sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Como dá gosto ver os artistas à solta...

Quando se iniciou o processo para escolha do sucessor de Carlos Queiroz ao comando da Selecção Nacional, fiquei apreensivo com o nome de Paulo Bento.

Hoje, após 4 ou 5 treinos e um jogo oficial disputado, é prematuro tirar ideias fortes acerca da capacidade do homem da riscò-mei no comando da equipa das quinas, mas não me custa nada admitir que a Selecção Portuguesa está no bom caminho...


Fico feliz, e agradado com o dinamismo da equipa, criatividade, alegria e garra dos jogadores, coisa que na outra era não parecia ser muito abundante na anterior gestão.


Se tinha algum receio em relação ao modelo de jogo a implementar por Paulo Bento e dos jogadores a seleccionar, Paulo Bento foi duma sensatez, honestidade e coerência inatacáveis, procurando o melhor para a equipa, em detrimento de escolhas e questões pessoais, destacando a inteligência de aproveitar a dupla madrilena Carvalho-Pepe e os regressos à alta roda de alguns proscritos de Queiroz, Carlos Martins, Moutinho e mesmo Postiga, em detrimento dos Dannys, Eliseus e Duda's desta vida, bem como da dependência moderada de Cristiano Ronaldo, melhorando desta forma o rendimento de todos os elos da equipa.


Paulo Bento pode não ser o homem ideal, mas neste momento é o nosso Seleccionador e quem vê esta equipa jogar, com níveis de confiança, vontade, rapidez e criatividade altos, só pode ficar feliz pela troca com Carlos Queiroz... Agora venha a Islândia, porque depois deste jogo, voltamos a ter gosto pelos jogos da Selecção. Até Terça!

Sem comentários: