sábado, 18 de setembro de 2010

Portagens na A22 - O que precisa de saber e o que os algarvios vão fazer para contestar a medida!


As perguntas e dúvidas que se colocam neste momento acerca da cobrança de portagens:

Quanto vai custar?

Os valores previsíveis apontam para que sejam cobrados cerca de 00,7 cêntimos/quilómetro.
Com base neste valor, a travessia completa da Via do infante, entre Lagos e Castro Marim (129 quilómetros) poderá custar nove euros.
Uma viagem de ida e volta, entre Faro e Portimão, deve ascender aos oito euros.

Como posso beneficiar de isenções?

Os utentes das autoestradas ex-SCUT, como a Via do Infante, terão que comprar o DEM – Dispositivo Eletrónico de Matrícula (chip) se quiserem beneficiar dos descontos e isenções aprovados pelo Governo.
Custará 27 euros.

O chip é obrigatório?

O chip não é obrigatório, podendo os automobilistas recorrer a quatro instrumentos de pagamento da SCUT: utilização do DEM (chip), dispositivo Via Verde, utilização de dispositivo temporário e o pós-pagamento nos CTT ou na rede Payshop.
Mas quem quiser isenções terá que instalar o chip.


Oposição promete manifestações e abaixo-assinados contra as portagens na Via do Infante

O presidente do PSD/Algarve Mendes Bota apelou aos militantes e simpatizantes para aderirem às «manifestações de revolta» que as «forças vivas da sociedade algarvia não deixarão de convocar» e diz que «não irá alterar uma vírgula» às posições já manifestadas acerca da introdução de portagens na Via do Infante.

Para Bota, «o Governo socialista concretizou mais uma ignomínia contra o Algarve, contrariando todos os compromissos anteriores de governantes e dirigentes partidários». «Requalificada ou não, a EN 125 nunca será alternativa», reiterou.

O apelo de revolta chega igualmente do lado dos comunistas, que prometem pôr a circular um abaixo-assinado com o lema «Não às Portagens, Sim ao Desenvolvimento Regional».

Para a DORAL do PCP, as «pseudo discriminações positivas» e isenções visam «criar uma cortina de fumo, tendo presente o descontentamento regional».

In Barlavento Online

Sem comentários: