quinta-feira, 30 de julho de 2009

Carta Aberta à Nova Direcção do Farense

Exmos Senhores,


Venho através desta carta aberta, levantar uma questão que para mim é muito pertinente, já que envolve jovens desportistas e homens do amanhã que sonharam e acalentaram durante a sua formação nesse clube, o sonho de um dia vingarem na carreira futebolística e que, ao terminarem na época passada a sua última época como juniores na modalidade de futebol, não sentiram da parte dessa direcção um gesto de solidariedade e gratidão. Assim, relembro que o comportamento dessa Direcção não foi o mais correcta e porquê?

- Em primeiro lugar, era vossa obrigação, terem realizado uma “Convocatória” (não era preciso almoços, jantares ou lanches) dirigida a todos os ex-juniores promovidos ou não no final da época para uma palestra simples, em que o assunto, basicamente se resumiria a umas palavras amigas e de conforto, dando-lhes a entender que seria impossível promovê-los a todos ao escalão sénior.
- E em segundo lugar, um agradecimento também não ficaria nada mal, relembrando os êxitos obtidos pelos sucessivos apuramentos para as segundas Fases dos Nacionais (iniciados e juvenis) e, mais recentemente, na época de 2007/2008, conquista da subida à 1ª Divisão Nacional de juniores e ainda em 2008/2009, garantiram a sua manutenção, isto, sempre e ao longo destes anos, envergando a mítica camisola do melhor clube algarvio.

Perante isto, acho que foram mais que muitos, os êxitos, conquistados pela melhor fornada de jogadores, formada nesse clube da última década e que ninguém da anterior e actual Direcção se interessou, em expressar a sua gratidão e reconhecimento pelo dever cumprido!

Um Farense atento!

Recebemos dum nosso leitor esta missiva, que agora vos apresentamos. Estamos certos que algumas das observações relatadas poderiam ser evitadas, mas cremos que no futuro, o Farense evitará novas situações deste género. É frustrante para estes jovens jogadores chegar ao fim deste ciclo sem continuar com a camisola alvi-negra vestida, mas como sabemos a vida é feita de ciclos e é impossível uma equipa sénior, que se quer altamente competitiva, absorver mais que 4/5 jogadores por época, das suas camadas jovens. Nesse aspecto, o Farense, e neste caso específico, o staff do futebol sénior, nos parecem identificados com essa necessidade de apostar duma forma regular nos jovens, potenciando o seu desenvolvimento e fomentando mais valias em eventuais transacções de "passes".

Sem comentários: