sexta-feira, 5 de março de 2010

Rádio Atlântico FM em vias de cessar emissão 21 anos depois...

Regulador não renova licença da rádio «Atlântico FM» de Olhão

A Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC) decidiu não renovar o alvará da rádio Atlântico (Atlântico FM 92,2 MHz Olhão), na sequência do pedido entregue pela estação, devido a alegadas dívidas fiscais.

A deliberação foi tomada a 17 de Fevereiro, depois de a ERC ter analisado o processo e argumentos apresentados em sede de audiência prévia e concluído que «o operador não tem a sua situação contributiva e financeira regularizada perante a Segurança Social e as Finanças».

Segundo a ERC, «não só o operador admitiu a existência de dívidas, como juntou ao processo documentos que atestam a sua existência».

O regulador afirma ainda, na deliberação tornada pública a 26 de Fevereiro, que a emissora «apesar de ter requerido a prorrogação do prazo por duas vezes, não fez prova de ter conseguido regularizar a situação».

Na fundamentação da Atlântico FM, apresentada à ERC, a rádio afirma, contudo, ter desenvolvido esforços para obter receitas que lhe permitissem desencadear, junto das referidas entidades, «procedimentos tendentes à celebração de acordos de pagamento, em regime prestacional», a fim de «estabilizar a situação económico-financeira».

No mesmo documento, a rádio alegava estar «a terminar um acordo de pagamento em prestações junto das Finanças», afirmando que só após o mesmo seria «possível estabelecer um novo plano a fim de regularizar a situação contributiva da empresa».

A RTVA – Radiotelevisão Atlântico, S.A. é titular da licença para o exercício da atividade de radiodifusão para cobertura local desde 22 de Maio de 1989, estando a emitir com a denominação «Atlântico TV, frequência 92,2 MHz, no concelho de Olhão.


Apesar de longe serem os tempos em que a Rádio Atlântico dedicou a sua emissão a alguns eventos desportivos, esta foi na década de 90 a mais dinâmica rádio do Sotavento Algarvio, mantendo uma linha musical variada durante os últimos anos, mas com menor fulgor em termos de animadores, em virtude das limitações financeiras. Depois de Faro ter perdido à poucos meses a sua única estação de rádio privada, a Rádio Clube do Sul, é agora a cidade de Olhão que se vê orfã dum meio de comunicação social que cumpre com regularidade os atributos da divulgação da cidade cubista e do Algarve em geral. É mais uma machadada forte nos Media algarvios, cada vez mais debilitados, num meio cada vez mais entregue aos Media globais, em lugar dos nossos Media locais... E "Nós" também somos os culpados disso...

2 comentários:

Anónimo disse...

Boas,
Concordo inteiramente a frase com que termina o seu texto.
Todos os anunciantes tem culpa, em suma todos nós ouvintes também.
Conhecedor que sou da realidade existente, foi o "Bom" trabalho feito nos anos 90, que levou esta Rádio à situação que se encontra, significa isso que o trabalho foi tão mas tão bom, que nunca foram pagas prestações dos funcionários à Segurança Social nem I.V.A às Finanças, mas não apenas isso. Um dos principais responsáveís para que se tenham acumulado dívidas, foram os incentivos do Estado à modernização da Rádio, a introdução dos computadores e dos sistemas digitais, pois a empresa não conseguiu realizar dinheiro para pagar a parte que lhe competia (25%) se isto é um bom trabalho ?? foi isto que aconteceu nos anos 90...por aqui me fico..

celia martins disse...

Nao concordo em nada com o que disse o sr.anonimo pois nos anos 90 e que a radio era radio,uma excelente gestao e um grande empreendimento por parte dos seus gestores,contudo a radio nao morreu agora morreu sim quando infelizmente deixou de ser gerida por quem dava a alma e coracao por essa radio que foi sem sombras de duvida uma das melhores de todo o algarve,dor de cotevo para quem nao percebe nada de gestao e muito menos de orgao de comunicacao...um bem aja rtva