terça-feira, 23 de novembro de 2010

Maldição Especial. Quem vier atrás de Mou que feche a porta...


Mourinho é um eucalipto e por onde passa seca tudo: Benítez será a última vítima de quem o sucede num clube

Antes de ser Special One (Chelsea), Il Speciale (Inter de Milão) e El Especial (Real Madrid), Mourinho foi Tarzan (União de Leiria) e merda (FC Porto) - a sério. Recuperemos aqui quem o mimoseou com tanto carinho quando ele não era Mou, mas apenas o filho de Mourinho Félix que alimentava ódios nos decanos da velha guarda. Entre eles, Manuel José e Octávio Machado. O deles a seu dono.

"O Mourinho foi deselegante comigo e com os técnicos portugueses. Estou farto de ver tarzans como Mourinho. Ele ainda é um aprendiz de treinador", por Manuel José em Abril de 2001; "O Mourinho como homem é uma merda", por Octávio Machado, em Fevereiro de 2004. Eles tinham as suas razões, que eram as mesmas: serem trocados por Mourinho. O primeiro, na União de Leiria; o segundo, no FC Porto; e ambos tiveram de pôr um freio nas críticas porque o homem construiu (e continua a construir) uma carreira que muitos tentarão copiar.

Mourinho é um treinador de causas. E de efeitos. Quando entra num clube causa alvoroço - os jogadores rendem mais, a equipa idem e os títulos sucedem-se; e quando sai desse clube, o efeito é imediato - os jogadores rendem menos, a equipa idem e os títulos desvanecem. Exagerado? Talvez. Mas o que está a acontecer a Rafa Benítez no Inter só reforça aquilo a que vamos chamar de Maldição Especial: quem vier atrás de Mourinho que feche a porta.

RAFA BENÍTEZ Comecemos pelo fim, que é o presente. Rafa Benítez vai de mal a pior no Inter de Milão - ou de voto de confiança em voto de confiança, que vai dar ao mesmo. A "Gazzetta dello Sport" escreve que caso perca o próximo jogo (Twente, para a Liga dos Campeões), Moratti despede-o. Bom, e Benítez é incompetente? O currículo diz que não: uma Liga dos Campeões, uma Supertaça de Inglaterra, uma Supertaça Europeia (Liverpool), duas ligas espanholas e uma Taça UEFA (Valencia). Mas os números do Inter esta época são tristonhos: 20 pontos e 14 golos marcados na liga italiana até agora (menos 12 e 18, respectivamente que no ano passado por esta altura), cinco encontros consecutivos sem vencer e nove pontos atrás do líder, AC Milan. E ao vermos Milito (três golos apenas), Cambiasso, Sneijder (o putativo bola de ouro) ou Maicon arrastarem-se em campo, perguntamo-nos se terão desaprendido ou se é apenas a orfandade de Mou a fazer efeito - sobre isso, Ricardo Costa, treinado por ele no FCP, dá a sua opinião ao lado. Mais. O Inter só vendeu um pseudo-titular, o estouvado Balotelli.

AVRAM GRANT Mourinho saiu do Chelsea em rota de colisão com Abramovich, que contratou Avram Grant para o lugar dele. Em defesa do israelita, é verdade que ele chegou a duas finais (Liga dos Campeões e Taça da Liga) e discutiu o campeonato inglês até à última ronda - não ganhou nenhuma das três competições. E o Chelsea ficou de mãos a abanar como a foto aqui em cima ilustra.

GIGI DELNERI Este nem aqueceu o lugar: Pinto da Costa despediu-o antes da época arrancar. Contratado ao Chievo para substituir Mourinho, vencedor da Liga dos Campeões, Gigi Delneri chegou de braço dado com PC, com o pé esquerdo engessado e a moral toda: "Prometo trabalho, empenho e vontade. Queremos praticar um futebol ofensivo que alie a técnica à táctica." Só que os veteranos do FCP (escreveu-se isso sobre Baía, Jorge Costa e Pedro Emanuel) torceram o nariz aos métodos do italiano e fizeram ver isso ao presidente. Delneri saiu, veio Fernández (que ganhou a Taça Intercontinental, diga-se) e depois Couceiro em quem muita gente viu o Mourinho II pelo discurso e pelo cabelo grisalho. Faltaram-lhe vitórias e o título foi para o Benfica.

MÁRIO REIS José Mourinho despedira-se do Benfica e estava parado até ser chamado para a União de Leiria. Em 2001/02, pela equipa do Lis, Mou completou 19 jogos, fizera boa figura e foi resgatado pelo FC Porto. Para o substituir, entrou Mário Reis que fez apenas cinco encontros (um empate e quatro derrotas) até pedir a rescisão de contrato - até ao fim do campeonato, foi Vítor Pontes a tomar conta do conjunto.
.... In I Online



E ainda faltaria aqui Toni, o eterno bombeiro do Benfica, o tal que no último Mundial fez de espião da equipa da técnica da Costa do Marfim, liderada por Sven Goran Erikson, traindo Portugal e os portugueses, numa baralha que apesar de tudo conseguimos superar...


A Mourinho, que no Benfica em 9 jogos para o campeonato averbara apenas 18 pontos, mas que parecia ter encontrado ao fim de alguns jogos o bom caminho, sucedeu Toni que conduziu então o Benfica à pior classificação da sua história, o famoso 6º lugar...


De Mourinho aqui por Faro lembro-me dum jogo numa tarde invernosa, num sábado, em que perdemos 0-1 com a União de Leiria, a poucos meses do ingresso deste génio do futebol no FC Porto. A derrota nesse dia foi mais um passo rumo à descida da primeira liga por parte dos Leões de Faro e logo com ajudinha deste aprendiz a melhor do mundo, que nesse jogo já demosntrava algumas das suas caracteristicas mais vincadas...

Sem comentários: