domingo, 20 de fevereiro de 2011

Tony Martin confirma prognósticos e ganha Volta ao Algarve


O alemão Tony Martin (HTC-Highroad) não defraudou as expectativas e conquistou a Volta ao Algarve, assumindo-se como sucessor de Alberto Contador (Saxo Bank-Sungard), vencedor das duas edições transactas da corrida portuguesa, mas que desta feita não foi além da quarta posição da geral.

Depois da excelente exibição na subida para o Alto do Malhão, onde acompanhou os melhores trepadores, Tony Martin só teve de esperar pelo contra-relógio de hoje para fazer valer os seus dotes naquela que é a especialidade de eleição, a luta contra o tempo. Martin cumpriu os 17,2 quilómetros, entre Lagoa e Portimão, em 20m53s, à espantosa média de 49,417 km/h. O segundo classificado foi o holandês Lieuwe Westra (Vacansoleil), a 5 segundos, e o terceiro o português Tiago Machado (RadioShack), a 26 segundos. O espanhol Alberto Contador não foi além do 15.º registo, a 45 segundos do vencedor. Pior esteve o camisola amarela à partida, Stephen Cummings (Sky), autor do 26.º tempo. Com a modéstia deste desempenho caiu para a sétima posição da geral.

A HTC-Highroad foi a grande dominadora da corrida, tendo vencido duas etapas, a classificação colectiva e tendo colocado dois homens nos dois primeiros lugares da geral. A seguir a Martin ficou Tejay van Garderen, a 32 segundos. O terceiro foi Lieuwe Westra, a 39 segundos.


O melhor português foi Tiago Machado, sexto a 47 segundos. Caso o famalicense não tivesse perdido 15 segundos em “cortes” nas duas primeiras etapas, teria voltado a colocar-se no pódio.

Tyler Farrar (Garmin-Cervélo) não conseguiu impor-se em qualquer etapa, mas patenteou a regularidade suficiente para vencer a classificação por pontos. As equipas portuguesas pouco fizeram perante a armada estrangeira de luxo. As excepções foram o Tavira-Prio, que conseguiu levar Ricardo Mestre ao pódio como vencedor da montanha, e a Barbot-Efapel que venceu as metas volantes por intermédio de César Fonte.

A 37.ª Volta ao Algarve foi um grande sucesso organizativo. O pelotão de qualidade inigualável nas estradas portuguesas atraiu multidões às estradas algarvias. Em termos mediáticos faltou o directo televisivo, mas a cobertura da prova e a exposição da mesma, nacional e internacionalmente, foi enorme, muito por causa da presença de Alberto Contador, que escolheu esta corrida para regressar à competição depois de levantada a suspensão

In Jornal Ciclismo




Acrescento ao Artigo que o melhor homem do Tavira-Prio na corrida foi André Cardoso, que terminou no 40º lugar, a 4.08 minutos do vencedor, sendo o sexto melhor portugês. Por equipas, a Tavira-Prio ficou no 15º lugar a 11.48 da vencedora HTC, isto num universo de 21 equipas em competição.

Sem comentários: