domingo, 4 de abril de 2010

Venda do Estádio de São Luís poderá resolver-se “daqui a pouco tempo”

Promessa do presidente do Farense no jantar do centenário


A venda do Estádio de São Luís poderá resolver-se “daqui a pouco tempo”, prometeu este sábado, durante o jantar de comemoração do centenário do Farense, o presidente do emblema da capital algarvia.

António Barão, secundado pelo presidente da Câmara Municipal de Faro, Macário Correia, adiantou que as duas partes “têm tido muitas reuniões e feito um trabalho exaustivo” para que a situação do Farense possa estar resolvida “daqui a pouco tempo”.

O negócio, a concretizar-se, pode significar a limpeza do passivo financeiro do emblema farense, estimado em mais de nove milhões de euros. “Não nos importamos de começar do zero, desde que o passivo esteja resolvido”, disse o dirigente.

Em causa, está um projecto urbanístico e comercial – inclui um hotel de cinco estrelas, clínicas, cinemas e apartamentos de luxo, entre outras valências – para o terreno actualmente ocupado pelo Estádio de São Luís, um processo que arrancou em Março junto da autarquia.

O presidente da câmara de Faro, Macário Correia, admitiu que se trata de uma questão “delicada e complexa”, mas confidenciou: “Não vamos baixar os braços nem resignar, uma vez que existe uma solução, uma luz ao fundo do túnel.”

Até a polémica posse do recinto, que sempre gerou discórdia por não se entender se é da câmara ou do clube, mereceu uma referência do autarca: “Legalmente é da câmara de Faro mas, por sentimento e espírito, é do Farense”, confessou.

António Barão agradeceu aos mais de 500 sócios presentes o seu apoio, prometendo “trabalhar para dignificar a instituição”. “Temos mais de 1000 atletas a representar as nossas cores e somos quem mais leva o nome de Faro a todo o país”, frisou.

Também Macário disse não querer ver “um sentimento de desânimo” nos sócios. Pelo seu historial, acrescentou, “o Farense merece estar no escalão principal e tudo faremos para que voltemos a ter as grandes tardes futebolísticas de domingo”.

Distinções marcaram noite de festejos

O jantar de comemoração do 100.º aniversário (que se assinalou dia 1 de Abril) do emblema algarvio contou com a presença de várias personalidades e de representantes de diversas instituições. A direcção aproveitou para entregar medalhas de ouro e prata aos sócios - embora com um atropelo ao protocolo que a noite exigia no caso dos associados com 25 anos de filiação -, distinguindo dezenas de outras figuras, como ex-presidentes, ex-atletas, colaboradores regulares e demais entidades.

As distinções ao ex-dirigente e benemérito Aníbal Guerreiro e ao ex-futebolista Hassan Nader foram as mais emocionantes da noite, merecendo ovações de pé. O espanhol Paco Fortes não pôde vir à festa mas foi igualmente lembrado com emoção.

O primeiro discurso, e também o mais emotivo, foi do sócio n.º 1 do clube e ex-presidente, João Pires, que lembrou muitas personalidades ligadas ao clube já falecidas, dedicando ainda palavras a Aníbal Guerreiro, Fernando Barata, Gomes Ferreira e António Barão.

O Sporting fez-se representar pelo presidente da mesa da assembleia geral, Dias Ferreira, e vice-presidente da direcção, Rogério de Brito, ambos manifestando o desejo de ver o clube algarvio voltar “ao seio dos maiores o mais rapidamente possível”.

Dias Ferreira garantiu ser para o Sporting “uma obrigação estar ao lado do Farense sempre que necessário”, até porque o clube da capital do Algarve é filial n.º 2 do «leão»: “Feliz clube que tais filhos tem…”


In Região-Sul por Edgar Pires

Sem comentários: