segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Faro: Rosa Mota é madrinha da 1ª "Maratona do Algarve"






A primeira maratona, famosa corrida de resistência de 42,195 quilómetros, do Algarve realiza-se a 10 de outubro, em Faro, e a organização estima receber no "ano zero" 350 inscrições. Rosa Mota é madrinha da prova.


Faro quer entrar para o roteiro das "grandes maratonas nacionais e internacionais" e desenvolver um turismo desportivo que, no futuro, transforme a prova de atletismo num evento à escala da concentração de motos de Faro, que reúne todos os anos na capital algarvia milhares de turistas, declarou hoje António Campos, da organização.

António Campos, diretor geral da Xistarca, a empresa que está a organizar a "Maratona do Algarve", declarou na conferência de imprensa dada hoje na Câmara Municipal de Faro que a "Maratona de Faro" tem até ao momento "300 inscrições", onde 50 desses concorrentes são estrangeiros vindos de Espanha, França, Suécia, EUA e África do Sul.

A organização estima, contudo, que dia 10 de outubro o número de participantes atinja os 350, um valor idêntico aos participantes da primeira "Maratona Carlos Lopes".

Nas grandes capitais e principais centros turísticos, as maratonas movimentam mais de quatro milhões de praticantes em todo o mundo.

A campeã olímpica Rosa Mota vai ser a madrinha da "Maratona do Algarve", prova com preocupações ecológicas e, por isso, batizada de "Eco Maratona", porque vai utilizar carros elétricos e copos de cartão em vez de garrafas de plástico, uma forma do evento ser amigo do Ambiente e celebrar o Ano Internacional da Biodiversidade.

O orçamento para a prova ronda os 50 mil euros, mas ainda não há patrocinadores oficiais, apenas apoio logístico da Câmara de Faro.

"Mesmo sem patrocinadores no ano zero da Maratona do Algarve, a prova vai realizar-se", garante a organização que acredita que o evento desportivo tem "pernas, pés e cabeça para andar", como referiu o presidente da Associação de Atletismo do Algarve, Lara Ramos, também presente na conferência de imprensa.

A Maratona do Algarve tem partida às 09h00 na pista de Atletismo da Câmara de Faro e desenrola-se em duas voltas a um circuito que percorre as principais artérias da cidade e que depois se alarga ao parque das Cidades e à parte rural do concelho, nomeadamente Mar e Guerra, Patacão, Bela Salema e Conceição.

No dia da Maratona do Algarve, 10 de outubro, Faro também vai receber uma "Meia Maratona" (21 quilómetros) com partida às 10h20, uma "Marcha Corrida" (10 quilómetros) e uma "Corrida de Família" (seis quilómetros).

Todos os eventos são abertos à população em geral, mediante inscrição prévia aqui.

A "Maratona do Algarve" nasce precisamente no ano em se comemoram os 2.500 anos da histórica Batalha de Maratona (490 A.C), onde se inspirou a epopeica corrida de resistência.


Faro sempre foi uma cidade virada para o Atletismo, com tradições nesta modalidade tão abrangente e que ano após ano conquista mais adeptos. Lembro o Grande Prémio do Reis, que leva à baixa farense todos os anos milhares de pessoas nas primeiras tardes de sábado de Janeiro, tal como me recordo de outros eventos que se realizavam na nossa cidade, caso de um circuito na Penha, que entretanto foi descontinuado...


Agora, só se pode aplaudir esta visão mais ambiciosa, e que com a participação de todos pode marcar no futuro, a nossa cidade como referência neste tipo de eventos desportivos, sempre de uma forma responsável, mas dinamizando uma cidade que ao longo dos últimos anos tem sido esquecida pelos grandes promotores, em detrimento de outras cidades algarvias... O voto é que este seja o ponto de partida para a criação de outros eventos de qualidade e dimensão na nossa cidade, que não sejam organizados de forma desgarrada, mas com uma sequência que perdure no tempo, promovendo Faro com o prestigio que merece.

1 comentário:

F.Neves disse...

Agrada-me bastante uma iniciativa destas, que, quero crer, se irá manter nos anos vindouros.
Até há cerca de 20 anos pratiquei este hobby como amador, com muito prazer e excelente companheirismo, o atletismo de fundo, tendo marcado presença na maratona de Lisboa em 1988, prova que consegui terminar.
Tenho pena que por essa altura, no Algarve e, mais propriamente em Faro, não houvessem provas destas, onde apenas me parece merecer registo assinalável o Grande Prémio dos Reis.
A sensação de terminar o 42,195 kms é uma coisa inolvidável e, apesar do cansaço, pensamos logo em repetir a próxima.
Mas, atenção, a maratona exige uma preparação cuidada, sobretudo a nível da alimentação, com treino diário.
É uma prova que exige a prática de atletismo com alguns anos e presença em provas de distâncias menores, regra aplicada não só a federados, mas também a amadores.
Registo ainda ter iniciado a prática da corrida em 1984, ano da medalha de ouro do grande Carlos Lopes e marcado presença na prova rainha no ano da medalha, também de ouro, da nossa Rosa Mota, com quem, eu e o meu grupo, nos cruzámos algumas vezes em treino na mata do Estádio Nacional.
Será uma excelente madrinha para a prova de Faro.