quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Farense apresentou-se com derrota por 1-3 frente ao Olhanense


Foi num fim de tarde agradável que caía sobre a capital algarvia, que o Farense se apresentou aos seus sócios e adeptos para mais uma temporada desportiva que brevemente terá inicio oficial. Num jogo festivo, o convidado para defrontar a turma da capital algarvia foi o Olhanense, equipa vizinha e rival do Farense, com o qual se confunde muita da história do futebol algarvio e das rivalidades entre estas duas cidades nas ultimas dezenas de anos. Actualmente a militar na Liga Vitalis, o Olhanense vive uma realidade desportiva completamente diferente dos Leões de Faro, que agora voltam a “afiar as unhas” em busca de novas conquistas que a recoloquem no caminho dos grandes palcos do futebol nacional. Por isso, não é com demérito que o Farense digerirá este desaire no seu jogo de apresentação por 1-3, resultado normal, mas que não pode ainda assim ser ignorado, tendo em conta a inconsistente exibição dos comandados de Jorge Portela.

Num jogo que se iniciou a um ritmo lento e com equilíbrio entre as equipas, dispondo mesmo o Farense da primeira grande oportunidade para marca, por Brasa de cabeça, seria o Olhanense a mostrar a sua mais valia e maior entrosamento com o decorrer do tempo, aproveitando as falhas defensivas do Farense, e terminando a primeira parte com uma vantagem de dois golos. Perante um adversário mais adulto, o Farense encontrou dificuldades na circulação de bola e não conseguiu controlar as movimentações dos jogadores mais adiantados da formação de Olhão que ao aparecerem soltos não enjeitaram a oportunidade e desnivelaram a balança a seu favor, perante uma equipa caseira, ainda à procura da rotina de jogo.

Na segunda parte, após Jorge Portela já ter efectuado 7 alterações no onze inicial, seria o Olhanense a desiquilibrar ainda mais o marcador, chegando ao 0-3, sem que ainda se tivesse completado uma hora de partida, o que deixava os adeptos locais desanimados perante tamanhas facilidades. A perder por 3 bolas, o Farense acabaria por colocar Bruno ao lado Edinho e como que por “magia”, seria na jogada imediata o golo do Farense, por Justo, dando ainda algumas esperanças aos aficcionados farenses. Os Leões de Faro procuraram a iniciativa de jogo mas com pouco sucesso, esbarrando no Olhanense, que se limitou a controlar a partida, terminando com uma merecida vitória. Arbitragem fraca.

Ficha de Jogo: Estádio S. Luís (Faro)
20 horas, 13/08/2008
Assistência: 450 espectadores
FARENSE 1-3 OLHANENSE


(41 mn, por Ricardo Silva, na conversão duma grande penalidade, jogada junto à linha de fundo na esquerda do ataque olhanense, cruzamento tirado e possível lance de mão na bola. Ricardo Silva é chamado para marcar e engana Costa, enviando a bola para a sua esquerda)
(44 mn, por Fábio Marques, na sequencia dum cruzamento da esquerda, Fábio aparece junto ao poste esquerdo da baliza de Costa completamente solto e encosta a bola para dentro das malhas)
(55 mn, por Ricardo Silva, jogada iniciada por Ricardo Silva no meio campo ofensivo, deixando a bola na esquerda e desmarcando-se de imediato, esperando o cruzamento do jogador a quem endereçou a bola. Nesta pequena sequencia acaba por marcar facilmente o 0-3 num golpe de cabeça)
(61mn, por David Justo, num remate à entrada da área na meia direita, interceptado pela defesa olhanense e traindo o guarda redes Ricardo Campos)

Farense: Costa; Amílcar, Rui Graça, Wilson, Duarte; Arlindo, Barão, Luís Afonso; Paulinho, Della Pasqua, Brasa. Treinador: Jorge Portela
Jogaram na segunda parte: Kula (Bruno Miguel), Caniggia, Né, Hernâni, Caras; Litera (Libânio), Toni (Everson), Justo, Edinho, Bruno, Andrezinho.

Sem comentários: