quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Mais uma razão para ser despedido!


O presidente da FIFA, Joseph Blatter, disse esta quarta-feira que o organismo está a investigar denúncias de possíveis represálias das autoridades norte-coreanas a jogadores e técnicos da selecção pelos maus resultados no Mundial de futebol na África do Sul.

Em conferência de imprensa em Singapura, Blatter indicou que a FIFA enviou uma carta às autoridades norte-coreanas a pedir mais informações sobre o assunto, porque “quer saber se essas alegações são verdadeiras”.

“O primeiro passo é falar com eles, depois veremos a resposta que nos vão dar”, disse Blatter, esclarecendo: “No passado já tivemos um caso parecido, quando se disse que um outro país [que não especificou] tinha censurado e castigado fisicamente os respetivos jogadores, e depois veio a provar-se que era falso”.

Uma rádio da Coreia do Sul anunciou em Julho que o regime de Pyongyang chamou toda a comitiva que esteve na África do Sul, aplicando-lhe uma repreensão pelas derrotas na primeira fase do torneio: 2-1 frente ao Brasil, 7-0 com Portugal e 3-0 perante a Costa do Marfim.

SELECCIONADOR EM TRABALHOS FORÇADOS

Nesse encontro, as autoridades terão obrigado os jogadores a criticar publicamente o treinador Kim Jong-hun, numa prática considerada habitual na Coreia do Norte, perante uma plateia de 400 atletas, estudantes e funcionários, entre eles o ministro dos Desportos, Pak Myong-chol. Ainda de acordo com a emissora sul-coreana, o técnico Jong-hun terá sido expulso do Partidos dos Trabalhadores e condenado a trabalhos forçados sob a acusação de ser o responsável pelo fracasso da participação da selecção da Coreia do Norte no Mundial.

Todavia, o presidente da Confederação de Futebol da Ásia, Mohamed bin Hamman, declarou que falou há cerca de um mês com quatro membros da equipa norte-coreana e nenhum deles denunciou ou falou de maus tratos: “Temos informações não confirmadas de que os jogadores foram submetidos a tortura ou coisa parecida, mas não conseguimos confirmar nada”, adiantou, acrescentando esperar que a investigação da FIFA sirva para aclarar toda a situação.

A Coreia do Norte começou bem o torneio, perdendo pela diferença mínima frente ao Brasil (2-1) e as autoridades terão ficado tão confiantes com o desempenho dos seus jogadores que autorizaram a transmissão em directo do jogo seguinte, no qual a equipa foi humilhada por uma goleada por 7-0 frente a Portugal, resultado pouco habitual em mundiais de futebol.

In FutebolPortugal

Depois da medíocre fase de qualificação, em que nos apurámos in-extremis após um play-off com a poderosa Bósnia Herzegovina, e de no Mundial, partindo com o segundo melhor jogador do mundo nas fileiras, jogando "acagaçadamente" em três dos quatro jogos, este artigo prova mais uma vez a incompetência de Carlos Queiróz, que mantendo a linha das suas exibições pouparia por certo os jogadores e treinadores coreanos de sofrer literalemente na pele as consequências da vergonhosa goleada sofrida frente aos "tugas"...

É que este episódio muito mais grave que as agressões a Jorge Baptista em pleno aeroporto da Portela, ou mesmo a "corrida" dada aos médicos do Agência Nacional Anti-dopagem em pleno estágio da Selecção Nacional...

Sem comentários: