domingo, 5 de outubro de 2008

Quando falta a garra e a inspiração, vencer é impossível...

Na imagem das equipas, cai na retina a união da equipa alentejana, permissa também revelada em campo e que foi decisiva no resultado do encontro

O Farense deu na tarde de hoje mais uma pálida imagem do que pode fazer, desiludindo mais uma vez os seus aficionados, neste que foi o 4.º jogo no Estádio Algarve mantendo a sequência negativa de resultados caseiros que teima em não desaparecer.
E se as expectativas eram consideráveis para esta partida, tendo em conta o resultado obtido no Barreiro, cedo se percebeu que a equipa treinada por Ivo Soares, não iria ter um dia feliz, tal foi a inoperância demonstrada, em especial na primeira meia hora de jogo, esboçando apenas uma ténue reacção após sofrer o primeiro golo da equipa eborense.

Ivo Soares apresentou um onze com algumas adaptações na equipa, em virtude da ausência de algumas unidades importantes, mas não se pode dizer que tenha sido esse o factor decisivo no desenrolar na partida. Após 10 minutos de estudo mútuo entre as equipas, o Juventude de Évora foi ganhando domínio na partida enfrentando uma equipa algarvia apática, mal organizada e com poucas ganas. Por isso, e mesmo sem o Juventude de Évora acelerar muito na partida, à meia hora de jogo já tinha rematado por 5 vezes à baliza de Kula enquanto os homens da casa apenas por uma vez se haviam aproximado com perigo da baliza de Tiago. Os alentejanos chegariam mesmo ao golo, na sequência de um canto, situação recorrente esta época, e que trazia alguma justiça ao marcador. Após o golo, o Farense tentou pegar mais na partida, situação mais que esperada, mas também não foi feliz, até porque a equipa contrária, que ia fazendo anti jogo desde o inicio do encontro, com o passar do tempo foi se aproveitando cada vez mais da complacência do arbitro e se a fluidez de jogo farense já era inconsistente então mais frágil se ia tornando. Na primeira parte, por incrível que pareça apenas nos recordamos duma boa jogada farense, na sequência duma “descida” de Hernâni pela direita, assistindo Edinho, que na grande área ganhou espaço mas rematou rasteiro para as mãos de Tiago.

Viria a segunda parte, e já com David Justo em campo, mas também Tony e Bruno, o Farense foi encostando cada vez mais o adversário à sua área, tendo quase sempre 4 atacantes em cima da defesa contrária por forma a aproveitar qualquer falha defensiva dos eborenses e assim chegar ao golo. Contudo, o despovoamento do meio campo, tornou o jogo dos Leões de Faro muito previsível, o que acabava por facilitar a tarefa da defensiva do Juventude de Évora, que se mostrou muito disciplinada, anulando as investidas farenses que também não eram correctamente executadas pois os jogadores não se desmarcavam e buscavam espaços para criar perigo junto da baliza de Tiago. E se tudo se mantinha difícil para os comandados de Ivo Soares, pior ficaram quando o experiente Nuno Gaio fez o 0-2 numa jogada de contra ataque. Era a total desilusão para as hostes farenses, que ainda conseguiram chegar ao golo por Bruno, aproveitando a força e estatura do gigante de Loulé, alimentando tenuemente a esperança do empate. Mas faltavam apenas 7 minutos para terminar o encontro e o Farense não mais conseguiu chegar com perigo à baliza contrária, acumulando mais um resultado negativo, que deixa os farenses a 8 pontos do líder Cova da Piedade e a 5 do rival Louletano. Resultado que se justifica, num jogo feio e com uma arbitragem razoável, apenas manchada pela complacência para com o anti-jogo adversário.

Ficha de Jogo:
Estádio Algarve (Parque das Cidades)
15 horas, 05/10/2008
Assistência: 850 espectadores
Arbitro: Ricardo Baixinho
FARENSE 1-2 JUVENTUDE ÉVORA

(27 mn, por Paulo Martins, na sequência dum canto cobrado na direita directamente para o segundo poste, surge o Xavier e desviar para a pequena área, onde aparece o central Paulo Martins a marcar o golo inaugural, com Kula fora do lance)
(76 mn, por Nuno Gaio, jogada rápida de ataque do Juventude pela esquerda com o cruzamento a ser tirado do meio do meio campo farense para o atacante Nuno Gaio, que, de cabeça desvia de Kula)
(88 mn, por Bruno, na sequência de um cruzamento da esquerda, Bruno antecipa-se ao guarda redes Tiago e “penteia” a bola para a baliza eborense)

Farense: Kula; Hernâni(Toni, 54mn), Né, Rui Graça, Cannigia; Arlindo (David Justo, 34mn), Norberto, Luís Afonso, Everson; Della Pasqua(Bruno, 65mn), Edinho. Treinador: Ivo Soares

Sem comentários: