segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Faro: Câmara lamenta inexistência de rádio local e alerta governo para este “vazio”


A câmara municipal de Faro lamentou hoje em comunicado a inexistência de uma rádio local no concelho, alertando e sensibilizando o governo para este “vazio” no campo da comunicação social radiofónica.

“Faro é a única capital de distrito que não tem uma rádio local. É imperioso corrigir esta situação. Trata-se de uma aspiração legítima da população que, no quadro atual, se encontra privada de um instrumento essencial para que as manifestações culturais, económicas e sociais do concelho tenham a cobertura adequada”, refere a nota da autarquia.

“Sem uma rádio de cariz local, informativa e generalista, o concelho vê-se, neste domínio, impossibilitado de ombrear em pé de igualdade com as demais cidades da região”, acentua a câmara liderada por Macário Correia.

No sentido de “sensibilizar” o governo para “a necessidade de colmatar esta omissão”, o presidente da câmara enviou uma exposição ao Ministro dos Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão, “com o objectivo de alertar para a situação, solicitando ao poder central a devida atenção para este vazio no campo da comunicação social radiofónica no concelho”.



Parece estranho que, quando a última rádio local farense cessou emissões à praticamente ano e meio, a CMF venha mostrar tardiamente o seu desagrado e estranheza por Faro ser a única capital de distrito sem uma verdadeira rádio local. Creio que esta tomada de posição, não será mais que uma atitude cosmética e sem efeitos práticos, pois como se sabe o Estado (ERC) não faz mais que aprovar projectos que cumpram com os requisitos para se criar uma rádio local, o que para já não parece susceptível num futuro próximo.

Das quatro frequências sediadas no concelho de Faro, uma está entregue à TSF (101.6 FM), outra à RDP África (99,1 FM), outra à RUA FM (102,7 FM), sobrando a frequência 90,9 FM, outrora entregue à Rádio Santa Maria, mas que durante largos anos foi retransmissor da TSF. E o cenário mais provável a médio longo prazo é que esta frequência seja um retransmissor de outra qualquer rádio lisboeta...

Por isso meus caros, os tempos em que se acompanhavam os relatos do Farense pela rádio, mas também outros eventos de dimensão regional a acontecer na Capital do Algarve parecem cada vez mais remotos, sabendo-se que nem mesmo a saudosa Rádio Algarve, outrora a grande rádio do região, por via dos recursos da RDP, poderá um dia voltar a ter emissões regulares. Talvez seja essa a intenção da tomada de posição da CMF, mas se o é, em tempos de crise não tem a mínima hipótese de sucesso, ainda para mais iria abrir um precedente na politica do grupo RDP, no que toca às suas emissões locais.

1 comentário:

Anónimo disse...

Ola Cibernautas

Se falta uma Rádio em Faro nada melhor que criar uma empresa publica com dinheiro dos contribuintes ,claro está gerido pela Autarquia,pois podemos sempre contar com a informação imparcial e sempre se arranja mais uns trabalhinhos para os desempregados cá da Ciçadela.Srº Presidente deixe-se de coisinhas e vá mas é trabalhar em prol dos municipes pois as dificuldades não se combatem com mais tempo de antena.

Ass.
Manuel Minoua