domingo, 13 de fevereiro de 2011

Dois "empatas" e um balde de água fria...


As Notas do Farense 0-1 Juventude Évora


Notas Positivas:

  • O Farense mostra melhorias assinaláveis a sair com a bola jogável, parecendo já ter perdido grande parte do vício do chuto para a frente, que estava instaurado no processo de transição ofensiva na equipa. Apesar de algumas vezes as coisas não saírem bem, principalmente no meio campo ofensivo, João de Deus transmitiu à equipa novos princípios.
  • Jogando perante um adversário supostamente mais forte, os Leões de Faro nunca foram inferiores e podiam ter vencido a partida mas a pouca ambição dos comandados e do próprio João de Deus, traiu os objectivos da equipa. Mas disso falaremos mais tarde...
  • Para a fidelidade dos adeptos do Farense. Numa tarde invernosa e muito desagradável o público não fugiu muito ao que têm sido nos últimos jogos. Porventura os bons resultados pudessem criar a expectativa duma casa muito melhor, mas dadas as circunstâncias foi positiva a presença de público.

Notas Negativas:

  • Acima de tudo o mais negativo deste jogo foi o resultado obtido pelo Farense. Quando o jogo se encaminhava para o final, David Nunes, avançado da equipa alentejana fez o único golo da partida e deixou os algarvios em maus lençóis na luta pela manutenção. A vitória caseira do Carregado, 3-2 deixou os algarvios a distantes nove pontos da salvação.
  • Sabemos das limitações do plantel, mas a falta de ambição de João de Deus na partida, mexendo tarde na equipa e desmontando o habitual esquema defensivo só na fase final da partida foram situações que acabaram por penalizar os Leões de Faro, que tinham neste jogo em casa, contra o sétimo classificado, a obrigação de vencer para se aproximar dos rivais na luta pela manutenção.
  • O terreno do São Luís estava naturalmente pesado, e apesar das boas trocas de bola a meio campo, faltou criatividade e capacidade de concretização no ataque do Farense. Adérito, e depois Zambujo e Bruno não quebraram o enguiço, umas vezes falhando golos, (caso de Adérito), noutras nem tendo influência no jogo, fruto da falta de poder a meio campo, após a saída de Luis Afonso, que apesar de desgastado nessa fase, fez um bom jogo, pautando o jogo da equipa.
  • A equipa de Évora não merecia vencer, porque à semelhança de outros episódios no passado recente, passou o jogo a queimar tempo, jogando para o empate e com uma astúcia e sorte já habitual em Faro, conseguiu o seu golo, deixando os Leões de Faro à beira dum ataque de nervos, também depois duma arbitragem tendenciosa.

Momento do Jogo:

  • O golo do Juventude Évora, aos 86 minutos, apontando por David Nunes, na sequencia de uma canto da direita, onde a defesa algarvia foi passiva, sentenciou o jogo.


Farense: Serrão; Caniggia, Mamadou, Tiago Sousa, Joshua; Bilro, Barão, Luis Afonso, Justo, Bruno Carvalho, Adérito. Jogaram ainda: Zambujo, André Calado e Bruno.

1 comentário:

Anónimo disse...

As coisas complicam-se jornada apos jornada.Pensava eu que depois da vitoria em casa iamos começar a ganhar jogos,fomos fazer um mau resultado a Massama frente ao penultimo e agora voltamos às derrotas.A Terceira divisao é o mais certo.sem dinheiro e sem qualidade o Farense nao pudera continuar.