sábado, 2 de agosto de 2008

Jogo morno termina com vitória dos Leões de Faro

Na manhã de hoje, o Farense disputou mais um jogo de preparação para a temporada que se avizinha diante dum adversário do seu campeonato e que decerto deu a Jorge Portela preciosas indicações sobre a competitividade deste seu adversário a da prova em geral.
A partida iniciou-se então sob um sol quente, normal nesta altura de Verão, em plena manha de sábado, tendo as equipas oferecido um espectáculo algo entediante, essencialmente na primeira parte.
Jogando num 4x2x3x1, o Farense demonstrava alguma fraqueza de imaginação a meio campo, não traduzindo em jogadas perigosas o seu ascendente territorial na partida. Optando preferencialmente por jogadas flanqueadas, teve nelas, algumas da situações relativamente mais perigosas, consequência de alguns cruzamentos na busca de Bruno ou em mesmo em lances de bola parada. Por seu turno, o Campinense mostrava-se uma equipa sólida a defender e sempre matreira à espera dalguma desatenção, que viria mesmo a ser fatal para os locais aos 37 minutos de jogo, repetindo ainda outro golo, que seria mal anulado, já perto do intervalo.
Esperava-se então outra “cara” do candidato Farense na segunda metade, e com Jorge Portela a mexer na equipa o Farense melhorou um pouco, mas sem nunca chegar a níveis exibicionais de bom nível, onde raramente o guardião campinense seria posto à prova duma forma evidente, apenas nos recordando duma jogada de Della Pasqua, que, de primeira, lançado por Litera?!?, proporcionaria a este a defesa da manha. Sinal do domínio terriorial da equipa de Faro eram os inúmeros cantos conquistados mas raramente o transformados em jogadas perigosas e que aos poucos iam desmotivando os adeptos farenses que assistiam à partida. Contudo, como se costuma dizer, “tantas vezes vai o cântaro à fonte, que um dia deixa lá a asa” e seria Edinho, na sequencia deste domínio algo inconsequente a fazer a igualdade, isto numa altura em que o Campinense já denotava alguma dificuldade física, fruto das tardias alterações que Ivo foi promovendo na sua equipa. Com a toada do jogo a manter-se, o Farense logrou então, chegar à vantagem, por Litera, já perto do final, terminado a partida com algumas dificuldades para segurar a vantagem, pois equipa de Loulé, vendo-se a perder, encetou então uma período de pressão ofensiva, onde podia mesmo ter chegado ao empate. Arbitragem medíocre.

Ficha de Jogo: Estádio S. Luís (Faro)
10 horas, 02/08/2008
Assistência: 120 espectadores
FARENSE 2-1 CAMPINENSE
(37 mn, numa jogada rápida, um jogador campinense aproveita uma falha defensiva na esquerda farense e remata, no ressalto surge um atacante, que, de costas para a baliza remata de bicicleta para o fundo das redes farenses)
(64 mn, por Edinho, na sequencia dum cruzamento largo da direita de Della Pasqua, Edinho desmarca-se e surge no coração da área a marcar de cabeça o golo do empate)
(87 mn, por Litera, canto da direita muito chegado à baliza, atrapalhação do guardião campinense, com a bola a acabar por entrar nas redes da baliza norte do estádio São Luís)

Farense: Costa; Amílcar, Rui Graça, Né, Duarte; Andrezinho, Barão, Luís Afonso, Justo, Paulinho; Bruno. Treinador: Jorge Portela
Jogaram na segunda parte: Kula, Caniggia, Wilson, Hernâni, Caras; Libânio, Litera, Toni, Brasa; Della Pasqua e Edinho

Lance que dá o golo da vitória do Farense com a colaboração do guardião campinense.

1 comentário:

Farense disse...

Bons Farenses, quando é o fulano que se diz presidente do nosso S. C. Farense vai pagar por ter levado o nosso clube ao estado que está. quem o autorizou a descer o nosso clube de divisão, quem o autorizou a levar a nossa sade á falencia, uma vez que não contestou a insolvencia.
Caso para pensar se este incompetente que se diz presidente do nosso clube, que só destruio o grande clube não merece com um processo em tribunal e pagar uma idminização ao nosso e sempre glorioso farense.