sábado, 10 de abril de 2010

Macário corta pagamento de electricidade à AFA

A edilidade farense, liderada por Macário Correia, faz saber através de uma nota de imprensa (que abaixo transcrevemos na íntegra), que "a Câmara de Faro deixa de pagar a energia eléctrica do edifício-sede da AFA - Associação de Futebol do Algarve", recordemos, situada entrada de Olhão para Faro, junto às piscinas municipais. Aliás, o executivo de Macário denuncia que o edifício da AFA tem energia eléctrica através de "uma ligação fraudulenta e ilegal, pois feita à revelia da EDP, sem instalação aprovada, sem ligação certificada e sem vigilância técnica que assegure padrões mínimos de segurança", citámos.

ESCLARECIMENTO DA CMF

A Câmara Municipal de Faro vem tornar público o seguinte:


1. A Câmara de Faro tem arcado, ao longo dos últimos 20 anos, com as despesas relativas ao consumo de energia do edifício da Associação de Futebol do Algarve (AFA). Já são, até hoje, centenas de milhares de euros que os contribuintes de Faro tiveram que desembolsar.

2. Trata-se de uma ligação fraudulenta e ilegal, pois feita à revelia da EDP, sem instalação aprovada, sem ligação certificada e sem vigilância técnica que assegure padrões mínimos de segurança.

3. A Câmara comunicou à AFA, há cerca de 4 meses, para que, em conjunto com a EDP, resolvesse de forma expedita a questão. Tal não foi feito e esta questão deixou de dizer respeito à Câmara de Faro. A resolução do assunto apenas diz respeito à AFA e à EDP.


4. A Câmara não pode, não deve e não irá pagar consumos de energia de edifícios particulares, para actividades que nada têm a ver com as actividades do Município.

ALVES CAETANO, PRESIDENTE DA AFA, PEDE "INVESTIGAÇÃO PÚBLICA"

Contactado por Algarve Press, o presidente da Associação de Futebol do Algarve, Alves Caetano, foi peremptório nas respostas à autarquia farense e rebateu de forma energica e com "revolta", os quatro pontos do comunicado da edilidade:
"O que a autarquia tem pago foi fruto de protocolos feitos com os executivos autárquicos e da AFA que antecederam os actuais, mas se o senhor engenheiro Macário Correia descobriu agora a existência de situações fraudulentas e ilegais, então sou o primeiro a pedir que se faça um investigação pública sobre quem e como ligou o contador, bem como é que a Câmara paga estas ilegalidades há vinte anos".
E, praticamente sem se deter, Alves Caetano continua na posição de atacante: "A não ser que de nada tenham valido as reuniões e mails que tenho mantido com o vereador do desporto, sr. dr. Paulo Santos, há meses, já que o sr. presidente nunca me recebeu, para resolver a situação. É preciso não nos esquecer-mos que aquele contador, que não serve só o edifício da AFA, foi lá colocado há vinte anos, no tempo da construção da sede, e que agora são necessárias todas as adaptações às novas tecnologias para instações eléctricas do género, todo um processo moroso que estamos há algum tempo a implementar, como é do conhecimento do senhor vereador. Só se as conversas com o vereador não servem para o senhor presidente".
Sempre de forma contundente, o dirigente associativo vai mais longe nas suas afirmações e deixa algumas advertências: "O problema nunca foi nem é o pagamento dos cerca de 200 euros mensais de energia eléctrica, ao senhor vereador sempre nos disponibilizámos para os assumir, até porque não queremos que Faro vá à falência ou não se paguem atempadamente os ordenados dos funcionários da Câmara por causa dos nossos 200 euros, pedimos tão somente tempo até termos a obra das adaptações concluída, sem problemas de um chumbo pela empresa responsável da EDP, mas o senhor presidente da Câmara não nos quis dar o tempo necessário para resolver a situação, agora, se a EDP nos mandar cortar a energia, fechamos as portas e supendemos os campeonatos. Recordo que só de Faro movimentamos semanalmente mais de dois mil miúdos, sem falarmos dos campeonatos séniores", avisou.
E, a concluir, Alves Caetano, "indignado", continua o `braço de ferro´com Macário Correia: "Já agora recordo que, além de outras dívidas, a Câmara de Faro deve mais de nove mil euros da publicidade que mantém na revista da Associação de Futebol do Algarve, pois não a paga desde 2006, verbas que bem poderiam entrar em encontro de contas. Por outro lado temos de lembrar ao senhor presidente que somos uma entidade de Utilidade Pública, a quem a Câmara não apoia com qualquer verba e que movimenta milhares de atletas de clubes e associações de Faro, por isso não perecemos como nos considera um edifício particular e, pior ainda, com actividades que nada têm a ver com actividades do Município. Pode o senhor presidente indicar-nos outra entidade em Faro que ajude a movimentar mais pessoas do Concelho na prática desportiva do que a AFA?", concluiu.


Para teimoso, teimoso e meio... A verdade é que por continuar a politica do "deixa andar", muitos dos problemas do nosso país (e neste caso do Concelho) se vão diluindo no tempo e é mais que altura que todos os interessados assumam as suas reponsabilidades, por forma a que todos os municipes e instituições sejam tratados de igual forma.

1 comentário:

Anónimo disse...

Mas o nome do presidente da camara de Faro e Macario ou Macaco 20 anos depois e que esses politicos da sardinha descobriram que a ligacao da luz AFA eran clandestina? esse cajo teveria estar era a vender bocas na praia