quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Faro: Câmara ordena encerramento do café Aliança, edifício apresentava risco de desmoronamento


A Câmara de Faro ordenou terça feira o encerramento do café centenário Aliança, que funcionava ilegalmente e apresentava risco de desmoronamento, uma decisão conjunta da autarquia e da Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE).

O estabelecimento já tinha sido encerrado pela ASAE há cerca de três anos por falta de condições de higiene e desde 2009 que o espaço original do Aliança não funcionava, mantendo-se apenas aberta a esplanada, uma tabacaria e uma pequena cafetaria.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara de Faro, Macário Correia, explicou que já há algum tempo que era conhecida a situação de insegurança daquele edifício e uma vistoria realizada o mês passado confirmou o perigo de derrocada.

Segundo a autarquia, a solidez estrutural do edifício centenário ficou ainda mais vulnerável com a realização de obras ilegais que se traduziram na colocação de “lajes de betonilha sobre soalhos de madeira nas quais assentam paredes sem suporte adequado”.

Por outro lado, o café funcionava sem licença para aquela actividade, assim como a esplanada, que não era licenciada pela autarquia desde 2004 por haver dúvidas sobre a resistência das paredes adjacentes.

“Não deixa de ser caricato que uma esplanada que não era licenciada há seis anos devido à ameaça de derrocada da fachada continuasse aberta sem qualquer licença”, notou o presidente da autarquia.

Macário Correia disse ainda ter avisado os proprietários do edifício, com um mês de antecedência, de que o café teria que ser encerrado, o que acabou por acontecer terça feira ao final da tarde.

A reabertura do espaço está agora dependente da realização de obras de conservação e de um novo pedido de licenciamento, tendo a autarquia notificado já os proprietários para a elaboração de projeto.

O café Aliança, que comemorou recentemente cem anos, está entre os três mais antigos cafés do país, a par de A Brasileira, em Lisboa, e do Majestic, no Porto.

Conhecido pelas suas tertúlias, por lá passaram pessoas ilustres como Fernando Pessoa, Marguerite Yourcenar e Simone de Beauvoir.

Em novembro de 2007, a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) já havia suspendido a actividade do centenário café por falta de condições de higiene.

No final de 2008 também a mercearia “Aliança”, contígua ao café, e uma das mais antigas da cidade, foi encerrada pela ASAE pelo mesmo motivo.

Em 2009 um litígio entre o arrendatário e o senhorio acabaria mesmo por ditar o encerramento da área original do café, depois de uma ordem de despejo emitida pelo Tribunal de Faro.

O Aliança mudou-se então para o espaço contíguo, uma cafetaria de pequenas dimensões com esplanada e onde se manteve em funcionamento a tabacaria já existente.


In Região-Sul

Abstendo-me de qualquer comentário sobre a degradação do edifício em causa, e que por isso poderia colocar em risco a integridade física de empregados, clientes e peões, o facto é que esta centenária marca da capital algarvia perde definitivamente (por agora) a sua vida na baixa farense. Deste modo a zona central da baixa farense perderá uma das suas esplanadas mais frequentadas e por certo a cidade no seu todo ficará mais cinzenta! Que tudo se resolva com celeridade, pois Faro precisa de vida e de espaços que prendam as pessoas ao que de mais belo a capital algarvia oferece...

1 comentário:

Anónimo disse...

Se não tem condições fecha, ou o dono não tem dinheiro??se nao tem que venda.

Pedro Carrega