domingo, 22 de fevereiro de 2009

Em domingo de Carnaval, o Leão não foi em brincadeiras...

Os cruzamentos em lances de bola parada foram uma constante em toda a partida

O Farense garantiu na tarde de hoje uma importante vitória, num reduto tradicionalmente difícil, mas no qual o Farense, sem ser brilhante conseguiu puxar dos galões e garantir os três pontos graças a uma aceitável segunda parte. A vitória deste domingo por 0-2 em Quarteira, deixa os homens da capital algarvia mais descansados (agora com sete pontos à maior sobre o sétimo posto) na tabela e também mais próximos do quarto lugar. Só não foi mais positiva a jornada porque o duo da frente também venceu os seus jogos e assim a desvantagem para estes mantêm-se inalterável.

Numa primeira parte jogada a um ritmo lento e com muitas paragens à mistura, nenhuma das equipas conseguia ter uma clarividência mais vincada na partida. Embora o Quarteirense explorasse mais os lLance dividido entre Norberto e um defesa contrárioances de contra ataque, onde homens como Marquito ou Carlos Mota eram das peças mais acutilantes no onze de Luís Resende, o Farense ia respondendo com dificuldade, tentando organizar mais o seu jogo, mas enfrentava uma equipa quarteirense muito aguerrida e que limitava o jogo do Farense com muitas faltas que ia proporcionando algumas jogadas de bola parada aos leões de Faro. Num período pobre em ocasiões de golo, nota para duas jogadas, uma por Pintassilgo aos 14 minutos, que falharia o desvio para golo na pequena área, na sequência dum canto e depois para um livre do Quarteirense que rechaçaria na barreira, que poderia eventualmente trair Gonçalo, mas este esteve muito bem e inverteu o seu voo para suster o remate traiçoeiro, aos 27 minutos. Terminava então a primeira parte com um nulo, que se ajustava ao que víamos, castigando a pálida prestação das duas equipas no medíocre relvado do Municipal de Quarteira.

A segunda foi jogada a um ritmo mais vivo e no seu inicio, ainda com apenas sete minutos volvidos do reatamento já o Farense se adiantava no marcador gBruno comemora o seu golo com Pintassilgo junto aos muitos adeptos farenses presentesraças a um golo oportuno de Bruno. Dois minutos passados e se o Quarteirense estava já em dificuldade, com maiores problemas ficaria após a saída do defesa Vila por acumulação de "amarelos", o que deixava o Farense em boa posição para defender esta vantagem forasteira. Os locais tremeram com este rombo e o Farense perderia duas soberanas ocasiões para "matar" o encontro, primeiro por Norberto que, isolado na cara de Miguel, remataria à figura e depois por Justo que remataria cruzado ao lado, num contra ataque rápido imediatamente após ter entrado. Contudo os homens do mar reorganizaram-se e partiram para o quarto final da partida com outro ânimo e vigor. Reduzidos a dez homens, pressionaram o Farense e podiam mesmo ter empatado, mas o Farense foi se defendendo e também "queimando" algum tempo para ira dos adeptos locais, que viam assim a sua equipa perder ritmo de jogo numa fase da partida em que procuravam a igualdade na partida. Já no período de descontos, o Quarteirense teria novo revés após a expulsão dum seu jogador, tendo essa jogada originado o 0-2, na cobrança do respectivo livre. Cannigia, o marcador, comemoraria de forma efusiva e desta forma veria a segunda cartolina amarela, sendo expulso e assim ficando automaticamente de fora da próxima partida, em casa com o líder Cova da Piedade... O jogo terminaria logo de seguida, com muitos protestos por parte das gentes de Quarteira, situação que retardou a entrada da equipa do Farense e do trio de arbitragem nos balneários. Arbitragem sem influência em lances capitais da partida mas muito desiquilibrada a nível disciplinar.

Camp. Nac. 3ª Divisão, Série F, 22ª Jornada
Estádio Municipal de Quarteira (Quarteira)
Assistência: 400 espectadores
15 horas, 22/02/2009
Árbitro: Avelino Nascimento (Lisboa)
QUARTEIRENSE 0-2 FARENSE

(52 mn, por Bruno, na sequência dum cruzamento milimétrico de Zé Nascimento na direita, Bruno eleva-se na pequena área, antecipando-se a Miguel e inaugurando o marcador de cabeça)
(90+4 mn, por Cannigia, na cobrança dum livre directo, marcado de forma exemplar a castigar uma falta sobre Klébson)

Farense: Gonçalo; Cannigia, Hernâni, Carlos Neves, Wilson; Luís Afonso, Zé Nascimento (Justo, 63mn), Barão, Norberto (Caras, 80mn), Bruno, Pintassilgo (Klebson, 73mn). Treinador: António Barão

Sem comentários: