sábado, 26 de janeiro de 2008

Missão Cumprida >> Alvorense 2-3 Farense

Numa das deslocações mais difíceis da época, mais uma vitória para os Leões de Faro, que mantêm-se assim invictos fora de casa. Pela frente o Farense teve a equipa do Alvorense, que jogou esta partida como se de uma final se tratasse tal era a determinação dos homens do Barlavento, que mesmo assim não mostraram discernimento na segunda parte, quando após reduzir a diferença no placard, tinham por obrigação fazer um pouco mais.
O filme do jogo começou praticamente com o golo do Alvorense, não que sem antes já tivéssemos assistido a um lance de alguma intranquilidade da defesa do Farense, logo nos instantes iniciais, como que um presságio para o golo inaugural da partida. O Farense reagiria de imediato, dispondo-se em campo no habitual 4x4x2 utilizado nas últimas partidas, com a defesa adiantada de forma a empurrar a equipa de Alvor para o seu meio terreno. Muito por culpa de Brasa, que fez um bela partida o jogo do Farense era flanqueado e feito de movimentações rápidas dos seus homens mais adiantados, que iam aos poucos desbaratando a defesa Alvorense. Seria num livre ganho na esquerda, que Brasa empataria a partida, tendo noutro lance de bola parada causado frisson, quando aos 16 minutos envio num canto directo a bola á trave do guardião barlaventino. Embora com ascendente na partida o Farense, como já dissemos estava intranquilo a defender, até porque a equipa de Alvor tem unidades bem dotadas tecnicamente e que em lances de transição rápida iam a espaços, incomodando a baliza de Costa. Seria numa dessas incursões, no espaço entre o lateral e o central que Né cometeria uma falta desnecessária, passível da marcação de grande penalidade. Na conversão da mesma, Costa efectuaria uma fantástica defesa, num lance que considero de decisivo no jogo, pois foi fulcral no desfecho do marcador do jogo bem como no estado anímico das equipas.
Notamos na equipa de Faro, que há cada vez mais rotina de jogo e há movimentos intencionais, fruto do treino semanal, que são postos em prática ao fim de semana. Por exemplo Bruno, muitas vezes recua no terreno, em especial quando a bola está jogável pelo guarda-redes ou centrais, para que com toques subtis de cabeça, desmarque logo de imediato, colegas que estejam a entrar pelas costas da defesa contrária. Sem dúvida que Bruno cada vez mais se assume uma mais valia na equipa, ao contrário das exibições iniciais com a camisola dos Leões de Faro, que faziam parecer um jogador apático e lento na abordagem dos lances. Como corolário desta evolução ainda na primeira parte Bruno marcaria um golo de grande qualidade, fixando o marcador em 1-2 nos primeiros 45 minutos.
Na segunda parte o Farense entraria bem e Bruno faria valer o seu bom jogo de cabeça para dilatar o marcador. A reacção barlaventina não se fez esperar e coube ao Alvorense a dinâmica de jogo com algumas jogadas perigosas dos seus homens adiantados que algumas vezes apareciam em superioridade numérica junto à área, fruto da arrojada intenção ofensiva do treinador Rui Clemente. Em consequência, Américo reduziria a vantagem do Farense no marcador, e Carlos Costa sem vacilar, colocaria Arlindo em campo pois os centrocampistas estavam já um pouco enfraquecidos, o que o obrigou a abdicar de Edinho, colocando uma unidade fresca no meio terreno. Parece-nos que o Alvorense após esta entrada e em virtude de os seus elementos estarem também um pouco cansados, acusou de facto esta viragem pois o seu futebol foi perdendo aos poucos o dinamismo, limitando a jogadas de bolas pelo ar, que eram anuladas pela defesa dos Leões de Faro. Túlio teria ainda uma boa oportunidade de sentenciar o marcador num remate rasteiro cruzado no interior na área, o que a acontecer, evitaria o nervosismo causado pelo Alvorense aos sócios e adeptos da capital algarvia, pois nos últimos instantes sucederam os lances bombeados para a área de Costa, felizmente sem consequências no marcador. Arbitragem prejudicial para o Farense e com muitos erros de palmatória.

Ficha de Jogo: Estádio da Restinga (Alvor), 15 horas, 26/01/2008
Assistência: 500 espectadores
Alvorense 2-3 Farense

( … 5mn, remate cruzado da direita, defesa incompleta de Costa e na recarga, um jogador do Alvorense remate de pé esquerdo com a bola a bater na trave, tocar em Costa e a anichar-se nas redes da equipa de Faro)
(Brasa 9mn, na conversão de um livre descaído pela esquerda, a bola a passar por toda a gente e a entrar junto ao poste esquerdo da baliza do Alvorense)
(Bruno 45mn, jogada de Bruno que recebendo a bola de um companheiro, roda sobre si e remata com muita força, levando a bola ao ângulo superior esquerdo da baliza contrária )
(Bruno 56mn, na sequencia de um livre descaído pela esquerda, aparece Bruno num bom cabeceamento de cima para baixo a desfeitear o guardião contrário que ainda toca na bola)
(Américo 64mn, jogada pelo lado direito do Alvorense, passa rasteiro atrasado para a cabeça da área e Américo a rematar rasteiro para junto do poste direito da baliza de Costa)


Farense: Costa; Amilcar, Né, Wilson, Caras; Barão (Calquinhas, 90+2mn), Ricardo, Túlio (Rui Loja 82mn), Brasa; Edinho (Arlindo 71mn),Bruno. Treinador: Carlos Costa

3 comentários:

Anónimo disse...

meteste mal o resultado

SamM disse...

Já corrigi... lol. Obrigado.

Anónimo disse...

o primeiro golo do alvor foi marcado por o amilcar(a bola bateu nas pernas)e nao o costa