terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Homens da Luta no "Festival"


Os tempos são outros...


Antes a música de intervenção era feita através de palavras subtis, numa forma crítica e aglutinadora de pensamentos sedentos por uma revolução em Portugal. A situação tornava-se insustentável, principalmente devido às baixas cada vez mais sentidas na Guerra Colonial, mas também devido à própria ditadura implantada que, embora enfraquecida pela queda de Salazar e o render por Marcelo Caetano, trazia cada vez mais desespero às gerações de outrora...


Hoje vivemos uma Democracia, mas por alguma razão, muitos dos que celebraram efusivamente a data, comemorando o alívio pela conquista da liberdade de pensamentos, atitudes, direitos e hábitos, hoje lamentam o estado em que Portugal se encontra, uma Pátria falida, manietada pelo poder económico dos grandes da Europa, minado por corruptos e falsos "mestres" que nos enganam a cada frase que proclamam... Assim se explica tão elevada taxa de abstenção nas últimas eleições, mas, talvez mais sintomático que isso, os cerca de 190 mil votos em branco, de pessoas que se dignaram a ir às Assembleias de Voto, para expressar no local próprio o protesto pelo estado de coisas.


Felizmente, estes Homens de Luta, anónimos que não acreditam em promessas vãs, são ouvintes de vozes, umas mais convencionais, outras mais cómicas, que proclamam os direitos do Povo, aquele que sofre sempre mais quando os políticos nos desgovernam...


Sem comentários: