segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Ciclismo: Tavira e Loulé sem garantias de continuar


A duas semanas do fim do prazo de inscrição para a época de 2011, a equipa do Clube de Ciclismo de Tavira, vencedora das três últimas edições da Volta a Portugal em bicicleta, não tem garantias de poder manter o projeto. CC Loulé também está em dificuldades.

"Ainda não temos patrocinador que se possa constituir como patrocinador principal. Continuamos a aguardar respostas e vamos esperar até ao limite. Não está fácil", admitiu Jorge Corvo, presidente do Clube de Ciclismo de Tavira, em declarações à Lusa.

O Tavira tem de pagar a taxa de inscrição na União Ciclista Internacional até 25 de novembro e formalizar a inscrição até 29 junto da Federação Portuguesa de Ciclismo, apresentando nomeadamente os contratos com corredores e ‘staff’, garantia bancária, orçamento detalhado, apólice do seguro e contratos de patrocínio.

"Há toda a vontade de que a equipa continue, mas não podemos avançar até ter condições reunidas", acrescentou Jorge Corvo, sublinhando que, não havendo patrocinador, "não foram feitos contratos com nenhum corredor".

Já sem poder contar o espanhol David Blanco, vencedor da Volta em 2008, 2009 e 2010, que correrá pela Geox (ProTour) no próximo ano, nem o compatriota Alejandro Marque, que vai representar o Boavista, o Tavira mantém na expetativa diversos corredores, designadamente Cândido Barbosa.

"Se conseguirmos ter um projeto aliciante, o Cândido Barbosa continua, mas, para já, aguarda", explicou o dirigente tavirense, acrescentando que "a equipa pode ir para a estrada com um plano B, ou seja, o mínimo indispensável".

O CC Loulé, a outra equipa algarvia do pelotão, corre o risco de não competir na próxima época. Em declarações à Lusa, o diretor desportivo, Jorge Piedade, assumiu que "não está fácil" encontrar patrocinador para a equipa.

"Vai ser até à última a lutar para ir para a estrada. É a crise, é o doping, são essas coisas que fazem com que o ciclismo não seja apelativo e as autarquias também não gostam de ciclismo. Neste momento, são só os carolas que tentam contornar as dificuldades para ver se conseguem formar a equipa. Se não conseguirmos, temos de partir para outra", admitiu.

Depois do inesperado recuo do projeto da Liberty Seguros, só há três equipas profissionais praticamente confirmadas no pelotão para a próxima época: LA-Paredes Rota dos Móveis, Barbot-Efapel e Boavista, cujo patrocinador ainda não foi divulgado.


In Observatório do Algarve


De equipa imbatível, a projecto em vias de acabar... Apenas 3 meses bastaram para que "o Tavira", a mais antiga equipa profissional de ciclismo no activo em todo o mundo, perdesse duas ou três das suas unidades mais influentes.

Diria que apesar de tudo, e pelo que sei, a equipa da cidade do Gilão está praticamente certa, embora com um investimento muito mais reduzido, que espero, seja o suficiente para manter nomes como os de André Cardoso ou Cândido Barbosa, na minha opinião as mais valias desta equipa para o ataque à nova época.

Quanto à equipa de Loulé, o cenário é negro e por aqui me aqui me fico...

Sem comentários: