terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

A partir de amanhã: 35ª Volta ao Algarve traz o melhor ciclista do mundo à Região...

Uma equipa de 60 pessoas vai trabalhar entre quarta-feira e domingo na organização da 35ª edição da Volta ao Algarve, que acolhe alguns nomes sonantes do ciclismo mundial entre as 22 equipas de 12 países, seis portuguesas.

À partida para a primeira das cinco etapas da prova vai estar um pelotão composto por 176 ciclistas, acompanhados por 160 pessoas que compõem os "staffs" das equipas a preparar tudo para que possam dar o seu melhor nas cerca de quatro horas que dura cada tirada e serão seguidos por um conjunto de 88 veículos.

O espanhol Alberto Contador (Astana), vencedor das três grandes voltas (França, Espanha e Itália) e provavelmente o melhor corredor da actualidade, será um dos ilustres do pelotão, a par do italiano Damiano Cunego (Lampre), o alemão Andreas Kloeden (Astana) ou o asutraliano Robbie McEwen (Katusha). Nas chegadas, a organização montará 500 baias de segurança, para evitar que o público entre nas estradas e atrapalhe os ciclistas, e 1.250 metros de placards publicitários, que permitirão uma maior visibilidade aos patrocinadores da corrida.

Um total de 1.710 dormidas, 4.240 refeições, 8.900 litros de gasolina são alguns dos números que reflectem o impacto económico da prova e, segundo a organização, juntam-se à promoção que o nome Algarve terá interna e externamente durante os cinco dias da corrida, graças à cobertura de 18 jornalistas estrangeiros e 40 portugueses que pediram acreditação."A organização disponibiliza resumos de três minutos por dia para as principais cadeias de televisão em toda a Europa e disponibiliza igualmente um resumo diário de 15 minutos com os melhores momentos da etapa", explicou uma fonte das empresas co-organizadoras da Volta ao Algarve.

Nas partidas, vão ser instaladas "uma área técnica, uma área de saída de prova, um pódio de saída, uma 'sponsors village', uma área de lazer com insufláveis, um balão de ar quente e passatempos", precisou. As mesmas infra-estruturas, mas para chegadas, serão montadas junto às metas (onde haverá também música ao vivo) e reflectem uma das novidades que a organização quis introduzir nesta 35ª edição: "uma aposta mais forte na componente do entretenimento dos espectadores".

"As coisas este ano tornaram-se mais fáceis porque as empresas associadas a esta edição da Volta fizeram os contactos com patrocinadores e as diversas entidades e aliviaram um pouco o trabalho da Associação de Ciclismo do Algarve", explicou Rogério Teixeira, presidente da entidade organizadora.


Lembro-me da Volta ao Algarve, à uns 10/12 atrás ser uma prova limitada a equipas portuguesas... O tempo passou e com ele esta prova tornou-se na mais valiosa prova portuguesa por etapas, no que ao ciclismo diz respeito. Haverá maior meio de publicitação da Região lá fora, do que este, com transmissões directas dos finais de etapa numa Eurosport? Sabemos que isso esteve muito próximo de acontecer este ano mas mais uma vez não foi possível... Uma pena, sem dúvida, até porque seria mais uma chapada sem mão à ERTA que pelas queixas dos responsáveis da ACA não apoio como o desejado este fantástico evento desportivo do Algarve.

1 comentário:

h2 disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.