntará a esta grande equipa", afirma ainda o bicampeão do PWRC.

Para esta nova aventura, a MINI, que regressa quase meio século depois ao Campeonato do Mundo de Ralis, teve um papel muito importante. "É uma grande honra poder entrar no WRC com uma marca com tanta história nos ralis como é o caso da MINI. Vou integrar a equipa satélite da formação oficial, que terá as mesmas condições de trabalho, e me dá todas as garantias para evoluir e que contará comigo para desenvolver um carro que acredito vir a ser ganhador. Durante este ano não vamos já pensar em lutar pelas vitórias antes sim criar uma linha de progressão que nos levará a isso no futuro. Neste momento penso sobretudo em prestigiar o nome do nosso país e as cores dos meus parceiros e a marca com que vou trabalhar daqui em diante. Este é sem dúvida o mais ambicioso projeto desportivo da minha carreira e penso que também o primeiro a este nível em Portugal", concluiu Armindo Araújo, que continuará a fazer dupla com Miguel Ramalho.

Todos os detalhes da época de Armindo Araújo com a MINI serão divulgados brevemente, durante a apresentação oficial da equipa que ocorrerá nas próximas semanas.



E parece que a GALP, uma empresa com capitais públicos, que aumentou o seu lucro em 43% no ano de 2010, resolvei dar uma mãozinha ao bi-campeão mundial de Produção, por sinal, português e com muito talento. Foi a muito custo que tal aconteceu e pelo que se diz à boca pequena, a Repsol estava na expectativa dum eventual rotura nas negociações para entrar em cena e ganhar um novo fôlego no mercado nacional com este trunfo de luxo.

Felizmente para o desporto motorizado português, teremos pela primeira vez um "tuga" na "Champions League" dos Rallys, o denomina WRC. E se a escolha pela MINI é neste momento uma aposta de sucesso a médio prazo, por certo o mediatismo que Armindo terá, no regresso desta mítica marca ao grande circo do WRC, será proveitoso para ele e apara os patrocinadores, tendo em conta que na FORD seria mais um dos muitos pilotos que teriam um carrinho da marca inglesa, ao alcance de qualquer um que tenha dinheiro...

Espera-se por isso que o Rally de Portugal, a disputar de 24 a 27 de Março no Algarve, seja tremendo, na luta de topo entre as novas máquinas da FORD e CITROEN, com a estreia da MINI na Europa e com a presença de três portugueses com viaturas super competitivas. Se tudo correr bem, acredito ver Bruno Magalhães, Bernardo Sousa e Armindo Araújo no top-12...

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

SC Farense: Assembleias Gerais dia 22 de Fevereiro


Todos os sócios do SC Farense têm o dever de estar presentes e participar na Assembleia Geral do dia 22 de Fevreiro a partir das 19h e 21h.
É o futuro do SC Farense que está em causa!

Contador amanhã na Volta ao Algarve



Depois de ter sido confirmado a absolvição por parte da Federação Espanhola de Ciclismo (RFEC), Alberto Contador tem confirmada a presença na Volta ao Algarve, que arranca esta quarta-feira, sendo já confirmado como dorsal numero 1, dado ser o vencedor em título da prova.

A equipa à qual o corredor espanhol está vinculado, a Saxo Bank, acaba de confirmar a presença de Contador junto da organização da prova.

Contador, recorde-se, venceu as duas últimas edições da Volta ao Algarve, utilizada pelo corredor espanhol para iniciar oficialmente a época.


Por Fernando Emílio In A Bola

Uma óptima notícia para o mediatismo da maior prova de ciclismo que se disputa em Portugal, com todos os benefícios que o Algarve pode retirar, e que parece, mesmo assim não serem suficientes para concretizar a transmissão televisiva para a Europa...

Contudo, mantenho o que escrevi à um mês, pois este frenesim pela presença do trivencedor do Tour no Algarve, não é mais que a consequência de branqueamento do mais que presumível crime de doping do espanhol, epidemia que tem minado a credibilidade da modalidade.

Depois admirem-se que as equipas de ciclismo não conseguem arranjar patrocinadores...

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Obrigado Fenómeno... O melhor avançado que vi jogar!



34 Anos , 3 Lesões graves , 3 vezes melhor do Mundo , 15 golos num campeonato do mundo , 2 títulos mundiais , 3 finais mundiais, 4 mundiais jogados, 3 golos no Old trafford , 3 golos na Argentina , BARCELONA , REAL MADRID , INTER , MILAN

O Eterno FENÓMENO.

INFELIZMENTE CHEGOU A HORA DE PARAR.

O FENÔMENO Não morreu , só parou de jogar.

Mais uma rádio fecha no Algarve!? Agora a S. Brás FM...


Uma semana depois de Macário Correia ter reivindicado a alto e bom som uma intervenção governamental para poder recolocar Faro, a capital do Algarve, no mapa radiofónico, no que a estações privadas diz respeito, deu-se o apagão de mais uma rádio no Algarve, que se junta assim à Rádio Clube do Sul (Faro) e Atlântico FM (Olhão), frequências também extintas nos últimos tempos...


Embora as duas útimas tivessem cessado emissões devido à não renovação da licença de emissão por incumprimentos fiscais, a Rádio Clube S. Brás de Alportel, estava alegadamente na lei, mas porventura terá sido a conjuntura económica do país a ditar mais uma baixa de vulto na comunicação social algarvia, e neste caso particular, da zona central da Região.


Lamenta-se o mais que provável fecho desta estação emissora, no ar desde 1997, sendo a primeira frequência a emitir desde a vila de S. Brás de Alportel. Em tempos trouxe-nos os relatos de muitos jogos do Farense e será com saudade que recordaremos os tempos da primeira divisão, narrados naquela estação emissora... O Algarve fica mais pobre, e por este andar, veremos quantas mais rádios algarvias sobreviverão à crise.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Dois "empatas" e um balde de água fria...


As Notas do Farense 0-1 Juventude Évora


Notas Positivas:

  • O Farense mostra melhorias assinaláveis a sair com a bola jogável, parecendo já ter perdido grande parte do vício do chuto para a frente, que estava instaurado no processo de transição ofensiva na equipa. Apesar de algumas vezes as coisas não saírem bem, principalmente no meio campo ofensivo, João de Deus transmitiu à equipa novos princípios.
  • Jogando perante um adversário supostamente mais forte, os Leões de Faro nunca foram inferiores e podiam ter vencido a partida mas a pouca ambição dos comandados e do próprio João de Deus, traiu os objectivos da equipa. Mas disso falaremos mais tarde...
  • Para a fidelidade dos adeptos do Farense. Numa tarde invernosa e muito desagradável o público não fugiu muito ao que têm sido nos últimos jogos. Porventura os bons resultados pudessem criar a expectativa duma casa muito melhor, mas dadas as circunstâncias foi positiva a presença de público.

Notas Negativas:

  • Acima de tudo o mais negativo deste jogo foi o resultado obtido pelo Farense. Quando o jogo se encaminhava para o final, David Nunes, avançado da equipa alentejana fez o único golo da partida e deixou os algarvios em maus lençóis na luta pela manutenção. A vitória caseira do Carregado, 3-2 deixou os algarvios a distantes nove pontos da salvação.
  • Sabemos das limitações do plantel, mas a falta de ambição de João de Deus na partida, mexendo tarde na equipa e desmontando o habitual esquema defensivo só na fase final da partida foram situações que acabaram por penalizar os Leões de Faro, que tinham neste jogo em casa, contra o sétimo classificado, a obrigação de vencer para se aproximar dos rivais na luta pela manutenção.
  • O terreno do São Luís estava naturalmente pesado, e apesar das boas trocas de bola a meio campo, faltou criatividade e capacidade de concretização no ataque do Farense. Adérito, e depois Zambujo e Bruno não quebraram o enguiço, umas vezes falhando golos, (caso de Adérito), noutras nem tendo influência no jogo, fruto da falta de poder a meio campo, após a saída de Luis Afonso, que apesar de desgastado nessa fase, fez um bom jogo, pautando o jogo da equipa.
  • A equipa de Évora não merecia vencer, porque à semelhança de outros episódios no passado recente, passou o jogo a queimar tempo, jogando para o empate e com uma astúcia e sorte já habitual em Faro, conseguiu o seu golo, deixando os Leões de Faro à beira dum ataque de nervos, também depois duma arbitragem tendenciosa.

Momento do Jogo:

  • O golo do Juventude Évora, aos 86 minutos, apontando por David Nunes, na sequencia de uma canto da direita, onde a defesa algarvia foi passiva, sentenciou o jogo.


Farense: Serrão; Caniggia, Mamadou, Tiago Sousa, Joshua; Bilro, Barão, Luis Afonso, Justo, Bruno Carvalho, Adérito. Jogaram ainda: Zambujo, André Calado e Bruno.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

CP confirma 11 novos comboios para a Linha do Algarve, revela o MPT/Algarve


A CP confirmou ao Partido da Terra (MPT)/Algarve, após um pedido de esclarecimento efetuado por aquela força política junto da empresa, confirmou que nos próximos meses colocará na Linha do Algarve 11 novos comboios em substituição das atuais automotoras.

Segundo o gabinete de Relações Institucionais e Comunicação da CP – Comboios de Portugal EPE, citado pelo MPT, dos onze comboios, ficarão oito em rotação (exploração), sendo três para cumprir plano de manutenção mais reserva de exploração.

Na prática, ainda segundo a empresa, os preços praticados sofrerão “um aumento de 5%”, em virtude da eliminação do “factor de correção” (de 5%) que existe devido ao desconforto abaixo do padrão das actuais automotoras, nomeadamente a inexistência de ar condicionado.

O MPT refere ainda, segundo a empresa, “não está prevista alteração de horários, havendo certamente ajustes ao horário existente, em função do novo material e da respectiva performance”.

As automotoras previstas para funcionamento na Linha do Algarve (UDD 0450) estão atualmente em serviço na Linha do Minho e são automotoras duplas diesel, modernizadas entre 1999 e 2001 e climatizadas, oferecendo 164 lugares sentados, dos quais 40 em 1.ª classe.

“O Partido da Terra saúda este melhoramento do material circulante na Linha do Algarve, destacando-se o incremento de conforto e o aumento de eficiência energética na ordem dos 20%”, salienta o MPT.

A força política reitera ainda que esta pode ser “a grande oportunidade para que a CP conceba e institua campanhas regionais de divulgação, dinamização e promoção do transporte ferroviário, de preferência em articulação com transportes públicos urbanos”.


In Diário Online


Bem sei que a renovação e aposta em novas localizações para a linha do Algarve, por forma a corresponder às necessidades laborais das pessoas envolve custos avultados mas optimizando as acessibilidades à "linha" e dando melhores condições de conforto aos utentes, por certo o país ficaria menos dependente dos combustíveis... Só que isso não interessa a todos...!

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Farense X Juventude Évora - O Jogo da Mudança!

Alvarinho quer estrear-se contra o.... Olhanense!


Alvarinho garantiu esta quinta-feira acreditar que tem lugar no plantel do Paços de Ferreira e admitiu que "seria especial" estrear-se na Liga Zon Sagres frente ao Olhanense, em abril, esperando estar nessa altura "a 100 por cento".


"Estou com muita vontade de jogar e tenho agora outra motivação, apesar de me sentir a uns 70 por cento. Nunca é fácil entrar na equipa, ainda por cima cheguei mais tarde devido à lesão, mas acredito que há espaço para mim e, por isso, vou tentar com trabalho ser mais uma opção para o treinador", disse Alvarinho à agência Lusa.


O avançado, de 20 anos e com contrato até junho de 2013, foi inscrito na Liga na reabertura do mercado de transferências, em janeiro, e só recentemente começou a treinar sem limitações, após cirurgia ao joelho, esperando ir a tempo de ajudar a equipa esta temporada, a começar, se possível, na visita ao Olhanense.


"Confesso que tenho algumas saudades da terrinha e, por isso, era especial que a primeira convocatória fosse para o jogo em Olhão. Tenho muitos amigos e muita gente, mesmo do antigo clube [Farense], a torcer por mim, esperando nessa altura estar a 100 por cento", sublinhou.


O ex-futebolista do Farense, de cuja cidade é natural e pelo qual fez toda a formação e se estreou no futebol sénior, na época passada, disse ter sido "bem acolhido" em Paços de Ferreira e na formação pacense, de quem diz poder "ir longe".


"Estamos a atravessar uma fase boa e espero que assim continue. É um bom grupo, e penso que o Paços pode ir longe", disse Alvarinho, acrescentando que "seria uma boa prenda para o grupo garantir um lugar nas competições europeias", mesmo sabendo que "o objetivo principal é a permanência".

In Record



Sou mais ambicioso e desta forma gostava mesmo era de ver o farense Alvarinho a jogar mais cedo na Liga Zon Sagres... Quanto ao Olhanense, que lhes marque dois golos, porque nós torcemos por ele e por isso também!!

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Câmara de Faro quer relançar obra do Pavilhão Gimnodesportivo


O lançamento de «um concurso público urgente» para adjudicação das obras de conclusão do Pavilhão Gimnodesportivo de Faro apenas está dependente da emissão de um visto prévio do Tribunal de Contas, anunciou esta quarta-feira a Câmara de Faro.

Numa nota enviada às redações, a autarquia farense manifestou a sua intenção de levar a obra a bom porto e disse ainda ter «solicitado junto da PSP um reforço da segurança no local, de molde a que este equipamento público não seja objecto de actos de vandalismo e destruição gratuita como aqueles que se têm infelizmente verificado».

«Procedeu-se ao tapamento de vãos, soldaduras das portas e outras intervenções para assegurar que ninguém tem acesso ao Pavilhão. É um bem público que deve ser salvaguardado», disse a autarquia.

A obra de construção do Pavilhão Gimnodesportivo de Faro começou há cerca de seis anos e foi afetada por uma sucessão de problemas, técnicos e financeiros.

Em 2007, a sua inauguração «chegou a ser anunciada», lembra a Câmara de Faro, mas «entre 2005 e 2009, o contrato de empreitada não foi cumprido, tendo o empreiteiro suspendido o andamento da obra por falta de pagamento».

«Os pagamentos foram retomados no princípio de 2010, o que daria lugar ao retomar dos trabalhos, facto que não se veio a verificar por força da insolvência do empreiteiro», adiantou.

«Este tem sido um processo complexo, marcado por diversas vicissitudes desde a sua génese, pelo que a autarquia não tem regateado esforços para garantir que este equipamento vital para o desenvolvimento desportivo esteja ao serviço dos cidadãos no prazo mais breve que nos seja possível», assegurou a Câmara farense.

In Barlavento Online


Os outros concelhos do Algarve quase todos com pavilhões modernos e nós, a capital do Algarve, esperamos à mais de 6 anos pelo primeiro pavilhão gimnodesportivo com condições para a alta competição...

Faro: Câmara diz que tomada de posição sobre rádios não visou “depreciar ou subalternizar” a RUA FM


A câmara municipal de Faro disse hoje que não visou “depreciar ou subalternizar” a Rádio Universitária do Algarve (RUA FM) quando tomou posição sobre a inexistência de uma rádio local no concelho.

Recorde-se, a autarquia alertou no início da semana para essa omissão e tornou pública uma diligência junto do ministro dos Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão, sobre aquilo que considerava “um vazio” no campo da comunicação social radiofónica no concelho.

A posição foi contestada pelo diretor de antena da RUA FM. Agora, a câmara liderada por Macário Correia vem realçar que não quis “depreciar ou subalternizar” a rádio universitária.

A autarquia diz mesmo, em relação à RUA FM, reconhecer e louvar “o esforço meritório para promover a cobertura de manifestações políticas, culturais e sociais do concelho”.

“A RUA FM desempenha, desde o seu nascimento, um elemento crucial de reforço e sintonia da comunidade académica com os cidadãos sendo apreciada como uma iniciativa coroada de êxito”, refere a edilidade, acrescentando ainda que tem registado com aquela rádio “uma colaboração profícua”.

Macário Correia acentua que pediu ao ministro que “despoletasse um concurso público para preenchimento de frequência radiofónica que se encontra atribuída a Faro e que não está a ser utilizada por qualquer operador”.

Deste modo, assegura, “apenas se estavam a acautelar os interesses do concelho, até porque as outras duas frequências anteriormente atribuídas a Faro pelo governo estão tomadas por operadores de cariz nacional, quando a lei assim não o estabelece sem que seja assegurada programação local, o que não se verifica”.

“Nem neste nem em qualquer outro domínio, a autarquia pode permitir que os interesses de Faro não sejam devidamente salvaguardados”, sublinha o comunicado.

A autarquia salienta ainda que a RUA FM “não pode emitir publicidade, pelo que a existência de outra rádio em Faro não colide com os seus interesses nem com eles concorre”.

“Trata-se, enfim, de acordo com o previsto na lei, de zelar para que a cobertura das iniciativas que têm lugar no concelho sejam cada vez mais notícia e que, desse modo, os cidadãos estejam mais bem informados. Com duas rádios melhor se visa esse propósito e, atenta a natureza de cada uma delas, não se vislumbram motivos de força maior para que esta coabitação não venha a ser uma realidade no estrito cumprimento da legislação em vigor”, conclui-se.



Mais do mesmo... Do que serve abrir concurso para uma nova frequência em Faro, se possivelmente não há interessados na mesma, a não ser os tubarões de Lisboa??

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Mais uma "bronca" entre estudantes e a CMF...


Faro: RUA FM contesta declarações de Macário Correia

Rádio Universitária do Algarve (RUA FM) manifesta-se surpreendida com as declarações do autarca de Faro, que afirma que o concelho “não tem uma rádio local”.


Pedro Duarte, diretor de antena da RUA FM, argumenta que ao afirmar-se que Faro não tem uma rádio local “é ignorado todo o trabalho que a Rádio Universitária do Algarve tem feito ao longo dos últimos oito anos”.

“A RUA é uma rádio local (sediada em Faro) de cariz universitário, mas com algumas limitações na exploração de fundos publicitários, que dificultam (mas não impedem) o atingir alguns dos pontos que refere e aos quais nos propusemos”, afirma.

O diretor estranha as palavras de Macário Correia (ver aqui) e lembra que por diversas vezes o atual edil farense “passou pelos estúdios da RUA, quer para entrevistas relacionadas com o seu atual cargo, quer para falar de questões ligadas com o Algarve e Faro, estando ainda presente em diversos debates por nós organizados (ou em parceira)”.

Pedro Duarte enumera ainda diferentes instituições locais e regionais, como Cineclubes, a ACTA, Direção Regional da Cultura, a Universidade do Algarve e até autarquias, bem como grupos de pessoas, “que procuram diretamente a RUA para a divulgação das suas atividades sendo, muitas vezes, das poucas portas abertas que encontram e - para alguns - a única onde gratuitamente o podem fazer”.

Pedro Duarte recorda que em tempos foram atribuídas a Faro três frequências para radiodifusão e que o facto de não estarem localmente ativas é motivo para reflexão.

“A existência de uma rádio é mais que um atribuir de uma licença, deve ser uma necessidade sentida pela população, mas também a possibilidade de manter um modelo de negócio, algo que estranhamente não foi possível numa capital de distrito. Mais estranho ainda foi o retirar de uma frequência (para concurso) em Faro, tendo sido atribuída a um grupo estatal para retransmissão de um dos seus canais, privando a cidade da existência de mais um media radiofónico”, ironiza.

Para o diretor de antena da RUA FM “muito mais pode ser atingido se se unirem esforços e os apoios aparecerem para que possamos ter uma rádio ainda mais informativa, cultural e plural no concelho, porque uma rádio local Faro já tem”.


In Observatório do Algarve



"Sarna para se coçar"... Foi este termo que me veio à memória acerca das declarações da CMF acerca da inexistência de uma (verdadeira) rádio local em Faro. Com a tomada pública de posição já dissecada ontem, Macário Correia pouco ou nada ganhará e desta feita, só têm a perder coleccionando mais uma guerrilha com a Associação de Estudantes da Universidade do Algarve, depois da rábula da recepção ao caloiro e dos estacionamentos nas Gambelas.


Em parte percebe-se o porquê da posição da CMF quanto à inexistência duma "verdadeira" rádio local em Faro, mas no meu entender o que choca é ler o comunicado e não haver uma única alusão à RUA FM, que, com os poucos recursos que têm, mantêm-se activa e resiste num contexto de crise, sendo a única emissora com sede no concelho de Faro. Por isso não é de estranhar esta tomada de posição do director de antena da RUA FM, Pedro Duarte... Têm agora a palavra a CMF!

Faro: Homem de 35 anos morre em acidente na EN 125


Um homem de 35 anos morreu hoje vítima de despiste de motorizada na Estrada Nacional 125-10 no acesso ao aeroporto de Faro.

O despiste ocorre entre as 14:00 e as 15:00 e a vítima morreu no local, acrescentou à Lusa o INEM, indicando que no local esteve uma ambulância do INEM e uma viatura médica.

Esta é a décima pessoa que morre na EN 125 este ano, mais cinco vítimas mortais do que em período homólogo no ano de 2010, segundo dados cruzados entre GNR e INEM.

Segunda-feira, um homem de 62 anos morreu na EN 125, perto de Pêra, concelho de Silves, vítima de um atropelamento.

Um dos acidentes deste ano mais aparatoso foi um despiste de um automóvel registado a 15 de janeiro na EN125, no lugar da Guia, em Albufeira, que provocou três mortos e dois feridos graves.

A EN 125, que liga Sagres a Vila Real de Santo António, é uma das estradas com mais acidentes em Portugal e a sua requalificação foi anunciada pelo Governo em 2008, com vista a reduzir a sinistralidade rodoviária.

In Observatório do Algarve

Trágico! Nem quero imaginar quais serão os número da sinistralidade na "avenida do Algarve" quando as portagens forem instaladas na Via do Infante. Com o número de óbitos a duplicar em 2011, na média de uma morte em cada quatro dias, dveerão no futuro ser pedidas responsabilidades a quem tomar definitivamente a decisão da implementação de portagens, com as consequências mais que prováveis...

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Faro: Câmara lamenta inexistência de rádio local e alerta governo para este “vazio”


A câmara municipal de Faro lamentou hoje em comunicado a inexistência de uma rádio local no concelho, alertando e sensibilizando o governo para este “vazio” no campo da comunicação social radiofónica.

“Faro é a única capital de distrito que não tem uma rádio local. É imperioso corrigir esta situação. Trata-se de uma aspiração legítima da população que, no quadro atual, se encontra privada de um instrumento essencial para que as manifestações culturais, económicas e sociais do concelho tenham a cobertura adequada”, refere a nota da autarquia.

“Sem uma rádio de cariz local, informativa e generalista, o concelho vê-se, neste domínio, impossibilitado de ombrear em pé de igualdade com as demais cidades da região”, acentua a câmara liderada por Macário Correia.

No sentido de “sensibilizar” o governo para “a necessidade de colmatar esta omissão”, o presidente da câmara enviou uma exposição ao Ministro dos Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão, “com o objectivo de alertar para a situação, solicitando ao poder central a devida atenção para este vazio no campo da comunicação social radiofónica no concelho”.



Parece estranho que, quando a última rádio local farense cessou emissões à praticamente ano e meio, a CMF venha mostrar tardiamente o seu desagrado e estranheza por Faro ser a única capital de distrito sem uma verdadeira rádio local. Creio que esta tomada de posição, não será mais que uma atitude cosmética e sem efeitos práticos, pois como se sabe o Estado (ERC) não faz mais que aprovar projectos que cumpram com os requisitos para se criar uma rádio local, o que para já não parece susceptível num futuro próximo.

Das quatro frequências sediadas no concelho de Faro, uma está entregue à TSF (101.6 FM), outra à RDP África (99,1 FM), outra à RUA FM (102,7 FM), sobrando a frequência 90,9 FM, outrora entregue à Rádio Santa Maria, mas que durante largos anos foi retransmissor da TSF. E o cenário mais provável a médio longo prazo é que esta frequência seja um retransmissor de outra qualquer rádio lisboeta...

Por isso meus caros, os tempos em que se acompanhavam os relatos do Farense pela rádio, mas também outros eventos de dimensão regional a acontecer na Capital do Algarve parecem cada vez mais remotos, sabendo-se que nem mesmo a saudosa Rádio Algarve, outrora a grande rádio do região, por via dos recursos da RDP, poderá um dia voltar a ter emissões regulares. Talvez seja essa a intenção da tomada de posição da CMF, mas se o é, em tempos de crise não tem a mínima hipótese de sucesso, ainda para mais iria abrir um precedente na politica do grupo RDP, no que toca às suas emissões locais.

A segunda vida de Portimão


Uma cidade que vivia na sombra dos vizinhos está à procura de um lugar debaixo do foco. Nos últimos anos, angariou uma mão-cheia de trunfos para tentar conquistar uma nova importância regional. É um crescimento que não se faz sem dores e que perderá dentro de dois anos o seu estratega.

Calaram-se as sirenes das fábricas, as traineiras desapareceram - a vida mudou em Portimão. Um pescador reformado pergunta: "Já conhece o museu?" Paulino Marques, 79 anos, gorro na cabeça, percorre a zona ribeirinha dando os "bons dias". "Pertenço ao Clube dos Amigos do Museu. Ofereci ao museu os arpões com que apanhava golfinhos." As recordações da comunidade piscatória, boas e más, projectam-se no interior desta antiga fábrica de conservas transformada em museu de sucesso, distinguido com o prémio "Museu Conselho da Europa 2010", o que significa que no ano passado foi considerado um dos melhores deste continente.

Nem todo o passado de Portimão se guardou no museu, e nem tudo o que é presente é tão bom que mereça ser exposto. Décadas marcadas pela destruição das vivendas (chalés) da praia da Rocha permitiram dar lugar a torres e mais torres de apartamentos. Há mais caos urbanístico por aqui, à imagem do muito mau que se fez no Algarve, uma região que, para o reitor da universidade pública do Algarve, João Guerreiro, é "um arquipélago" de centros urbanos "de pequena dimensão, dispersos, e sem muita coerência entre eles, e sob a liderança de Faro, capital algarvia e centro regional".

Porém, Faro é como o seu presidente da câmara, Macário Correia (PSD): divide opiniões, está na ribalta sem nunca estar em foco. Porque o concelho rico do Algarve é Loulé. E a terra que está nas bocas do mundo é, muitas vezes, Portimão.

Pôr a capital fora-de-jogo

É tal a popularidade de Manuel da Luz, o socialista que lidera os destinos desta terra - conhecida pelas sardinhas, por ser o berço de Manuel Teixeira Gomes, sétimo presidente da I República, pelo seu autódromo internacional, pelo seu clube de futebol na I Liga, pela beleza natural da ria de Alvor, pelo museu premiado na Europa e pelo seu novíssimo teatro -, que está a ser empurrado para outros voos pelo Partido Socialista e pelos seus amigos. Com tantos "trunfos", será que Portimão põe Faro fora-de-jogo?

O semanário Barlavento é um dos jornais de referência na região, sobretudo nos temas de política, ambiente e cultura, e tem sede em Portimão. Foi distinguido com o prémio Gazeta da Imprensa Regional em 2006, atribuído pelo Clube de Jornalistas. O jornal tem um quadro redactorial com cinco jornalistas, reclama para si o estatuto de periódico mais lido na região e foi fundado há mais de três décadas por Hélder Nunes, seu director desde então, que considera Portimão "estratégica" em termos de turismo e dos negócios. A construção do Autódromo Internacional do Algarve, diz, "veio dinamizar o ramo das tecnologias avançadas do mundo automóvel". O que falta, quando a compara com Faro, é a vertente universitária. "Um pólo universitário com capacidade para gerar massa crítica. Apesar de ter o Instituto Manuel Teixeira Gomes [da Universidade Lusófona, privada] com cerca de 1000 alunos, a Universidade do Algarve precisa de lançar aqui o seu pólo, como tem previsto", defende.

O jornal mais antigo da região, O Algarve, tem 103 anos. Porém, publica-se a partir de Faro. Este semanário foi comprado em 2008 pelo Grupo Lena - empresa detentora de outros títulos regionais. Tem seis jornalistas e uma directora interina, Pedra Luz, para quem "Portimão consegue ter mais protagonismo do que Faro, por via da realização de grandes eventos".

In Público

Um artigo interessante hoje no Público que tenta fazer uma comparação entre as duas maiores cidades do Algarve, do ponto de vista social e económico. Trata-se de mais um episódio no debate instalado nos últimos anos, e que me parece está aos poucos a tornar-se num lobby com interesses obscuros, mas que no fundo não são mais que um conjunto de movimentações para fazer de Portimão a capital do Algarve...

Do breve artigo poder-se-ão tirar algumas conclusões, mas o esquecimento na alusão ao Parque das Cidades, projecto ambicioso entre Faro e Loulé, e o facto de não se questionar o endividamento dos "portimonenses", a triplicar em relação à capital de distrito, poderiam explicar algumas das razões para a apregoada segunda vida de Portimão...

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Farense sobe mais um degrau na tabela após empate com Real



Na décima deslocação da época, o Farense conseguiu mais um empate, desta feita na casa do Real de Massamá, antiga equipa de Nani e Diogo Salomão, e que ocupava o penúltimo lugar à entrada para esta ronda.


A equipa de Massamá adiantou-se no marcador no inicio da segunda parte por Diogo Calheiros, mas sensivelmente a meio do segundo tempo, David Justo reestabeleceria a igualdade no marcador, num jogo nem sempre bem jogado, mas onde o resultado se ajusta ao que se desenrolou em campo.


Agora, segue-se o Juventude de Évora, equipa que têm rivalizado com o Farense nas duas ultimas épocas, e com quem os Leões de Faro quererão ajustar contas, aproveitando para recuperar ainda mais na tabela.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Algarve é o maior produtor de Sal


In Edição Impressa do Jornal O Algarve, 04/02/2011



As constantes notícias de falta de açucar até se podem compreender, contudo o que se lê no artigo é que Portugal ainda depende do "exterior" em termos de fornecimento de Sal, um produto que têm no Algarve o seu maior produtor nacional, mas com potencial para se expandir ainda mais! Mais uma razão para se efectivar a aposta nas indústrias do Mar, dinamizando a economia local e criando mais riqueza ao País!

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Um(a) (a)Ventura na Selecção...



A propósito da convocatória anunciada hoje pelo Seleccionador Nacional, Paulo Bento, para o jogo do próximo dia 9, em Zurique contra a congénere argentina de Messi, Di Maria, Tevez, etc., qual não foi o meu espanto quando confirmei a inclusão de Ventura, no lote de convocados para o jogo.

O guarda redes do penúltimo classificado da Liga Zon Sagres, o apelidado Pen(Ultimonense), essa mesma equipa que têm a pior defesa da prova com uma média de dois golos sofridos por jogo, têm coleccionado ao longo da sua travessia pelo Algarve "frangos" e exibições arreliantes para os adeptos locais, as quais não podem ser descuradas com base no historial deste jogador nas camadas jovens...

Por isso, só posso crer que a convocatória de Paulo Bento não passará duma pequena aventura de Ventura pelo balneário da Selecção, concorrendo de longe com o desafortunado Eduardo pelo lugar de suplente neste jogo!

Ao invés, e para aqueles que apregoaram aos quatro ventos a utilidade de naturalizar um jogador trintão como Liedson para "salvar" o apuramento do Mundial da África do Sul, vejo Paulo Bento trocar o Levezinho por Postiga, uma escolha que pode ser também a resposta para os que criticaram a decisão da direcção do Sporting, numa altura em que Hélder Postiga era muito cobiçado neste mercado de transferências... Para a história fica a "aventura" de Liedson na Selecção, marcando três golos em nove jogos.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

NOME avançam para gravações de novo disco


Conforme divulgado anteriormente, os NOME estão prestes a entrar em estúdio para a gravação do segundo disco de originais, mais precisamente no próximo mês de Fevereiro.

Também conforme adiantado anteriormente, todos quantos de vós assim o queiram, poderão fazer parte deste trabalho; concretamente, tendo o vosso nome registado no grafismo padrão de um disco que queremos repleto de nomes, ou não fossemos os NOME.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Um assalto...



A propósito de mais um inocente aumento do preço do gasóleo, como se pode ler aqui, tive logo o inocente pensamento de comprar esta t-shirt...