quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Câmara de Faro embarga corte de pinheiros em terreno da Diocese no Vale das Almas

O presidente da Câmara Municipal de Faro determinou hoje o embargo da operação de corte de pinheiros que está a ter lugar num terreno no Vale das Almas, que é propriedade da Diocese do Algarve, apurou o barlavento.online.
Segundo um comunicado da Câmara de Faro, «o Município, ao ter conhecimento de que estaria em curso o corte de um número não determinado de pinheiros na zona de Gambelas, Freguesia de Montenegro, enviou ontem para o local uma equipa do Serviço de Fiscalização Municipal».A fiscalização confirmou o abate das árvores, informando que este «estaria a ter lugar mediante prévia comunicação dos proprietários do terreno à Direcção-Geral dos Recursos Florestais».Mesmo assim, e apesar da documentação apresentada à fiscalização, o presidente José Apolinário determinou à Fiscalização Municipal «que proceda ao embargo da operação de corte das árvores, visando impedir, desta forma, a sua continuação».Ao que o barlavento.online apurou, para o terreno em causa, que pertence à Diocese do Algarve, já deu entrada nos serviços da Câmara de Faro um pedido de licenciamento de um loteamento para a construção de vivendas.
O terreno, aliás, segundo o PDM de Faro, está incluído numa zona urbanizável. Este é o espaço onde tem tido lugar, nos últimos anos, uma pequena parte da Concentração Motard de Faro. No entanto, mesmo que venha a ser aprovado o loteamento, isso não deverá afectar a realização da concentração, já que grande parte das estruturas de apoio à iniciativa do Motoclube de Faro são instaladas num outro terreno já integrado em zona onde não se pode construir, do outro lado da estrada.Fonte do gabinete de José Apolinário disse ao barlavento.online que a proprietária do terreno vai agora ser notificada do embargo decretado pelo presidente da Câmara, e poderá depois contestar. «O que o presidente não quis é que o corte das árvores avançasse sem que a autarquia tivesse conhecimento», para depois ser confrontada com um facto consumado.

3 comentários:

Anónimo disse...

É VERGONHOSO! NEM TENHO PALAVRAS!DE QUEM É A CULPA?? É DE QUEM VENDE DE QUEM COMPRA OS DE TODOS NOS???

SamM disse...

Não estou dentro do assunto, mas apenas me pergunto como é possivel a Direcção-Geral dos Recursos Florestais não informar ninguem a nível das entidades regionais, Governo Civil ou CMF ou CCDR da passagem desta autorização... O cumulo é ir lá uma brigada de fiscalização e depois levar com autorização na cara...

Anónimo disse...

ESTA CIDADE TA UMA MERDA E A CULPA É DE TODOS OS FARENSES QUE NADA FAZEM!

carrega