segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Faro: Macário Correia quer alterar acesso à praia de Faro para acabar com galgamento de mar e areias




O presidente da Câmara de Faro anunciou este domingo que espera a conclusão de estudos para ver se pode alterar o traçado da estrada de acesso à ilha de Faro, que fica interdita quando há mau tempo.

Numa conferência de imprensa realizada à tarde junto ao acesso, depois de na noite passada o mar ter galgado a estrada e depositado areias que obrigaram à interdição de troços, Macário Correia lembrou que "esta é uma situação recorrente quando há mau tempo" e obriga a autarquia a limpar a estrada cada vez que fica com areia, "mas a câmara pretende resolvê-la definitivamente".

O autarca afirmou que os estudos deverão ficar concluídos e que, definido o plano de pormenor da ilha de Faro, “em 2011 esperamos poder avançar com uma solução, que pode passar pela deslocação da estrada mais para o interior da Ria Formosa, de forma a permitir a solidificação do cordão dunar, que neste momento é muito frágil e quando há mau tempo é galgado pelo mar".

Macário Correria frisou que "a situação já se verifica há muitos anos e cada vez que a estrada fica com areia os funcionários da câmara limpam-na e tornam-na circulável, o que acarreta uma despesa grande para autarquia", que espera a conclusão dos estudos para "em 2011 poder avançar" com a intervenção no terreno.

"Queremos encontrar uma solução definitiva para esta situação e o reforço do cordão dunar e a alteração do traçado da estrada mais para o interior podem ser a solução", disse ainda o autarca.

Macário Correia sublinhou que algumas habitações poderão ter de ser retiradas do local, mas garantiu que a autarquia "assegurará a transferência daquelas famílias em que esteja em causa a primeira habitação".

Na madrugada passada, por ocasião da praia-mar, e devido à ondulação de quatro a cinco metros, o mar galgou de novo a estrada de acesso à ilha de Faro, obrigando à interdição. Com o mar vieram areias que os serviços camarários removeram para permitir a circulação.

Apesar de o mar ter estado próximo de algumas habitações, não houve danos pessoais ou materiais a registar.

Sem comentários: