terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Algarve: PS acusa PSD de ter “uma grande dose de ignorância”


O líder regional do PS Algarve, Miguel Freitas mostrou-se hoje disponível para fornecer os dados sobre a economia do Algarve à direção do PSD algarvio, para acabar com a «perplexidade» e também com a grande dose de ignorância manifestada sobre esta matéria”. Luis Gomes promete “analisar”.

Sobem de tom as críticas entre as direções regionais de socialistas e sociais democratas. Face ao anúncio, pelo também deputado Miguel Freitas, de um levantamento sobre o investimento no Algarve para 2011 iria atingir 280 milhões, o presidente da comissão política do PSD reagiu, afirmando que se tratava de “contabilidade criativa”.

Em resposta, o líder regional socialista afirma que “a perplexidade da direção do PSD mostra uma grande dose de ignorância ao confundir PIDDAC regionalizado com investimento na região, confusão que hoje já ninguém é capaz de fazer no país”.

Miguel Freitas rejeita as acusações do PSD quanto à credibilidade do levantamento efetuado sobre o investimento na região, lembrando que o PS o realizou “junto das direções Regionais, empresas públicas e parcerias público-privadas (PPP) e do qual já deu conhecimento aos parceiros sociais, designadamente às associações empresariais e sindicatos”.

Luís Gomes espera “a volta do correio”

O presidente do PSD Luís Gomes, em declarações ao Observatório do Algarve, comenta a propósito: “Vamos aguardar o envio dos números, na volta do correio, e vamos analisá-los” sem querer avançar outros dados.

O deputado Miguel Freitas critica hoje a posição da direção social democrata de ontem: “O PSD Algarve insiste em olhar para o Orçamento de Estado da forma como quer, foi capaz de reconhecer que haverá um aumento este ano no PIDDAC regional para 60 milhões de euros, mas não é capaz de ir mais longe ”.

Referindo-se à intenção igualmente anunciada ontem pelo PSD de colocar ao Governo questões, através ds seus deputados, na Assembleia República, que permitissem aferir dos investimentos na região, Miguel Freitas adianta que “o PSD pode pedir ao Governo toda a informação que quiser, mas ela já existe e está disponível porque esse trabalho já está feito por nós junto das entidades regionais”.

O parlamentar socialista discrimina depois os investimentos que já tornara públicos anteriormente no âmbito da ronda que tem efetuado junto de entidades e parceiros sociais regionais, em comunicado enviado às redações.

Contas do PS somam 280 milhões de investimento

Segundo Miguel Freitas, "em 2011 o investimento em 8 escolas do Algarve feito pela Parque Escolar será de 80 milhões de euros, verba que está centralizada no OE no Ministério da Educação".

Quanto à EN 125, está prevista a concretização de obra "em praticamente toda a plataforma entre Vila do Bispo e Vila Real de Santo António e arrancar com variantes e ligações à Via do Infante, no volume de investimento próximo dos 100 milhões de euros".

Relativamente ao programa POLIS, entre a Ria Formosa e a Costa Vicentina, a programação financeira é de 38 milhões de euros e Miguel Freitas alerta que “houve o cuidado de considerar dificuldades de execução inerentes a um processo complicado e considerar apenas 15 milhões de euros, equivalente ao investimento de 2010”.

A continuidade das obras do aeroporto, em que a ANA vai investir 25 milhões de euros no próximo ano e as intervenções previstas no orçamento Instituto Nacional da Água (INAG) na ordem dos 5 milhões de euros na praia de D. Ana em Lagos e de Albufeira, enquanto a Estradas de Portugal, investirão 3 milhões em manutenção das vias algarvias, são outras das contas avançadas pelo líder dos socialistas algarvios.

“Todo este investimento, no valor aproximado de 220 milhões de euros não está em PIDDAC regionalizado - que por si consagra 60 milhões - porque é da responsabilidade de organismos centrais e de empresas públicas ou mesmo de parcerias público-privadas”, como é o caso da EDIFER, empresa responsável pela concessão Algarve Litoral para a obra na EN 125.

Assim, Miguel Freitas “estranha tanto desconhecimento por parte de quem tem responsabilidades políticas na região”.

Números merecem credibilidade

O líder socialista endurece a crítica ao seu opositor político lembrando que “ os números divulgados pelo PS Algarve foram recolhidos junto das entidades regionais e portanto merecem toda a credibilidade da nossa parte”.

“Aguarda-se que o PSD Algarve não entre na linha de desvalorizar a região e os seus responsáveis, contrariando na prática o que defende em comunicados”, salienta.

Hospital central depende do fecho do concurso

O presidente do PS Algarve adianta a propósito do Hospital Central do Algarve que “nenhuma verba foi prevista neste levantamento de investimento para 2011” já que o concurso não está fechado, embora os trâmites concursais estejam a cumprir o calendário e só depois da adjudicação final será possível com precisão conhecer a sua programação financeira.

“Lamento que a direção do PSD Algarve tenha enveredado por um caminho de escaramuça e desconfiança política, não procurando esclarecer-se, nem junto dos organismos públicos da região, nem pedindo de forma correta e oficial os números ao PS Algarve, que teríamos muito gosto em ter fornecido de forma detalhada, atitude que não serve os algarvios”, conclui Miguel Freitas.

In Observatório do Algarve


No fundo o próprio PS Algarve na contra resposta a Luís Gomes assume o que já havíamos desvendado à 15 dias atrás, sendo este investimento, um conjunto de obras à muito prometidas, anunciadas e pendentes, as quais já deveriam estar concluídas. Assim, gabarolices destas, dispensamos!

Sem comentários: